Corpos | Orlando Tosetto Junior | Digestivo Cultural

busca | avançada
74501 visitas/dia
2,0 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Péricles Cavalcanti - lançamento de SALTANDO COMPASSOS
>>> Espetáculo “Canções Para Pequenos Ouvidos” chega ao Teatro Clara Nunes, em Diadema
>>> (Abre 11/10) Mostra BAÚ DA DGT_curadores Francisco Gaspar,Tuna Dwek, Donny Correia e Diego da Costa
>>> Escrever outros Corpos - Criar outras Margens || BELIZARIO Galeria
>>> SESC 24 DE MAIO RECEBE EVENTO DE LANÇAMENTO DA COLEÇÃO ARQUITETOS DA CIDADE
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rodolfo Felipe Neder (1935-2022)
>>> A pior crônica do mundo
>>> O que lembro, tenho (Grande sertão: veredas)
>>> Neste Momento, poesia de André Dick
>>> Jô Soares (1938-2022)
>>> Casos de vestidos
>>> Elvis, o genial filme de Baz Luhrmann
>>> As fezes da esperança
>>> Quem vem lá?
>>> 80 anos do Paul McCartney
Colunistas
Últimos Posts
>>> Agnaldo Farias sobre Millôr Fernandes
>>> Marcelo Tripoli no TalksbyLeo
>>> Ivan Sant'Anna, o irmão de Sérgio Sant'Anna
>>> A Pathétique de Beethoven por Daniel Barenboim
>>> A história de Roberto Lee e da Avenue
>>> Canções Cruas, por Jacque Falcheti
>>> Running Up That Hill de Kate Bush por SingitLive
>>> Oye Como Va com Carlos e Cindy Blackman Santana
>>> Villa candidato a deputado federal (2022)
>>> A história do Meli, por Stelleo Tolda (2022)
Últimos Posts
>>> Universos paralelos
>>> Deseduquei
>>> Cuidado com a mentira!
>>> E agora? Vai ter pesquisa novamente?
>>> Cabelos brancos
>>> Liberdade
>>> Idênticos
>>> Bizarro ou sem noção
>>> Sete Belo
>>> Baby, a chuva deve cair. Blade Runner, 40 anos
Blogueiros
Mais Recentes
>>> perversão sexual
>>> Trailer do Fim do Mundo
>>> Uísque ruim, degustador incompetente
>>> O bom e velho jornalismo de sempre
>>> Apresentação
>>> Sabemos pensar o diferente?
>>> A fragilidade dos laços humanos
>>> Anomailas, por Gauguin
>>> Felicidade
>>> Ano novo, vida nova.
Mais Recentes
>>> Marketing Médico - Criando Valor ao Paciente de Renato Gregório pela Doc (2009)
>>> Bango, o Vendedor de Maçãs de Woo-Joo Hong (Autor), Jin-Joo Chae (Autor) pela Ftd (2012)
>>> Falando Com as Estrelas de Juan Arias; Mari Ines Piekas pela Paulinas (2011)
>>> O Livro Completo de Etiqueta de Amy Vanderbilt de Nancy Tuckerman & Namcy Dunnan pela Nova Fronteira (2000)
>>> As Pessoas da Idade Média de Robert Fossier pela Vozes (2018)
>>> Os escorpiões contra o círculo de fogo de Ignácio de Loyola Brandão pela Global (2009)
>>> Revelação Em Preto E Branco. A Imagem Com Qualidade de Millar W. L . Schisler pela Marins Fontes (1995)
>>> O Corpo Fala de Pierre Weil evRoland Tompakow pela Vozes (2000)
>>> Vícios privados , Benefícios Públicos de Eduardo Giannetti da Fonseca pela Companhia das Letras (1993)
>>> Sete Cavalos na Berlinda de Sidónio Muralha (Autor) pela Global (1997)
>>> Outra Vez de Ernesto Che Guevara pela Ediouro (2004)
>>> O mque Esperar do Segundo Ano - de 12va 24 meses de Heidi Murkoff ; Sharon Mazel pela Record (2022)
>>> A revolta dos guarda-chuvas de Eva Furnari; Sidónio Muralha pela Global (1998)
>>> Os Caminhos de Mandela : Lições de vida, amor e coragem de Richard Stengel pela Globo (2010)
>>> Do outro lado do espelho de Lewis Carroll; Tony Ross; Ricardo Gouveia pela Martins Fontes (1997)
>>> Puro de Andrew Miller pela Bertrand Brasil (2013)
>>> Educar sem Violência - criando filhos sem palmadas de Ligia Moreiras Sena / Andréiac C. K. Mortensen pela 7 Mares (2014)
>>> Azul Alentejo de Monica Ali pela Rocco (2007)
>>> Legend: A Verdade se Tornará Lenda de Marie Lu pela Prumo (2012)
>>> Os Desafios da Terapia de Irvin D. Yalon pela Ediouro (2006)
>>> Meu primeiro Maluquinho em quadrinhos de Ziraldo (Autor) pela Globo (2011)
>>> Al - Gharb 1146 de Alberto Xavier pela Bertrand (2006)
>>> Histórias Da Velha Totonia de José Lins do Rego pela Jose Olympio (2010)
>>> O Livro das Princesas de Meg Calbot; Paula Pimenta; Lauren kate pela Galera Record (2015)
>>> Como os médicos pemsam de Jeromev Groopman pela Agir (2008)
COLUNAS

Sexta-feira, 28/9/2001
Corpos
Orlando Tosetto Junior

+ de 5100 Acessos

Não vou falar de cinema. É verdade que parecia; é verdade que lembrava. Mas tanto pareceu, e tantos se lembraram, que tudo bem. Não, nada de cinema.

