As cidades e as musas | Ana Elisa Ribeiro | Digestivo Cultural

busca | avançada
55740 visitas/dia
1,4 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Projeto “Equilibrando” oferece oficinas e apresentações gratuitas de circo
>>> Namíbia, Não! curtíssima temporada no Sesc Bom Retiro
>>> Ceumar no Sesc Bom Retiro
>>> Mestrinho no Sesc Bom Retiro
>>> Edições Sesc promove bate-papo com Willi Bolle sobre o livro Boca do Amazonas no Sesc Pinheiros
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Modernismo e além
>>> Pelé (1940-2022)
>>> Obra traz autores do século XIX como personagens
>>> As turbulentas memórias de Mark Lanegan
>>> Gatos mudos, dorminhocos ou bisbilhoteiros
>>> Guignard, retratos de Elias Layon
>>> Entre Dois Silêncios, de Adolfo Montejo Navas
>>> Home sweet... O retorno, de Dulce Maria Cardoso
>>> Menos que um, novo romance de Patrícia Melo
>>> Gal Costa (1945-2022)
Colunistas
Últimos Posts
>>> Lula de óculos ou Lula sem óculos?
>>> Uma história do Elo7
>>> Um convite a Xavier Zubiri
>>> Agnaldo Farias sobre Millôr Fernandes
>>> Marcelo Tripoli no TalksbyLeo
>>> Ivan Sant'Anna, o irmão de Sérgio Sant'Anna
>>> A Pathétique de Beethoven por Daniel Barenboim
>>> A história de Roberto Lee e da Avenue
>>> Canções Cruas, por Jacque Falcheti
>>> Running Up That Hill de Kate Bush por SingitLive
Últimos Posts
>>> Assim criamos os nossos dois filhos
>>> Compreender para entender
>>> Para meditar
>>> O que há de errado
>>> A moça do cachorro da casa ao lado
>>> A relação entre Barbie e Stanley Kubrick
>>> Um canhão? Ou é meu coração? Casablanca 80 anos
>>> Saudades, lembranças
>>> Promessa da terra
>>> Atos não necessários
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Surf Hype, o maior blogueiro de São Paulo
>>> Sexta feira, 13
>>> Que seja eterno enquanto dure
>>> The Early Years
>>> Ruy Proença: poesia em zona de confronto
>>> E a Turma da Mônica cresceu
>>> FLIP 2006 III
>>> Franz Kafka, por Louis Begley
>>> Solidariedade é ação social
>>> ¿Cómo sobrevivo?
Mais Recentes
>>> O Grande Conflito 379 de Ellen G. White pela Casa Publicadora Brasileira (2022)
>>> Livro - Os Músicos de Bremen de Flavio de Souza pela Ftd (2010)
>>> 1984 de George Orwell pela Companhia das letras (2019)
>>> Livro - A Sutil Arte de Ligar o F*da-se de Manson Mark pela Intrínseca (2017)
>>> Livro - O Texto: Leitura & Escrita de D. Coste pela Pontes (2002)
>>> O Monte Cinco 379 de Paulo Coelho pela Objetiva
>>> Inteligência Emocional- A Teoria Revolucionária Que Redefine o Que é Ser Inteligente de Daniel Goleman pela Objetiva (1995)
>>> Livro - O Menino de Calça Curta de Flavio de Souza pela Ftd (2018)
>>> Constituição da República Portuguesa Anotada - 1º Volume de J. J. Gomes Canotilho; Vital Moreira pela Coimbra (1984)
>>> Quando o passado não passa 379 de Elisa Masselli pela Vida & Consciência (2001)
>>> Livro - A Educação Física e o Esporte na Escola - Cotidiano, saberes e formação de Silvia Christina Madrid Finck pela Ibpex (2011)
>>> Livro - Caça ao tesouro de A. J. Wood pela Brinque Book (1998)
>>> Cálculo diferencial e integral 379 de Frank Ayres Jr pela Mcgraw Hill (1981)
>>> Livro - A Viagem de Virginia Woolf pela Novo Século (2008)
>>> Livro - Livro de Histórias de Georgie Adams / Outros pela Companhia das Letrinhas (1996)
>>> Livro - Tanatos no Limiar da Loucura de Andre Charak pela Geracao (1995)
>>> Greta 379 de Mônica de Castro pela Vida & Consciência (2005)
>>> Livro - Fazendo Meu Filme 2 Em Quadrinhos - Azar no Jogo, Sorte no Amor? de Paula Pimenta pela Nemo (2015)
>>> Niketche de Paulina Chiziane pela Companhia de Bolso (2021)
>>> Livro - Listas, Guapas, Limpias de Anna Pacheco pela Caballo de Troya (2019)
>>> Michaelis minidicionário Alemão Alemão Português Português Alemão 379 de Michaelis pela Melhoramentos
>>> Política y Estado de Adalberto C. Agozino pela Dosyuna (2009)
>>> Livro - A Cinderela das Bonecas de Ruth Rocha; Mariana Massarani pela Salamandra (2011)
>>> Michaelis minidicionário Francês Francês Português Português Francês 379 de Michaelis pela Melhoramentos
>>> ISO 14001 Sistemas de Gestão Ambiental - Implantação Objetiva e Econômica de Mari Elizabete Bernardini Seiffert pela Atlas (2011)
COLUNAS

