A vida, os escândalos e a vida sem escândalos | Marcelo Maroldi | Digestivo Cultural

busca | avançada
46852 visitas/dia
1,1 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
COLUNAS >>> Especial Mensalão

Segunda-feira, 3/10/2005
A vida, os escândalos e a vida sem escândalos
Marcelo Maroldi

+ de 6300 Acessos
+ 3 Comentário(s)

Hoje, até a pessoa mais ignorante em esporte deste país está ciente do "escândalo do apito" (aliás, não sei pra que essa prática da mídia em dar nomes aos escândalos!). Infelizmente - ou não - os escândalos fazem parte das nossas vidas e, portanto, esse é somente mais um deles. É mensalão, mensalinho, marido que bate na mulher, atriz que trai o namorado, político que se assume homossexual, filho que usa droga, ator que vende droga, vizinho que sonega imposto, temos de tudo... Sendo, assim, eventos, digamos, cotidianos, não deveríamos ficar tão perplexos quando esse tipo de coisa ocorre, afinal, uma hora ou outra isso vai acontecer, nas melhores famílias inclusive. Mas, por que ocupar minha Coluna aqui para falar de uma coisa dessas? Os escândalos sempre mostram as partes ruins das pessoas (é por isso que se chama escândalo, a propósito), nunca o contrário (não seria escandaloso descobrir que seu vizinho mantém sozinho uma instituição de caridade, por exemplo?), e rir da desgraça alheia é inerente ao ser humano. Somos os únicos animais que tiram sarro de nós mesmos, e massageamos nosso ego vendo nosso pares metidos em encrencas, fofocas e picuinhas. O escândalo é legal...quando não é conosco!

Embora o futebol ocupe papel de destaque na vida social e cultural brasileira, geralmente pessoas intelectualizadas não gostam de admitir que perdem seu tempo com isto. Preferem fingir que estavam lendo Kant e ouvindo música clássica nesses dias. Os intelectuais geralmente têm vergonha de assumir que vêem novelas ou assistem futebol. Entre estas pessoas, certamente não se fala sobre o "escândalo do apito", afinal, discutir sobre futebol não é como discutir filosofia, ou política, ou teatro russo. Mas eu entendo que deveriam fazê-lo. E o faço agora através de algumas considerações.

Em primeiro lugar, devemos lembrar que somos vítimas da era da informação. Há 500 anos, os escândalos não ultrapassavam as fronteiras do vilarejo, da nação, ou o que seja. E, depois, morria naturalmente, como nascera. Hoje, se o seu ex-namorado contar no blog dele que você não toma banho, o escândalo está formado. E é justamente aí que o ser humano ávido por escândalos entra. Um português que nem sabe onde fica o Brasil pode se interessar pela história, repassá-la e dormir contente por ter contribuído para te desmoralizar. E, ainda argumentaria: "ora pois, ela não toma banho! Que culpa tenho eu?" Ele realmente não teria culpa de você não tomar banho, só de ser um ser humano que se importa com esse tipo de informação, para ele, inútil. A primeira culpa é da tecnologia...ela (telefone, e-mail, internet, blogs...) espalha e perpetua a informação. Qualquer uma. A culpa é da grande oferta da informação disponibilizada maciçamente pela tecnologia.

Em segundo lugar, o ser humano, que nesse exato momento dispõe de bilhões e bilhões de informações interessantes a sua disposição, prefere se ocupar com futilidade. Dá menos dor de cabeça fofocar do que entender Platão. São milhares de livros que jamais serão lidos, bilhões de páginas na internet com praticamente todo o conhecimento humano que nunca serão visitadas, etc. No auge da era do conhecimento, nos tornamos carentes de informações fúteis e idiotas. No ponto mais alto da evolução do homem, perdemos nosso tempo discutindo a vida da Paris Hilton, sua performance sexual disponível na internet e que cor de roupa ela usa para agradar o namorado. Não é de se estranhar que buscas como "Britney Spears" são as campeãs nos sites de busca em todo o mundo. Nossa vida se torna cada vez mais fútil quando nos aproximamos de informação fútil (ou é o contrário?), que é o que mais tem e o que mais buscamos hoje. O modo como vivemos nos incita a procurar esse tipo de informação. A segunda culpa é da nossa sociedade e do nosso modo de viver... Eu me preocupo com coisas tolas, porque sou um tolo. E a informação é altamente disponibilizada, como descrevi no parágrafo anterior, logo, serei um tolo que acessa informação tola. E muita.

