2007 e os meus CDs ― Versão Internacional 1 | Rafael Fernandes | Digestivo Cultural

busca | avançada
59182 visitas/dia
2,1 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Exuberância - Moisés Patrício
>>> Missão à China
>>> Universidade do Livro desvenda os caminhos da preparação e revisão de texto
>>> Mississippi Delta Blues Festival será On-line
>>> Tykhe realiza encontro com Mauro Mendes Dias sobre O Discurso da Estupidez
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Alameda de água e lava
>>> Entrevista: o músico-compositor Livio Tragtenberg
>>> Cabelo, cabeleira
>>> A redoma de vidro de Sylvia Plath
>>> Mas se não é um coração vivo essa linha
>>> Zuza Homem de Mello (1933-2020)
>>> Eddie Van Halen (1955-2020)
>>> Prêmio Nobel de Literatura para um brasileiro - II
>>> Vandalizar e destituir uma imagem de estátua
>>> Partilha do Enigma: poesia de Rodrigo Garcia Lopes
Colunistas
Últimos Posts
>>> Zuza Homem de Mello no Supertônica
>>> Para Ouvir Sylvia Telles
>>> Van Halen ao vivo em 1991
>>> Metallica tocando Van Halen
>>> Van Halen ao vivo em 2015
>>> Van Halen ao vivo em 1984
>>> Chico Buarque em bate-papo com o MPB4
>>> Como elas publicavam?
>>> Van Halen no Rock 'n' Roll Hall of Fame
>>> A última performance gravada de Jimmi Hendrix
Últimos Posts
>>> Normal!
>>> Os bons companheiros, 30 anos
>>> Briga de foice no escuro
>>> Alma nua
>>> Perplexo!
>>> Orgulho da minha terra
>>> Assim ainda caminha a humanidade
>>> Três tempos
>>> Matéria subtil
>>> Poder & Tensão
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Quem somos nós para julgar Michael Jackson?
>>> Culture to Digest
>>> Os novos filmes de Iñárritu
>>> Prêmio Nobel de Literatura para um brasileiro - II
>>> One-man show
>>> A difícil arte de fazer arte
>>> O Exército de Pedro
>>> Doida pra escrever
>>> Alguns momentos com Daniel Piza
>>> Desonra, por J.M. Coetzee
Mais Recentes
>>> O Guardião de Nicholas Sparks pela Arqueiro (2013)
>>> Um Homem de Sorte de Nicholas Sparks pela Novo Conceito (2011)
>>> Noites de Tormenta de Nicholas Sparks pela Arqueiro (2010)
>>> O Casamento de Nicholas Sparks pela Arqueiro (2012)
>>> O Casamento de Nicholas Sparks pela Arqueiro (2012)
>>> O Milagre de Nicholas Sparks pela Arqueiro (2010)
>>> O Melhor de Mim de Nicholas Sparks pela Arqueiro (2012)
>>> A Escolha de Nicholas Sparks pela Novo Conceito (2012)
>>> Um Amor para Recordar de Nicholas Sparks pela Novo Conceito (2011)
>>> A última Música de Nicholas Sparks pela Novo Conceito (2010)
>>> Primeiro Amor de James Patterson pela Novo Conceito (2014)
>>> Pelos Caminhos de Pedras e de Folhas Secas de Maria José Mamede Galvão pela Caravela (2018)
>>> Violetas na Janela de Patrícia Espirita pela Petit (2020)
>>> Divergente Uma Escolha Pode Te Transformar de Verônica Roth pela Rocco (2012)
>>> Traité Clinique Et Pratique des Maladies Puerpérales Suites de Couches de E Hervieux pela Adrien Delahaye Libraire Éditeur (1870)
>>> Commentaires Thérapeutiques du Codex medocamentarius de Adolphe Gubler pela J B Bailliére Et Fils (1868)
