Meu cânone furado | Verônica Mambrini | Digestivo Cultural

busca | avançada
44947 visitas/dia
1,2 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
COLUNAS >>> Especial O que ler

Segunda-feira, 25/6/2007
Meu cânone furado
Verônica Mambrini

+ de 3700 Acessos
+ 6 Comentário(s)

Um dia, conversando com um amigo meu, ouvi a idéia reveladora: "Ninguém gosta de ler, as pessoas gostam do que lêem". Não concordei, lembrando de que, desde que fui alfabetizada, lia com prazer o que me caísse na mão: romances (bons, ruins e péssimos), revistas (por mais velhas que fossem, e sobre qualquer tema), placas na rua, bula de remédio, manual de instruções, o que aparecesse no meu campo de visão. Desconfio até que ler tenha sido uma terapia involuntária, de tanto que me aliviava nos momentos ruins e me fazia sentir bem nas horas alegres. Ao que meu amigo rebateu: "Mas você não fica lendo aglomerados de palavras jogadas ao acaso, certo? Ou letras combinadas sem sentido. Você gosta de ler palavras formando frases e frases formando textos. No fundo, o que você - e todo mundo - gosta são dos conteúdos, não da leitura". Eu não queria acreditar, porque achava que gostava de ler e ponto final. Mas não é que ele tem razão? Meu amigo, Cadu Elmadjian, é um sábio.

Ler demanda esforço. Toda língua escrita é uma codificação, um sistema de signos. Algumas línguas têm escritas um pouco mais complicadas, como os ideogramas orientais, presentes no mandarim ou no japonês. Imagine o que é aprender a ler em um sistema em que cada idéia tem um signo correspondente! Pode levar toda a vida aprender a ler e escrever. Com todo esse esforço mental que a leitura demanda, reconheço que algumas pessoas serão mais hábeis e rápidas que outras no processo de decodificação. E que quanto menos energia for gasta nele, mais sobra para se gozar do conteúdo. É por isso que se fala da importância do hábito da leitura. Mas duvido que se forme um leitor treinando apenas a habilidade de compreensão da leitura. Isso é apenas uma parte do processo de aprender a ter prazer e dependência dela. Para isso, há que se oferecer o melhor a esse leitor em formação.

Mas o que é o melhor, quando se trata de livros? Há muitas listas "obrigatórias", os chamados cânones. Duvido deles, pelo menos na função de fazer gostar de ler. De que adianta levar os clássicos a leitores que estão a quilômetros de distância da possibilidade de compreensão e entretenimento que eles podem oferecer? Mas listas temáticas podem ser divertidas. Não me atrevo a fazer lista nenhuma, mas convido meu leitor a passear no meio das prateleiras onde estão meus livros mais queridos. Para mim, não há pista melhor de como os livros podem fazer alguém amar a literatura. Vamos lá?

Quando eu era criança - Comecei antes de aprender a ler: minha mãe lia para mim de noite. Olhem só que chique: um dos livrinhos era a Odisséia para crianças, ilustrada, e desde cedo aprendi a conviver com ciclopes gigantescos e mulheres que transformavam homens em porcos, imaginário de que os desenhos de hoje em dia não chegam aos pés. Outro livro muito querido é Longe é um lugar que não existe, de Richard Bach (o mesmo autor de Fernão Capelo Gaivota, vejam só). Esse título é uma frase tão poética que nunca mais desgrudou da minha cabeça, e até hoje acho bonito demais. Depois vieram a Série Vaga-Lume, que li com assiduidade e avidez, e a coleção de Monteiro Lobato. Na primeira, há pérolas, livros para todos os tipos de mini-leitores possíveis. Para citar os mais antigos, O caso da borboleta Atíria e Éramos Seis, que não podiam ser mais diferentes entre si, mas que são ambos livros maravilhosos para descobrir o mundo da leitura. A série existe até hoje, com uma vitalidade impressionante. Um dos últimos lançamentos é Morte no Colégio, do Luis Eduardo Matta, colunista aqui. E Monteiro Lobato, com Reinações de Narizinho e todos os outros livros que vieram na seqüência, que me foram maravilhosos em todos os sentidos. Mas admito que para as crianças de hoje, são chatos e politicamente incorretos. Se você não é mais criança, pode usar essas dicas para adotar um pequeno leitor, dando livros de presente e, o mais importante: lendo junto e tornando isso um momento de prazer.

