Conversas de Mandela Consigo | Enzo Menezes | Digestivo Cultural

busca | avançada
31843 visitas/dia
1,0 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
>>> Leminski, estações da poesia, por R. G. Lopes
>>> Crônica em sustenido
>>> Do inferno ao céu
>>> Meninos, eu vi o Bolsonaro aterrando
>>> Manual para revisores novatos
>>> A Copa, o Mundo, é das mulheres
Colunistas
Últimos Posts
>>> 100 nomes da edição no Brasil
>>> Eu ganhei tanta coisa perdendo
>>> Toda forma de amor
>>> Harvard: o que não se aprende
>>> Pedro Cardoso em #Provocações
>>> Homenagem a Paulo Francis
>>> Arte, cultura e democracia
>>> Mirage, um livro gratuito
>>> Lançamento de livro
>>> Jornada Escrita por Mulheres
Últimos Posts
>>> João Gilberto: o mito
>>> Alma em flor
>>> A mão & a luva
>>> Pesos & Contra-pesos
>>> Grito primal II
>>> Calcanhar de Aquiles
>>> O encanto literário da poesia
>>> Expressão básica II
>>> Expressão básica
>>> Minha terra, a natureza viva.
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Cinema é filosofia
>>> Quem é (e o que faz) Julio Daio Borges
>>> Mulher no comando do país! E agora?
>>> YouTube, lá vou eu
>>> YouTube, lá vou eu
>>> Bar azul - a fotografia de Luiz Braga
>>> Eu + Você = ?
>>> Virtudes e pecados (lavoura arcaica)
>>> Pela estrada afora
>>> A vida sem computador
Mais Recentes
>>> Coleção Os Pensadores de Vários pela Abril Cultural (1973)
>>> Passando a Limpo: a Trajetória de um Farsante: História Completa... de Pedro Collor de Mello/ Coord. Dora Kramer pela Record (1993)
>>> Passando a Limpo: a Trajetória de um Farsante: História Completa... de Pedro Collor de Mello/ Coord. Dora Kramer pela Record (1993)
>>> Um Diplomata da Regeneração - O 1º Conde de Villa Franca do Campo de Fernando Abecassis pela Tribuna da Historia (2007)
>>> Inspeção do Trabalho de Nelson Mannrich pela LTr (1991)
>>> Jurupari - Estudos de Mitologia Brasileira de Silvia Maria S. de Carvalho pela Ática (1979)
>>> Sport in the 21st Century de John Mehaffey & Reuters pela Thames & Hudson (2007)
>>> Matemática para economistas de Alpha Chiang pela Unesp (1982)
>>> Memórias do cárcere 3º volume Colônia Correlaccional de Graciliano Ramos pela José Olympio (1954)
>>> As hortaliças na medicina doméstica de A. Balbach pela Edel
>>> Caderno de teses vol.2 28ºCongresso Nacional procuradores Estado de Helena Maria Silva Coelho pela Metropole industria gráfica ltda (2002)
>>> Casais Inteligentes Enriquecem Juntos de Gustavo Cerbasi pela Gente/ SP. (2004)
>>> Ordem Juridico-econômica e trabalho de Ricardo Antonio Lucas Camargo pela Sergio antonio fabris (1998)
>>> Capo Verde. Una storia lunga dieci isole de Marzio Marzot & Maria de Lourdes de Jesus et alii pela D'Anselmi (1989)
>>> Investimentos Inteligentes: Para Conquistar e Multiplicar o seu Primeiro Milhão de Gustavo Cerbasi pela Thomas Nelson do Brasil (2008)
>>> Esquecidos e Renascidos - Historiografia Acadêmica Luso-americana de Iris Kantor pela Hucitec (2004)
>>> Nova York anos 40 de Andreas Feininger pela Museu Lazar Segall (2011)
>>> O Intelectual e o Poder de Eduardo Portella pela Tempo Brasileiro/ RJ. (1983)
>>> Indivíduo e Cosmos na Filosofia do Renascimento de Ernest Cassirer pela Martins Fontes (2001)
>>> Fundamentos Culturales de Civilizacion Industrial de John U. Nef pela Editorial Paidós/ Buenos Aires (1964)
>>> Noções Preliminares de Direito Previdenciário de Wagner Balera pela Quartier Latin (2004)
>>> Salvador Negro Amor de Sérgio Guerra pela Maianga (2007)
>>> Ensaios de Biologia Social - Encadernado de Josué de Castro pela Brasiliense/ SP (1957)
>>> A imprensa na História do Brasil & Fotojornalismo no século XX de Oswaldo Munteal & Larissa Grandi pela Desiderata/PUC (2005)
>>> Roteiro de Macunaíma (Encadernação de Luxo) de M. Cavalcanti Proença/ Autografado pela Ahembi/ SP. (1955)
>>> Alferes Teófilo Olegário de Brito Guerra -Um Memorialista Esquecido de Raimundo Soares de Brito pela Coleção Mossoroense (1980)
>>> HQ Os Grandes Inimigos do Mandrake Nº 2 + A Volta do Camelo de Barro de Lee Falk pela Globo (1989)
>>> Lugar de Fala de Djamila Ribeiro pela Polen (2019)
>>> Administração Financeira Internacional de David K. Eiteman, ArthurStonehill, e Michael Moffett pela Bookman (2002)
>>> HQ Os Grandes Inimigos do Mandrake Nº 1 + o Retorno do Cobra de Lee Falk pela Ebal (1989)
>>> História da Literatura Portuguesa/ Encadernado de Antonio José Saraiva e Oscar Lopes pela Porto Ed.
>>> Cortez -A Saga de Um sonhador de Teresa Sales -Goimar Dantas pela Cortez (2010)
>>> HQ Os grandes inimigos do Mandrake Nº 4 + Os Oito Tentáculos da Morte de Lee Falk pela Ebal (1989)
>>> HQ Rastros de ódio - Revista Cinemin Nostalgia 3 de Diversos Autores pela Ebal (1989)
>>> Regulamento do ICMS do Rio de Janeiro de Ana Cristina Martins Pereira pela Lex (2006)
>>> A cidade do sol de Khaled Hosseini pela Nova froteira (2007)
>>> HQ Revistsa Elipse nº 1 + Crepúsculo dos Super-heróis de David Campiti & Kevin Juaire & Bart Sears pela Ebal (1992)
>>> Cinquenta tons mais escuros de E L James pela Intrínseca (2012)
>>> As mil e uma noites- os corações desumanos de René Khawam pela Brasiliense (1991)
>>> HQ Quem foi? Os prisioneiros de Sulma de Diversos Autores pela Ebal (1982)
>>> Autoritarismo e Participação Política da Mulher de Fanny Tabak pela Graal/ RJ. (1983)
>>> Cartas entre amigos - sobre os medos contemporâneos de Fábio de melo e Gabriel chalita pela Ediouro (2009)
>>> A Civilização Romana de Pierre Grimal pela Edições 70 (2001)
>>> Centenário de José Bezerra Gomes de Joabel R. de Souza pela Fcjbg (2011)
>>> Alienação na Univesidade - a Crise dos Anos 80 de Paulo L. Hoffmann pela Edit. da UFSC (1985)
>>> O castelo da intriga de Paulo Stewart pela Scipicione (1996)
>>> No Tempo dos Faraós (Crianças Na História) de Ginette Hoffmann - Françoise Lebrun pela Scipione (1993)
>>> No Tempo dos Faraós (Crianças Na História) de Ginette Hoffmann - Françoise Lebrun pela Scipione (1996)
>>> As asas do joel de Walcir Carrasco pela Quinteto Editorial (2019)
>>> No Tempo dos Faraós (Crianças Na História) de Ginette Hoffmann - Françoise Lebrun pela Scipione (1998)
COLUNAS

