Darwinismo Miserável | Carlos Benites | Digestivo Cultural

busca | avançada
50039 visitas/dia
1,2 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
COLUNAS

Segunda-feira, 3/9/2001
Darwinismo Miserável
Carlos Benites

+ de 1900 Acessos

Sei que é difícil falar de um assunto como distribuição da renda e ainda acrescentar alguma coisa. Mas me sinto motivado a escrever devido à pluralidade de aspectos éticos que o assunto desperta. Vejam que minha intenção aqui não é levantar bandeiras contra ou a favor do capitalismo, comunismo, liberalismo ou qualquer outro “ismo”. Somente pretendo fazer uma exposição fria de algumas facetas.

Igualdade

Toda esta história de distribuição de renda vem da idéia de que o dinheiro resultante da produção de todos deveria, idealmente, ser distribuído igualmente entre os indivíduos da sociedade em questão. De onde apareceu esta idéia? Não sei ao certo, mas parece que faz um certo sucesso. Principalmente entre aqueles que recebem a menor parte do quinhão. Não quero tentar simplificar demais as coisas, mas a natureza do ser humano não é de se preocupar muito com o bem-estar dos outros humanos. Assim, a concentração de renda é inevitável. O grau de concentração da renda é definido por um intrincado equilíbrio de forças que incluem desde controle ideológico até força física. Obviamente uma das partes sai prejudicada e outra, minoritária, privilegiada. No entanto, se os “desfavorecidos” são muito prejudicados a ponto de “sumirem”, o sistema não se mantém, pois a produção diminui e a renda total fica cada vez menor.

O estado é criado para, entre outras coisas, tentar remediar a situação, fazendo com que a sociedade tenha sua eficiência maximizada, procurando uma produção per capta média ótima. Para isso, é visado o melhor desempenho do coletivo, não do indivíduo. O problema é que esta é uma equação complicada, pois as ferramentas que se tem para controlar o coletivo são leis que delimitam os direitos e deveres do indivíduo. E com isso fazer com que cada indivíduo contribua positivamente para o bem coletivo.

Esta verborragia serve somente para dizer que se existe algo que afirma que deve haver igualdade, isto é a ética adotada pela sociedade. Não as condições de sobrevivência da mesma.

Assim sendo, subconjuntos da sociedade acabam adotando mecanismos autônomos, independentemente do estado, para promover o que manda a ética do grupo. Assim surgem os mecanismos “alternativos” de distribuição e concentração de renda.

Concentração

Além dos meios convencionais de concentração da renda, como controle do capital e dos meios de produção, destaco alguns outros mais “avançados”.

O mais estranho de todos, forma a categoria “jogos de azar”. O indivíduo, conscientemente, abre mão de parte da sua renda para tornar um outro muito rico, desde que ele tenha a chance de ser este outro. Bizarro, não?

Outro mecanismo avançado de concentração de renda é o enriquecimento ilícito de funcionários do estado. Simplesmente, a ética adotada por um subgrupo destes permite que se aproprie dos bens cujo fim é exatamente fazer a sociedade funcionar pretensamente melhor.

Mais um que merece destaque, mas que é reconhecido tanto ética como legalmente, é a fama. Este caso é mais sutil, porque muitas vezes não se observa diretamente quem são as pessoas que abrem mão de parte do seu quinhão para enriquecer alguém famoso. Cito como exemplo, um jogador do Palmeiras. Se o sujeito ganha R$ 150.000 por mês, quem paga o salário dele é a Parmalat. Logo, esta deve aumentar um pouquinho a margem de lucro em seus produtos para manter o “patrocínio”. Quem acaba pagando no final é o consumidor.

Por último, a que eu considero mais agressiva, é o “desvio” de dinheiro em empresas de capital privado. É no mínimo engraçado o fato de que subornos e desvios de dinheiro no governo sejam vistos com extremo repúdio pela ética comum, enquanto isso é rotina na iniciativa privada. Quem para a conta é quem paga sempre, pois as empresas sobrevivem (pelo menos a maioria) mesmo com os desfalques. Para isso, aumentam suas receitas através de um esfolamento adicional dos funcionários e/ou dos consumidores.

