O futuro do ritual do cinema | Marta Barcellos | Digestivo Cultural

busca | avançada
63818 visitas/dia
2,2 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Diálogos na Web FAAP: Na pauta, festivais de cinema e crítica cinematográfica
>>> Pauta: E-books de Suspense Grátis na Pandemia!
>>> Hugo França integra a mostra norte-americana “At The Noyes House”
>>> Sesc 24 de Maio apresenta programação de mágica para toda família
>>> Videoaulas On Demand abordam as relações do Homem com a natureza e a imagem
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Meu malvado favorito
>>> A pintura do caos, de Kate Manhães
>>> Nem morta!
>>> O pai tá on: um ano de paternidade
>>> Prêmio Nobel de Literatura para um brasileiro - I
>>> Contentamento descontente: Niketche e poligamia
>>> Cinemateca, Cinemateca Brasileira nossa
>>> A desgraça de ser escritor
>>> Um nu “escandaloso” de Eduardo Sívori
>>> Um grande romance para leitores de... poesia
Colunistas
Últimos Posts
>>> A última performance gravada de Jimmi Hendrix
>>> Sebo de Livros do Seu Odilon
>>> Sucharita Kodali no Fórum 2020
>>> Leitura e livros em pauta
>>> Soul Bossa Nova
>>> Andreessen Horowitz e o futuro dos Marketplaces
>>> Clair de lune, de Debussy, por Lang Lang
>>> Reid Hoffman sobre Marketplaces
>>> Frederico Trajano sobre a retomada
>>> Stock Pickers ao vivo na Expert 2020
Últimos Posts
>>> Três tempos
>>> Matéria subtil
>>> Poder & Tensão
>>> Deu branco
>>> Entre o corpo e a alma
>>> Amuleto
>>> Caracóis me mordam
>>> Nome borrado
>>> De Corpo e alma
>>> Lamentável lamento
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Morando sozinha II
>>> É Julio mesmo, sem acento
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> A Piauí tergiversando sobre o fim dos jornais
>>> Mário Sérgio Cortella #EuMaior
>>> O Gabinete do Dr. Caligari
>>> Ser intelectual dói
>>> Batman: O Cavaleiro das Trevas Ressurge
>>> É Julio mesmo, sem acento
Mais Recentes
>>> Introdução à Crítica do Direito do Trabalho de Tarso Genro pela Lpm (1979)
>>> Virando a Própria Mesa de Ricardo Semler pela Best Seller (1998)
>>> O Segredo das Quatro Letras de Gabriel Chalita pela PlugMe
>>> Elisão Tributária de Diva Prestes Marcondes Malerbi pela Revista dos Tribunais (1984)
>>> Linux - Guia do Administrador do Sistema de Rubem E. Ferreira pela Novatec (2003)
>>> Bellini e os Espíritos de Tony Bellotto pela Companhia das Letras (2005)
>>> O menino e o bruxo de Moacyr Scliar ; Maurício Veneza pela Ática (2007)
>>> Sou João : verdade e diálogo por uma Igreja-comunhão de João Braz Aviz pela Cidade nova (2015)
>>> Elt Pocket Dictionary de Ronald Ridout pela Nelson (1979)
>>> Ensaio Avaliação e Políticas Públicas em Educação 48 Volume 13 Julho Setembro 2005 de Fundação Cesgranrio pela Fundação Cesgranrio (2005)
>>> Relações desumanas no trabalho: da primeira entrevista à aposentadoria de Max Gehringer pela Casa da qualidade (1998)
>>> O Manual do Guerreiro da Luz de Paulo Coelho pela Klick (1997)
>>> Revista de Teatro n. 475 de Aldo Calvet pela Cbag (1990)
>>> Revista de Teatro n. 468 de H.Pereira da Silva pela Sbat (1988)
>>> Revista de Teatro n. 467 de H.Pereira da Silva pela Sbat (1988)
>>> O Processo Tributário - Edição ampliada e atualizada de Cleide Previtalli Cais pela Revista dos Tribunais (1996)
>>> Revista de Teatro n. 466 de H.Pereira da Silva pela Sbat (1988)
>>> Justiça Distributiva e Aplicação de Direito de Plauto Faraco de Azevedo pela Fabris (1983)
>>> O Conto da Ilha Desconhecida de José Saramago pela Companhia das Letras (1999)
>>> Confia filho ... de Pe. Fernando Maria Alvarez de Miranda pela Loyola (1983)
>>> Revista Economia y Sociedad Enero Junio 2016 de Roxana Morales Ramos Editora pela Euna (2016)
>>> Revista de Teatro n. 465 de Sbat pela H.Pereira da Silva (1988)
>>> Direito Internacional Público de Ivo Sefton de Azevedo pela Jurídica/Acadêmica (1982)
>>> A senhora do jogo de Sidney Sheldon e Tilly Bagshawe pela Record (2009)
>>> Evangelização e libertação de J. B. Libânio pela Vozes (1976)
>>> Revista de Teatro n. 452 (Out.Nov.Dez.1984) de H.Pereira da Silva pela Dalugraf (1984)
>>> Direito Internacional Público de Ivo Sefton de Azevedo pela Jurídica/Acadêmica (1982)
>>> Álbum de Retratos Ferreira Gullar de Por: Geraldo Carneiro pela Folha Seca (2008)
>>> O Direito Penal e o Novo Código Penal Brasileiro de Vladimir Giacomuzzi org. pela Fabris (1985)
>>> Depois da escuridão de Sidney Sheldon e Tilly Bagshawe pela Record (2011)
>>> Legislação Aduaneira comentada - Mercosul, Aladi, Gatt, Dumping, Drawback e Zona Franca de Guilherme A. dos Santos Mendes pela Meta (1995)
>>> Anuário 1918 =1978 Casa dos Artistas de Francisco Moreno pela Gráfica Jóia (1978)
>>> O Leitor de Bernhard Schlink pela Record (2009)
>>> O IPI: Limites Constitucionais de Antônio Mauricio da Cruz pela Revista dos Tribunais (1983)
>>> Segundo Congresso Internacional dos Expoentes na Educação de José Luiz Amalio de Souza Diretor pela Expoente (2002)
>>> Anuário = Casa dos Artistas de Francisco Moreno pela Companhia Brasileira de Artes Gráficas (1981)
>>> Teatro da Juventude de Tatiana Belinky pela Imprensa Oficial São Paulo (1998)
>>> Fortaleza Digital de Dan Brown pela Sextante (2005)
>>> Prêmio Cultura Nacional de Harpia Informática pela Shan (2001)
>>> Inferno de Dan Brown pela Arqueiro (2013)
>>> Núcleo de Drama Turgia = Vol. 4 de Patrícia Kamis pela Sesi Paraná (2010)
>>> O recurso de John Grisham pela Rocco (2008)
>>> O penitente de Isaac Bashevis Singer pela L&Pm (1998)
>>> Biblioteca das Crianças - No País das Fadas de Ana Vieira trad. pela Brasil
>>> Um bebê em casa - um guia prático com informações, dicas e curiosidades, da gravidez ao primeiro aninho. de Chis Flores pela Panda Books (2011)
>>> O Pensamento Político De Érico Veríssimo de Daniel Fresnot pela Graal (1977)
>>> Sobre a Literatura de Marcel Proust pela Pontes (1989)
>>> Poemas Sacros de Menotti Del Picchia pela Martins (1992)
>>> O Grotesco Na Criação De Machado De Assis de Maria Eurides Pitombeira de Freitas pela Presença (1981)
>>> Machado De Assis Para Principiantes de Org. Marcos Bagno pela Ática (1998)
COLUNAS >>> Especial Futuro do Cinema

