Perfil Indireto do Assassino | Duanne Ribeiro | Digestivo Cultural

busca | avançada
24646 visitas/dia
922 mil/mês
Mais Recentes
>>> Comédia dirigida por Darson Ribeiro, Homens no Divã faz curta temporada no Teatro Alfredo Mesquita
>>> Companhia de Danças de Diadema leva projeto de dança a crianças de escolas públicas da cidade
>>> Cia. de Teatro Heliópolis encerra temporada da montagem (IN)JUSTIÇA no dia 19 de maio
>>> Um passeio imersivo pelos sebos, livrarias e cafés históricos do Rio de Janeiro
>>> Gaitista Jefferson Gonçalves se apresenta em quinteto de blues no Sesc Belenzinho
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> A cidade e o que se espera dela
>>> De pé no chão (1978): sambando com Beth Carvalho
>>> Numa casa na rua das Frigideiras
>>> Como medir a pretensão de um livro
>>> Nenhum Mistério, poemas de Paulo Henriques Britto
>>> Nos braços de Tião e de Helena
>>> Era uma casa nada engraçada
>>> K 466
>>> 2 leituras despretensiosas de 2 livros possíveis
>>> Minimundos, exposição de Ronald Polito
Colunistas
Últimos Posts
>>> Jornada Escrita por Mulheres
>>> Pensar Edição, Fazer Livro 3
>>> Juntos e Shallow Now
>>> Dicionário de Imprecisões
>>> Weezer & Tears for Fears
>>> Gryphus Editora
>>> Por que ler poesia?
>>> O Livro e o Mercado Editorial
>>> Mon coeur s'ouvre à ta voix
>>> Palestra e lançamento em BH
Últimos Posts
>>> Diagnóstico falho
>>> Manuscrito
>>> Expectativas
>>> Poros do devir
>>> Quites
>>> Pós-graduação
>>> Virtuosismo
>>> Evanescência
>>> Um Certo Olhar de Cinema
>>> PROCURA-SE
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Um jantar levantino
>>> Se eu fosse você 2
>>> Sou diabético
>>> Um olhar sobre Múcio Teixeira
>>> O Barril
>>> Como escrever bem — parte 1
>>> Quatro Mitos sobre Internet - parte 1
>>> Da capo
>>> Elesbão: escravo, enforcado, esquartejado
>>> 5ª MUMIA em BH
Mais Recentes
>>> A Era do Capital de Eric Hobsbawm pela Paz e Terra (2002)
>>> A Era das Revoluções de Eric Hobsbawm pela Paz e Terra (2001)
>>> Medo, Reverência, Terror - Quatro ensaios de iconografia política de Carlo Ginzburg pela Companhia das letras (2014)
>>> Cinema de Garganta de Ericson Pires pela Azougue (2002)
>>> Criando Meninas de Gisela Preuschoff pela Fundamento (2006)
>>> A Revolução Russa de 1917 de Marc Ferro pela Perspectiva (1980)
>>> A Revolução Russa de 1917 de Marc Ferro pela Perspectiva (1980)
>>> Os Últimos Anos de Bukharin de Roy Medvedev pela Civilização Brasileira (1980)
>>> Os Últimos Anos de Bukharin de Roy Medvedev pela Civilização Brasileira (1980)
>>> A Primeira Reportagem (Vaga- lume) de Sylvio Pereira pela Ática/ SP. (1991)
>>> A Primeira Reportagem (Vaga- lume) de Sylvio Pereira pela Ática/ SP. (1984)
>>> A Primeira Reportagem (Vaga- lume) de Sylvio Pereira pela Ática/ SP. (1984)
>>> A Primeira Reportagem (Vaga- lume) de Sylvio Pereira pela Ática/ SP. (1995)
>>> Lógica da Lógica de Paulo Roberto Melo Volker (org.) pela Fafich/ Fumec (1983)
>>> Diccionario de Psicología (Encadernado) de Howard C. Warren (Compilador) pela Fondo de Cultura/ México (1991)
