O pai tá on: um ano de paternidade | Luís Fernando Amâncio | Digestivo Cultural

busca | avançada
54894 visitas/dia
2,2 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Conto HAYEK, de Maurício Limeira, é selecionado em coletânea da Editora Persona
>>> Os Três Mosqueteiros - Um por Todos e Todos por Um
>>> Sesc 24 de Maio recebe o projeto Parlavratório - Conversas sobre escrita na arte
>>> Cia Caravana Tapioca faz 10 anos e comemora com programação gratuita
>>> Eugênio Lima dirige Cia O GRITO em novas intervenções urbanas
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Eleições na quinta série
>>> Mãos de veludo: Toda terça, de Carola Saavedra
>>> A ostra, o Algarve e o vento
>>> O abalo sísmico de Luiz Vilela
>>> A poesia com outras palavras, Ana Martins Marques
>>> Lourival, Dorival, assim como você e eu
>>> O idiota do rebanho, romance de José Carlos Reis
>>> LSD 3 - uma entrevista com Bento Araujo
>>> Errando por Nomadland
>>> É um brinquedo inofensivo...
Colunistas
Últimos Posts
>>> Cris Correa, empreendedores e empreendedorismo
>>> Uma história do Mosaic
>>> Uma história da Chilli Beans
>>> Depeche Mode no Kazagastão
>>> Uma história da Sambatech
>>> Uma história da Petz
>>> A história de Chieko Aoki
>>> Uma história do Fogo de Chão
>>> BDRs, um guia
>>> Iggor Cavalera por André Barcinski
Últimos Posts
>>> Os inocentes do crepúsculo
>>> Inação
>>> Fuga em concerto
>>> Unindo retalhos
>>> Gente sem direção
>>> Além do ontem
>>> Indistinto
>>> Mais fácil? Talvez
>>> Riacho da cacimba
>>> Mimético
Blogueiros
Mais Recentes
>>> O conto como labirinto em Milton Hatoum
>>> O amor e o amor plagiado
>>> Marcel Proust e o tempo reencontrado
>>> YouTube em versão brasileira
>>> Fi-lo porque qui-lo
>>> Sex and the City, o filme
>>> Interactivity Ethics
>>> Poesia BR em Paris
>>> Animismo
>>> E Éramos Todos Thunderbirds
Mais Recentes
>>> Learn with us 4 - class book de Hawys morgan e vanessa reilly e plácido bazo pela Oxford (2019)
>>> Descobrindo A História Da Arte de Graça Proença pela Atica (2017)
>>> Adomania 2 A1 - a2 - Méthode de français de Corina Brillant pela Hachette (2016)
>>> Learn With Us 4 - Activity Book With Online Practice de Kirstie Grainger e Vanessa Reilly e Bazo pela Oxford University Press (2019)
>>> Menina Bonita Do laço De Fita - Infanto de Ana Maria Machado pela Atica (2019)
>>> Matematica E Logica Para Concursos 9 M+L=c) Mais de 600 Exercicios - Matematica de Jose Luiz De Morais pela Saraiva (2012)
>>> Memorias de um sargento de milicias de Manuel Antônio De Almeida; Ivan Jaf; Rodrigo Rosa pela Atica (2021)
>>> Eu & os outros de Liliana Iacocca; Michele Iacocca pela Atica (2007)
>>> João Bosco Bezerra Bonfim; Laura Mitchell de Lobo-guará de hotel pela Callis (2009)
>>> Guera dentro da gente (colecao crisalda) de Paulo Leminski pela Scipione (2006)
>>> A pesar de tudo de Dipacho pela Companhia das Letras (2018)
>>> Flavia - Flavia - Professora ao Contrário de Luiz Raul Machado pela Positivo (2021)
>>> Jornadas. Cie 9º Ano Ciências (aluno) de Isabel Rebelo Roque pela Saraiva (2016)
>>> Book a + B Challenge 2 Reach Out Series de Challenge pela Nova Aliança (2016)
>>> 3 Volumes + 2 Cadernos (completo) Ser Protagonista Física de Válio; Fukui; Ferdinian; Oliveira; Molina pela Sm Ed (2014)
>>> 11 Volumes Fábulas Divertidas: Arara Macaco Sapo Mosquitos Etc de Sylvio Luiz Panza pela Ciranda Cultural
>>> Volumes 1 e 3: Sobrados e Mucambos Coleção Documentos Brasileiros de Gilberto Freyre pela José Olympio (1951)
>>> Estudos de Literatura Brasileira 4ª Edição Revista e Ampliada de Douglas Tufano pela Moderna (1988)
>>> Novos Céus e Uma Nova Terra de United States Of America pela United States Of America
>>> Acenda sua Luz de Carol Rache pela Miguilim (2019)
>>> Almanaque Mundial 1961 de Eduardo Cárdenas (org.) pela Moderna (1961)
>>> Plantão da Noite de Irwin Shaw pela Nova Cultura (1987)
>>> História da Filosofia Ocidental Vol. 3 A Filosofia Moderna de Bertrand Russell pela Companhia Nacional (1967)
>>> Filosofia do Vestibular de Dino F. Fontana pela Saraiva (1964)
>>> Os Filósofos Pré Socráticos de Clássicos Cultrix pela Cultrix (1967)
COLUNAS

Sexta-feira, 28/8/2020
O pai tá on: um ano de paternidade
Luís Fernando Amâncio

+ de 7600 Acessos

Nessa semana, minha filha completou um ano de vida. Ou seja, faz um ano que eu deveria me perguntar todos os dias: onde foi que eu amarrarei meu burro?