>>> A Esperança de Suzanne collins pela Rocco (2012)
>>> Dictionnaire de Medicine de Chirurgie, de Pharmacie de E Littrè & Ch Robin pela J B Bailliére Et Fils (1865)
>>> Os Pensadores - Fichte de Johann Gottlieb Fichte pela Nova Cultural (1988)
>>> Os Grandes Profetas de Nova Cultura pela Nova Cultural (1985)
>>> Reflexões Sobre a Historia Moderna de Hans Kohn pela Fundo de Cultura (1965)
>>> História da América Portuguesa de Rocha Pita pela Senado Federal (2011)
>>> Guia de Conversação Langenscheidt Inglês de Vários Autores pela Martins Fontes (1998)
>>> Dicionário Inglês Português / Português Inglês de Amanda Marques & David Draper pela Ática (1988)
>>> Francês Para Viagem e Dicionário de Vários Autores pela Berlitz (1991)
>>> No Giro do Mundo os Periódicos do Real Gabinete Português de Leitura 1 de Eduardo da Cruz ( Org. ) pela Real Gabinete Português de Leitura (2014)
>>> Dicionário Espanhol Português / Português Espanhol de Vários Autores pela Dcl
>>> RL - Uma Autobiografia de Rita Lee pela Globo Livros (2016)
>>> Minidicionário Ruth Rocha de Ruth Rocha & Hindenburg da Silva Pires pela Scipione (2001)
>>> Mecânica Vetorial para Engenheiros - Estática de Ferdinand P. Beer e E. Russell Johnston Jr pela McGraw-Hill (1994)
>>> Dicionário Júnior da Língua Portuguesa de Geraldo Mattos pela Ftd (1996)
>>> Bá, Tchê! – Dicionário Temático de Luis Augusto Fischer pela Artes e Ofícios (2001)
>>> Mecânica Vetorial para Engenheiros 1 - Estática de Ferdinand P. Beer e E. Russell Johnston Jr pela McGraw-Hill (1977)
>>> Dicionário de Porto-Alegrês de Luís Augusto Fischer pela Artes e Ofícios (1999)
>>> Resistência dos Materiais de Ferdinand P. Beer e E. Russell Johnston Jr pela McGraw-Hill (1982)
>>> O Constitucionalismo democrático latino-americano em debate de Leonardo Avritzer/Lilian Cristina Bernardo Gomes (Org) pela Autêntica (2017)
>>> Reiki - Medicina Energética de Libby Barnett e Magie Chambers pela Nova Era (1999)
>>> Revista do Livro Ano V Número 20 Dezembro de 1960 de Lêdo Ivo, Mário de Andrade, Heitor Lyra e outros pela Instituto Nacional do Livro (1960)
>>> The Argumentative Indian - Writings on Indian History, Culture de Amartya Sen pela Picador (2005)
>>> O Encanto da Montanha & Caminho ao Lar de Linda Howard pela Harlequin Books (2010)
>>> Afrodiáspora 6 e 7 - Revista de estudos do mundo negro de Vários Autores pela Ipeafro (1985)
>>> Aventura Ardente de Diana Palmer pela Harlequin Books (2013)
>>> Indiscreta de Candace Camp pela Harlequin Books (2005)
>>> Meu Anjo de Sherryl Woods pela Harlequin Books (2005)
>>> Pido la Paz y la Palabra de Blas de Otero pela Cantalapiedra (1955)
>>> Steve Jobs de Walter Isaacson pela Companhia das Letras (2011)
>>> Sem Perdão de Frederick Forsyth pela Abril Cultural (1985)
>>> Comunidades imaginadas de Benedict Anderson pela Companhia Das Letras (2019)
>>> A Segunda Vitória de Morris West pela Abril Cultural (1985)
>>> Os Insaciáveis de Harold Robbins pela Rio Gráfica (1985)
COLUNAS >>> Especial Melhores de 2007