Leituras de escola - Sempre odiei leituras paradidáticas. Quando você é adolescente, ninguém escolhe por você seus jogos de vídeo-game, seus programas de televisão, suas músicas preferidas e, hoje em dia, nem que roupas você deve usar. Por que, então, a escola se sente no direito de indicar livros? Na maior parte delas, a leitura obrigatória é a mesma para todos os alunos de um determinado ano, mas isso não leva em conta que as pessoas são diferentes e têm gostos diferentes! Isso quando não são livros para o vestibular, em geral muito mal-trabalhados no que se refere a adquirir o hábito de ler e o prazer da leitura. Mas das péssimas escolhas dos meus professores, salvam-se umas pérolas. Uma trilogia é imperdível para adolescentes: A hora do amor, A hora da luta e O diário de Lúcia Helena, do Álvaro Cardoso Gomes,que conseguiu a proeza de fazer livros para adolescentes que não subestimam a inteligência do leitor. A ilha do tesouro e O Médico e o Monstro, de Robert Louis Stevenson, são clássicos e têm tudo o que um adolescente precisa para gostar de lê-los - inclusive versões recontadas com um vocabulário e estrutura de texto mais acessíveis. É o caso também do Frankenstein de Mary Shelley, recontado deliciosamente por Ruy Castro. E já que estamos falando de monstros e piratas, vale lembrar do Drácula de Bram Stoker - esse sim um livro eletrizante (hoje, livros indiscutivelmente soporíferos são assim descritos pela crítica...). Basicamente, esse foi o "lado B" da minha formação, e se você se interessou, recomendo que não deixe de ler a ótima coluna do Guga Schultze sobre o assunto. No "lado A", eu descobri os autores que iam ser importantes alguns anos depois.

Livros de gente grande - Consigo separar muito bem meu julgamento do que é bom e do que me agrada, e vou lendo de tudo um pouquinho. Mas quem não consome produtos culturais profissionalmente deveria se dedicar apenas ao que considerar agradável. Candidato a leitor, não se iluda! Não há bobagem maior do que se forçar a leituras inúteis e arrastadas de algo de que você não está gostando, principalmente se a motivação for a indicação de outra pessoa. Os livros têm o dom mágico de achar seus leitores quando chega a hora. Por isso, garimpe sempre novidades, experimente coisas novas, mas não se obrigue ao tédio. Os autores que me acharam nos últimos anos foram bem óbvios: Clarice Lispector, João Cabral de Melo Neto (um poeta raro e excelente, muito maior do que sua obra mais conhecida, a Morte e vida severina), J.J. Veiga (que merecia ser muito mais lido), Fernando Sabino e tantos outros, amigos que repousam em silêncio nas prateleiras esperando por mim. Mais recentemente, tive uma surpresa maravilhosa chamada Raduan Nassar. Possivelmente você já ouviu falar nas obras dele, que foram parar no cinema: Um copo de cólera e Lavoura Arcaica. Mas foi por um conto muito breve, muito lindo e muito triste que ele me ganhou: "Hoje de noite". Vale a pena procurá-lo na Internet para ler.

Esses são alguns livros que me conquistaram e me abriram o apetite para muitos outros mais. Mas, no fundo, sabe o que eu queria mesmo? Que você ignorasse essa lista e fosse passear em alguma biblioteca ou livraria, descobrindo o seu próprio cânone - os livros fundamentais da sua vida. Eles estão ali, esperando por você.


Verônica Mambrini
São Paulo, 25/6/2007


Quem leu este, também leu esse(s):
01. O gene da burrice de Urariano Mota


Mais Verônica Mambrini
Mais Acessadas de Verônica Mambrini em 2007
01. Por onde andam os homens bonitos? - 17/12/2007
02. 453 – São Paulo para gregos e troianos - 29/1/2007
03. A Letras, como ela é? - 19/3/2007
04. Insuportavelmente feliz - 17/9/2007
05. A Arte da Entrevista - 8/10/2007


