Por que não leio mais jornais | Rafael Fernandes | Digestivo Cultural

busca | avançada
49722 visitas/dia
2,6 milhões/mês
Mais Recentes
>>> A Arte de Amar: curso online desvenda o amor a partir de sua representação na arte e filosofia
>>> Consuelo de Paula e João Arruda lançam o CD Beira de Folha
>>> Festival Folclórico de Etnias realiza sua primeira edição online
>>> Câmara Brasil-Israel realiza live com especialistas sobre “O Mundo da Arte”
>>> Misturando música, filosofia e psicanálise, Poisé lança seu primeiro single
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> A desgraça de ser escritor
>>> Um nu “escandaloso” de Eduardo Sívori
>>> Um grande romance para leitores de... poesia
>>> Filmes de guerra, de outro jeito
>>> Meu reino por uma webcam
>>> Quincas Borba: um dia de cão (Fuvest)
>>> Pílulas Poéticas para uma quarentena
>>> Ficção e previsões para um futuro qualquer
>>> Freud explica
>>> Alma indígena minha
Colunistas
Últimos Posts
>>> Uma aula com Thiago Salomão do Stock Pickers
>>> MercadoLivre, a maior empresa da América Latina
>>> Víkingur Ólafsson toca Rameau
>>> Philip Glass tocando Mad Rush
>>> Elena Landau e o liberalismo à brasileira
>>> O autoritarismo de Bolsonaro avança
>>> Prelúdio e Fuga em Mi Menor, BWV 855
>>> Blooks Resiste
>>> Ambulante teve 3 mil livros queimados
>>> Paul Lewis e a Sonata ao Luar
Últimos Posts
>>> Coincidência?
>>> Gabbeh
>>> Dos segredos do pão
>>> Diário de um desenhista
>>> Uma pedra no caminho...
>>> Sustentar-se
>>> Spiritus sanus
>>> Num piscar de olhos
>>> Sexy Shop
>>> Assinatura
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Nelson Freire em DVD e Celso Furtado na Amazônia
>>> Um caos de informações inúteis
>>> Asia de volta ao mapa
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Parei de fumar
>>> Ford e Eastwood: cineastas da (re)conciliação
>>> Amor à segunda vista
>>> O Gmail (e o E-mail)
>>> Diogo Salles no podcast Guide
Mais Recentes
>>> Lady gaga de Brandon hurst pela Madras (2010)
>>> Orientaçoes curriculares para o ensino medio--1--linguagens,codigos e tecnologias. de Mec pela Mec
>>> Vida silvestre:o estreito limiar entre preservaçao e destruiçao. de Coordenadora angela maria branco pela Dupligrafica (2007)
>>> Grandes imperios e civilizaçoes--frança--volumes:1 e 2. de Delprado pela Delprado
>>> Cerrado e pantanal--areas e açoes prioritarias para conservaçao da biodiversidade. de Ministerio do meio ambiente pela Mma (2007)
>>> Contabilidade - Escola de Administração Fazendária - ESAF de Ricardo J. Ferreira pela Ferreira (2014)
>>> O Maior Sucesso do Mundo de Og Mandino pela Record (1994)
>>> O Céus e o Inferno de Allan Kardec pela Feb (1989)
