O abalo sísmico de Luiz Vilela | Cassionei Niches Petry | Digestivo Cultural

busca | avançada
63898 visitas/dia
2,0 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Documentário inédito sobre Luis Fernando Verissimo estreia em 2 de maio nos cinemas
>>> 3ª Bienal Black abre dia 27 de Abril no Espaço Cultural Correios em Niterói (RJ)
>>> XV Festival de Cinema da Fronteira divulga programação
>>> Yassir Chediak no Sesc Carmo
>>> O CIEE lança a página Minha história com o CIEE
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> O Big Brother e a legião de Trumans
>>> Garganta profunda_Dusty Springfield
>>> Susan Sontag em carne e osso
>>> Todas as artes: Jardel Dias Cavalcanti
>>> Soco no saco
>>> Xingando semáforos inocentes
>>> Os autômatos de Agnaldo Pinho
>>> Esporte de risco
>>> Tito Leite atravessa o deserto com poesia
>>> Sim, Thomas Bernhard
Colunistas
Últimos Posts
>>> Glenn Greenwald sobre a censura no Brasil de hoje
>>> Fernando Schüler sobre o crime de opinião
>>> Folha:'Censura promovida por Moraes tem de acabar'
>>> Pondé sobre o crime de opinião no Brasil de hoje
>>> Uma nova forma de Macarthismo?
>>> Metallica homenageando Elton John
>>> Fernando Schüler sobre a liberdade de expressão
>>> Confissões de uma jovem leitora
>>> Ray Kurzweil sobre a singularidade (2024)
>>> O robô da Figure e da OpenAI
Últimos Posts
>>> AUSÊNCIA
>>> Mestres do ar, a esperança nos céus da II Guerra
>>> O Mal necessário
>>> Guerra. Estupidez e desvario.
>>> Calourada
>>> Apagão
>>> Napoleão, de Ridley de Scott: nem todo poder basta
>>> Sem noção
>>> Ícaro e Satã
>>> Ser ou parecer
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Diploma ou não diploma... não é esta a questão
>>> Minha casa, sua casa
>>> Linger by IMY2
>>> A hora certa para ser mãe
>>> Cenas de abril
>>> Por que 1984 não foi como 1984
>>> A dicotomia do pop erudito português
>>> Coisas nossas
>>> Caso Richthofen: uma história de amor
>>> Apresentação autobiográfica muito solene
Mais Recentes
>>> A Terra dos Meninos Pelados de Graciliano Ramos pela Galera Junior (2015)
>>> Alimentação sem Carne de Eric Slywitch pela Alaúde (2016)
>>> Maus: A História de um Sobrevivente - História Completa de Art Spiegelman pela Cia. das Letras (2005)
>>> Alex no País dos Números de Alex Bellos pela Companhia das Letras (2011)
>>> A História da Medicina de Anne Rooney pela M. Books (2013)
>>> História da Arte Italiana - 3 Volumes de Giulio Carlo Argan pela Cosac Naify (2003)
>>> Justiça: O Que é Fazer a Coisa Certa (Edição Especial Capa Dura) de Michael J. Sandel pela Civilização Brasileira (2021)
>>> Cem Anos de Solidão de Gabriel García Márquez pela Record (2009)
>>> O Outono da Idade Média de Johan Huizinga pela Cosac Naify (2010)
>>> Vocabulário da Psicanálise de Laplanche e Pontalis pela Martins Fontes (1998)
>>> Meditações Diárias Para Mulheres Que Amam Demais de Robin Norwood pela Rocco (2009)
>>> Supertição no Brasil de Luís da Câmara Cascudo pela Global (2001)
>>> Marketing Trends de Francisco Alberto Madia de Souza pela Makron Books (2000)
>>> Retorno Do Investimento Em Capital Humano de Jac Fitz-enz pela Makron Books (2001)
>>> O Gigante Enterrado de Kazuo Ishiguro pela Companhia das Letras (2017)
>>> O Fim Do Poder de Moisés Naím pela Leya (2013)
>>> Introdução as Obras de Freud, Ferenczi, Groddeck, Klein, Winnicott, Dolto, Lacan de J. D. Nasio pela Jorge Zahar (1995)
>>> Amor Incondicional E Perdão de Edith Stauffer pela Totalidade (2007)
>>> Tarde Demais de Colleen Hoover pela Record (2022)
>>> A Bíblia Dos Meninos de Carolyn Larsen pela Mundo Cristão (2000)
>>> Peter Camenzind de Hermann Hesse pela Todavia (2022)
>>> Cuidando da Família em Crise de T. Berry Brazelton pela Martins Fontes (1991)
>>> Livro Game Of Thrones: Guia Completo Da Serie Da Hbo de Bryan Cogman pela Leya (2013)
>>> Talvez Uma Historia De Amor de Martin Page pela Rocco (2009)
>>> Por Voce- Vol. 1 de Laurelin Paige pela Fabrica231 (2015)
COLUNAS

Quarta-feira, 1/9/2021
O abalo sísmico de Luiz Vilela
Cassionei Niches Petry
+ de 10300 Acessos

Estamos passando por um tremor de terra, metaforicamente falando, é claro. Estão ruindo as certezas, desabando as ideologias e morrendo a esperança (que em mim, particularmente, morreu há muito tempo). Enquanto isso vou lendo, refletindo, escrevendo e agora também dando aulas presenciais com as salas cheias. Mas durante a quarentena, dentre tantas leituras e releituras, reencontrei justamente os contos de Tremor de terra, livro de estreia de Luiz Vilela, lançado em 1967, às próprias custas. A edição mais recentemente é da Record. É um dos mestres que temos, um pouco esquecido por não estar nas redes sociais, já que há tempos se refugia num sítio, criando galinhas e porcos.