Quarta-feira, 7/5/2008
2007 e os meus CDs ― Versão Internacional 1
Rafael Fernandes

+ de 6400 Acessos

Já estão no ar a primeira e a segunda partes dos meus discos preferidos em 2007. Agora a terceira, com a parte 1 de lançamentos de artistas internacionais.

***

Alicia Keys ― As i am


Ouça um trecho de "Wreckless Love"

Gostei do novo disco de Alicia Keys, As i am. Nele, ninguém vai encontrar inovação, nem genialidade. Apenas boas canções, daquelas de grudar na cabeça. O som, nem sisudo nem complexo, é mais adulto do que boa parte das cantoras pop atuais, que abusam da infantilidade musical. Aliás, elas estão cada vez mais parecidas, com músicas, sonoridades e "atitudes" semelhantes. Trabalham com os mesmos produtores, usam as mesmas batidas, os mesmos trejeitos. Alicia parece estar procurando seu próprio caminho, seu próprio som, sem se ater a modismo, apesar de também aderir às necessidades do mainstream: clipes bobos, caras e bocas, preocupação excessiva com roupas. No som, ela pega o essencial do hip-hop: grooves interessantes. E só. Acertou na mosca neste disco, bebendo do soul dos anos 60 e 70 ― Motown, principalmente ― e com pitadas do R&B atual, fazendo um delicioso disco pop ― grandes melodias, instrumental e arranjos caprichados, belas vocalizações, canções certeiras e suingadas. Aposta, com bom resultado, na mescla de instrumentos acústicos com inserções de programações. Para não variar o ponto fraco está nas letras, de temáticas amorosas surradas e versos pouco inspirados. E ainda que algumas músicas exagerem na dose de açúcar, é um belo disco pop. Quase todas as músicas têm cara de sucesso. Não apresenta grandes novidades, mas é um sopro de ar fresco num gênero cada vez mais banal e viciado em fórmulas de momento.

Minhas músicas preferidas: "No one", "Superwoman", "Like you'll never see me again" e "Wreckless Love".

***

Björk ― Volta


Ouça um trecho de "Wanderlust"

Björk é uma artista de personalidade única. É sempre arrojada. Há os que gostam e os que odeiam, com conhecimento de causa. E há os que dizem gostar sem nunca terem escutado ― só para tentar ser cool ― e os que dizem que odeiam sem sequer terem ouvido um disco completo. Ela, como toda grande artista, tem várias facetas, muitos acertos e alguns erros, claro. Em Volta, é novamente inventiva. Em vez de formações de cordas, sutis, ela opta por uma parede de sopro, imponente, e batidas robustas. O resultado é um disco pesado sonoramente. Em termos de canções, embora haja muita qualidade, tenho dúvidas se está entre os melhores momentos da cantora. Mas é um dos melhores em termos de audácia sonora, de trabalho de arranjos. Foi um disco que no começo achei irregular, mas que foi se mostrando surpreendente ― desde o peso e volúpia de "Earth Intruders" à discrição de "Pneumonia", belíssima canção, aliás. É difícil passar imune ao que está sendo tocado. É daqueles discos de ficar ouvindo várias vezes tentando decifrar os sons, os arranjos, de onde saiu tudo aquilo. Em "Wanderlust", uma programação eletrônica dita o ritmo, e a harmonia é permeada apenas por instrumentos de sopro; vozes se encontram, quase cacofônicas. Uma canção comovente é "The dull flame of desire", feita a partir um poema de Fyodor Tyutchev, num duo com Antony Hegarty. Björk é, realmente, uma artista que leva a reações extremas. Mas, musicalmente, pensa à frente, quer romper barreiras, não se contenta com o pré-estabelecido, com o sucesso. Ainda bem.

Minhas músicas preferidas: "Earth Intruders", "Wanderlust", "Pneumonia", "The dull flame of desire" e "I see who you are".

