Siga em frente, não siga ninguém | Ana Elisa Ribeiro | Digestivo Cultural

busca | avançada
64948 visitas/dia
2,1 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Rodolpho Parigi participa de live da FAAP
>>> Para fugir de ex-companheiro brasileira dá volta ao mundo com pouco dinheiro
>>> Zé Guilherme encerra série EntreMeios com participação da cantora Vania Abreu
>>> Bricksave oferece vistos em troca de investimentos em Portugal
>>> Projeto ‘Benzedeiras, tradição milenar de cura pela fé’ é lançado em multiplataformas
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Cabelo, cabeleira
>>> A redoma de vidro de Sylvia Plath
>>> Mas se não é um coração vivo essa linha
>>> Zuza Homem de Mello (1933-2020)
>>> Eddie Van Halen (1955-2020)
>>> Prêmio Nobel de Literatura para um brasileiro - II
>>> Vandalizar e destituir uma imagem de estátua
>>> Partilha do Enigma: poesia de Rodrigo Garcia Lopes
>>> Meu malvado favorito
>>> A pintura do caos, de Kate Manhães
Colunistas
Últimos Posts
>>> Zuza Homem de Mello no Supertônica
>>> Para Ouvir Sylvia Telles
>>> Van Halen ao vivo em 1991
>>> Metallica tocando Van Halen
>>> Van Halen ao vivo em 2015
>>> Van Halen ao vivo em 1984
>>> Chico Buarque em bate-papo com o MPB4
>>> Como elas publicavam?
>>> Van Halen no Rock 'n' Roll Hall of Fame
>>> A última performance gravada de Jimmi Hendrix
Últimos Posts
>>> Normal!
>>> Os bons companheiros, 30 anos
>>> Briga de foice no escuro
>>> Alma nua
>>> Perplexo!
>>> Orgulho da minha terra
>>> Assim ainda caminha a humanidade
>>> Três tempos
>>> Matéria subtil
>>> Poder & Tensão
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Alívios diamantinos
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Ser intelectual dói
>>> Simone de Beauvoir: da velhice e da morte
>>> Alice in Chains, Rainier Fog (2018)
>>> Distribua você também em 2008
>>> A proposta libertária
>>> Sátiro e ninfa, óleo s/ tela em 7 fotos e 4 movies
>>> Capitu, a melhor do ano
>>> As fronteiras da ficção científica
Mais Recentes
>>> Com Olhos de Criança de Francesco Tonucci pela Instituto Piaget (1988)
>>> Revista Neuro Educação – Nº 4 – Dormir Bem Para Aprender Melhor de Vários Autores pela Segmento (2015)
>>> de Jorge Carvalho do Nascimento pela Criação (2018)
>>> Revista Ciência & Vida Psique – Ano 1 – Nº 2 – Psicopedagogia Pra Que? de Vários Autores pela Escala
>>> Revista Crescer em Família – Ano 7 – Nº 74 - Primeiro Ano do Bebê de Vários Autores pela Globo (2000)
>>> Revista Mente e Cérebro – Ano XVI – Nº 197 – As 5 Idades do Cérebro de Vários Autores pela Duetto (2009)
>>> Poder, Política e Partido de A. Gramsci pela Brasiliense (1992)
>>> Gramsci : Cem anos de um pensamento vivo - coleção P&T de J. Luiz Marques e Luiz Pilla Vares (Orgs.) pela Palmarica (1991)
>>> Memórias da Resistência de Jorge Carvalho do Nascimento pela Criação (2019)
>>> Supercapitalismo Como o capitalismo tem transformado os negócios, a democracia e o cotidiano de Robert B. Reich pela Campus (2008)
>>> Marx Engels - História -Coleção Grandes Cientistas Sociais 36 de Florestan Fernandes (Org.) pela Ática (1983)
>>> Começo de Conversa – Orientação Sexual de Osny Telles Marcondes Machado pela Saraiva (1996)
>>> Ciclos de Formação Proposta Político-Pedagógica da Escola Cidadã - Cadernos Pedagógicos 9 de Vários Autores pela SmedPoA (1999)
