O abalo sísmico de Luiz Vilela | Cassionei Niches Petry | Digestivo Cultural

busca | avançada
59843 visitas/dia
2,0 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Pousada e Recanto dos Pássaros – Sítio Vô Elias Maffei
>>> Coreógrafa carioca Esther Weitzman ministra oficina gratuita de dança no Sesc Santana
>>> Caleidos apresenta “Entrevista” para gestores e professores da rede pública de São Paulo
>>> É HOJE (30/9): Mostra Imaginários no Cine Bijou
>>> Etapa apresenta concerto gratuito da Camerata Fukuda com o violinista Ricardo Herz
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rodolfo Felipe Neder (1935-2022)
>>> A pior crônica do mundo
>>> O que lembro, tenho (Grande sertão: veredas)
>>> Neste Momento, poesia de André Dick
>>> Jô Soares (1938-2022)
>>> Casos de vestidos
>>> Elvis, o genial filme de Baz Luhrmann
>>> As fezes da esperança
>>> Quem vem lá?
>>> 80 anos do Paul McCartney
Colunistas
Últimos Posts
>>> Agnaldo Farias sobre Millôr Fernandes
>>> Marcelo Tripoli no TalksbyLeo
>>> Ivan Sant'Anna, o irmão de Sérgio Sant'Anna
>>> A Pathétique de Beethoven por Daniel Barenboim
>>> A história de Roberto Lee e da Avenue
>>> Canções Cruas, por Jacque Falcheti
>>> Running Up That Hill de Kate Bush por SingitLive
>>> Oye Como Va com Carlos e Cindy Blackman Santana
>>> Villa candidato a deputado federal (2022)
>>> A história do Meli, por Stelleo Tolda (2022)
Últimos Posts
>>> Cabelos brancos
>>> Liberdade
>>> Idênticos
>>> Bizarro ou sem noção
>>> Sete Belo
>>> Baby, a chuva deve cair. Blade Runner, 40 anos
>>> Conforme o combinado
>>> Primavera, teremos flores
>>> Além dos olhos
>>> Marocas e Hermengardas
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Neste Momento, poesia de André Dick
>>> 50 anos de Bossa Nova
>>> O humor da Belle Époque
>>> 24 de Março #digestivo10anos
>>> Lendo Virgílio, ou: tentando ler os clássicos
>>> Introdução ao filosofar, de Gerd Bornheim
>>> Kindle DX salvando os jornais?
>>> A Casa de Ramos
>>> Reconhecimento
>>> A hora exata em que me faltaram as palavras
Mais Recentes
>>> Santo Antonio das Grimpas de Marietta Telles Machado pela Atual (1987)
>>> Allan Kardec: o Grande Codificador de Martin Claret pela Martin Claret (1995)
>>> Letras 2 Lingüistica Aplicada de Ufsm pela Ufsm (1991)
>>> Dicionário do Inexplicado - Edições Planeta Nº 131 de Eduardo Araia Ed. pela Três
>>> Luz, Câmera, Gestão - a Arte do Cinema na Arte de Gerir Pessoas de Myrna Silveira Brandão pela Qualitymark (2006)
>>> Habeas Data de José Eduardo Nobre Matta pela Lumens Juris (2005)
>>> Fale Tudo Em Inglês nos Negócios - Com Cd de José Roberto A. Igreja pela Disal (2011)
>>> Como Llegar a Ser un Maestro de La Negociacion de Pierre Louis Criqui, Eric Matarasso pela Granica (1991)
>>> Biologia 6 - Ecologia, Origem da Vida e Evolução de Cqc - Sistema de Ensino pela Do Autor
>>> Curriculum Vitae e Memorial - Normas para Apresentação de Documentos de Universidade Federal do Paraná pela Ufpr (2001)
>>> Net Force Hidden Agendas de Tom Clancys pela Berkley Books (1999)
>>> Apostila de Direito Administrativo para Técnico do Mpu de Diversos Autores pela Do Autor
>>> Cândido Portinari a Vida dos Grandes Brasileiros de Marcos Moreira Afonso Arinos de Mello Franco pela Três (2003)
>>> A Fúria dos Reis - Livro 2 de George R. R. Martin pela Leya (2019)
>>> Memórias de Vida de D Tinoca Emerentina Amorim da Silva pela Lunardelli (2001)
>>> Mercador de Versos de Lêda Mirowinski pela Da Autora (1995)
>>> Enquanto Estamos Crescendo de Valéria Piassa Polizzi pela Ática (2006)
>>> Quando Tudo Falha de Rodolpho Belz pela Casa Publicadora Brasileira (1987)
>>> Topografia Usual de E Liger pela Gg Barcelona
>>> Stupid White Men uma Nação de Idiotas de Michael Moore pela Francis (2003)
>>> Minha Vida Daria um Filme de Simona Toma pela Fundamento (2014)
>>> Entre Parênteses de Tonho França pela Komedi (2002)
>>> Amor Conjugal de Seicho Taniguchi pela Seicho-no-ie (1991)
>>> Presença Nº 1 de Vários pela Caetés (1983)
>>> Como Vencer na Vida Sendo Professor de Hamilton Werneck pela Vozes (1998)
COLUNAS

Quarta-feira, 1/9/2021
O abalo sísmico de Luiz Vilela
Cassionei Niches Petry

+ de 8300 Acessos

Estamos passando por um tremor de terra, metaforicamente falando, é claro. Estão ruindo as certezas, desabando as ideologias e morrendo a esperança (que em mim, particularmente, morreu há muito tempo). Enquanto isso vou lendo, refletindo, escrevendo e agora também dando aulas presenciais com as salas cheias. Mas durante a quarentena, dentre tantas leituras e releituras, reencontrei justamente os contos de Tremor de terra, livro de estreia de Luiz Vilela, lançado em 1967, às próprias custas. A edição mais recentemente é da Record. É um dos mestres que temos, um pouco esquecido por não estar nas redes sociais, já que há tempos se refugia num sítio, criando galinhas e porcos.