Sexta-feira, 9/4/2010
O futuro do ritual do cinema
Marta Barcellos

+ de 4400 Acessos
+ 3 Comentário(s)

Antes de Avatar salvar o futuro do cinema, eu andava preocupada. Não parecia fazer muito sentido um ritual que junta pessoas dispersivas em uma sala, conversando em duplas e olhando para seus celulares enquanto um filme é projetado na tela. Tentava imaginar uma nova função para a sessão de cinema: um tipo de lanchonete para apreciar boa pipoca (mais cara que o ingresso) ou um ponto de encontro para o "programa de verdade", já que depois as pessoas saem para jantar ou passear no shopping. Se ainda não são, obviamente todos os cinemas serão localizados dentro de shopping centers.

Reduzido a esta experiência, o cinema seria rapidamente trocado por outra atração que o próprio shopping se encarregará de oferecer. Algo mais dinâmico, quem sabe temático, enfim, com a cara das novas gerações. Para a atividade propriamente de assistir a um filme, não faltarão ocasiões e telas: da TV com alta definição de imagem e som surround ao telefone celular, passando por computadores e iPads. E o melhor: sem precisar ouvir o "pssssssiu" dos espectadores que cismam em achar que o silêncio ainda deve reinar na majestade da sala escura de projeção.

