A dança das décadas | Pilar Fazito | Digestivo Cultural

busca | avançada
47273 visitas/dia
1,3 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
>>> Banco Inter É uma BOLHA???
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Vida Virtual? Quase 10 anos de Digestivo
>>> Sombras Persas (X)
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
>>> Atmosphere
>>> O Segredo do Vovô Coelhão
>>> Separações é Amores II
>>> 10 de Abril #digestivo10anos
>>> Não presta, mas vá ver
>>> Sobre o Jabá
>>> Crise da Democracia
Mais Recentes
>>> A Hora Do Amor de Christopher Palmer pela Artenova (1971)
>>> Moderna Plus - Quimica 1 - Quimica Na Abordagem Do Cotidiano *Parte I* de Tito Canto pela Moderna (2009)
>>> Matemática Ensino Fundamental 9º Ano - Guia Didatico *Para Viver Juntos* de Carlos N C De Oliveira Felipe Fugita pela Sm (2008)
>>> Geografia 6 - Ensino Fundamental - Guia Didático Para Viver Juntos de Fernando Dos Santos Sampaio pela Sm (2014)
>>> Challenge 1 Book B- Reach Out Series - Yes! de Aline Carvalho E Outros pela Nova Aliança (2012)
>>> 2º Estagio - Matemática - 1º Semestre de Mara Suplicy Vieira Teixeira pela Prontidão (1993)
>>> 1º Estágio - Matemática - 2º Semestre de Mara Suplicy Vieira Teixeira pela Prontidão (1993)
>>> 1º Estágio - Matemática - 1º Semestre de Mara Suplicy Vieira Teixeira pela Prontidão (1993)
>>> Sul da Bahia: Chão de Cacau( Uma Civilização Regional) de Adonias Filho pela Bertrand Brasil (2007)
>>> Sexo Na Cabeça Como O Cerebro Influencia O Amor, O Desejo e Os Relacionamentos de Kayt Sukel pela Zahar (2013)
>>> Sê Tu Uma Benção No Lar de Bispa Franciléia Oliveira pela Mundial
>>> Nunca Faça A Primeira Oferta de Donald Dell pela Campus (2010)
>>> Maldita Morte Romance de Fernando Royuela pela Bertrand Brasil (2005)
>>> Info Exame- Guia Do Video de Airton Lopes (Edição) pela Abril (2006)
>>> Chuva de Outono de Barry Eisler pela Rocco (2003)
>>> Balé da Utopia 2ª Edição de Álvaro Caldas pela Garamond (2006)
>>> Querer Poder Conjugar Guia de Conjugação Verbal de Paulo Aragão pela Imprensa Oficial (2001)
>>> O Monge e O Executivo de James C Hunter pela Sextante (2004)
>>> Caderno Pet Engenharia Mecânicavolume 1 de Fabiana Rodrigues Leta E Marcia M Pimenta Velloso pela Uff (2012)
>>> Biossegurança de Ogm-Uma Visão Integrada Vol. 1 de Marco Antonio F Da Costa & Maria De Fátima pela Publit (2009)
>>> Viii Concurso Municipal de Conto - Coletânea de Prêmio Prefeitura De Nitéroi pela Niterói Livros (2010)
>>> Tribunais Superiores Stf e Stj de Daniella F T Carvalho pela Espaço Juridico (2012)
>>> Seleta de Grégorio De Matos pela Pradense (2013)
>>> Revista Brasileira de Saúde Materno Infantil- Vol 10 Nº2 de João Guilherme Bezerra Alves(Ed) pela Grafica Liceu (2010)
>>> Quem É Vivo Sempre Aparece de Ronaldo Rogerio De Freitas Mourão pela Dp&A (1997)
>>> Processo Penal Para Concursos Vol Ii de Francisco Dirceu Barros pela Elsever (2009)
>>> Poesias Escolhidas de Armindo Trevisan pela Pradense (2011)
>>> Poesias Escolhidas de Armindo Trevisan pela Pradense (2011)
>>> Plt 169- Sociologia Geral e Jurídica de Sergio Cavalieri Filho Luciano Albino pela Forense (2007)
>>> Pense Jovem-O Mais Bem Guardado Segredo Para A Juventude Eterna de Tim Drake E Chris Middleton pela Ediouro (2009)
>>> Palavras Para A Salvação e A Vida Próspera de Bispo Josivaldo Batista pela Clássica (2012)
>>> Oups: O Mensageiro Do Planeta Coração de Lidia Maria Riba(Ed) pela V&R (2006)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2008)
>>> O Engenhoso Fidalgo - Dom Quixote de La Mancha de Miguel De Cervantes pela Pradense (2008)
>>> O Círculo Mágico de Susanna Tamaro pela Rocco (1999)
>>> Nas Asas Do Pensamentos - Trovas de Julieta Wendhausen De Carvalho Gomes pela Cbag (1989)
>>> Lendas Do Sul de Simões Lopes Neto pela Pradense (2011)
>>> Impugnação Ao Cumprimento da Sentença-Coleção Prof A Alvim 9 de Antonio Notariano pela Método (2002)
>>> Impugnação Ao Cumprimento da Sentença-Coleção Prof A Alvim 9 de Antonio Notariano pela Método (2002)
>>> História Ensino Médio 3ºano Manual Do Prof de Ser Protagonista pela Sm (2013)
>>> Estatuto Do Desarmamento de Acordo Com A Lei Nº10826/03 de César Dario Mariano Da Silva pela Forense (2005)
>>> Contos Reunidos de Machado De Assis pela Pradense (2008)
>>> Contos Gauchescos de Simões Lopes Neto pela Pradense (2011)
>>> Bravura Indômita de Charles Portis pela Alfaguara (2011)
>>> Bolinho de Feijão - 10 de Paulo Mendes Campos pela O Dia (1998)
>>> Antologia Poética de Fernando Pessoa pela Pradense (2014)
>>> Advogando Contra A Administração Pública de Marcelo Roque Anderson Maciel Ávila pela Destaque2000 (2000)
>>> Advogando Contra A Administração Pública de Marcelo Roque Anderson Maciel Ávila pela Destaque2000 (2000)
>>> A Arte da Guerra de Sun Tzu pela Pradense (2012)
>>> A Arte da Guerra de Sun Tzu pela Pradense (2012)
COLUNAS