>>> Nietzsche para Estressados (99 Doses de Filosofia para Despertar a Mente e Combater as Preocupações de Allan Percy pela Sextante (2001)
>>> Nietzsche para Estressados (99 Doses de Filosofia para Despertar a Mente e Combater as Preocupações de Allan Percy pela Sextante (2001)
>>> Os Melhores contos de Natal de Charles Dickens-Jack London- Nathaniel Hawthorne- O. Henry pela Circulo do Livro/ SP. (1990)
>>> Sete Vozes Falam (Sem uso) de Catharose de Petri pela Rosa Cruz Áurea/ Sp. (1982)
>>> Questionamos 2: Psicanálise Institucional e Psicanálise S/ Instituição de Marie Langer: Compilação pela Interlivros (1977)
>>> Por Que Fazer Terapia?/ Capa Dura de Luiz Carlos Teixeira de Freitas pela Circulo do Livro/ SP. (1990)
>>> Um Rosto No computador/ Vaga- lume de Marcos rey pela Ática/ SP. (1992)
>>> Um Rosto No computador/ Vaga- lume de Marcos rey pela Ática/ SP. (1992)
>>> Um Rosto No computador/ Vaga- lume de Marcos rey pela Ática/ SP. (1995)
>>> Um Rosto No computador/ Vaga- lume de Marcos rey pela Ática/ SP. (1999)
>>> Sozinha no Mundo de Marcos Rey pela Ática/ SP. (1984)
>>> Sozinha no Mundo de Marcos Rey pela Ática/ SP. (2004)
>>> Tonic e Carniça/ Vaga- lume de José Rezende Filho/ Assis Brasil pela Ática/ SP. (1989)
>>> Tonic e Carniça/ Vaga- lume de José Rezende Filho/ Assis Brasil pela Ática/ SP. (1982)
>>> Tonic e Carniça/ Vaga- lume de José Rezende Filho/ Assis Brasil pela Ática/ SP. (2002)
>>> O Segredo dos Sinais Mágicos/ Vaga-lume de Sérsi Bardari/ Ilustr.: Edgar Rodrigues pela Ática/ SP. (1993)
>>> O Segredo dos Sinais Mágicos/ Vaga-lume de Sérsi Bardari/ Ilustr.: Edgar Rodrigues pela Ática/ SP. (1993)
>>> Desvendando Mistérios - Chacras, Kundalini, os sete corpos e outros de Osho pela Alaúde (2011)
>>> O Segredo dos Sinais Mágicos/ Vaga-lume de Sérsi Bardari/ Ilustr.: Edgar Rodrigues pela Ática/ SP. (1993)
>>> O Segredo dos Sinais Mágicos/ Vaga-lume de Sérsi Bardari/ Ilustr.: Edgar Rodrigues pela Ática/ SP. (1993)
>>> Tonico de José Rezende Filho pela Ática/ SP. (1978)
>>> Tonico de José Rezende Filho pela Ática/ SP. (1988)
>>> Tonico de José Rezende Filho pela Ática/ SP. (1978)
>>> Por Onde Andou Meu Coração de Maria Helena Cardoso pela Nova Fronteira/ RJ. (1984)
>>> O Brasileiro Perplexo de Rachel de Queiroz pela Edautor (1963)
>>> Se a Memória não Me Falha de Sylvia Orthof/ Ilustrações: Tato pela Nova Fronteira/ RJ. (1987)
>>> João Miguel de Rachel de Queiroz pela Siciliano/ SP. (1992)
>>> Maria Ruth de Ruth Escobar/ Prefácio: Hélio Pellegrino pela Guanabara/ RJ. (1986)
>>> voce Tem Personalidade? de Pedro Bloch pela Bloch editores (1979)
>>> voce Tem Personalidade? de Pedro Bloch pela Bloch editores (1979)
>>> O Menino Mágico de Rachel de Queiroz/ Ilustrações: Gian Calvi pela Livr. José Olympio Edit. (1987)
>>> O Menino Mágico de Rachel de Queiroz/ Ilustrações: Gian Calvi pela Livr. José Olympio Edit. (1982)
>>> Um Nome pra Matar (Prêmio Walmap) de Maria Alice Barroso/ Prefácio: Antonio Olinto pela Bloch editores (1967)
>>> Uma cidade Fora do mapa de Eliane Ganem pela Livr. José Olympio Edit. (1985)
>>> Uma cidade Fora do mapa de Eliane Ganem pela Livr. José Olympio Edit. (1987)
COLUNAS