Mais Especial O que ler
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
25/6/2007
02h35min
Achei ótimas as indicações e ótimo o texto, Verônica. E não se obrigar ao tédio é um dos melhores conselhos que um leitor experiente pode passar para alguém. (E muitíssimo obrigado pela gentileza...) Abraços!
[Leia outros Comentários de Guga Schultze]
26/6/2007
00h36min
Gostei de seu artigo. As indicações feitas merecem atenção. A idéia de seu texto também. Abraço. Adriana
[Leia outros Comentários de Adriana]
26/6/2007
09h25min
Muito bom seu artigo, Verônica, parece que a idéia do texto estava o tempo todo no meu inconsciente, quando li, deu aquele estalo! Pena que não tivemos os mesmos professores no ensino médio (acho que não) porque não me lembro de nenhum professor pedindo esses livros, mas vou dar uma olhada, preciso voltar a ler alguma coisa (cansei das bulas de remédios hehehe).. bjs
[Leia outros Comentários de Rafael]
27/6/2007
19h44min
Gostei muito de suas indicações no texto acima e gostaria de saber em que livro está o conto de Raduan Nassar, "Hoje de noite" e como conseguir acessá-lo na Internet. Muito Obrigado, Mauro Gorenstein
[Leia outros Comentários de Mauro Gorenstein]
1/7/2007
18h56min
O nome dom conto é Hoje de Madrugada do livro Menina a Caminho e é possível encontra-lo no sítio Releituras. Aproveite Mauro, ele vale a procura.
[Leia outros Comentários de Carlos E. F. Oliveir]
2/7/2007
16h49min
Bacana esse texto, não só pelas menções, mas principalmente pela humildade de saber-se não dono da verdade. Estive nesse final de semana na Flap (Festa Literária Alternativa à Parati – nome provisório), e como me assustei com alguns debatedores. Produziam máximas, e acreditavam nelas: “Alguém que começa lendo Paulo Coelho, nunca conseguirá ler algo, sequer, bom!” “Quem não gosta de um Machado, não gosta de ler!” Além dessas, outras que eu precisaria rever anotações para colocá-las de forma fiel. O primeiro livro que consegui levar a cabo foi Falência das Elites, de Adelaide Carraro - nada acadêmico. Depois me apaixonei por Jorge Amado, Cecília Meireles e Chico Anysio. Clarice e Machado só caíram no meu gosto na maturidade, quando já havia decidido viver de escrita. Num país com tantas diferenças culturais e sociais como o nosso, fico estarrecida quando os que talvez possam exercer algum poder, têm uma visão tão pobre das possibilidades que podem vir de nossa pluralidade. Parabéns.
[Leia outros Comentários de Eliana de Freitas]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




CAÇADORA DE ESTRELAS - STARGAZER
CLAUDIA GRAY
PLANETA
(2011)
R$ 14,00



ATORES AUTORES (AUTOGRAFADO POR JOANA FOMM) - 647
DOC COMPARATO (ORGANISADOR)
CLUBE DO LIVRO
(1987)
R$ 15,00



ALICE NO PAÍS DAS MARAVILHAS
LEWIS CARROLL
COMPANHIA NACIONAL
(2008)
R$ 10,00



COMO REPARAR AVARIAS NA ESTRADA SEM SER UM ESPECIALISTA
MIGUEL DE CASTRO
PLATANO
(1994)
R$ 77,00



AR LIVRE
MAURICIO SALLES VASCONCELOS
CÓRREGO
(2017)
R$ 50,00



GRANDE ENCICLOPÉDIA PORTUGUESA E BRASILEIRA VOL. 3 ENUM GUINE
DIVERSOS AUTORES
ZAIROL
(1998)
R$ 30,00



SENSO CRÍTICO
DAVID W. CARRAHER
PIONEIRA
(1999)
R$ 16,00



HISTÓRIA DA LITERATURA BRASILEIRA, VOLUME 1
SÍLVIO CASTRO
ALFA
(1999)
R$ 26,40



O ENSINO DE LINGUAS PARA A COMUNICAÇÃO
H. G. WIDDOWSON
PONTES
(1991)
R$ 20,00



ORGANIZAÇÃO SOCIAL E POLÍTICA BRASILEIRA
DELGADO DE CARVALHO
RECORD
(1969)
R$ 12,00





busca | avançada
44947 visitas/dia
1,2 milhão/mês