Segunda-feira, 5/10/2009
A dança das décadas
Pilar Fazito

+ de 4100 Acessos
+ 2 Comentário(s)

Em mil-novecentos-e-refrigerante-com-rolha, a chegada aos trinta anos vinha com uma chacoalhada existencial, uma pausa para uma angustiada reflexão, já que a expectativa de vida não passava muito dos sessenta. Nesse tempo, os trinta marcavam um conjunto de metas que deveriam ter sido cumpridas até o dia do aniversário do sujeito: emprego sólido e bacana, marido ou mulher minimamente apresentáveis à sociedade, filhos pródigos, uma casa com uma cerca branca e um beagle correndo pelo jardim. Daí em diante, haveria mais trinta anos para ver os filhos crescerem e os netos nascerem. Já a aposentadoria era considerada a antessala da morte.

Hoje, a expectativa de vida beira os oitenta e quem chega aos trinta sente que mal saiu da adolescência. Ainda há uma pá de coisas a fazer e um monte de gente e lugar para conhecer antes de se dedicar à procriação e à perpetuação da espécie.

O fato é que a velhice é a última coisa que passa pela cabeça de um jovem de vinte anos e a penúltima que passa por quem está na casa dos trinta. Quando a gente começa a contabilizar o tempo das amizades em décadas, ou quando aquele primo que vimos nascer vem nos entregar o convite de formatura, parece que a nossa estrutura espaço-temporal sofre uma espécie de tilt. Mas a gente não dá muita bola para isso e continua a viver como se a imortalidade fizesse parte dos nossos super poderes.

Então, todo mundo começa a se casar e a gente começa a também contabilizar em décadas o tempo de exercício profissional e de fim de namoro. Na primavera, crianças nascem por todo lado, na proporção de um pimpolho para cada flor que brota na cidade; a gente se dá conta de que faz quase trinta anos que E.T. estreou no cinema e que, não, Belinas e Caravans não são mais carros seminovos.