>>> Ciclos de Formação Proposta Político-Pedagógica da Escola Cidadã - Cadernos Pedagógicos 9 de Vários Autores pela SmedPoA (1996)
>>> A dieta dos 17 dias Um método simples para perder barriga de Mike Moreno pela Sextante (2011)
>>> O Especialista em Educação na Perspectiva da Escola Cidadã - Cadernos Pedagógicos 10 de Vários Autores pela SmedPoA (1996)
>>> Dez Leis Para Ser Feliz - Ferramentas par se apaixonar pela vida de Augusto Cury pela Sextante (2008)
>>> Projeto Revista de Educação – Nº 1 - Ano 1 de Vário Autores pela Projeto (1999)
>>> O Carvalho de Jorge Carvalho do Nascimento pela Criação (2020)
>>> Dicionário do Pensamento Marxista de Tom Bottomore - Editor pela Jorge Zahar (2001)
>>> Um tango para 5 Rainhas de Jony Wolff pela Edição do autor (2018)
>>> O Carvalho de Jorge Carvalho do Nascimento pela Criação (2020)
>>> Os Clássicos da Política vol. 1- Mquiavel-Hobbes-Montesquieu- Rousseau de Francisco C. Welfort (Org.) pela Ática (2006)
>>> Nacionalismos - O estado nacional e o nacionalismo no século XX de Montserrat Guibernau pela Jorge Zahar (1997)
>>> Bibliografia Estudos Sobre Violência Sexual Contra a Mulher:1984-2003 de Kátia Soares Braga - Elise Nacimento (Orgs.) pela Letras Livres - UNB (2004)
>>> O reino de James T. harman pela Restauração (2013)
>>> A importancia da cobertura de Lance Lambert pela Classicos (2013)
>>> O Reino Entre Nós de Não Informado pela O Lutador
>>> Como Realizar a Aprendizagem de Robert M. Gagné pela Mec (1974)
>>> Yoga para a Saúde do Ciclo Menstrual de Linda Sparrowe/ Patrícia Walden pela Pensamento (2004)
>>> Pequenos Segredos da Arte de Escrever de Luiz A. P. Victoria pela Ouro (1972)
>>> Deus Cristo e Caridade Reformador Revista de Espiritismo Cristão de Federação Espírita pela Federação Espírita (1988)
>>> Deus Cristo e Caridade Reformador Revista de Espiritismo Cristão de Federação Espírita pela Federação Espírita (1989)
>>> Paca, Tatú...Contos Infantis de Malba Tahan pela Cruzada da Boa Imprensa (1939)
>>> A Marquesa de Reval de May Logan pela Anchieta (1944)
>>> Camilo Compreendido Tomo 1 e 2 de Gondim da Fonseca pela Martins (1953)
>>> Técnicas de Yoga de Dr.M.L.Gharote pela Phorte (2007)
>>> A Essência da Alma de Sônia Tozzi (psicografia) pela Lúmen (2006)
>>> Minutos de Oração de Legrand (coord) pela Soler (2007)
>>> A Norma Jurídica de Tercio Sampaio Ferraz Jr. E Outros pela Freitas Bastos (1980)
>>> Le Bateau Ivre Análise e Interpretação de Augusto Meyer pela São José (1955)
>>> Franz Kafka Os Filhos Rossmann Bendemann e Samsa de Ruth Cerqueira de Oliveira Röhl pela Universidade de São Paulo (1976)
>>> Fios de Ariadne - Ensaios de interpretação marxista de Centro de Estudos Marxistas pela Universidade de Passo Fundo (1999)
>>> Três Momentos Poéticos de Nelly Novaes Coelho pela Conselho Estadual de Cultura
>>> A Luz Perdida de Murillo Araujo pela Pongetti (1952)
>>> História e Consciência Social de Leôncio Basbaum pela Globo (1985)
>>> Dostoievsky de David Magarshack pela Aster
>>> Asanas de Swami Kuvalayananda pela Phorte (2009)
>>> A Ciência do Yoga de J.K.Taimni pela Teosófica (2006)
>>> Osso no seu Osso indo além da imitação de cristo de F. j. Huegel pela Restauração (2019)
COLUNAS >>> Especial Quem vale a pena seguir

