Jogando uma pedra no poço sem fundo | Alexandre Soares Silva | Digestivo Cultural

busca | avançada
51839 visitas/dia
1,8 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Livro beneficente ensina concurseiros a superar desafios e conquistar sonhos
>>> Cia Triptal celebra a obra de Jorge Andrade no centenário do autor
>>> Sesc Santana apresenta SCinestesia com a Companhia de Danças de Diadema
>>> “É Hora de Arte” realiza oficinas gratuitas de circo, grafite, teatro e dança
>>> MOSTRA DO MAB FAAP GANHA NOVAS OBRAS A PARTIR DE JUNHO
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> As maravilhas do modo avião
>>> A suíte melancólica de Joan Brossa
>>> Lá onde brotam grandes autores da literatura
>>> Ser e fenecer: poesia de Maurício Arruda Mendonça
>>> A compra do Twitter por Elon Musk
>>> Epitáfio do que não partiu
>>> Efeitos periféricos da tempestade de areia do Sara
>>> Mamãe falhei
>>> Sobre a literatura de Evando Nascimento
>>> Velha amiga, ainda tão menina em minha cabeça...
Colunistas
Últimos Posts
>>> Fabio Massari sobre Um Álbum Italiano
>>> The Number of the Beast by Sophie Burrell
>>> Terra... Luna... E o Bitcoin?
>>> 500 Maiores Álbuns Brasileiros
>>> Albert King e Stevie Ray Vaughan (1983)
>>> Rush (1984)
>>> Luiz Maurício da Silva, autor de Mercado de Opções
>>> Trader, investidor ou buy and hold?
>>> Slayer no Monsters of Rock (1998)
>>> Por que investir no Twitter (TWTR34)
Últimos Posts
>>> Parei de fumar
>>> Asas de Ícaro
>>> Auto estima
>>> Jazz: 10 músicas para começar
>>> THE END
>>> Somos todos venturosos
>>> Por que eu?
>>> Dizer, não é ser
>>> A Caixa de Brinquedos
>>> Nosferatu 100 anos e o infamiliar em nós*
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Queen na pandemia
>>> A história do Olist
>>> Kubrick, o iluminado
>>> Mr. Sandman
>>> Unchained by Sophie Burrell
>>> Reflexões na fila
>>> Papo com Alessandro Martins
>>> Epitáfio do que não partiu
>>> Lá onde brotam grandes autores da literatura
>>> O Conselheiro também come (e bebe)
Mais Recentes
>>> Oreficeria Moderna Tecnica-pratica de L Vitiello pela Hoepli (1963)
>>> A pretexto do combate e globalizaçao Renasce a luta de classes de Gregorio vivanco lopes pela Cruz de cristo (2002)
>>> Um Mergulho no Inferno das Drogas de Maria Célia Ribeiro Cesar pela Do Autor (2001)
>>> Um copo de cerveja de Affonso heliodoro pela brasilia (2001)
>>> Felicidade Roubada de Augusto Cury pela Benvira (2014)
>>> Actores, redes y desafíos : juventudes e infancias en América Latina de Alberto Hernandez Hernandez Amalia E. Campos Delgado pela Clacso (2015)
>>> Instituições Direito Público e Privado de Nelson Goday pela Nelpa
>>> Tom Jones de Henri Fielding pela Abril Cultural (1971)
>>> Stories of Mystery and Suspense (sem Cd) de Edgar Allan Poe pela Hub (2000)
>>> As Relações Perigosas - Biblioteca Folhas de Choderlos de Lacros pela Ediouro (1998)
>>> Contos do Rio - Filosofia do rio em sete dimensões de Saturnino Braga pela Record (1999)
>>> O Fator Decisivo da Lombalgia Prática e Teoria de Sadakazu Nakata pela Andemo (1982)
>>> Paddy Clarke Ha Ha Ha de Roddy Doyle; Lidia Cavalcante Luther pela Estação Liberdade (2002)
>>> Testa de Ferro de Carlos Bohn pela Livro Que Constroem (2010)
>>> A Imperfeição no Evangelho de Ricardo Peter pela Paulus (2000)
>>> Pcc a Facção de Fatima Souza pela Record (2007)
>>> Tom Jones de Henry Fielding pela Abril Cultural
>>> Diretrizes e Praticas da Gestaão Financeiras de Roberto Bohlen Selene pela Ibpex (2010)
>>> Essencialismo - a Disciplinada Busca por Menos de Greg Mckeown pela Sextante (2014)
>>> Deusa do Mar - Série Goodess de P. C Cast pela Novo Século (2011)
>>> Viver Melhor Em Família de Elizabeth Monteiro pela Mescla (2016)
>>> Discover the World Wide Web With Your Sportster de John December pela Sams Net (1995)
>>> A Vida Secreta Grandes Autores de Robert Schnakenberg pela Ediouro (2008)
>>> Assumindo A sua Personalidade de Leo Buscaglia pela Record (1978)
>>> Educação Superior - Expansão e Reformas Educativas - Sebo Tradicao de Deise Mancebo pela Uen (2012)
COLUNAS

Sexta-feira, 17/8/2001
Jogando uma pedra no poço sem fundo
Alexandre Soares Silva

+ de 4100 Acessos
+ 1 Comentário(s)

Lancei um livro no ano passado. Não importa qual. Meu ponto é o seguinte: que você escreve com toda a excitação de um anarquista do século dezenove preparando uma bomba. Você fica ajustando os fios e sorrindo e pensando na explosão. Nos burgueses de monóculo se transformando num diagrama anatômico (tronco, membros...) sobre o gramado do parque. Nas manchetes indignadas nos jornais. Os editoriais furibundos. Você fica mexendo nos fios e sorrindo distraído com o lírico sonho da destruição (escritores são assim).