Da geração prolífica do conto que nos proporcionou obras-primas entre os anos 60 e 70, Vilela chegou com tudo, arrebatando prêmios e elogios da crítica. Não há peça irregular no seu tabuleiro. As diferentes formas de narrar e as temáticas mostram um escritor preocupado não apenas em o que contar, mas como contar. O primeiro relato de Tremor de terra, “Confissão”, é formado apenas por um curto diálogo entre um padre e o menino, sendo que o religioso conduz o jovem a descrever com todos os detalhes o objeto de seu pecado, uma vizinha que viu sem roupa, e pergunta, como quem não quer nada, se ela fica sozinha frequentemente. Essa crítica sutil a uma religiosidade hipócrita aparece também em “Espetáculo de fé”.

Luiz Vilela também experimenta, em contos como “Júri” e o magistral “Deus sabe o que faz”, narrativas sem ponto entre as frases, em monólogo indireto, por estarem na 3ª pessoa, provando seu repertório técnico variado.

A predominância de temas ligados ao cotidiano em termos realistas é notória, principalmente nas relações humanas conflituosas, como a do casal e suas dificuldades financeiras em “Por toda a vida”, ou a do marido insensível aos agrados da mulher em “Nosso dia”. A solidão é outra constante, o que é o caso de “Chuva”, em que um homem solitário encontra num cão, que apenas quer um abrigo para não se molhar, um companheiro para ouvir sua voz ou seu silêncio: “Estava com vontade de falar e o cão era um bom ouvinte: não fazia perguntas nem pedia para continuar quando se interrompia”.

Há humor em momentos inusitados, como em “Velório”, em que um grupo de amigos passa a noite velando o morto cujo caixão, que tinha que ser sob medida devido ao seu tamanho, não havia ficado pronto, empurrando o enterro para o dia seguinte. Ou em “O fantasma”, em que o espectro que assombrava uma casa encontra um homem que não tem medo dele e ainda o convida para sentar e conversar.

O melhor conto é “Buraco”, em que Luiz Vilela flerta com o realismo fantástico e dialoga com com a novela A construção, de Franz Kafka. Trata-se de um jovem recluso que cava um buraco e aos poucos vai se metamorfoseando num tatu, para a tristeza de sua mãe e da namorada: “Mamãe foi se consolando com o fato de saber que eu ainda estava vivo, e Maria, por razões que depois vim a saber, foi deixando de vir”.

Há ainda outros belos contos, como o que dá título ao livro, e que fala de um amor desesperado de um aluno adolescente por sua professora, imaginando um momento único em que estivesse com ela, que ele compararia com um tremor de terra: “É o que desde criança espero, um tremor de terra, algo que abalasse, que tremesse, que sacudisse tudo”.

Luiz Vilela conseguiu isso: abalou as estruturas da Literatura Brasileira.


Cassionei Niches Petry
Santa Cruz do Sul, 1/9/2021

Mais Cassionei Niches Petry
Mais Acessadas de Cassionei Niches Petry
01. Um conto-resenha anacrônico - 9/2/2022
02. Do canto ao silêncio das sereias - 14/11/2018
03. Notas confessionais de um angustiado (VII) - 4/9/2019
04. O abalo sísmico de Luiz Vilela - 1/9/2021
05. O suicídio na literatura - 13/4/2016


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Com os corações cheios de amor
Rabino Mattisyahu Salomon
ArtScrll Series



Antologia Efémera 1950-2000
E. M. de Melo e Castro
Lacerda
(2000)



Leite Derramado
Chico Buarque
Companhia das Letras
(2009)



Sucos e Vitaminas para Crianças
Amanda Cross
Manole
(2007)



O Universo Simbólico da Criança: Olhares Sensível para a Infância
Adriana Friedmann
Vozes
(2005)



O discurso da homossexualidade feminina
Denise Portinari
Brasiliense
(1989)



Otelo
Hildegard Feist
Scipione
(2015)



You Can Be Happy no Matter What
Richard Carlson
New World Library
(2006)



Livro Literatura Estrangeira Bela Distração Irmãos Maddox - Livro 1
Jamie Mc Guire
Verus
(2014)



Ele Vem do Fundão
Dyonelio Machado
Ática
(1982)





busca | avançada
63898 visitas/dia
2,0 milhão/mês