>>> Amor, medicina e milagres - A Cura espontânea de doentes graves de Bernie S. Siegel pela BestSeller (1989)
>>> Mayombe de Pepetela pela Leya (2019)
>>> Os Segredos Para o Sucesso e a Felicidade de Og Mandino pela Record (1997)
>>> Para Viver Sem Sofrer de Gasparetto pela Vida E Consciencia (2002)
>>> Guía Rápida del Museo Nacional de Bellas Artes de Vários pela Mnba (1996)
>>> A profecia celestina de James Redfield pela Objetiva (2001)
>>> The Forecast Magazine January 2020 - 2020 de Diversos pela Monocle (2020)
>>> O Diário da Princesa de Meg Cabot pela Record (2002)
>>> The Forecast Magazine January 2017 - Time to Talk? de Diversos pela Monocle (2017)
>>> Mojo December 2018 de Led Zeppelin pela Mojo (2018)
>>> Mojo 300 November 2018 The Legends de Diversos pela Mojo (2018)
>>> Mojo 299 October 2018 de Paul McCartney pela Mojo (2018)
>>> Mojo 297 August 2018 de David Bowie pela Mojo (2018)
>>> Mojo 307 June 2019 de Bob Dylan pela Mojo (2019)
>>> Mojo 296 July 2018 de Pink Floyd pela Mojo (2018)
>>> Mojo April 2018 de Arctic Monkeys pela Mojo (2018)
>>> Mojo 294 May 2018 de Roger Daltley pela Mojo (2018)
>>> Mojo 292 April 2018 de Neil Young pela Mojo (2018)
>>> Mojo 292 March 2018 de Nick Drake pela Mojo (2018)
>>> Mojo 291 February 2018 de The Rolling Stones pela Mojo (2018)
>>> Mojo 290 January 2018 de The Jam pela Mojo (2018)
>>> Mojo 289 December 2017 de Bob Dylan pela Mojo (2017)
>>> Mojo 286 September 2017 de Allman Brothers pela Mojo (2017)
>>> Mojo 310 September 2019 de Tom Waits pela Mojo (2019)
>>> Mojo 309 August 2019 de Bruce Springsteen pela Mojo (2019)
>>> Mojo 304 March 2019 de Joni Mitchell pela Mojo (2019)
>>> Como cuidar do seu automóvel de Ruy Geraldo Vaz pela Ediouro (1979)
>>> Mojo 236 July 2013 de The Rolling Stones pela Mojo (2013)
>>> Mojo 250 January 2014 de Crosby, Still, Nash & Young pela Mojo (2014)
>>> Gilets Brodés - Modèles Du XVIII - Musée des Tissus - Lyon de Várioa pela Musee des Tíssus (1993)
>>> Mojo 249 August 2014 de Jack White pela Mojo (2014)
>>> Mojo 252 October 2014 de Siouxsie And The Banshees pela Mojo (2014)
>>> Mojo 251 October 2014 de Kate Bush pela Mojo (2014)
>>> Mojo 302 January 2019 de Kate Bush pela Mojo (2019)
>>> Mojo 274 September 2016 de Bob Marley pela Mojo (2016)
>>> Universo baldio de Nei Duclós pela Francis (2004)
>>> Mojo 245 April 2014 de Prince pela Mojo (2014)
>>> Mojo 256 March 2015 de Madonna pela Mojo (2015)
>>> Musée de La Ceramique - Visit Guide de Vários pela Cidev (1969)
>>> Mojo 159 February 2007 de Joy Division pela Mojo (2007)
>>> Mojo 170 January 2008 de Amy Whinehouse pela Mojo (2008)
>>> Mojo 229 December 2012 de Led Zeppelin pela Mojo (2012)
COLUNAS >>> Especial O fim dos jornais