Ok, alguns escândalos não são informações fúteis, é verdade. É importante saber do mensalão, esse escândalo não é proibido se interessar. Há tipos e tipos de escândalos, e deveriam os sábios desse mundo criar uma escala-escândalo para resolver o problema. Dessa forma, olhando a escala-escândalo saberíamos quanta atenção dar a cada um deles. Se me interesso mais pela foto da calcinha da Luana Piovani, vejo este escândalo. Se prefiro o escândalo dos padres pedófilos, é outra classificação e outra escala. Escândalos políticos outra, e assim por diante. Pouparia tempo, inclusive. Afinal, todas as pessoas com quem converso não têm tempo! Eu não sei o que essa gente tanto faz que não tem tempo pra nada! Imaginem se Einstein, Sócrates ou Bach não tivessem tempo...

Em terceiro lugar, precisamos assumir que temos curiosidades e, também, inveja (além de vários outros sentimentos, como ódio) dos demais membros da nossa espécie. É por isso alguns escândalos aparentemente desinteressantes para você tornam-se para mim interessantes. Deve estar na minha alma, ou no meu DNA, como quiser, e no meu cérebro esse filtro. Para mim, o fato do Pelé não assumir a filha bastarda dele não me importa muito, mas, para um fã (ou inimigo) dele, talvez sim. A informação precisa ser analisada de acordo com seu contexto (e potencial de estrago!) e de quem a obtém, e sua avaliação à margem disso pode enfraquecê-la e minimizá-la, tornando-a descartável para alguns.

Em quarto lugar, como citado antes, alguns escandalos não são meramente fofocas. Eu, cidadão, preciso saber se os políticos que dirigem meu país cometem deslizes éticos. Se meu presidente pinta o cabelo ou não é problema unicamente dele, mas, se ele compra votos, é diferente. Ele dirige o país onde vivo e um escândalo dele me afeta diretamente.

Em quinto e último lugar, não podemos levar tudo a ferro-e-fogo todo o tempo. Se você viver apenas lendo filosofia, ouvindo música clássica e escrevendo teses de doutorado, você vai ter uma vida muito triste. Não, não é porque eu penso que quem faz isso precisa se divertir, não é isso! É que quanto mais as pessoas levam a vida a sério, mais elas sofrem. Já ouviu dizer que a ignorância é uma benção? Isso é a mais pura verdade... É por isso que os pensadores são sempre retratados como aqueles velhos barbudos, corcundas, com cara de sofrimento. Pensar dói, leitor...Às vezes, é necessário ler a respeito da calcinha da Luana Piovani, para desestressar...e para se sentir parte de uma sociedade que é assim e não qual você vive.

Voltando ao escândalo do apito, eu me permito dizer que esse é um escândalo que eu gosto e que me interessa. Como é que fazem uma sacanagem dessa com a massa que acompanha futebol? Puxa, você vai lá ver uma disputa e não tem disputa... é um jogo que não se disputa, só se joga. Roubam, além do dinheiro de quem paga o ingresso, o sorriso do torcedor, a alegria do torcedor, a vida do torcedor. O sujeito - e eles existem e são muitos nesse país - deixa de comprar bife para o jantar para ir ver o jogo de seu time e ele não sabe que está sendo enganado, passado pra trás, um verdadeiro palhaço.

Particularmente, não me sinto uma palhaço por ter sido enganado. Já deixei de levar o esporte a sério há algum tempo. Para mim, é só diversão. Mas, o que realmente me incomoda é essa capacidade que o homem tem de passar os outros para trás, de querer levar vantagem de tudo, de roubar, de mentir, de matar, por dinheiro, por status, por poder, por mulher... E, isso é generalizado. Meses atrás, aconteceu na Alemanha um escândalo do apito também! De onde vem essa capacidade singular de fazer besteira que possui o ser humano? O meu desânimo é generalizado e irrestrito. Todo mundo sempre, sempre, leva (ou tenta levar) vantagem em tudo. No fundo, os grandes escândalos, como o mensalão, só são uma instância maior do que nós fazemos no nosso dia-a-dia. Eles só estão potencializando nossa capacidade de levar pequenas vantagens sobre os outros e de obter pequenos privilégios. Se você estaciona o carro onde não pode estacionar, se declara menos IR, se dá um jeito de não ficar na fila da balada você é um corrupto, e com potencial de crescer. Ora, claro que estacionar em lugar proibido e causar desconforto no transito não é a mesma coisa que manipular resultados de partidas de futebol profissional, são coisas distintas, é verdade, o que não é distinto é seu executor. A corrupção é uma característica do ser humano, que alguns utilizam com maestria, enquanto outros a reprimem limitados apenas e unicamente por leis sociais e éticas antes estabelecidas. Mas, o consolidado e famoso "jeitinho brasileiro" - esse eufemismo que inventaram pra justificar certas atitudes não exatamente gloriosas - tem que parar. Ele abre espaço para desenvolvimento de falhas de caráter, uma pré-escola para corruptos profissionais. Chega de levar vantagem em tudo. Chega de escândalos.

