A vida, os escândalos e a vida sem escândalos | Marcelo Maroldi | Digestivo Cultural

busca | avançada
64744 visitas/dia
1,7 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Evento de reinauguração da Praça do Centro de Convenções da Unicamp
>>> Oficina Som Entre Fronteiras está com inscrições abertas
>>> Projeto “Curtas de Animação” com estudantes da zona rural de Valinhos/SP
>>> Novos projetos do Festival de Dança de Joinville promovem atividades culturais para 120 alunos
>>> Toca do Morcego anuncia agenda primavera/verão 2022/2023
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> A pior crônica do mundo
>>> O que lembro, tenho (Grande sertão: veredas)
>>> Neste Momento, poesia de André Dick
>>> Jô Soares (1938-2022)
>>> Casos de vestidos
>>> Elvis, o genial filme de Baz Luhrmann
>>> As fezes da esperança
>>> Quem vem lá?
>>> 80 anos do Paul McCartney
>>> Gramática da reprodução sexual: uma crônica
Colunistas
Últimos Posts
>>> Marcelo Tripoli no TalksbyLeo
>>> Ivan Sant'Anna, o irmão de Sérgio Sant'Anna
>>> A Pathétique de Beethoven por Daniel Barenboim
>>> A história de Roberto Lee e da Avenue
>>> Canções Cruas, por Jacque Falcheti
>>> Running Up That Hill de Kate Bush por SingitLive
>>> Oye Como Va com Carlos e Cindy Blackman Santana
>>> Villa candidato a deputado federal (2022)
>>> A história do Meli, por Stelleo Tolda (2022)
>>> Fabio Massari sobre Um Álbum Italiano
Últimos Posts
>>> Baby, a chuva deve cair. Blade Runner, 40 anos
>>> Conforme o combinado
>>> Primavera, teremos flores
>>> Além dos olhos
>>> Marocas e Hermengardas
>>> Que porcaria
>>> Singela flor
>>> O cerne sob a casca
>>> Assim é a vida
>>> Criança, minha melhor idade
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Vivo
>>> Assange: efeitos da internet em nosso cotidiano
>>> Nuvem Negra*
>>> Discurso de William Faulkner
>>> Os Incríveis
>>> Erik Satie
>>> Ronnie James Dio em 1983
>>> O Leão e o Unicórnio
>>> O outro Carpeaux
>>> Something that grows
Mais Recentes
>>> Livro - Não Verás País Nenhum de Ignácio de Loyola Brandão pela Global (2000)
>>> Redes Ou Paredes a Escola Em Tempos de Dispersão de Paula Sibilia pela Contraponto (2012)
>>> Práticas Corporais - V. 2 Trilhando e Compar(trilhando) as Ações de Ana Márcia Silva / Iara Regina Damiani Orgs. pela Nauemblu Ciencia & Arte (2005)
>>> Termodinâmica de Gilberto Ieno pela N/d
>>> Nelson Rodrigues - Série Encanto Radical de Carlos Vogt pela Brasiliense (1985)
>>> Diário de um Banana 7 - Segurando Vela de Jeff Kinney pela V&r (2013)
>>> Palabras Compartidas. Español - Volume Único de Henrique Romanos pela Ftd (2014)
>>> A Lei do Trabalho de Percy Rubens Mello pela Universalista (1997)
>>> Princípios da Transmissão de Calor de Frank Kreith pela Edgard Blücher Ltda (1969)
>>> Livro - Sereias na Lua de Elizabeth Stuckey French pela Best Seller (2003)
>>> A Revolução Burguesa no Brasil: Ensaio de Interpretação Sociológica de Florstan Fernandes pela Kotter (2020)
>>> Livro - A Torre Negra - Traição de Stephen King pela Suma (2012)
>>> Fragmentos Históricos da Regulamentação da Profissão de Educação de Américo Valdanha Netto e Outros pela Cref4/sp (2019)
>>> O Mago de Fernando Morais pela Planeta (2008)
>>> A Família Substituta no Estatuto da Criança e do Adolescente de José Luiz Mônica da Silva pela Saraiva (1995)
>>> A revolução dos bichos em de George Orwell pela Do Brasil (2021)
>>> Da Importância de Criar Mancuspias de Amilcar Neves pela Garapuvu (2005)
>>> Olga de Fernando Morais pela Alfa-Omega (1985)
>>> Olga de Fernando Morais pela Alfa-Omega (1985)
>>> Georg Büchner - Série encanto radical de Fernando Peixoto pela Brasiliense (1983)
>>> Pato Donald: O Segredo do Castelo de Carl Barks pela Abril (2016)
>>> Livro - Os Trabalhos de Hércules de Agatha Christie pela Circulo do Livro (1997)
>>> A Terapia do Abraço de Kathleen Keating pela Pensamento (1987)
>>> Livro - A Torre Negra - o Longo Caminho para Casa de Stephen King pela Stephen King (2011)
>>> Combateremos a Sombra de Lídia Jorge pela Leya (2014)
COLUNAS >>> Especial Mensalão