Daí você coloca a bomba no parque, perto da confeitaria, no caminho diário do arquiduque (falei de anarquistas, estou visualizando Viena em 1893) e seu grupinho de sicofantas. Daí você corre para a confeitaria, segurando o riso. Pede uma éclair de chocolate. Escolhe uma mesa com vista para o parque, e se esconde atrás do jornal. Seus ombros já estão contraídos esperando pela explosão.

Mas não há explosão.

Há um Pup!

Você pára de fixar estupidamente o anúncio da missa de sétimo dia de Johann Strauss, e dá uma olhada no parque. Três pessoas (o arquiduque, um açougueiro e uma babá com um carrinho) estão olhando o arbusto onde está a sua bomba. Não parecem assustados nem chocados. Estão olhando a sua bomba, digamos, com a curiosidade polida com que se olha uma estátua de argila feita por uma velhinha de ar gentil. Um velhinho chega perto deles e aponta na sua direção.

Você foge? Não, você quer ouvir os protestos indignados do arquiduque. Você fica.

O arquiduque diz:

— Perdão, cavalheiro, mas aquela bomba é sua?

— Sim! — você diz, com um sorriso orgulhoso, que você espera que pareça satânico.

— Ah, formidável... Só queria dizer que achei o sonzinho da bomba deveras encantador... Pup! Ah, muito interessante... Muito saboroso mesmo...

O açougueiro, embaraçado por não ter nada o que dizer, diz:

— Você devia colocar num lugar mais público, para chamar mais atenção...

E a babá diz:

— Gosto muito de bombas. Eu também faço umas bombinhas em casa...

E se afastam.

Bom, vou parar a metáfora por aqui, vocês já perceberam. Poderia também dizer que lançar um livro é como jogar uma pedra num poço sem fundo — ou, para usar a imortal expressão do ator Ted Danson (o de Cheers) falando sobre como era fazer sexo com Whoopy Goldberg — é como jogar um cachorro-quente num corredor.

Comecei este texto querendo reclamar da falta de barulho (atenção, para usar um termo mais delicado) que se segue ao lançamento de um romance; e só agora percebi que, ainda pior do que a falta de atenção, é receber determinado tipo de elogios. "Saboroso", por exemplo. Quem diz isso é sempre algum tipo de cavalheiro barrigudo e satisfeito consigo mesmo (um burguês, como se dizia antigamente), dando risadinhas, e cofiando o bigode.

Ou um certo tipo de interesse fingido. As pessoas sempre chegam perto de mim com um sorriso horrível, e dizem: "Sobre o que é o seu livro?". Quando digo sobre o que o meu livro é — quando digo que não é um romance à clef "muito divertido" sobre políticos corruptos do segundo escalão de Brasília, e que não tem nada de "real" — que é, em suma, sobre anjos decadentes e um espírito que é o único espírito mortal do Universo — essas pessoas imediatamente perdem o interesse e dizem "Que interessante... Olha, boa sorte, viu? Agora com licença que estão me chamando do outro lado da sala".

Mas deixa estar, porque o que essas pessoas não sabem, e eu sei, é que um microscópico estilhaço da minha bomba entrou na circulação do arquiduque, e no momento está viajando artérias acima, em busca do tão almejado coração... E quando chegar lá...


Alexandre Soares Silva
São Paulo, 17/8/2001


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Paixão e sucata de Daniela Kahn
02. Editores e editores de Ana Elisa Ribeiro


Mais Alexandre Soares Silva
Mais Acessadas de Alexandre Soares Silva
01. Polêmicas - 29/11/2002
02. Filhos de Francis - 15/11/2002
03. Defesa dos Rótulos - 30/5/2003
04. Apresentação - 6/11/1968
05. Quem Não Lê Não É Humano - 3/5/2002


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
30/5/2003
14h15min
Uma pequena sugestao: melhor torcer para que o microscopico estilhaco esteja viajando VEIAS acima, porque, se tiver optado pelas arterias, que, como se sabe, fazem o caminho inverso, devera esbarrar em dificuldades intransponiveis para chegar ao almejado coracao. Abraco e perdoe a falta de acentuacao.
[Leia outros Comentários de Joao]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Quarteto Fantástico - o Dia do Juízo Final
Stan Lee & Jack Kirby
Salvat
(2016)



The networking survival guide
Diane Darling
MCGraw Hill
(2003)



Coisas do Destino &outras Historias
Maria Helena Whately
Vermelho Marinho
(2015)



Novo Passaporte para Língua Portuguesa 7
Norma Discini e Lucia Teixeira
Do Brasil
(2009)



O Príncipe Feliz e Outros Contos
Oscar Wilde
Ediouro
(1970)



World Tax 2018
Vários Autores
Euromoney
(2017)



Monstros Em Crise
Alcides Goulart e Roney Bunn
Jovem
(2013)



Retórica do Silêncio - teoria e prática do texto literário - 2ª ed.
Gilberto Mendonça Teles
José Olympio
(1989)



Desperte o Milionário Que Há Em Você
Carlos Wizard Martins
Gente
(2012)



The International Review of Psycho-analysis Volume 19 Special
Vários Autores
David Tuckett
(1992)





busca | avançada
51839 visitas/dia
1,8 milhão/mês