Sexta-feira, 22/5/2009
Siga em frente, não siga ninguém
Ana Elisa Ribeiro

+ de 5800 Acessos
+ 6 Comentário(s)

Essa metáfora do "seguidor" vem me incomodando faz tempo. Embora eu saiba (eu e a torcida do Cruzeiro) que as metáforas são absolutamente necessárias à comunicação e que as utilizamos o tempo todo, algumas me deixam com uma pulga imensa atrás da orelha.

Na Web, quase tudo ainda é metáfora. O "ainda" é medida de segurança. Pode ser que um dia as coisas tomem corpo próprio, personalidade, jeitão. Por enquanto, tudo soa simulação, simulacro, arremedo ou seja lá o nome que isso tenha. A começar pelo nome dela, "Web", que é "teia" ou algo assim, à semelhança de certas redinhas pegajosas que a gente encontra por aí no mundo. "Navegar" e "surfar" estão ali pelos arredores do mar, das ondas e das bússolas (ou da falta delas). Há um texto acadêmico que trata disso, se não me engano da Lúcia Santaella. A ideia é que "navegar" é algo muito mais planejado e preciso do que a maior parte das ações que executamos na Web.

Metáforas, no entanto, não são exclusividade da rede (olha aí a "rede"!). Quando um jornalista diz que a criança caiu de uma altura que corresponde a um prédio de seis andares, pronto, você entende melhor. Quando alguém diz que a moça se parece com um avestruz, você visualiza. Quando alguém diz que os rins têm a forma de um feijão, qualquer criança imagina. A ideia é aproximar, mais do que precisar. Estou chamando tudo de metáfora, embora, tecnicamente, nem tudo aí seja exatamente isso. Essa necessidade de aproximar as pessoas dos conceitos tem nome. Para Fauconnier, importante pesquisador na Califórnia, isso se chama "escala humana", ou seja, a gente traz as coisas para uma escala que possa ajudar o outro a entender do que se fala.

A metáfora da "rede" é a última vedete do palavreado internacional. Tudo é rede, todo mundo está em rede, até quem não quer ou não sabe. A rede é bacana, é inteligente, é cooperativa. Acho curiosíssimo que justamente algumas pessoas que trabalham com a rede e até a pesquisam com "seriedade" sejam justamente as primeiras a não colaborar fora dela. Muito recentemente vivi algo assim quando convidei dois pesquisadores importantes da rede para um congresso sobre um tema afim. O que eles disseram, para minha surpresa? "Quanto paga?". Uau, é a rede, mas só se for com cachê.

Para o sociólogo Dominique Wolton, "rede" era uma palavra que tinha sentido de coisa ruim, faz pouco tempo. De repente, ela ganhou ares de coisa chique e pronto. Todo mundo está enredado. Será? E que "enredamento" é esse? Quando um figurão espalha por aí que você só é gente se estiver na rede, o que mais ele está dizendo, por trás dessas linhas? Que o resto da galera é um bando de ignorantes sem rede? É preciso ter cuidado.

Quase nada na linguagem é ingênuo. Quase nenhuma metáfora é por acaso. Quando se afirma alguma coisa, há chances grandes de algo ficar entredito e outro algo ficar interdito (ou interditado mesmo). Daí que fico pensando por que essa metáfora do seguidor me deixa meio cabreira. Paranoia? Deve ser.