Por mais que a gente tente ignorar que as moiras já fiaram mais de um terço do nosso novelo do tempo, estão todos lá: as moiras, as moscas e os relógios derretidos de Salvador Dalí; todo mundo celebrando a morte diária das nossas células.

Quem luta contra o tempo acaba caindo na patética resistência às mudanças. Não tem coisa mais fofa e engraçadinha do que um adolescente cabeludo, seja à moda riporonga, punk ou metaleira. Não tem coisa mais decadente do que manter esse "papel" depois dos trinta.

Mas a gente começa a sentir que o tempo está passando mesmo quando a força da gravidade faz sentir seus efeitos, jogando tudo no chão: cabelo, pele, músculos. Haja abdominal para manter tudo no lugar. Haja ginástica facial, Botox, colágeno... A preocupação com a celulite cede lugar às rugas, muitas delas causadas pelas juvenis preocupações com a celulite. Como se não bastassem as questões estéticas e fúteis, o corpo começa a dar sinais de disfunções estruturais: dá-lhe diabetes, hérnia de disco, hipertensão e toda a letra titânica do "Pulso ainda pulsa".

Há quatro anos carrego um disco lombar rompido, o qual carinhosamente chamo de Clotilde. Achei que essa hérnia merecia um nome, já que ela tem vontade própria. Ela não pode ser operada e, por isso, tivemos - ela e eu - que aprender a conviver de forma mais ou menos pacífica. Por duas vezes, entretanto, tivemos sérias desavenças e, em ambas, Clotilde ficou emburrada por um mês, negando-se a trabalhar, como sempre fez. Nesses casos, sou obrigada a ficar deitada no chão, rodeada de bolsas de água quente, travesseiros sob as pernas e à base de antiinflamatórios que irritam o estômago, fazem o cabelo cair, mas ao menos acalmam a raiva de Clotilde.

Na primeira vez em que isso me ocorreu, passou-me pela cabeça, por um certo momento, a estúpida ideia de que nunca mais andaria novamente. É que a gente só dá valor ao que tem depois que perde, mesmo que momentaneamente. E naquele instante foi duro perceber que eu não estava cuidando da minha coluna como deveria. Só depois de arrebentar meu disco lombar é que passei a dar mais valor à minha capacidade de locomoção e à liberdade de ir e vir. Para piorar, do chão eu observava meus sobrinhos entrarem correndo pela casa e me perguntava onde eu havia deixado a minha elasticidade infantil, as estrelas, cambalhotas e as bananeiras que eu plantava encostada na parede.

Não é só um corpo que cai. Não sei bem o que acontece entre os 27 e os 33, mais especificamente, mas parece que no meio desses números inteiros aí a gente se parte. Em dois pedaços ou mais.

Aos 27, a gente não titubeia em aceitar um programa tosco de viagem "zero-oitocentos" pro carnaval de Salvador, dividindo com vinte e cinco amigos uma quitinete e um único banheiro com chuveiro frio. Quando tem água.

Aos 33, a gente pensa no que tem para fazer no dia seguinte, antes de cogitar qualquer saída para uma "balada". Aliás, a cama e o lar, de repente, ganham contornos muito mais convidativos do que a ideia de sair de casa, aturar um monte de gente bêbada, chegar em casa cansado e ainda ter que pagar por tudo isso. Uma boa noite de sono e a certeza de não ter olheiras pela manhã passam a ter um valor bem maior.

Os gostos mudam, as preocupações mudam, as conversas, idem. O papo, agora, é filho, marido/mulher, uma promoção, a troca do carro, a compra de um apartamento, a poupança, o plano de saúde, o plano odontológico, a viagem de férias, o tratamento estético e, se sobrar dinheiro..., "será que esse negócio de previdência privada vale mesmo a pena?"

Mas os 30 ainda não são os 40. E os 40 não são os 50. E os 50, definitivamente, não são os 60. A geração de hoje que tem mais de 60 parece rejuvenescer a cada dia. Do mesmo modo que um portal para outra dimensão etária se abre entre os 27 e os 33, parece que depois dos 60 a classe média encontra o caminho de volta. A lógica é outra: finalmente, os filhos estão crescidos, a casa já tá paga, a aposentadoria saiu e o sujeito não tem mais a necessidade de "engolir sapos" ou de ouvir calado a disparates de quem quer que seja.