Segunda-feira, 3/10/2005
A vida, os escândalos e a vida sem escândalos
Marcelo Maroldi

+ de 7100 Acessos
+ 3 Comentário(s)

Hoje, até a pessoa mais ignorante em esporte deste país está ciente do "escândalo do apito" (aliás, não sei pra que essa prática da mídia em dar nomes aos escândalos!). Infelizmente - ou não - os escândalos fazem parte das nossas vidas e, portanto, esse é somente mais um deles. É mensalão, mensalinho, marido que bate na mulher, atriz que trai o namorado, político que se assume homossexual, filho que usa droga, ator que vende droga, vizinho que sonega imposto, temos de tudo... Sendo, assim, eventos, digamos, cotidianos, não deveríamos ficar tão perplexos quando esse tipo de coisa ocorre, afinal, uma hora ou outra isso vai acontecer, nas melhores famílias inclusive. Mas, por que ocupar minha Coluna aqui para falar de uma coisa dessas? Os escândalos sempre mostram as partes ruins das pessoas (é por isso que se chama escândalo, a propósito), nunca o contrário (não seria escandaloso descobrir que seu vizinho mantém sozinho uma instituição de caridade, por exemplo?), e rir da desgraça alheia é inerente ao ser humano. Somos os únicos animais que tiram sarro de nós mesmos, e massageamos nosso ego vendo nosso pares metidos em encrencas, fofocas e picuinhas. O escândalo é legal...quando não é conosco!

Embora o futebol ocupe papel de destaque na vida social e cultural brasileira, geralmente pessoas intelectualizadas não gostam de admitir que perdem seu tempo com isto. Preferem fingir que estavam lendo Kant e ouvindo música clássica nesses dias. Os intelectuais geralmente têm vergonha de assumir que vêem novelas ou assistem futebol. Entre estas pessoas, certamente não se fala sobre o "escândalo do apito", afinal, discutir sobre futebol não é como discutir filosofia, ou política, ou teatro russo. Mas eu entendo que deveriam fazê-lo. E o faço agora através de algumas considerações.

Em primeiro lugar, devemos lembrar que somos vítimas da era da informação. Há 500 anos, os escândalos não ultrapassavam as fronteiras do vilarejo, da nação, ou o que seja. E, depois, morria naturalmente, como nascera. Hoje, se o seu ex-namorado contar no blog dele que você não toma banho, o escândalo está formado. E é justamente aí que o ser humano ávido por escândalos entra. Um português que nem sabe onde fica o Brasil pode se interessar pela história, repassá-la e dormir contente por ter contribuído para te desmoralizar. E, ainda argumentaria: "ora pois, ela não toma banho! Que culpa tenho eu?" Ele realmente não teria culpa de você não tomar banho, só de ser um ser humano que se importa com esse tipo de informação, para ele, inútil. A primeira culpa é da tecnologia...ela (telefone, e-mail, internet, blogs...) espalha e perpetua a informação. Qualquer uma. A culpa é da grande oferta da informação disponibilizada maciçamente pela tecnologia.

