Tristes junhos | Marcelo Barbão | Digestivo Cultural

busca | avançada
42220 visitas/dia
1,3 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
COLUNAS

Terça-feira, 21/1/2003
Tristes junhos
Marcelo Barbão

+ de 2400 Acessos

Há dois temas recorrentes na nova literatura argentina: a sangrenta ditadura militar que arrasou toda uma geração e a crise que deu ao país níveis nunca antes vistos de pobreza.

A ditadura "depurou" milhares de jovens universitários, professores e intelectuais. Nos anos 80, milhares de livros foram escritos sobre esse período. Contando histórias de militantes, fazendo levantamento histórico ou sociológico, a ditadura foi devidamente documentada. E, ao contrário da nossa ditadura, em geral já sepultada na mente dos brasileiros, os argentinos ainda não podem enterrar seus mortos e limpar suas feridas. São 30 mil desaparecidos, algo um pouco demais para "deixar para lá".

Mais recentemente, surgiram novos escritores que eram crianças naquele tempo sombrio. Assim, suas visões, mesmo quando militantes, tentam perceber novos sentidos para o que ocorreu.

E, de vez em quando, belas histórias podem surgir como o livro Dos Veces Junio, de Martín Kohan que optou por contar a ditadura pela visão de um simples conscrito, cuja função é a de assessorar um médico. Ocorre que os médicos, neste momento, são personagens-chave para a ditadura. São eles que dizem aos torturadores os limites dos prisioneiros (claro, quando vale a pena mantê-los em busca de novas informações).

O livro de Kohan faz uma narrativa que junta dois junhos especialmente importantes para os argentinos: o de 78, quando a conquista do primeiro Mundial servia para esconder os gritos de tortura que emanavam dos porões; e o de 82, quando o país sofria a mais vergonhosa derrota militar da sua história, depois da aventura das Malvinas. Aliás, esta resenha, sem querer foi escrita na mesma semana em que o "autor" desta barbaridade faleceu, o general Leopoldo Galtieri. Não há motivos para lágrimas.

No livro, o jovem soldado precisa encontrar o Doutor Mesiano. Era urgente encontrá-lo, afinal as autoridades superiores precisam de uma resposta a um questionamento essencial para a segurança da nação. O soldado, assessor e motorista parte então em busca do médico. Triste porque o médico abandonou o batalhão sem ele e sem falar para onde ia.

Mas,toda Buenos Aires converge naquele dia para somente um lugar: o estádio de futebol. Em plena Copa do Mundo, onde a Argentina é favorita (aliás, segundo as más línguas, foi um grande golpe de marketing contra os inimigos da ditadura), a derrota vem no jogo contra a Itália.

Esperando do lado de fora, o soldado comunica ao Dr. Mesiano a pergunta tão importante: "a partir de que idade se pode começar a torturar uma criança?". O que ele não conta ao médico é que já havia respondido esta pergunta momentos antes, quando questionado por seu sargento: "A partir do momento em que a Pátria tenha necessidade".

Assim, como uma questão filosófica, como um jogo de adivinhação, esta pergunta ressoa pelos corredores silenciosos e limpos dos porões, onde o soldado consegue ouvir alguns sussurros vindos dos torturados. Deixado sozinho, enquanto o doutor resolve este problema técnico, por baixo das portas, entre o cimento gelado, este conscrito ouve coisas que preferia nem saber que existe. São vozes que repetem algo que ele sabe ser verdadeiro mas, ao mesmo tempo, não quer lembrar: "Você não é um deles". Até que responde, aos gritos: "E como, caralho, você sabe quem sou eu, sua cadela filha da puta?". Reação natural de alguém com medo ou rito de passagem para se tornar um deles?

A pergunta que o Dr. Mesiano precisa responder, leva a outra ferida argentina ainda não fechada: os filhos dos desaparecidos. Os torturadores querem usar o bebê recém-nascido para obrigar a mãe a falar. O bebê acaba adotado pela família do médico.

Kohan usa de ironia e metáforas para reconstruir a ideologia por trás do militarismo, dando voz a personagens menores, tentando mostrar como não existe nunca uma visão geral das situações e como os grandes quebra-cabeças são montados a partir de pequenas peças.

Martin Kohan é professor de Literatura na Universidade de Buenos Aires. Este é seu quarto romance.

Para ir além
Dos veces junio
Martin Kohan
Editorial Sudamericana
189 páginas


Marcelo Barbão
São Paulo, 21/1/2003


Mais Marcelo Barbão
Mais Acessadas de Marcelo Barbão em 2003
01. Literatura e cinema na obra de Skármeta - 13/5/2003
02. Biblioteca básica latino-americana - 22/10/2003
03. Outro fim de mundo é possível - 11/2/2003
04. Os cyberpunks e o futuro - 9/9/2003
05. Marcos Rey e a Idade de Ouro - 15/7/2003


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




O DEGRAU
EVELYN MELLO
TODAS AS MUSAS
(2019)
R$ 35,00
+ frete grátis



DEUS - ELE EXIS TE? ONDE SE ENCONTRA? QUAIS SÃO E ONDE ESTÃO SUAS LEIS?
ORSON PETER CARRARA
MYTHOS
(2013)
R$ 12,90



DESCOBRINDO O BRASIL
JUCA BRASILEIRO
MELHORAMENTOS
(2008)
R$ 12,90



MODERNA PLUS FÍSICA 2 - 10ª ED ALUNO COMPLETO
RAMALHO
MODERNA
(2014)
R$ 19,90



A DERRAMA CONTEMPORÂNEA - E A QUESTÃO DO IMPOSTO ÚNICO
FLÁVIO ROCHA
TOPBOOKS
(1992)
R$ 36,65
+ frete grátis



VIVIR, AMAR Y APRENDER
LEO BUSCAGLIA
EMECÉ
(1984)
R$ 5,00



O MAIOR VENDEDOR DO MUNDO
OG MANDINO
RECORD
(1968)
R$ 22,50



CLEFS POUR LE STRUCTURALISME
JEAN MARIE AUZIAS
SEGHERS
(1971)
R$ 9,82



CAMINHOS DO BOI
CANDIDA GANCHO/VERA TOLEDO
MODERNA
R$ 10,00



NOVO TESTAMENTO
METODISTA
VIDA NOVA
(2006)
R$ 25,00
+ frete grátis





busca | avançada
42220 visitas/dia
1,3 milhão/mês