Eu não sigo ninguém. Tenho amigos, colegas, além das pessoas que admiro bastante. Vou, no entanto, seguindo meu caminho, meu rumo, uma espécie de proposta que a gente se faz. Tive imensa preguiça do Orkut quando ele apareceu. Não aguentei dez dias com aquela conta aberta e tive de fechá-la. O Twitter só entrou na minha vida de forma mais direta recentemente, quando abri uma conta para divulgar um evento sobre tecnologia, educação e linguagem. No entanto, várias pessoas começaram a "seguir" o seminário e eu me vi puxando um cortejo. Em todo caso, as pessoas querem saber quem são os convidados, quando se abrem as inscrições, quanto custam e outros detalhes sobre o festejo. Vá lá. Mas aí, aproveitei para "dar uma volta pela vizinhança" e o que vi? Nada. É mais ou menos como se eu passeasse por um desses condomínios em que os primeiros apartamentos são térreos e você escuta fragmentos de conversas em todas as janelas. É o zapping. É o sampler do bate-papo, em que apenas eventualmente se ouve algo interessante. Não posso parar, sigo em frente pela caminhada, e vou sabendo que alguém disse isto ou aquilo, na maior parte das vezes, algo irrelevante. Mas, para que não digam que sou tão detestável assim, admito: a parafernália tecnológica serve para manter as pessoas em contato frequente. Oh, yeah.

Não posso dizer que "sigo", mas prezo meu contato com algumas pessoas que valem a pena. Chovem e-mails para Ana Elisa Novais, que sabe muito sobre a inclusão digital das escolas estaduais em Minas Gerais; troco correspondência inteligente com Marcelo Buzato, que sabe um tantão sobre inclusão também, só que de outro jeito, e que delirou quando anunciei que talvez Colin Lankshear venha ao Brasil este ano; Carla Coscarelli está sempre ali, em e-mails curtinhos e afetuosos, falando sobre linguagem e tecnologia, mas não apenas disso. E vou deixar de citar muita gente bacana porque, talvez, o contato seja mais espaçado um pouco. Mas ninguém aí me segue e nem é seguido. Nós andamos lado a lado, nos atendemos solicitamente, nos gostamos e nos admiramos. Passamos longe de uma rede dessas em que há um cacique que se acha diferenciado porque sabe clicar melhor do que os outros.

Minha gente, a vaidade e a competição também assolam a Web, na mesma medida que outros espaços, menos ou mais eletrônicos. Ou não? Será que a febre colaborativa virá junto com as redes sociotécnicas? Estou ansiosamente aguardando por isso. De vez em quando eu perco a fé, mas Nossa Senhora Desatadora dos Nós não me deixa cair.

Ser importante é algo muito complexo, não é mesmo? Em geral, nosso alcance é ínfimo, mesmo quando a gente se ilude e acha que atravessou o portão de casa. Quem se importa? Os seguidores? Para viver do trabalho para casa e vice-versa basta morar em qualquer roça. Não se pode aproveitar além do que o corpo permite. E se a mente puder alcançar um pouco mais, terá sido uma dádiva. O problema é que, em geral, as mentes continuam enredadas numa teiazinha de canto de parede, ou estou falando mentira?


Ana Elisa Ribeiro
Belo Horizonte, 22/5/2009


Mais Ana Elisa Ribeiro
Mais Acessadas de Ana Elisa Ribeiro em 2009
01. Amor platônico - 10/4/2009
02. Aconselhamentos aos casais ― módulo I - 13/3/2009
03. Aconselhamentos aos casais ― módulo II - 27/3/2009
04. Eu + Você = ? - 27/2/2009
05. Cupido era o nickname dele - 1/5/2009


Mais Especial Quem vale a pena seguir
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
22/5/2009
15h58min
Ana Elisa começou bem o seu texto falando da "rede" que nos interessa. No entanto, passou a escrever sobre coisas que acontecem no mundo social e do trabalho que já sabemos. Contudo, comecei a ler pelo título "Não sigo ninguém...", que também é a minha filosofia desde adolescente. Sobre a "rede", eu diria que existe uma preocupação por parte dos pais que têm adolescentes e jovens desempregados em casa. Eles ficam no computador até a madrugada e no dia seguinte está tudo perdido. Como professora, leciono de manhã e vejo os alunos com dificuldades de concentração. Ler um livro? "Para quê, professora, se temos a internet para pegar o resumo?" Em suma, o tempo dirá o total dos prejuízos da "rede" para a sociedade e vamos acreditar no bom senso dos usuários...
[Leia outros Comentários de Gelza Reis Cristo]
23/5/2009
06h42min
Palavra Prima/ Uma palavra/ Só a crua palavra/ Que quer dizer/ Tudo/ Anterior ao entendimento/Palavra! Desde esse Ponto de Início, que precede a Razão, Eu não sou eu/ Você não é você/ Somos apenas nós/ Já nem somos/ Fomos/ Ou talvez/ Seremos.