Aqui devo confessar que, antes da redenção representada pelo filme de James Cameron, eu era uma das responsáveis pela ameaça que pairava sobre os cinemas. Viciada, não consegui abri mão do ritual à antiga ― apesar dos baldes de pipocas triturados durante toda a sessão, da diversificação de toques dos celulares iluminados, dos comentários sobre as cenas trocados cada vez com mais naturalidade. Se, por um lado, o meu ingresso contribuía para a receita dos exibidores, por outro imagino que eu tenha dissuadido alguns desses "modernos" espectadores de cinema a repetir a experiência. É que, além de "pssssiu", às vezes me ocorre lembrar essas pessoas sobre a sua distração: elas não estão em suas casas.

Provavelmente algumas delas passaram a considerar as vantagens de esticar-se em seus sofás reformados e fazer valer o investimento feito em telas planas de altíssima definição. Pelo menos, admito, essa costuma ser a minha intenção. Da outra solução, a de educá-las, desisti faz tempo.

Mas agora os óculos 3-D prometem concentrar os espectadores dispersivos e atrair novas multidões ao cinema, entretidas com a projeção cinematográfica como se estivessem jogando videogame. A experiência sensorial parece estar à altura da nova mente humana, conseguindo captar a sua atenção por duas horas inteirinhas ou até mais ― Avatar tem 158 minutos! Só que depois disso podem surgir novas questões. E quando os televisores em 3-D se popularizarem e trouxerem uma experiência caseira semelhante? E se os cérebros multitarefa se adaptarem à nova tecnologia e conseguirem acompanhar histórias em três dimensões enquanto conversam e teclam no celular? Será que algum chato (a) vai falar "pssssiu"? Ops, pelo visto em breve estaremos afirmando aqui, novamente, que os cinemas vão acabar.

Veja bem, adorei a experiência de assistir a Avatar, e também fiquei feliz com o fôlego que a nova tecnologia promete dar à indústria cinematográfica. Por obrigação maternal, acompanhei de perto a evolução do 3-D em filmes e desenhos animados. Até então, não me empolgava com a tecnologia, mas fiquei muitíssimo bem impressionada com a apropriação que Avatar fez dela: foi como se o gênero ficção científica finalmente fizesse sentido para mim. No entanto, para "entrar" em histórias ― bem construídas e narradas ― de gêneros cinematográficos que me agradam mais, nunca precisei de grandes artifícios, além do escuro e do silêncio ― ao contrário de meus inquietos vizinhos de poltrona.

Passado o oba-oba tecnológico, teremos de volta a velha questão: se nós, que gostamos do ritual do cinema em grandes salas escuras compartilhadas com solenidade, seremos contemplados com alguma programação no tal cinema do futuro. Na verdade, nem é preciso grandes voos futuristas para compreender a ameaça. Já perdi a conta dos filmes ― especialmente produções nacionais ― que deixo de assistir porque as salas de cinema mais próximas estão tomadas por blockbusters. Isso na zona sul do Rio de Janeiro. O efeito Avatar só não foi maior porque poucos cinemas dispunham de equipamentos em 3-D. Quem não corre para assistir a alguns filmes na semana de estreia muitas vezes tem que se contentar com o lançamento em DVD. E não, para "nós", assistir ao DVD não é a mesma coisa. E não se trata de investir todo o orçamento doméstico em equipamentos de home theater, nem aprender a baixar filmes no computador. Assim como alguns leitores sempre irão preferir livros em papel, há aqueles que gostam de ver filmes no cinema. São pessoas que até enfrentarão alguns percalços, como o estacionamento lotado no shopping, mas que podem acabar sucumbindo se forem expulsos pela programação adolescente e pelos espectadores mal educados.

Por tudo isso, continuo em dúvida se Avatar, ao marcar uma nova era da indústria cinematográfica, também vai garantir a continuidade do meu programa preferido. Talvez eu devesse colocar mais esperança nas iniciativas de alguns exibidores ― como o grupo Estação, no Rio ― para formar novas gerações de cinéfilos, daqueles que prescindem de óculos 3-D para achar que cinema é a maior diversão.

Nota do Editor
Marta Barcellos mantém o blog Espuminha de leite.