Não vou falar de culpas. Todos as têm. É bom que a gente saiba que a inocência acaba no primeiro berro, e depois só faz é descascar ao longo da vida. Por detrás de cada par de olhos se esconde um tudo; e Hamlet dizia... não, Hamlet dizia coisas muito tristes. Todos têm culpa, fiquemos assim, que assim é que é.

Não vou falar de dor. Coisas acontecem que nos fazem pensar, ou lembrar, que a dor é mais ou menos constante; é pano de fundo. Coisas acontecem para mitigá-la, obliterá-la por instantes, fazer com que a esqueçamos. Mas ela está lá; vem junto com o primeiro pensamento. Não vou falar de dor porque estamos todos perdidos e confusos, e o número de nortes é infinito como o de narizes. Pobres narizes infelizes.

Não vou falar de horror. Outro que, pensando bem, deita na cama conosco. Outro que nasce com o entender. Outro que não tem explicação, ou tem todas; outro que pede todo o silêncio possível.

Não vou falar de choque. De épater a burguesia, que parecia, a esta altura, incapaz de se chocar. Não falo do infinito poder do choque. Do que é levar uma paulada na cabeça, do que é, de novo e de novo, o poder explosivo de compreender.

Não vou, portanto, falar da maldição do entendimento.

Vou falar de morte. De mortos. De cadáveres. De gente explodida, queimada, esmagada, com membros decepados. Falar de sangue espalhado, de tripas, de pedaços de carne grudados em pedrinhas, de vergalhões espetados no peito, de pulmões cheios de pó. De órbitas vazadas, de fezes, de urina tinta de vermelho, de bexigas ao vento. De seios estourados, mechas de cabelos balançando como anêmonas, de um sorriso grudado a uma laje. De fedor, de ossos, de um sapato solitário apoiado sobre um parapeito. Da fina gordura branca fazendo um traço na areia. De anéis amassados, esmalte ameixa sobre pedaços soltos de unhas, um colar desfeito. De perfume besuntando tijolos caídos. De gumex, henna, cílios postiços que flutuam como dentes de leão.

Falo de gente morta, da coisa horrível que é gente morta. Pessoas lado a lado como estátuas, etiquetas amarradas nos dedos que restaram, formol, clarinadas, bandeiras e serviço religioso. A coisa simples e auto-resolvível que é uma pessoa morta. Muitas, muitas, muitas pessoas mortas.

Não falo de piedade, de reconhecimento, de revolta, de indiferença. Falo só de mortos. Muitos e muitos mortos. Vamos esquecê-los depressa, trocá-los por outras coisas, eleger símbolos, guardar imagens: uma torre explodindo ou desabando, um avião desgovernado. Nem sempre nos lembraremos da morte física, dos corpos, dos cheiros. Não nos lembraremos do que não vimos.

Repentinamente descolados dos nossos umbigos, voltaremos. No dia-a-dia, nossos horrores são outros. E cada corpo, cada morto novo, em vez de ser uma lembrança, será sempre uma surpresa. Porque ninguém se lembra de cadáveres.

Para ir além

SpamZine


Orlando Tosetto Junior
São Paulo, 28/9/2001


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Bruxas no banheiro de Marta Barcellos
02. Sob Custódia, de Anita Desai de Ricardo de Mattos


Mais Orlando Tosetto Junior
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Um Deus Passeando pela Brisa da Tarde
Mário de Carvalho
Companhia das Letras
(2006)



Gestos de Equilíbrio
Tarthang Tulku
pensamento
(1997)



Enciclopédia Olímpica Brasileira
Varios Autores
Mp
(2015)



Goosebumps - Acampamento Fantasma
R. L. Stine
Fundamento
(2006)



The Third Man and the Fallen Idol
Graham Greene
Penguin Books
(1977)



Os Sujeitos no Universo da Escola -
Verónica Edwards
Ática
(1997)



O Anel de Policrates e Outras Historias (favor Ler a Descrição)
Vários Autores
Cered Objetivo
(2014)



O Efeito Vinculante na Jurisdição Constitucional - Confira!
Roger Stiefelmann Leal
Saraiva
(2006)



Real Talk Series
Wise Up
Wise Up
(2015)



Bertolt Brecht - Teatro Hoje
Paolo Chiarini
Civilização Brasileira
(1967)





busca | avançada
74501 visitas/dia
2,0 milhão/mês