Cada vez que se escreve qualquer coisa está se seguindo algo ou alguém, que se tranformará em algo ou alguém a ser lido ou escrito. A vida é a arte de olhar o que se foi para se supor pra onde ir, mas vá em frente, aliás, vá ao lado, já que qualquer referência anterior ou vindoura inexistem. Juro que a invejo, Ana.
[Leia outros Comentários de Dalton]
24/5/2009
15h57min
Outro dia vi um filme sobre estudantes de literatura em Paris. Não sei o nome, começei do meio. Uma coisa ficou na minha cabeça: "Porque as pessoas escrevem? Porque não têm personalidade o bastante para não escrever". Adorei. Acho que quem vai na onda das novidades tem um pouco dessa falta de "personalidade". Quando uma coisa aparece como novidade, mas traz junto a sensação de que aquilo poderia ser resolvido muito bem de outra forma, não é lá uma grande coisa.
[Leia outros Comentários de Ana Elisa Novais]
29/5/2009
20h23min
Ana Elisa, texto bacana este, viu?! Não seguir ninguém é não cair na rede nem virar peixe (que morre pela boca, né?). Mas, antes, é traçar outros rumos e os seus me parecem coletivos, o que é muito legal! Gosto da palavra Kumpania!, que com certeza significa muito dentro das suas metáforas. Ah!, o evento já aconteceu? Se ainda não, quando e onde será?
[Leia outros Comentários de Bete Salgado]
30/5/2009
11h17min
Perfeito!
[Leia outros Comentários de Irineu Tolentino]
11/6/2009
05h53min
O pior da "teia" é que, mediante à previsível gratuidade que ela oferece ao peregrino incauto, nem sempre se pode assegurar de que não será surpreendido por uma informação falsa, uma aranha. Ela é conflitante, paradoxal, diria.
[Leia outros Comentários de Antonio P. Andrade]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




CONHECEREIS A VERDADE E A VERDADE VOS LIBERTARÁ
THEREZINHA BITTENCOURT E VITOR LIMA RAIMUNDO
ODORIZZI
(2011)
R$ 10,00



TEM AQUELA DO...
CHICO ANÍSIO
CÍRCULO DO LIVRO
(1978)
R$ 8,38



SOMBRAS QUE ASSOMBRAM - O EXPRESSIONISMO NO CINEMA ALEMÃO
SESC
SESC
(2013)
R$ 7,27



NOVAS GEOPOLÍTICAS
JOSÉ WILLIAM VESENTINI
CONTEXTO
(2011)
R$ 18,00



PROSPERIDADE EM 42 DIAS
HUMBERTO PAZIAN
BUTTERFLY
(2008)
R$ 19,00



FILHOTES - OS CUIDADOS NOS PRIMEIROS ANOS DE VIDA DO SEU CÃO
SCOTT MILLER
MANOLE
(2008)
R$ 25,00



EXEGESE DO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL-04 VOLUMES-CRÍTICA-INTER-JUR 9429
ANTONIO PEREIRA BRAGA
MAX LIMONAD
R$ 143,00



OS SEIS LIVROS DA REPÚBLICA - LIVRO SEGUNDO - 1ª EDIÇÃO
JEAN BODIN
ÍCONE
(2011)
R$ 34,95



O CRIME DO PADRE AMARO
EÇA DE QUEIRÓS
W. BUCH
(2009)
R$ 14,90



OS EXTRATERRESTRES - OS PRIMEIROS POVOADORES DA TERRA ?
HEBER CASAL SÁENZ
PLANETA
(2005)
R$ 12,90





busca | avançada
64948 visitas/dia
2,1 milhões/mês