Quarta-feira, 30/8/2006
As cidades e as musas
Ana Elisa Ribeiro
+ de 4100 Acessos
+ 1 Comentário(s)

As árvores frondosas cedem lugar ao amarelado do semi-árido e às árvores retorcidas pela falta d'água do solo, pela presença constante do Sol. As semprevivas aparecem para amenizar a paisagem e deixar nela umas pintas de cor. Do gado há sombra, dos pastos, nem isso. Fantasmas sentados nos cruzeiros. Às vezes meninos e suas bicicletas precárias.

Na cidade, a rota dos escravos termina em grandes construções. Às vezes em igrejas. O chão de pedras parece construído para brincar. Amarelinhas cedem espaço aos turistas. Os carros parecem desalojados. Um único semáforo parece pendurado no passado. Nem os motoristas o vêem. As meninas da cidade são diferentes das outras. Embora todas passem pelo mesmo adro, não têm os mesmos olhos. Os turistas usam roupas de nativos. Os nativos usam falares. O Banco do Brasil está escrito com Z. Discute-se se a história tombada pode ter nova ortografia. Nem mesmo as marcas sobrevivem ao patrimônio.

Diamantina parece encrustada numa pedra semi-azul. Ao redor, uma muralha, além, um portal. À noite, o cruzeiro é iluminado. Os fantasmas aparecem para os transeuntes. Os ruídos de passos são duplicados. Junto com os meus sapatos vão outros caminhantes. As janelas coloridas se ressentem dos tempos. Os beirais são justos uns nos outros. Aos pássaros resta pular. Ao meio-dia o anúncio da morte do marido de dona Maria. Dona Maria de Joana. Dona Maria de Joana de Jonas. Todos sabem quem era. Marido prestimoso, agora que morreu, presta mais ajuda ainda. Dona Maria convida para o velório. A cidade nem dá fé que é hora de almoçar. Passa o carro velho dando a notícia. Morte anunciada. O marido de dona Maria morreu. Mais um. Menos um. E todos vão almoçar.

Continuam os cheiros de feijão e lingüiça. Os pneus dos carros se ajeitam entre uma pedra lisa e outra. As lojas de pedras e semijóias aparecem como semprevivas. Vitrines coloridas sugerem histórias de garimpeiros. Lápis lázuli, ametista, ônix, quartzo rosa, turmalina, opala, madre pérola, cristal rutilado. A moça me ensina que os rutilos são chamados, popularmente, de cabelos. O anel é majestoso. As cores parecem mechas de aquarelas. Os terços são feitos em madre pérola. As jóias de coco e ouro mantêm os desenhos de séculos passados. Especialmente os brincos, que não uso. A moça se assusta: onde já se viu uma moça sem orelha furada? Pois veja, vendedora, que desgraça. Tenho cá as orelhas lisas, retas, intactas. E gosto, acredite, gosto muito delas assim. Nem brincos de coco e ouro, nem de cristal, nem de prata. Acredite. E ela me diz que isso é coisa da capital. Quem disse?