É bem verdade que os remédios e tratamentos são mais caros e a saúde já não permite fazer tantas estripulias - embora eu conheça e inveje uma senhora de 90 que até os 87 andava sozinha de jetski. Mas o fato é que os pós-sessentanos andam muito saidinhos e os programas da terceira idade de clubes, associações e instituições chegam a ser mais animados do que muita noitada teen.

Enfim, ainda não sei como são os 40, 50 e 60 em diante, mas já deu pra saber que o tempo passa para todos. E embora essa assertiva faça parte do senso comum e, portanto, não traz nada de novo para o desenvolvimento da humanidade, rende algumas crônicas, além de despertar reflexões periódicas sobre os nossos projetos de vida. Nessas ocasiões, a gente tem a oportunidade de reconhecer o valor das escolhas que fizemos. E depois que a melancolia do saudosismo passa, a gente acaba empolgando e perguntando "tem mais?"


Pilar Fazito
Belo Horizonte, 5/10/2009


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Passe Livre, FdE e Black Blocs - enquanto Mídia de Duanne Ribeiro
02. O fim do livro, não do mundo de Marta Barcellos
03. A realidade, na verdade, é mentira de Ivan Bilheiro
04. As cores de Pamuk de Wellington Machado
05. Poesia sem ancoradouro: Ana Martins Marques de Jardel Dias Cavalcanti


Mais Pilar Fazito
Mais Acessadas de Pilar Fazito em 2009
01. Leis de incentivo e a publicação independente - 5/1/2009
02. O tamanho do balde - 2/11/2009
03. @mores bizarros - 6/4/2009
04. Guerra dos sexos: será o fim? - 1/6/2009
05. Plantar bananeira, assoviar e chupar cana - 20/7/2009


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
21/10/2009
20h48min
Muito bom seu texto, Pilar! Engraçado que, com o passar dos anos, ficamos cada vez mais questionadores de tudo o que acontece, talvez porque passamos a contabilizar o quanto falta, e geralmente quando vamos nos aproximando de uma suposta metade. O desafio é justamente esse: achar graça e tirar um sarro daquilo que cada vez mais não parece fazer sentido lógico. Parabéns. Um grande abraço!
[Leia outros Comentários de aluizio]
13/10/2010
04h34min
A vida é uma eterna dança.Dançaremos hoje e seremos o ridículo de amnhã.Mas até andar é dançar.
[Leia outros Comentários de Manoel Messias Perei]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




WOLVERINE Nº 92 - OUTUBRO / 99 - MAVERICK - UM RIVAL À ALTURA!
MARVEL COMICS
ABRIL
(1999)
R$ 7,00



AVENTURAS HISTÓRIA MAÇONARIA - 4125
DIVERSOS
ABRIL
(2008)
R$ 10,00



EVIDÊNCIAS DA VIDA APÓS A MORTE
JEFFREY LONG, PAUL PERRY
LAROUSSE
(2010)
R$ 28,00



AGOSTO NO CAIRO 1956
URBANO TAVARES RODRIGUES
INSTITUTO CAMÕES
(1999)
R$ 18,70



O MODELO DE MEDO E RAIVA - 6312
DIOGO LARA
REVOLUÇAO DE IDEIAS
(2006)
R$ 12,00



CURSOS MONOGRAFICOS: VOLUMEN III
ACADEMIA INTERAMERICANA DE DERECHO
LA HABANA
(1953)
R$ 25,00



A VIDA SECRETA DE JONAS
LUIZ GALDINO
ATICA
(1989)
R$ 7,00



MANUAL DE CIÊNCIA DAS FINANÇAS
ALBERTO DEODATO
SARAIVA
(1984)
R$ 49,90
+ frete grátis



CARLOS DRUMOND DE ANDRADE
RITA DE CASSIA BARBOSA
LITERATURA COMENTADA
(1980)
R$ 19,90
+ frete grátis



CURSO DE DIREITO COMERCIAL VOL 2
RUBENS REQUIÃO
SARAIVA
(1995)
R$ 35,91
+ frete grátis





busca | avançada
47273 visitas/dia
1,3 milhão/mês