Marcelo Maroldi
São Carlos, 3/10/2005



Quem leu este, também leu esse(s):
01. Notas confessionais de um angustiado (V) de Cassionei Niches Petry
02. Poesia e Guerra: mundo sitiado (parte I) de Jardel Dias Cavalcanti
03. A Marie Antoinette de Sofia Coppola de David Donato
04. Paulo Francis não morreu de Tais Laporta
05. Mitos na corda bamba de Guga Schultze


Mais Marcelo Maroldi
Mais Acessadas de Marcelo Maroldi em 2005
01. Como escrever bem — parte 1 - 13/6/2005
02. Como escrever bem — parte 2 - 27/6/2005
03. Como escrever bem – parte 3 - 11/7/2005
04. A ousadia de mudar de profissão - 28/11/2005
05. O que é ser jornalista? - 22/8/2005


Mais Especial Mensalão
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
4/10/2005
19h59min
Fico pensando se essa onda de escândalos não esconde algo pior. Acho que já estou vendo conspirações em tudo.
[Leia outros Comentários de Carla ]
7/10/2005
03h59min
Marcelo, não sei se o ser humano é assim. Acho que não. O noticiário que é assim. E talvez sim, no Brasil, o país ande numa entressafra ética... Ainda assim, as pessoas em sua imensa maioria são honestas e corretas. No Brasil e no mundo.
[Leia outros Comentários de Ram]
7/10/2005
04h11min
Gostei do texto, resume quase tudo o que penso a respeito, só não concordo da sua súplica pelo fim dos escândalos, eles são pedagógicos e até estimulantes e pense bem a grande imprensa está adorando, basta ver a quantidade de anúncios na revista Veja. Mas não desanime, meu amigo, amanha teremos novos escândalos.
[Leia outros Comentários de carlos]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




MANUAL DE DIREITO COMERCIAL 8ª EDIÇÃO
WALDO FAZZIO JUNIOR
ATLAS
(2007)
R$ 40,00



ENSINANDO A CUIDAR DE CRIANÇA
NÉBIA MARIA A. DE FIGUEIREDO
DIFUSÃO ENFERMAGEM
(2003)
R$ 16,00



O BRASIL TEM CURA
RACHEL SHEHERAZADE
MUNDO CRISTÃO
(2015)
R$ 10,00



AQUARELA BRASILEIRA
BETH CANÇADO
CORTE
(1995)
R$ 10,00



FISISCA SER PROTAGONISTA BOX- VL. UNICO
ADRIANA BENETTI MARQUES VALIO E OUTRO
SM
(2016)
R$ 220,00



TEATRO CUBANO: TEATRO CUBANO ACTUAL
ADYS GONZALO DE LA ROSA (ED.)
ALCALÁ
(2003)
R$ 22,00



FILOSOFIA NA ANTIGUIDADE - SÓCRATES E PLATÃO
RÉGIS FERNANDES DE OLIVEIRA
REVISTA DOS TRIBUNAIS
(2012)
R$ 28,00



MARKETING ESSENCIAL: CONCEITOS, ESTRATÉGIAS E CASOS
PHILIP KOTLER
PRENTICE HALL BRASIL
(2013)
R$ 50,00



O LIVRO DO PENDULO
SIG LONEGREN
BERTRAND
(1997)
R$ 20,00



A TERAPIA MAIS BREVE POSSÍVEL - AVANÇOS EM PRÁTICAS PSICANALÍTICAS
SOPHIA ROZZANNA CARACUSHANSKY
SUMMUS
(1990)
R$ 50,00





busca | avançada
46852 visitas/dia
1,1 milhão/mês