***

Dream Theater ― Systematic Chaos


Ouça um trecho de "In The Presece Of Enemies Pt. 1"

Dream Theater costuma ser associado a chatices. Música chata, fãs chatos. Muitos rotulam a banda sem ao menos procurar ouvir um disco inteiro ― o preconceito impõe ser impossível escutar 70 minutos de uma banda assim. Ou reclamam do tamanho das músicas, acostumados à duração e ao formato do pop ― mas, afinal, música não é um trabalho criativo? Não deveria ter limites, muito menos de tempo da música ― sejam 3, 30 ou 60 minutos. Apesar disso, não creio que deveria ser um grupo de grande público, muito menos que é "injustiçada" por "não tocar em rádio" ― acho que está muito bem em seu nicho. É um exemplo de como certos artistas e estilos devem e conseguem sobreviver à margem do mercado, apostando numa base fiel de fãs, que cresce aos poucos, durante um bom tempo, angariando diversas gerações: é a construção de uma carreira, algo que já foi regra na indústria musical, deixada de lado em prol do efêmero e de massa. Mas muitas gravadoras estão voltando atrás e procurando artistas que possam render por anos.

A abertura do disco, a primeira parte (as duas são boas) de "In the presence of enemies", ilustra bem a resistência que a banda enfrenta. Afinal, são poucos os que não se importam de esperar a voz aparecer só aos 5 minutos e poucos da música. Outra boa canção é "The dark eternal night", com riffs poderosos e bem trabalhados, e uma das melhores seções instrumentais que a banda já fez. Pena que a letra é horrível ― fala de um monstro do passado que assombra uma cidade. Outro bom momento é "Constant Motion", apesar de não trazer nada que Metallica, Megadeth e o próprio Dream Theater já não tenham feito. De resto, nada relevante ou que acrescente à banda, incluindo duas canções bobas e de refrão ruim ("Forsaken" e "Prophets of war") e uma que achei brega ("The ministry of lost souls"). Ironicamente, Systematic Chaos é uma boa mostra a não fãs de como é o estilo da banda, de músicas longas e de estilo do progressivo, canções pesadas e outras "pop". Apesar disso, é um disco menor em sua carreira.

Minhas músicas preferidas: "In the presence of enemies (1 e 2)", "The dark eternal night", "Constant Motion".

***

Oceansize ― Frames


Ouça um trecho de "Unfamiliar"

Banda de Manchester, Inglaterra, iniciada em 2000, tem na formação nada menos que três guitarristas (um deles é também o vocalista). E são muito bem combinadas, com contrapontos bem sacados. O som é quase um paradoxo. Os arranjos são elaborados e se aproximam do progressivo: músicas longas, passagens instrumentais, alternâncias de ritmo, linhas melódicas que são trabalhadas de diferentes formas na mesma música etc. Mas a execução em si, a forma dos riffs, instrumental e melodias vocais remetem à música alternativa (Radiohead, Travis, The Verve). A união dessas duas vertentes torna o som do Oceansize muito interessante: melodias atraentes com capricho nos arranjos. Eles já haviam lançado dois ótimos discos, Effloresce e Everyone into position, e mantêm o nível em Frames, que começa quase num anti-clímax em "Commemorative T-Shirt", com uma introdução de 3 minutos e andamento lento. "Unfamiliar", grande música, chegou a ter versão editada e poderia ter cacife para o sucesso, mas completa é que vale à pena: melodias inspiradas, vários riffs ― que se alternam, trabalhados de forma diferente pelo trio de guitarras ― e uma estrutura "montanha-russa": variações entre instrumental vigoroso, momentos de desaceleração e calmaria, que são quebrados pela volta do peso."Trail of life" tem bonita introdução e seção instrumental muito boa. "Savant" é viajante; "Only Twin" tem clima épico; "Sleeping dogs and dead lions" tem um toque brutal, evidenciado pelo riff. Para quem gosta de músicas elaboradas, mas que não insistem em virtuosismo, Frames é uma boa pedida.

Minhas músicas preferidas: "Unfamiliar", "Trail of life", "Only Twin" e "Voorhees".