Marta Barcellos
Rio de Janeiro, 9/4/2010


Quem leu este, também leu esse(s):
01. O Brasil que eu quero de Luís Fernando Amâncio
02. 40 de Julio Daio Borges
03. A Poética do Chá de Felipe Leal
04. O palhaço, de Selton Mello de Wellington Machado
05. Sobre o preço dos livros 1/2 de Rafael Rodrigues


Mais Marta Barcellos
Mais Acessadas de Marta Barcellos em 2010
01. Palmada dói - 6/8/2010
02. Com ventilador, mas sem educação - 12/3/2010
03. A suprema nostalgia - 15/10/2010
04. O futuro do ritual do cinema - 9/4/2010
05. Pelas mãos habilidosas dos grandes escritores - 17/9/2010


Mais Especial Futuro do Cinema
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
12/4/2010
12h33min
Sobre o filme "Avatar", que não foi apenas um filme, mas um paradigma!: Me causa a impressão que quem viu saberá exatamente a sua significância. Talvez tenha sido este o motivo da academia ter se sentido tão incomodada e, principalmente, tão temerosa. É o que eu tenho opinado para aqueles com quem tenho conversado: a tecnologia científica e sua magnitude. Ela está para além da ética e acaba sempre por receber uma certa alforria (ou, como dizem os árabes, "al horria") por sua continência em libertar algumas questões para um além daquilo que precisamente as estavam restringindo - a própria continuidade.
[Leia outros Comentários de Dan Jung]
12/4/2010
13h08min
"Avatar" é um produto extremamente mercadológico, pensado para vender. Como o foram "Parque dos Dinossauros", "Superman", "Spiderman", "Titanic" e muitos outros, todos filmes "revolucionários" em seus efeitos especiais, e todos descartáveis e esquecíveis. Parafraseando um famoso texto sobre deuses mortos, pergunto: onde estão enterrados esses filmes, todos inovadores, todos revolucionários, e todos descartáveis, como todo bom produto de marketing pensado apenas para entreter e vender? Alguém lembrará de pôr flores nos seus túmulos? Espero que não. Que "Avatar" também descanse em paz como um filme-pipoca que nada acrescentou à arte nem à vida das pessoas. Amém.
[Leia outros Comentários de Luciano Pita]
23/4/2010
10h58min
Confesso que saí do cinema bastante satisfeita depois da experiência "Avatar". Também estou um tanto quanto ansiosa para assistir "Alice". Afinal, tenho dois filhos que adoram ir ao cinema e já passei por situações realmente constrangedoras tendo que permanecer com a bunda na poltrona enquanto na telona robôs gigantescos destroem cidades etc. e tal. Meus filhos certamente herdaram minha paixão pela salinha escura e pela carésima pipoca amanteigada e tenho a esperança de um futuro cheio de filmes muito mais interessantes para eles - aqueles que prescindem de toda essa tecnologia, pois o fantástico está no enredo, atuações etc.
[Leia outros Comentários de Daniela]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




O QUE É HISTÓRIA
VAVY PACHECO BORGES
BRASILIENSE
(1981)
R$ 15,00



PAPERS RELATING TO THE PITUITARY BODY, HYPOTHALAMUS AND PARASYMPATH...
HARVEY CUSHING
CHARLES C THOMAS
(1932)
R$ 575,00



AS VIAGENS DE RAONI
PEDRO VELUDO
MIGUILIM
(2013)
R$ 5,00



A TECNICA DA COMUNICAÇÃO HUMANA
J. R. WHITAKER PENTEADO
PIONEIRA
(1964)
R$ 7,00



FICADAS E FICANTES
ANGÉLICA LOPES
ROCCO
(2010)
R$ 5,00



MICROECONOMIA EM AÇÃO
GODOI, ALEXANDRA STROMMER DE FARIAS , CAVALIERI, CLÁUDIA HELENA , FERNANDES, GUSTAVO ANDREY DE ALMEIDA LOPES , SERGIO, GOLDBAUM
EDITORA ÉVORA
(2018)
R$ 130,00



ANUÁRIO ESPERANTISTA 1967
VÁRIOS
COOPERATIVA CULTURAL DOS ESPERANTISTAS
(1967)
R$ 8,00



AGNUS DEI
JU COSTA
JULIANA COSTA
(2012)
R$ 29,00



CREDO CATTOLICO CREDO PROTESTANTE
J. FRANCIS & J. FALLON
PAULINE
(1957)
R$ 79,02



A SAGRADA FAMÍLIA
MARX & ENGELS
MORAES
(1987)
R$ 25,00





busca | avançada
63818 visitas/dia
2,2 milhões/mês