Deveria, atenção ao tempo verbal. Porque ter filhos talvez seja a maior prova de que o ser humano é um bicho danado de pretencioso. Convenhamos: nem coleta seletiva de lixo a gente consegue fazer. Como a gente insiste que pode pegar aquele cisco, que é o recém-nascido, e transformá-lo num projeto de gente?

É um desafio que, geração após geração, nós encaramos. Tamanha a nossa irresponsabilidade. E olha que eu tenho sorte. Não posso dizer que minha filha me deu olheiras, cabelos brancos ou aspecto de cansaço – eu já tinha tudo isso antes.

Às vezes, eu me pergunto se tem algo errado comigo. Afinal, seria socialmente mais aceito se eu viesse aqui com um texto fofo, cheio de palavras bonitas, dizendo como é mágico ser pai e como amo minha filha. Sim, é mágico, e claro, amo a pequenina. Mas entre dar tons de comercial de margarina para minha vida e ser sincero, sempre escolho a opção impopular.


Quando minha filha nasceu, eu não chorei. Fiquei aliviado. A bolsa da minha esposa havia se rompido às três da manhã e o bebê só nasceu às seis da tarde. Poxa, nos filmes esse processo dura, se muito, uns dois minutos! Não tem essa maratona de aflição. Minha esposa ficou em jejum esse tempo todo, coitada – eu, sem café da manhã, declararia uma Terceira Guerra Mundial. Se o nascimento demorasse um pouco mais, precisaríamos de fazer uma cesárea, o que não era nossa predileção.

Também não fiquei emotivo ao entrar com nosso cisquinho pela primeira vez em casa. Novamente, o sentimento era de alívio. Ali, não teria mais enfermeiras furando minha filha a todo momento para medir sua glicemia.

O que me faz concluir que alívio é o sentimento que melhor define a paternidade. Por mais que haja manuais, conselhos e que a gente se prepare, a sensação, na prática, é a de andar vedado, com labirintite, numa corda bamba. É sempre um alívio não ter se esborrachado no chão - ou, mais especificamente, não ter deixado o bebê se esborrachar. Aí, eu entendi o conceito dos mesversários. É como dizer: “ufa, inteirou um mês e eu não fiz nada muito errado, o bebê segue vivo”. Só não proponho que se celebre diaversários porque seriam bolos demais (e calorias).

Acho simbólico que o primeiro presente que comprei para minha filha foi um body do meu time, o São Paulo. Um clichê, evidentemente. Só que não foi um gesto do tipo “meu herdeiro vai ser como eu, torcedor do melhor time do mundo”. O São Paulo não ganha nada há eras. Todo ano os jornais atualizam uma manchete dizendo que o SPFC viveu o maior vexame de sua história na noite anterior. Nem no cara ou coroa a gente leva a melhor sobre alguém.

Aí, vem a pergunta: quem, em sã consciência, legaria à geração futura a maldição de acompanhar essa desgraça em forma de time? Parece uma falta de apreço com a criança.

Pois é justamente o contrário. Nada é mais triste para o pai de um bebê do que pensar que essa serzinha de três dentes na boca, que imita gato, passarinho, fica eufórica quando vê a lua e gargalha quando eu a jogo para o alto (para o terror da mãe) vai ter, inevitavelmente, frustrações na vida que não poderei resolver. Infelizmente. Ela vai crescer e tirar notas ruins na escola, ter decepções amorosas, acompanhar os resultados das eleições no Brasil. E eu estarei de mãos atadas.

Ao menos em relação ao futebol... eu também não poderei fazer nada. Mas estarei do lado dela. Sofrendo junto. Assim como em todo o resto. E quando terminar o campeonato e o time estiver fora da zona de rebaixamento, celebraremos juntos. Com alívio, essa palavra que, insisto, é a que melhor resume a paternidade.


Luís Fernando Amâncio
Belo Horizonte, 28/8/2020


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Os bigodes do senhor autor de Renato Alessandro dos Santos
02. Lançamentos de literatura fantástica (1) de Luís Fernando Amâncio
03. Um Oscar para Stallone de Luís Fernando Amâncio
04. Antes que o amor seja apenas uma trégua de Ana Elisa Ribeiro
05. Tempo de nebulosas de Elisa Andrade Buzzo


Mais Luís Fernando Amâncio
Mais Acessadas de Luís Fernando Amâncio em 2020
01. O pai tá on: um ano de paternidade - 28/8/2020
02. Pílulas Poéticas para uma quarentena - 5/6/2020
03. A desgraça de ser escritor - 31/7/2020
04. O fim dos livros físicos? - 20/11/2020
05. Cabelo, cabeleira - 23/10/2020


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Chuva Acida
John Baines
Scipione
(1993)



Os Planos da Vida
Kate Lúcia Portela
Ide
(2007)



A Grande Esperança
Ellen G. White
Casa Publicadora Brasileira
(2012)



Restinga - Dez Contos e uma Novela
Miguel del Castillo
Companhia das Letras
(2015)



EXPERT nutriçao
Rejane Teixeira Mendonça
Ridel
(2016)



Omindarewa: uma Francesa no Candomblé - 1ª Edição
Michel Dion
Pallas
(2002)



Ícaro
Gabriel Pedrosa
Ateliê
(2007)



Esaú
Philip Kerr
Record
(1998)



Ruth Cardoso - Fragmentos de uma Vida
Ignácio de Loyola Brandão
Globo
(2010)



Joaquim Manuel de Macedo Romance
Bella Josef
Agir
(1971)





busca | avançada
54894 visitas/dia
2,2 milhões/mês