Quarta-feira, 8/4/2009
Por que não leio mais jornais
Rafael Fernandes

+ de 5000 Acessos
+ 7 Comentário(s)

O título desta coluna poderia ser, também, "por que não leio mais jornais e leio só uma revista". É que, ao menos para mim, é fato que ler jornais e revistas já não tem a menor importância há algum tempo. Não tenho aqui nenhuma pretensão de desprezar esses veículos, muito menos desmerecer seu trabalho. Mas há alguns anos diminuí minha leitura dessas mídias. O primeiro "sintoma" foi não receber mais o Estadão e perceber que não fazia a mínima falta. Continuei assinando o Valor Econômico por um tempo, mas cancelei a assinatura ― o resultado foi o mesmo. Já no caso das revistas eu tento, mas não consigo lembrar qual foi a última vez que comprei uma na banca. A única que ainda leio ― e assino ― é a edição nacional da Guitar Player, embora esteja com dúvidas se assino pelo conteúdo ou por uma questão de memória afetiva, quase fetiche de acompanhá-la.

Não nego: meu interesse nos jornais era na área de esportes e cultura, com uma sapeada nas demais. Nesse último caso substituí por portais, sem grande perdas. Já a cobertura dos esportes pelos jornais está sofrível e cada vez mais "polêmica"; assim, opto por ler as notícias no Juca e no Gazetaesportiva.net que, diferente do programa de TV, tem cobertura sóbria e evita polêmicas, boatos e notícias plantadas. Também dou uma passada no site do meu time de coração. Acompanho futebol de maneira intensa e há vários anos, então, sinceramente, e por mais tolo que isso possa parecer, não preciso de ninguém descrevendo ou analisando o jogo para mim. E nesse caso são poucos os que valem a leitura, como o PVC, o Tostão e, às vezes, o Juca e o Daniel Piza ― à exceção do Tostão, todos os demais estão em blogs.

Nos cadernos de cultura a situação não é melhor: as matérias pioraram muito, há dependência de agenda, assessoria e do assunto do momento. Além disso, por vezes a cobertura parece seguir o gosto de um ou outro jornalista ― o que em geral não tem nada a ver com o meu gosto. Se for para ser assim, uma cobertura personalista, prefiro um blog. Gosto do Merten, que é inteligente, escreve com carinho e tem muita bagagem, mas também prefiro ler seu blog, que tem um tom mais pessoal e intimista. E ele pode retrucar um comentário ou rever (ou reafirmar) uma opinião sem depender da pauta. Idem Daniel Piza. Andei lendo a edição on-line de Estadão e Folha e nada me empolgou. O que me interessa não está lá. Um marco nessa minha falta de empolgação com essa cobertura foi quando o "Caderno 2" se saiu com uma capa no estilo "Madonna conta tudo".

No caso das revistas, não sei dizer um motivo específico. Talvez, de um lado, a superficialidade de muitas delas. Do outro, a falta de interesse pelos assuntos tratados. Gosto da piauí, mas há muitas edições que não me interessam e também não tenho o hábito de ler no dia a dia o tipo de texto que ela apresenta. Prefiro ler nas férias. No resto do tempo, substituo as revistas e os jornais pela internet. E o próprio Digestivo foi um dos "culpados" por essa troca.

Antes mesmo de começar a escrever aqui, já era fã do site. Ele substituía com muita sobra os cadernos e revistas de cultura. Não só por ser de graça. Mas por ter uma interface simples e ágil, uma variedade imensa de textos e porque eu podia rapidamente escolher quais assuntos e autores ler, na hora em que eu quisesse, sem depender de agenda, muito menos de acumular jornais, revistas e recortes na minha casa. Outros fatores que me fizeram optar pela rede, esses letais, foram a consolidação de blogs de qualidade e os RSS. Meu Google Reader anda me bastando: é muito mais pessoal e seletivo, vou direto ao ponto. Também consigo selecionar na hora o que ele me entrega e ver o que realmente me interessa e o que não. Acompanho vários blogs, de assuntos variados, como marketing, passando por blogs de músicos, negócios e de amigos. Tudo o que eu escolhi acompanhar. Dificilmente um editor conseguiria isso no velho modelo.

Não veria problema em pagar por conteúdo, mas desde que pudesse ser o mais seletivo possível e, de novo, escolher o que realmente quero. Não me interessa mais pagar quarenta e tantos reais para ler o Valor Econômico. Não que não tenha qualidade, pelo contrário. Mas a maioria do conteúdo não me interessa e o que é pertinente me é pouco prático. Eu gostaria de pagar um valor bem menor, mas pagaria, se me fosse oferecido o acesso ao conteúdo dos cadernos "Empresas" e "E&U" de uma maneira mais prática, no meu e-mail, como uma newsletter, por exemplo. Eu a abriria todos os dias e pelos títulos conseguiria selecionar o que me interessa. Não sei se é um modelo viável, não sei se outros gostariam disso, falo só por mim. Mas por que não tentar? Talvez se associar com outras revistas e sites de negócios e oferecer um conteúdo específico, de nicho, bastante personalizável a um preço baixo, cortanto custos de impressão e distribuição e tentando pulverizar custos de redação.