Em segundo lugar, o ser humano, que nesse exato momento dispõe de bilhões e bilhões de informações interessantes a sua disposição, prefere se ocupar com futilidade. Dá menos dor de cabeça fofocar do que entender Platão. São milhares de livros que jamais serão lidos, bilhões de páginas na internet com praticamente todo o conhecimento humano que nunca serão visitadas, etc. No auge da era do conhecimento, nos tornamos carentes de informações fúteis e idiotas. No ponto mais alto da evolução do homem, perdemos nosso tempo discutindo a vida da Paris Hilton, sua performance sexual disponível na internet e que cor de roupa ela usa para agradar o namorado. Não é de se estranhar que buscas como "Britney Spears" são as campeãs nos sites de busca em todo o mundo. Nossa vida se torna cada vez mais fútil quando nos aproximamos de informação fútil (ou é o contrário?), que é o que mais tem e o que mais buscamos hoje. O modo como vivemos nos incita a procurar esse tipo de informação. A segunda culpa é da nossa sociedade e do nosso modo de viver... Eu me preocupo com coisas tolas, porque sou um tolo. E a informação é altamente disponibilizada, como descrevi no parágrafo anterior, logo, serei um tolo que acessa informação tola. E muita.

Ok, alguns escândalos não são informações fúteis, é verdade. É importante saber do mensalão, esse escândalo não é proibido se interessar. Há tipos e tipos de escândalos, e deveriam os sábios desse mundo criar uma escala-escândalo para resolver o problema. Dessa forma, olhando a escala-escândalo saberíamos quanta atenção dar a cada um deles. Se me interesso mais pela foto da calcinha da Luana Piovani, vejo este escândalo. Se prefiro o escândalo dos padres pedófilos, é outra classificação e outra escala. Escândalos políticos outra, e assim por diante. Pouparia tempo, inclusive. Afinal, todas as pessoas com quem converso não têm tempo! Eu não sei o que essa gente tanto faz que não tem tempo pra nada! Imaginem se Einstein, Sócrates ou Bach não tivessem tempo...

Em terceiro lugar, precisamos assumir que temos curiosidades e, também, inveja (além de vários outros sentimentos, como ódio) dos demais membros da nossa espécie. É por isso alguns escândalos aparentemente desinteressantes para você tornam-se para mim interessantes. Deve estar na minha alma, ou no meu DNA, como quiser, e no meu cérebro esse filtro. Para mim, o fato do Pelé não assumir a filha bastarda dele não me importa muito, mas, para um fã (ou inimigo) dele, talvez sim. A informação precisa ser analisada de acordo com seu contexto (e potencial de estrago!) e de quem a obtém, e sua avaliação à margem disso pode enfraquecê-la e minimizá-la, tornando-a descartável para alguns.

Em quarto lugar, como citado antes, alguns escandalos não são meramente fofocas. Eu, cidadão, preciso saber se os políticos que dirigem meu país cometem deslizes éticos. Se meu presidente pinta o cabelo ou não é problema unicamente dele, mas, se ele compra votos, é diferente. Ele dirige o país onde vivo e um escândalo dele me afeta diretamente.

Em quinto e último lugar, não podemos levar tudo a ferro-e-fogo todo o tempo. Se você viver apenas lendo filosofia, ouvindo música clássica e escrevendo teses de doutorado, você vai ter uma vida muito triste. Não, não é porque eu penso que quem faz isso precisa se divertir, não é isso! É que quanto mais as pessoas levam a vida a sério, mais elas sofrem. Já ouviu dizer que a ignorância é uma benção? Isso é a mais pura verdade... É por isso que os pensadores são sempre retratados como aqueles velhos barbudos, corcundas, com cara de sofrimento. Pensar dói, leitor...Às vezes, é necessário ler a respeito da calcinha da Luana Piovani, para desestressar...e para se sentir parte de uma sociedade que é assim e não qual você vive.

Voltando ao escândalo do apito, eu me permito dizer que esse é um escândalo que eu gosto e que me interessa. Como é que fazem uma sacanagem dessa com a massa que acompanha futebol? Puxa, você vai lá ver uma disputa e não tem disputa... é um jogo que não se disputa, só se joga. Roubam, além do dinheiro de quem paga o ingresso, o sorriso do torcedor, a alegria do torcedor, a vida do torcedor. O sujeito - e eles existem e são muitos nesse país - deixa de comprar bife para o jantar para ir ver o jogo de seu time e ele não sabe que está sendo enganado, passado pra trás, um verdadeiro palhaço.

