E cá já moiro por vós | Ana Elisa Ribeiro | Digestivo Cultural

busca | avançada
55740 visitas/dia
1,4 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Projeto “Equilibrando” oferece oficinas e apresentações gratuitas de circo
>>> Namíbia, Não! curtíssima temporada no Sesc Bom Retiro
>>> Ceumar no Sesc Bom Retiro
>>> Mestrinho no Sesc Bom Retiro
>>> Edições Sesc promove bate-papo com Willi Bolle sobre o livro Boca do Amazonas no Sesc Pinheiros
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Modernismo e além
>>> Pelé (1940-2022)
>>> Obra traz autores do século XIX como personagens
>>> As turbulentas memórias de Mark Lanegan
>>> Gatos mudos, dorminhocos ou bisbilhoteiros
>>> Guignard, retratos de Elias Layon
>>> Entre Dois Silêncios, de Adolfo Montejo Navas
>>> Home sweet... O retorno, de Dulce Maria Cardoso
>>> Menos que um, novo romance de Patrícia Melo
>>> Gal Costa (1945-2022)
Colunistas
Últimos Posts
>>> Lula de óculos ou Lula sem óculos?
>>> Uma história do Elo7
>>> Um convite a Xavier Zubiri
>>> Agnaldo Farias sobre Millôr Fernandes
>>> Marcelo Tripoli no TalksbyLeo
>>> Ivan Sant'Anna, o irmão de Sérgio Sant'Anna
>>> A Pathétique de Beethoven por Daniel Barenboim
>>> A história de Roberto Lee e da Avenue
>>> Canções Cruas, por Jacque Falcheti
>>> Running Up That Hill de Kate Bush por SingitLive
Últimos Posts
>>> Assim criamos os nossos dois filhos
>>> Compreender para entender
>>> Para meditar
>>> O que há de errado
>>> A moça do cachorro da casa ao lado
>>> A relação entre Barbie e Stanley Kubrick
>>> Um canhão? Ou é meu coração? Casablanca 80 anos
>>> Saudades, lembranças
>>> Promessa da terra
>>> Atos não necessários
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Surf Hype, o maior blogueiro de São Paulo
>>> Sexta feira, 13
>>> Que seja eterno enquanto dure
>>> The Early Years
>>> Ruy Proença: poesia em zona de confronto
>>> E a Turma da Mônica cresceu
>>> FLIP 2006 III
>>> Franz Kafka, por Louis Begley
>>> Solidariedade é ação social
>>> ¿Cómo sobrevivo?
Mais Recentes
>>> O Grande Conflito 379 de Ellen G. White pela Casa Publicadora Brasileira (2022)
>>> Livro - Os Músicos de Bremen de Flavio de Souza pela Ftd (2010)
>>> 1984 de George Orwell pela Companhia das letras (2019)
>>> Livro - A Sutil Arte de Ligar o F*da-se de Manson Mark pela Intrínseca (2017)
>>> Livro - O Texto: Leitura & Escrita de D. Coste pela Pontes (2002)
>>> O Monte Cinco 379 de Paulo Coelho pela Objetiva
>>> Inteligência Emocional- A Teoria Revolucionária Que Redefine o Que é Ser Inteligente de Daniel Goleman pela Objetiva (1995)
>>> Livro - O Menino de Calça Curta de Flavio de Souza pela Ftd (2018)
>>> Constituição da República Portuguesa Anotada - 1º Volume de J. J. Gomes Canotilho; Vital Moreira pela Coimbra (1984)
>>> Quando o passado não passa 379 de Elisa Masselli pela Vida & Consciência (2001)
>>> Livro - A Educação Física e o Esporte na Escola - Cotidiano, saberes e formação de Silvia Christina Madrid Finck pela Ibpex (2011)
>>> Livro - Caça ao tesouro de A. J. Wood pela Brinque Book (1998)
>>> Cálculo diferencial e integral 379 de Frank Ayres Jr pela Mcgraw Hill (1981)
>>> Livro - A Viagem de Virginia Woolf pela Novo Século (2008)
>>> Livro - Livro de Histórias de Georgie Adams / Outros pela Companhia das Letrinhas (1996)
>>> Livro - Tanatos no Limiar da Loucura de Andre Charak pela Geracao (1995)
>>> Greta 379 de Mônica de Castro pela Vida & Consciência (2005)
>>> Livro - Fazendo Meu Filme 2 Em Quadrinhos - Azar no Jogo, Sorte no Amor? de Paula Pimenta pela Nemo (2015)
>>> Niketche de Paulina Chiziane pela Companhia de Bolso (2021)
>>> Livro - Listas, Guapas, Limpias de Anna Pacheco pela Caballo de Troya (2019)
>>> Michaelis minidicionário Alemão Alemão Português Português Alemão 379 de Michaelis pela Melhoramentos
>>> Política y Estado de Adalberto C. Agozino pela Dosyuna (2009)
>>> Livro - A Cinderela das Bonecas de Ruth Rocha; Mariana Massarani pela Salamandra (2011)
>>> Michaelis minidicionário Francês Francês Português Português Francês 379 de Michaelis pela Melhoramentos
>>> ISO 14001 Sistemas de Gestão Ambiental - Implantação Objetiva e Econômica de Mari Elizabete Bernardini Seiffert pela Atlas (2011)
COLUNAS >>> Especial Biblioteca Básica