Terça-feira, 26/4/2011
Perfil Indireto do Assassino
Duanne Ribeiro

+ de 4100 Acessos

É significativo que após os assassinatos do Realengo se tenha citado com frequência Tiros em Columbine, documentário de Michael Moore, e pouco, ou nada, Elefante, de Gus Van Sant. Ambos inspirados na tragédia americana análoga, no colégio Columbine, em 1999, os dois filmes divergem no modo como tratam seu objeto. Moore segue em uma investigação das raízes do massacre na sociedade que o produziu. Essa análise foi aplicada ao Brasil em textos como "Nenhuma escola é ilha", por exemplo. Já Van Sant não tenta responder nada; apenas exibe. Aquém do engajamento que Tiros em Columbine parece nos exigir e além do melodrama jornalístico convencional, Elefante funciona com uma sensibilidade mais sutil.

Sensível não como suscetível à emoção fácil, mas por estar aberto mesmo à percepção do insignificante. A sutileza existe sem sagacidade, na observação do simplório. O que vemos é uma sequência de histórias, dramas típicos e/ou irrelevantes de adolescentes. A rotina dá a tudo um gosto tremendo de dia comum, o que só ressalta o absurdo do massacre que ― nós sabemos, nós sempre o temos em vista ― irá acontecer. O ritmo é lento, e a câmera sempre acompanha os personagens, os persegue enquanto andam, mesmo por longos percursos. É estranho que frequentemente se possa querer que algo aconteça, porque isso significa uma certa ansiedade pelo que há de mais negativo na história. A única escalada seria em direção à chacina, à dor. No entanto: que chato, não acontece nada!

O espectador ansioso pode nesta parte compartilhar um sentimento atribuído aos assassinos de Columbine: seriam insensíveis à violência (por causa de videogames). Caso não consiga, pode ao menos perceber o esforço de Van Sant em evitar de toda forma o clímax. Não há o ponto alto, no qual ocorre o desenlace macabro. Até certo ponto nem mesmo sabemos quais daqueles jovens são assassinos ou não. Quando vemos o par criminoso, não há drama sobre suas personalidades, sua queda gradual, um momento decisivo que causou a desgraça: eles avançam à escola armados de bombas e metralhadoras, e é isso.

O filme retrocede. Noutro ponto, vemos por instantes uma sala já cheia de corpos, um diretor sendo ameaçado. Mas é só, como se descontruíssemos a curiosidade, o interesse. Voltamos. Quando se chega enfim ao ato cruel, ele é muito mais a morte seca e sem sentido de indefesos.

Resta só a identificação tênue que criamos com os personagens que acompanhamos. Nisso há dois efeitos interessantes. Em um primeiro momento, quando não sabemos quem são os vilões, podemos especular. O primeiro garoto: o pai é um bêbado, só lhe dá problemas, por causa dele o diretor da escola deixa o rapaz em detenção; ele deve ser um dos assassinos, os problemas explicam. Essa nerd na aula de educação física: a professora quer obrigá-la a usar bermudas, mas ela tem vergonha de seu corpo, as meninas a chamam de estranha, ela podia ser a assassina. Esse garoto que tira fotos de tudo: ele é estranho e introspectivo. E estamos sucessivamente errados se seguirmos essas interpretações. Somos apresentados aos assassinos e só aí passamos a saber sobre suas vidas, conhecendo suas atitudes a partir do ponto de vista do crime consumado. Os olhares premonitório e retroativo veem o que querem. Elefante só acompanha.

O segundo efeito interessante é que podemos ser levados a julgar os personagens. A menina com vergonha de correr de shorts, recém-admitida como voluntária na biblioteca, isto é, ela é esforçada e frágil, ela não mereceria morrer. Mas morre. Essas três patricinhas, vomitando o que comeram no almoço de quinze minutos atrás, indo em direção a uma saudável anorexia ― fúteis de um modo quase caricato: elas, sim, mereceriam morrer. E morrem também. O que não há é o critério racional ou emocional guiando os assassinatos.

No lado oposto, das pessoas que escapam, duas tem um caráter especial. Uma delas, um garoto que caminha pelo corredor, como que sem medo. Mesmo a coragem dele, se existe, nada significa, e ele só permanece vivo pela sorte. A segunda, uma garota que entra no banheiro quando as três frívolas acima citadas limpam as bocas. Ela observa e não diz nada a elas; ou porque pensa que farão barulho e a denunciarão, ou porque não gosta delas. Tranca-se em uma divisória, e é precisamente seu egoísmo que a salva ― a indiferença pela vida alheia, a relevância gritante da sua própria. E qual de vocês, leitores, pode afirmar que na mesma situação faria diferente?