Distribuição

O estado tenta, em suas empreitadas tendenciosas, distribuir a renda. Não de modo igualitário, mas numa proporção tal que deveria aumentar a eficiência total. Um dos modos utilizados é regulamentar uma percentagem maior de imposto de renda devido para quem ganha mais. A despeito disso, alguns grupos da sociedade desenvolveram com o decorrer dos anos técnicas com o objetivo de distribuir da renda por si próprios. Claro que existem as maneiras tradicionais e ilícitas, como furto e roubo. Porém estamos falando de algo não tão convencional.

Acho que o melhor exemplo são os flanelinhas. Extorsão ou não, o que estas pessoas fazem pode inclusive parecer legítimo a alguns. Tanto que em algumas cidades temos até “Sindicato dos Guardadores Autônomos” ou coisa que o valha.

Seguindo estes, vem o grupo dos garotos (e outros não tão garotos) vendedores de chiclete nos faróis, e os mendigos, e recentemente os “artistas” de farol. Eles são a última moda em São Paulo. Malabaristas, engolidores de fogo, etc.

Claro que eu poderia incluir aqui instituições de caridade, no entanto poderia soar anti-ético ou, em alguns casos, deveria estar na seção de concentração e não na de distribuição da renda...

Estes exemplos não tratam de pessoas desesperadas, tentando sobreviver num mundo cão capitalista, em que a burguesia não tem solidariedade, e só pensa em esfolar o proletariado. São apenas ferramentas avançadas de distribuição da renda. Eticamente legítimas ou não, são apenas isso.

Teoria dos Jogos

Mesmo que o estado conseguisse fazer aquilo que deveria, estes mecanismos informais de manipulação da renda ainda apareceriam. Simplesmente porque, para cada um deles, existe uma parcela da sociedade que se beneficia e não é efetivamente reprimida por agir desta forma. O resultado é um estado de aparente equilíbrio, que se revela uma evolução social. Tudo isso acompanha uma evolução ética que se mostra hoje em ritmo acelerado. E numa direção não muito condizente com ideais de justiça e igualdade.

Nota

Segundo o IBGE, se pegássemos a renda de todos os brasileiros e dividíssemos igualmente entre todos, isso daria cerca de R$ 400,00 por mês para cada. Quem ganha menos que isso ficaria contente, mas quem ganha mais, nem tanto...


Carlos Benites
São Paulo, 3/9/2001


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Saudade de ser 'professor' de Filosofia de Cassionei Niches Petry
02. Não atirem no pianista de Jonas Lopes
03. Uma Vaga para o Integral de Alessandro Silva


Mais Carlos Benites
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




LIVRO JOSÉ MACIA,PEPÉ-BOMBAS DE ALEGRIA / 2006
J.TORERO
REALEJO LIVROS E EDIÇÕES
(2006)
R$ 60,00



A QUEDA - AS MEMÓRIAS DE UM PAI EM 424 PASSOS
DIOGO MAINARDI
RECORD
(2012)
R$ 12,00



MANUAL DE TEORIA GERAL DO ESTADO E CIÊNCIA POLÍTICA
JOSÉ GERALDO BRITO FILOMENO
FORENSE UNIVERSITÁRIA
(2003)
R$ 15,00



O QUE É ESPIRITISMO
ROQUE JACINTHO
BRASILIENSE
(1982)
R$ 8,00



O PODER DOS SEIS (OS LEGADOS DE LORIEN #2)
PITTACUS LORE
INTRINSECA
(2011)
R$ 15,00



A LIVRARIA 24 HORAS DO MR. PENUMBRA
EDMUNDO BARREIROS; ROBIN SLOAN
NOVO CONCEITO
(2013)
R$ 10,00



LE NOUVEL ÉDITO NIVEAU B1, + CD E DVD
VÁRIOS AUTORES
DIDIER II
(2012)
R$ 85,00



MENTIRAS E OS GRANDES MENTIROSOS (49)
AL FRANKEN
FRANCIS
R$ 7,00



O ATENEU RETÓRICA E PAIXÃO
DIREÇÃO E ORGANIZAÇÃO LEYLA PERRONE MOISÉS
BRASILIENSE
(1988)
R$ 50,00



A PIPA PRETA
CRISTIANE DANTAS
SM
(2012)
R$ 17,00





busca | avançada
50039 visitas/dia
1,2 milhão/mês