Segunda-feira, 13/10/2003
E cá já moiro por vós
Ana Elisa Ribeiro
+ de 6100 Acessos
+ 1 Comentário(s)

São 16h25, hora boa para me lembrar do dia em que abri um livro pela primeira vez. Não sei bem que horas eram naquele dia e nem sei se eu mesma pude abrir o volume, mas consegui pôr os olhos no papel e divisar uns desenhos retos e oblíquos que minha mãe parecia solfejar. Adivinhei que ela detinha alguma técnica adiantada. E lamentei profundamente que eu não fosse, ainda, capaz daquele processo tão mágico.

Um ano depois, descobri que, na escola, começaria a aprender a decifrar aqueles códigos e pensei: "Eis a passagem", como se fosse uma guerreira da Caverna do Dragão. A partir do dia em que consegui fazer conexão entre os sons e entre os sentidos, passei a ler tudo o que me aparecia na frente. E me exibia para os avós e tios, primos e vizinhos. Uma exibida desde criança.

Lembro-me de estacar diante da estante de minha avó e tirar de lá um volume. Toquei a capa com carinho e ela disse: "Quer ler?". Enquanto perguntava, dona Carmen sorria como uma espanhola lasciva. Desisti da estante dela e fui atacar a da tia. Entre os primeiros volumes que toquei e li estavam Jane Eyre e Pimpinela Escarlate. Eram apenas o começo duma imensa coleção de leituras que me formaram e conformaram, me revolucionaram e transtornaram.

A Coleção Vaga-lume fez parte da minha infância e transitou comigo até a adolescência. Não foi à-toa que fiquei sem dormir querendo saber no que daria o rapto do garoto de ouro. E também não eram em vão meus pesadelos por causa do escaravelho do diabo.

Na oitava série, li Os miseráveis, e esse foi o divisor de águas da minha vida de leitora. De Victor Hugo em diante passei a apreciar a literatura "de adultos" e, agora sim, tomei coragem para atacar a estante de livros da minha avó. Foi lá que conheci preciosidades como Admirável Mundo Novo, de Aldous Huxley, leitura obrigatória para quem quer ler um clássico atual [e dá-lhe Pound!]. Também Germinal, de Emile Zola me deixou marcas fundas no espírito. Esses livros fizeram verdadeiras cirurgias nas lentes com que eu vivia a linguagem. E foi assim que passei a viver "na" linguagem.

Grande Sertão: veredas me deixou apaixonada. Chorei nas últimas três páginas do volume não porque Diadorim morria, mas porque o livro estava se acabando, e, com ele, minha extrema e alucinante experiência estética. O orgulho de saber que era mineira, como João G. Rosa e a alegria de saber que alguém podia fazer da linguagem uma viagem infinita. Travessia. Depois dele, Cem anos de solidão me fez ter delírios de prazer. E outros volumes que posso citar como formadores incontestes de minha história de leitora e amante da literatura: Vidas secas (Graciliano Ramos), Agosto (Rubem Fonseca), O amor nos tempos do cólera (Gabriel García Márquez).

Curioso que esta estante ainda conte apenas com livros de prosa. E digo isso porque a poesia me foi ainda muito mais importante. Jamais me esquecerei do prazer que certos poemas me causavam e da dorzinha boa que eu sentia no osso externo (aqui no meio do peito) quando lia algo de que gostava. Manuel Bandeira me deixava soturna. Ana Cristina César não me dizia muito, mas certamente foi ela quem me ensinou que poesia e poema são coisas diferentes e que eu podia ser poeta mesmo quando não gostava de métrica e rima.