***

Pain Of Salvation ― Scarsick


Ouça um trecho de "América"

O Pain of Salvation vem da Suécia e, apesar de ter formato de banda, praticamente todas as idéias musicais e decisões partem da mente criativa de Daniel Gildenlöw, guitarrista e (grande) vocalista. Simplificando, seu estilo é o metal progressivo, por ter uma pegada de heavy metal e composições longas e bem elaboradas. Como toda simplificação, tem falhas; as referências vão de Faith No More a Queen ― é ouvir para crer. E pode-se reclamar de tudo da banda, menos da falta de arrojo: seus discos têm conceitos (incluindo um sobre a existência de Deus e o surgimento da humanidade, Be, de 2004), diversas alternativas sonoras, belas composições e arranjos elaborados. Scarsick, grande disco, é o 7º da carreira da banda e é a continuação de The perfect element part I, de 2000. Alguns fãs o desprezaram, por ser mais direto e menos "progressivo" ― 10 entre 10 bandas do estilo já passaram por isso. Começa pesado e cru com a faixa-título, sem deixar de lado ritmos quebrados; "Spitfall" tem estrutura simples, repetida, com vocais falados e se destaca na bela parte melódica. "América" e "Disco Queen" trazem bom humor; a primeira, divertidíssima, tem ótimas linhas melódicas e arranjo intrincado; a segunda une elementos densos a ritmos de disco-music (!?). Nas letras, Scarsick traz ironias e críticas pesadas aos EUA. O disco se encerra de forma magnífica com "Enter Rain".

Minhas músicas preferidas: "Scarsick", "Spitfall", "América", "Disco Queen" e "Enter Rain".


Rafael Fernandes
Sorocaba, 7/5/2008


Quem leu este, também leu esse(s):
01. T.É.D.I.O. (com um T bem grande pra você) de Renato Alessandro dos Santos
02. Sabemos pensar o diferente? de Guilherme Carvalhal
03. Em defesa da arte urbana nos muros de Fabio Gomes
04. Meu pé quebrado de Luís Fernando Amâncio
05. Hitler e outros autores de Marta Barcellos


Mais Rafael Fernandes
Mais Acessadas de Rafael Fernandes em 2008
01. High School Musical e os tweens - 9/1/2008
02. Tritone: 10 anos de um marco da guitarra rock - 10/9/2008
03. Videogame também é cultura - 10/12/2008
04. Blog precisa ser jornalismo? - 9/4/2008
05. 2007 e os meus CDs ― Versão Internacional 1 - 7/5/2008


Mais Especial Melhores de 2007
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




SOCIEDADE PÓS-CAPITALISTA
PETER DRUCKER
PIONEIRA
(1999)
R$ 13,00



HUMOR 100% SEXUAL
NANI
DESIDERATA
(2007)
R$ 12,00



NINTENDO WORLD--6--NOS TEMOS A FORÇA!
CONRAD
CONRAD
R$ 18,00



ENFIM SÓS!...
MÁRCIA LEITE
SCIPIONE
(1991)
R$ 5,00



NEOCONSUMIDOR DIGITAL, MULTICANAL & GLOBAL
MARCOS GOUVEA DE SOUZA
GS & MD
(2009)
R$ 20,00



CHICO XAVIER E NOSSO LAR EM CORDEL F. A. LISBOA
F. A. LISBOA
CLARIM
(1994)
R$ 5,00



A SOLUÇÃO VIAGRA A CURA DA IMPOTÊNCIA
DR. STEVEN LAMM
RECORD
(1998)
R$ 26,91



GRANDE ENCICLOPÉDIA LAROUSSE CULTURAL 18
VÁRIOS AUTORES
NOVA CULTURAL
(1998)
R$ 6,90



SENTIDO DINÂMICO DA DEMOCRACIA
ELIAS CHAVES NETO
BRASILIENSE
(1982)
R$ 25,00



O OBSCENO PÁSSARO DA NOITE
JOSÉ DONOSO
CÍRCULO DO LIVRO
(1990)
R$ 21,00





busca | avançada
59182 visitas/dia
2,1 milhões/mês