Particularmente, não me sinto uma palhaço por ter sido enganado. Já deixei de levar o esporte a sério há algum tempo. Para mim, é só diversão. Mas, o que realmente me incomoda é essa capacidade que o homem tem de passar os outros para trás, de querer levar vantagem de tudo, de roubar, de mentir, de matar, por dinheiro, por status, por poder, por mulher... E, isso é generalizado. Meses atrás, aconteceu na Alemanha um escândalo do apito também! De onde vem essa capacidade singular de fazer besteira que possui o ser humano? O meu desânimo é generalizado e irrestrito. Todo mundo sempre, sempre, leva (ou tenta levar) vantagem em tudo. No fundo, os grandes escândalos, como o mensalão, só são uma instância maior do que nós fazemos no nosso dia-a-dia. Eles só estão potencializando nossa capacidade de levar pequenas vantagens sobre os outros e de obter pequenos privilégios. Se você estaciona o carro onde não pode estacionar, se declara menos IR, se dá um jeito de não ficar na fila da balada você é um corrupto, e com potencial de crescer. Ora, claro que estacionar em lugar proibido e causar desconforto no transito não é a mesma coisa que manipular resultados de partidas de futebol profissional, são coisas distintas, é verdade, o que não é distinto é seu executor. A corrupção é uma característica do ser humano, que alguns utilizam com maestria, enquanto outros a reprimem limitados apenas e unicamente por leis sociais e éticas antes estabelecidas. Mas, o consolidado e famoso "jeitinho brasileiro" - esse eufemismo que inventaram pra justificar certas atitudes não exatamente gloriosas - tem que parar. Ele abre espaço para desenvolvimento de falhas de caráter, uma pré-escola para corruptos profissionais. Chega de levar vantagem em tudo. Chega de escândalos.

Marcelo Maroldi
São Paulo, 3/10/2005



Mais Marcelo Maroldi
Mais Acessadas de Marcelo Maroldi em 2005
01. Como escrever bem — parte 1 - 13/6/2005
02. Como escrever bem — parte 2 - 27/6/2005
03. Como escrever bem – parte 3 - 11/7/2005
04. A ousadia de mudar de profissão - 28/11/2005
05. O que é ser jornalista? - 22/8/2005


Mais Especial Mensalão
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
4/10/2005
19h59min
Fico pensando se essa onda de escândalos não esconde algo pior. Acho que já estou vendo conspirações em tudo.
[Leia outros Comentários de Carla ]
7/10/2005
03h59min
Marcelo, não sei se o ser humano é assim. Acho que não. O noticiário que é assim. E talvez sim, no Brasil, o país ande numa entressafra ética... Ainda assim, as pessoas em sua imensa maioria são honestas e corretas. No Brasil e no mundo.
[Leia outros Comentários de Ram]
7/10/2005
04h11min
Gostei do texto, resume quase tudo o que penso a respeito, só não concordo da sua súplica pelo fim dos escândalos, eles são pedagógicos e até estimulantes e pense bem a grande imprensa está adorando, basta ver a quantidade de anúncios na revista Veja. Mas não desanime, meu amigo, amanha teremos novos escândalos.
[Leia outros Comentários de carlos]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Auditoria de Enfermagem - nos Hospitais e Operadoras de Planos....
Ana Leticia Carnevalli Mota
Iátria
(2013)



Doze Anos de Escravidão
Solomon Northup
Penguin
(2014)



A Outra Face de Deus
F. T. Farah
Rai
(2012)



As Aventuras de Pi
Yann Martel
Nova Fronteira
(2012)



Além da Medicina
Hans Holzer
Record
(1987)



Livro - Marx Hoje - Volume 1
J. Chasin / Outros
Ensaio
(1988)



Constituição e Política
Janaína Santin e Liton Lanes Sobrinho (orgs.)
Upf
(2006)



O Monstro do Seringal
Rubem Rocha Filho
Bagaço
(1996)



Jornal Nacional - A Notícia Faz História
Memória Globo
jorge zahar
(2004)



Janelas do Interior
Carlos Mendes
Cobra
(2006)





busca | avançada
64744 visitas/dia
1,7 milhão/mês