Mas nada se compara ao dia em que li Paulo Leminski pela primeira vez. Numa apostila do segundo grau, dei de cara com um poema: "Acordei bemol/ tudo estava sustenido/ sol fazia/ só não fazia sentido". Pirei. Ensandeci. Era ele o cara que eu acompanharia por alguns anos ainda e eram dele os livros que eu procuraria obsessivamente pelas livrarias da capital mineira. Leminski não apenas dividiu as águas do que eu entendia como poesia até ali como também definiu, à sua maneira de samurai, com muita síntese e muita delicadeza, meus rumos como escritora de poemas. Foi por meio do cachorro louco que eu atingi a órbita dos poemas que escrevo até hoje.

Distraídos venceremos e La vie en close (Paulo Leminski) são imprescindíveis numa estante. Livros pra serem consultados que nem horóscopo: todos os dias. E seguidos como poesia, vaso de rosa. Poesia pau-brasil (Oswald de Andrade) é histórico. Estrela da vida inteira, do Manuel Bandeira, é antológico. E, na atualidade, a portuguesa Adília Lopes precisa fazer parte da seleção. Mulher, quarentona, virgem e delicada como uma lagarta verde. Não posso me esquecer de citar as cantigas medievais, as antologias de poesia dos trovadores, que eu lia em voz alta, como deve ser, andando de um lado para outro do quarto: "no mundo non me sei parelha/ mentre me for como me vai/ e cá já moiro por vós/ e ai!". Ah, Paio Soares Taveirós, também "moiro" por você!

Conto
enquanto eles cantam 'parabéns' lá fora, com todas aquelas gracinhas de 'com quem será...', minha visão fica escassa dentro da sala bege. quem me dera uma revolução separatista. quem sabe assim meus olhos conseguissem exergar além das divisórias. eles cantam para alguma moça recém-noiva. parece-me que ela é clara, baixa, estudante. alia-se a ela uma amiga, e esta tem um olhar entristecido recentemente. penteio meus cabelos todas as manhãs, e tenho uma sensação esquisita quando sinto que os fios se soltam. voam com qualquer vento. escovo os dentes com pouco cuidado. meus olhos ficam bons logo. saio para a rua. dou aulas pra jovens belíssimos que me parecem sempre prestes a decolar. hoje me perguntaram se meu poeta preferido é junkie. se eu dormi de mal-jeito. se costumo usar sutiã bege. se tinha apelido gracioso quando era criança. e eu disse que não. que meu apelido era Zorro. e que eu adorava.

Nota do Editor
Ana Elisa Ribeiro é autora de Poesinha (1997) e Perversa (2002), editora do site Patife e redatora do blog Estante de livros on-line.


Ana Elisa Ribeiro
Belo Horizonte, 13/10/2003

Quem leu este, também leu esse(s):
01. Crônica em sustenido de Ana Elisa Ribeiro
02. Adeus, Belas Artes de Elisa Andrade Buzzo
03. Livros que aproximam de Ivan Bilheiro
04. A suprema nostalgia de Marta Barcellos
05. Pelas mãos habilidosas dos grandes escritores de Marta Barcellos


Mais Ana Elisa Ribeiro
Mais Acessadas de Ana Elisa Ribeiro em 2003
01. Descobertas responsáveis - 18/12/2003
02. Saudade... - 19/11/2003
03. E cá já moiro por vós - 13/10/2003
04. O que é um livro? - 5/11/2003
05. Insatisfação - 10/12/2003


Mais Especial Biblioteca Básica
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
21/10/2003
13h41min
eis que eu, dois dias depois de estar numa mesa de bar trocando idéia com vc, abro religiosamente o site do digestivo cultural e vejo vc aqui, escrevendo... bom, mto bom. assim dá mais gosto de entrar aqui... k.
[Leia outros Comentários de kakazinha]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Os Livros da Fuvest Unicamp I (veja os Titulos na Relação) Vestib
Varios
Objetivo
(2009)



Cresça e Apareça
Luiz Alberto Alves dos Santos
Semente
(1996)



Coleção Frajola e Piu-piu - a Maldição do Nilo. Looney Tunes
Sid Jacobson
Babel
(2011)



Moderna Plus Literatura Tempos, Leitores e Leituras Unico Aluno
Maria Luiza M. Abaurre
Moderna
(2011)



Primeiro Mataram Meu Pai / 1ª Ed - Condira !!!
Loung Ung
Harper Collins
(2017)



The "early Times" Book of Unsolved Mysteries
Keith Brumpton(illustrator)
Puffin Books
(1993)



Abc de Castro Alves
Jorge Amado
Martins



Mangá Blade 26
Hiroaki Samura
Conrad
(2004)



Asas Brancas
Carlos Queiroz Telles
Moderna
(1997)



A Linguagem do Bebê
Lynne Murray e Liz Andrews
Publifolha
(2004)





busca | avançada
55740 visitas/dia
1,4 milhão/mês