As unhas de Saramago
Mesmo que se possa explicar as poucas referências a Elefante ao fato de ser uma obra não muito conhecida, quero acreditar que se trata também de uma escolha de abordagem. Tiros em Columbine identifica culpados e vislumbra ações políticas que nos dariam a capacidade de evitar tragédias semelhantes no futuro. A produção de Gus Van Sant no máximo define os limites de um mistério, no qual não penetramos e através do qual o que vemos é, no mais das vezes, o que está em nós mesmos. Se olharmos tempo demais o abismo, perceberemos, como em um O Alienista soturno, que há sinais de assassino em todos nós?

Se se puder responder positivamente a essa pergunta, a questão que emerge é, então, qual a distância entre qualquer um e Wellington. Não uma diferença de tipo, mas de posição numa escala. A problemática se torna mais clara se a pensarmos por outro ângulo, exposto em uma crônica de A Bagagem do Viajante, livro de José Saramago. O escritor português conta a história de um homem que adoeceu gravemente, e se descobre que a causa era simplesmente a falta de corte das unhas dos pés. Saramago escreve: "E quando perguntaram a este homem adulto por que não cortava ele as unhas, que o mal era só esse, respondeu: Não sabia que era preciso".

Ainda: "As unhas foram cortadas. Cortadas a alicate. Entre elas e cascos de animais a diferença não era grande. No fim de contas (pois não é verdade?), é preciso muito trabalho para manter as diferenças todas, para alargá-las aos poucos, a ver se a gente atinge enfim a humanidade. Mas de repente acontece uma coisa destas, e vemo-nos diante de um nosso semelhante que não sabe que é preciso defendermo-nos todos os dias da degradação. E neste momento não é em unhas que estou a pensar".

O que Saramago tem em mente? Gosto de pensar que Gus Van Sant, em Elefante, percebe que a degradação pode ser desencadeada por um único passo fugaz; e é por isso que observa seus personagens com delicadeza. E, em um nível difícil, com empatia. "I saw the werewolf, and the werewolf was crying.".


Duanne Ribeiro
São Paulo, 26/4/2011


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Sejamos multiplicadores de Fabio Gomes


Mais Duanne Ribeiro
Mais Acessadas de Duanne Ribeiro em 2011
01. Bailarina salta à morte, ou: Cisne Negro - 15/2/2011
02. Manual para o leitor de transporte público - 29/3/2011
03. Frases que soubessem tudo sobre mim - 5/7/2011
04. Dexter Versus House - 4/10/2011
05. A Serbian Film: Indefensável? - 30/8/2011


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




MAGIC MOVIE MOMENTS (4117)
TERRY GILLIAM
VIKING STUDIO
(2000)
R$ 70,00



OS BRUXOS DA ADMINISTRAÇÃO ... - 3ª EDIÇÃO
JOHN MICKLETHWAIT & ADRIAN WOOLDRIDGE
CAMPUS
(2001)
R$ 13,00



ESTUDOS DE DIREITO PROCESSUAL CIVIL 3º VOL.
JOSÉ FERNANDO DA SILVA LOPES (CAPA DURA)
JALOVI
(1983)
R$ 25,00



VIDA: UM ENIGMA, UMA JÓIA PRECIOSA
DAISAKU IKEDA
RECORD
(2003)
R$ 50,00



REFLEXÕES SOBRE A FÉ E O LUCRO
C. WILLIAM POLLARD
LAROUSSE
(2009)
R$ 12,00



LEVANTAMENTO FLORÍSTICO E FITOSSOCIOLÓGICO DA CAATINGA
FRANCISCO WESCLEY ALCÂNTARA DE FREITAS, JANIQUELLE DA SILVA RABELO UND VALSERGIO BARROS DA SILVA
NOVAS EDIÇÕES ACADÊMICAS
R$ 251,00



ESCUTA DO DESEJO: ENSAIOS SOBRE PSICANÁLISE, CINEMA E LITERATURA
DINARA MACHADO GUIMARÃES (ORG.)
CIA DE FREUD
(2014)
R$ 28,90



MATEMÁTICA - VOLUME ÚNICO - ENSINO MÉDIO - 1ª EDIÇÃO
LUIZ ROBERTO DANTE
ÁTICA
(2005)
R$ 15,00



FALANDO COM SEU FILHO SOBRE SEXO- 3ª EDIÇÃO
MARY S. CALDERONE E JAMES W. RAMEY
SUMMUS EDITORIAL
(1986)
R$ 8,00



ALÍVIO PARA O SOFRIMENTO E A DEPRESSÃO
JAMES F. DRANE
PAULUS
(2015)
R$ 28,00
+ frete grátis





busca | avançada
24646 visitas/dia
922 mil/mês