Outra vantagem da internet é que cada vez mais acompanhamos a "pessoa física" e não mais a "pessoa jurídica", os jornais, algo que fazíamos por inércia ou falta de opção. Agora vamos atrás de ideias, opiniões e pessoas. Se alguém quer política internacional, procura o Pedro Doria, não necessariamente o primeiro caderno do jornal. Cinema? Vá no blog do Merten, independente de onde ele estiver. Música independente? Vá de PopUp!. Cultura pop e indie rock? Muitos vão de Lúcio Ribeiro, que saiu de um jornal e foi para um portal, mas as pessoas continuam acompanhando o Lúcio, não o veículo. Não sei para onde tudo isso vai, mas uma coisa não muda: o conteúdo de qualidade, com gente capacitada, que entende do que fala vai continuar sendo valorizado, de uma forma ou de outra. O problema é capitalizar essa "forma ou outra".

Acredito que das indústrias criativas, o jornalismo e a música foram as mais afetadas pela internet, já que com ela qualquer um gera e distribui seu conteúdo, contrariando a lógica dos modelos de negócio antigos de controle e escassez. Obviamente causa aflição em qualquer um que esteja dentro desses modelos ultrapassados, é perfeitamente compreensível. Não é fácil sair de um padrão sólido, quase óbvio para um turbilhão de mudanças e dúvidas. Mas penso que devemos assumir que esses mercados, como conhecíamos, ruíram de fato, ou sobrevivem de maneira sofrível. E que a saída é aprender com o que foi, identificar o que é aproveitável e mais: pensar que, se não existe um novo modelo é porque as possibilidades ainda estão abertas à espera de soluções.


Rafael Fernandes
Sorocaba, 8/4/2009


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Entrevista com o poeta mineiro Carlos Ávila de Jardel Dias Cavalcanti
02. O Digestivo e o texto do Francisco Escorsim de Julio Daio Borges
03. O que você vai ser quando crescer? de Fabio Gomes
04. As feéricas colagens de G.Comini de Eugenia Zerbini
05. Passe Livre, FdE e Black Blocs - enquanto Mídia de Duanne Ribeiro


Mais Rafael Fernandes
Mais Acessadas de Rafael Fernandes em 2009
01. 10 músicas: Michael Jackson - 22/7/2009
02. A Crise da música ― Parte 1/3 - 25/3/2009
03. A Crise da música ― Parte 2/3 - 29/4/2009
04. Chinese Democracy: grande disco - 25/2/2009
05. A Crise da música ― Parte 3/3 - 8/7/2009