Da geração prolífica do conto que nos proporcionou obras-primas entre os anos 60 e 70, Vilela chegou com tudo, arrebatando prêmios e elogios da crítica. Não há peça irregular no seu tabuleiro. As diferentes formas de narrar e as temáticas mostram um escritor preocupado não apenas em o que contar, mas como contar. O primeiro relato de Tremor de terra, “Confissão”, é formado apenas por um curto diálogo entre um padre e o menino, sendo que o religioso conduz o jovem a descrever com todos os detalhes o objeto de seu pecado, uma vizinha que viu sem roupa, e pergunta, como quem não quer nada, se ela fica sozinha frequentemente. Essa crítica sutil a uma religiosidade hipócrita aparece também em “Espetáculo de fé”.

Luiz Vilela também experimenta, em contos como “Júri” e o magistral “Deus sabe o que faz”, narrativas sem ponto entre as frases, em monólogo indireto, por estarem na 3ª pessoa, provando seu repertório técnico variado.

A predominância de temas ligados ao cotidiano em termos realistas é notória, principalmente nas relações humanas conflituosas, como a do casal e suas dificuldades financeiras em “Por toda a vida”, ou a do marido insensível aos agrados da mulher em “Nosso dia”. A solidão é outra constante, o que é o caso de “Chuva”, em que um homem solitário encontra num cão, que apenas quer um abrigo para não se molhar, um companheiro para ouvir sua voz ou seu silêncio: “Estava com vontade de falar e o cão era um bom ouvinte: não fazia perguntas nem pedia para continuar quando se interrompia”.

Há humor em momentos inusitados, como em “Velório”, em que um grupo de amigos passa a noite velando o morto cujo caixão, que tinha que ser sob medida devido ao seu tamanho, não havia ficado pronto, empurrando o enterro para o dia seguinte. Ou em “O fantasma”, em que o espectro que assombrava uma casa encontra um homem que não tem medo dele e ainda o convida para sentar e conversar.

O melhor conto é “Buraco”, em que Luiz Vilela flerta com o realismo fantástico e dialoga com com a novela A construção, de Franz Kafka. Trata-se de um jovem recluso que cava um buraco e aos poucos vai se metamorfoseando num tatu, para a tristeza de sua mãe e da namorada: “Mamãe foi se consolando com o fato de saber que eu ainda estava vivo, e Maria, por razões que depois vim a saber, foi deixando de vir”.

Há ainda outros belos contos, como o que dá título ao livro, e que fala de um amor desesperado de um aluno adolescente por sua professora, imaginando um momento único em que estivesse com ela, que ele compararia com um tremor de terra: “É o que desde criança espero, um tremor de terra, algo que abalasse, que tremesse, que sacudisse tudo”.

Luiz Vilela conseguiu isso: abalou as estruturas da Literatura Brasileira.


Cassionei Niches Petry
Santa Cruz do Sul, 1/9/2021


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Eu, personagens de mim de Carina Destempero


Mais Cassionei Niches Petry
Mais Acessadas de Cassionei Niches Petry
01. Notas confessionais de um angustiado (VII) - 4/9/2019
02. Do canto ao silêncio das sereias - 14/11/2018
03. Um conto-resenha anacrônico - 9/2/2022
04. O abalo sísmico de Luiz Vilela - 1/9/2021
05. O suicídio na literatura - 13/4/2016


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Mensagens para a Vida Diária
Norman Vincent Peale
cultrix
(1955)



Rainhas da Antiguidade
Dirce Lorimier Fernandes
Letraselvagem
(2014)



Livro - While My Eyes Were Closed - Dare You Close Your Eyes For Even a Few
Linda Green
Quercus
(2016)



Intercambio. Coisas Que Todo Jovem Precisa Saber
Joao Marcelo de Melo Teles
Melhoramentos
(2001)



O Rato da Sacristia
Cláudio Martins; Lêdo Ivo
Global
(2000)



Amor é Prosa Sexo é Poesia - Crônicas Afetivas
Arnaldo Jabor
objetiva
(2004)



O Livro dos Espíritos
Allan Kardec
Ide
(2009)



Don Quijote de La Mancha - Clasicos a Medida
Miguel de Cervantes Saavedra
Anaya
(2008)



Representação e Complexidade
Org Cândido Mendes
garamond
(2003)



Um Caldeirão Chamado 1964 - Depoimento de um Revolucionário
Aristóteles Drummond
Resistência Cultural
(2012)





busca | avançada
59843 visitas/dia
2,0 milhão/mês