Diamantina tem febres de dia e, à noite, ela esconde seus calores. Ganhei um cachecol cor de chumbo. Isso é coisa de Ouro Preto. Diamantina, como disse o poeta, é Ouro Preto em dia de sol. Verdades. O dono da loja conta que, aos domingos, um grupo de poetas locais faz alvoroço no beco. Aproveita o comerciante para abrir a loja. E ele me diz que é tudo lindo. Conta a mãe que a filha ganhou poemas em cartazes colocados embaixo da porta. O pai, orgulhoso, conta que uma carta dava conta dos poemas: à minha musa inspiradora. Veja bem que graça tem uma filha musa. Na capital não tem dessas coisas, não é? Mal sabe ele que já fui musa. Mal sabe ele o peso que isso tem. A linda filha, Letícia, sorri delicada. Linda mesmo, merece uns poemas, e nem só de poetas locais. Musa inspiradora, ela pronuncia isso para pôr no currículo. O pôr-do-sol. Os brincos de argola bem grandes a deixam mais morena, mais importante. A prata das Gerais pende das orelhas. Musa. O pai tem orgulho da filha, da musa, dos poetas e do beco. Levei de sua loja uma flor de cristal e um anel de quartzo verde. Diz que dá sorte. Por que não tentar? Nessas coisas, tenta-se de tudo.

Contos fantasiados (em versões melhoradas)

I
Prometo acordar de bom humor
Todos os dias da minha vida,
Disse Pinochio à noiva

II
Abri os olhos
O príncipe já estava lá
E era feio
Contou Branca de Neve às amigas

III
Cinderella comeu a abóbora
Para ficar mais tempo na festa

IV
Quando o lobo soprou
A casa virou escombro
Osama nas alturas

V
O lobo comeu a avó
Porque a neta
Usava chapéu

VI
Difícil é estacionar isto
Disse Cinderella ao cocheiro
depois da meia-noite


Ana Elisa Ribeiro
Diamantina, 30/8/2006

Quem leu este, também leu esse(s):
01. O julgamento do mensalão à sombra do caso Dreyfus de Humberto Pereira da Silva
02. Tumblr: a renovação dos blogs de Vitor Diel
03. Um gadget de veludo de Vicente Escudero
04. Anticristo: sexo como culpa de Wellington Machado
05. Quem destruiu Anita Malfatti? de Jardel Dias Cavalcanti


Mais Ana Elisa Ribeiro
Mais Acessadas de Ana Elisa Ribeiro em 2006
01. Digite seu nome no Google - 8/3/2006
02. Eu não uso brincos - 27/9/2006
03. Não quero encontrar você no Orkut - 8/2/2006
04. Poesia para os ouvidos e futebol de perebas - 7/6/2006
05. Ex-míope ou ficção científica? - 20/12/2006


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
30/8/2006
16h09min
Verdade mesmo, Diamantina e Tiradentes são versões de Ouro Preto com sol... muita cor e sol!
[Leia outros Comentários de Dayse Vilas Boas]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Os Livros da Fuvest Unicamp I (veja os Titulos na Relação) Vestib
Varios
Objetivo
(2009)



Cresça e Apareça
Luiz Alberto Alves dos Santos
Semente
(1996)



Coleção Frajola e Piu-piu - a Maldição do Nilo. Looney Tunes
Sid Jacobson
Babel
(2011)



Moderna Plus Literatura Tempos, Leitores e Leituras Unico Aluno
Maria Luiza M. Abaurre
Moderna
(2011)



Primeiro Mataram Meu Pai / 1ª Ed - Condira !!!
Loung Ung
Harper Collins
(2017)



The "early Times" Book of Unsolved Mysteries
Keith Brumpton(illustrator)
Puffin Books
(1993)



Abc de Castro Alves
Jorge Amado
Martins



Mangá Blade 26
Hiroaki Samura
Conrad
(2004)



Asas Brancas
Carlos Queiroz Telles
Moderna
(1997)



A Linguagem do Bebê
Lynne Murray e Liz Andrews
Publifolha
(2004)





busca | avançada
55740 visitas/dia
1,4 milhão/mês