Mais Especial O fim dos jornais
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
29/3/2009
19h26min
Sem Estadão e Folha entendo. Mas como você faz sem o New York Times e a Economist?
[Leia outros Comentários de Felipe Pait]
8/4/2009
04h11min
Bravo, Rafael Fernandes! Texto arrojado, esclarecedor, contemporâneo! Pena que há dúzias de bur(r)ocratas impedindo que a progressividade humana avance de forma mais vigorosa. Caro leitor Felipe Pait, discordo do seu comentário, pois li na internet que o primeiro estalo da derrocada fez-se ouvir justamente na morada do New York Times.
[Leia outros Comentários de Sílvio Medeiros]
8/4/2009
12h43min
Caro Silvio, como assim você discordou? Eu fiz uma pergunta... não sei a resposta, por isso perguntei. A vantagem do jornal é ler os cadernos que não leríamos na internet. Também é a desvantagem: ter que pagar pelo pacote completo, quando poderíamos escolher. Leio o jornal pelas notíciais internacionais, e ganho o caderno esportivo e cultural. Mas o horóscopo e a coluna social dispensaria se pudesse... Como vai ficar?
[Leia outros Comentários de Felipe Pait]
8/4/2009
12h47min
Realmente, cada dia que passa o jornalismo "formal" está mais descartável: é uma fofocada só, polemização de fatos sem a menor utilidade e coisas do tipo. Esporte, então, tá cada vez mais parecido com a parte de fofoca de jornais e revistas. Esses tipos de mídias estão cada vez mais reforçando a tese de que são a periferia da realidade.
[Leia outros Comentários de Leo Madruga]
8/4/2009
21h09min
Rafael, perfeito. Só não entendo sua frase: "Não tenho aqui nenhuma pretensão de desprezar esses veículos, muito menos desmerecer seu trabalho". Mas se você diz que não lê mais esses veículos, o que seria, então? Dar força para os jornais que você não lê e elogiar esse trabalho que você não sente falta? Não faz sentido. Parece aquela declaração: "Não é que a gente fique desconfiado, mas a gente fica com um pé atrás". Ou: "Não é que eu queira dizer o que realmente estou dizendo". O que virou descartável foi a maioria da imprensa brasileira, por força de 45 anos de ditadura no país, completados no último dia primeiro de abril.
[Leia outros Comentários de Nei Duclós]
14/4/2009
10h27min
A vida humana vive de ciclos, compostos por gerações. A cada geração vemos mudanças que vão do singelo à ruptura. Os jornais ainda fazem parte da vida e do dia a dia de milhões de pessoas cuja faixa etária está acima dos 30 anos, certamente. Esta será, possivelmente, a última geração acostumada ao jornal. Que deve mudar sua forma, seu conteúdo. Ou se transforma num debatedor ou será pulverizado.
[Leia outros Comentários de Cesar]
14/4/2009
10h39min
Todo o mundo é composto de mudança, que não se muda já como soía.
[Leia outros Comentários de Felipe Pait]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




DECORAÇÃO DE JANELAS AS MAIS CRIATIVAS IDEIAS E SOLUÇOES PARA DECORAR JANELAS -ARQUITETURA
ADRIANA DIAS E OUTROS
DECOR
(2005)
R$ 40,00



RADIANTE
ALYSON NOËL; FLAVIA SOUTO MAIOR
INTRINSECA
(2011)
R$ 5,00



CASAS-ABRIGO: NO ENFRENTAMENTO DA VIOLÊNCIA DE GÊNERO - 1ª EDIÇÃO
LOURDES DE MARIA LEITÃO NUNES ROCHA
VERAS
(2007)
R$ 58,95



CINCO MINUTOS / A VIUVINHA
JOSÉ DE ALENCAR
ÁTICA
(2001)
R$ 15,00



O SUPLÍCIO DO PAPAI NOEL
CLAUDE LÉVI STRAUSS; DENISE BOTTMANN
COSAC & NAIFY
(2008)
R$ 30,00



A FILHINHA DE JAIRO
ENID BLYTON
MUNDO CRISTÃO
(1996)
R$ 10,00



EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E A LÓGICA DAS COMPETÊNCIAS
FERNANDO FIDALGO/ MARIA AUXILIADORA/ NARA LUCIENE
VOZES
(2007)
R$ 18,00



MAX PERKINS - UM EDITOR DE GÊNIOS
A. SCOTT BERG
INTRÍNSECA
(2014)
R$ 39,99



O TEAR DAS ILUSÕES - AUTOGRAFADO
OSEAS ARAÚJO
POESIA
(1994)
R$ 15,00



PLANTE NO SÍTIO (FRUTAS, RAÍZES, HORTALIÇAS E FLORES)
ROSANA MAMANI
TRÊS
(1987)
R$ 12,00





busca | avançada
49722 visitas/dia
2,6 milhões/mês