Quarta-feira, 1/6/2011
Conversas de Mandela Consigo
Enzo Menezes

+ de 4200 Acessos

Pensar no homem além da lenda. Apesar da figura mítica criada ao redor de seu nome. Essa é a proposta de Conversas que Tive Comigo, de Nelson Mandela, composto por cartas e entrevistas do líder sul-africano com parentes, amigos e, sobretudo, consigo. Diários e cadernos mantidos durante os 27 anos em que esteve preso por discordar do apartheid. Organizado pela Fundação que leva seu nome e com prefácio de Barack Obama, traz farto material nunca antes divulgado.

O acervo de biografias, reportagens e ensaios publicado sobre Mandela desde sua prisão (1962) e, sobretudo após a libertação (1990) e a chegada à Presidência da África do Sul (1994) compõe uma colcha costurada pelo perfil de um dos políticos mais influentes do século XX. Ativista, prisioneiro, presidente, Nobel da Paz, líder inspirador ao redor do planeta. Histórias bastante exploradas e conhecidas que, na medida do possível, são evitadas em Conversas que Tive Comigo. A pretensão do livro é construir o perfil do Homem Mandela acima de qualquer honraria. Antes de qualquer honraria. Para a tarefa, nada mais justo que a utilização de documentos pessoais ― muitos dados como perdidos por causa da censura na prisão e guardados por décadas ― como cartas, calendários, anotações de diários e cadernos. Como avisa a introdução, não será retratado o Mandela dos discursos nem no atendimento às expectativas do público. Apenas um homem como qualquer outro e sua correspondência pessoal ― ou o já divulgado pelo serviço secreto sobre ela.

Um problema apresentado pelo volume é a falta de contextualização histórica em diversas passagens. Cartas e documentos não seguem sempre ordem cronológica, às vezes não se conectam nem mesmo por assunto e respostas às solicitações do prisioneiro são desconhecidas pelo leitor. Para não perder o foco na correspondência pessoal, acontecimentos políticos não são devidamente explicados, o que faz com o que o leitor menos acostumado à biografia de Mandela se perca em algumas passagens. Problema parcialmente solucionado na abertura de cada capítulo, quando há textos introdutórios do editor ― essenciais ao entendimento ― caracterizando o momento histórico e dando destaque a informações de sua família.

Boa parte das cartas contidas no livro sequer chegaram aos destinos. Algumas só foram divulgadas depois que Mandela ascendeu à presidência, outras permaneceram arquivadas e só foram conhecidas pelos organizadores da Fundação Nelson Mandela durante a seleção de material para o volume. Há ainda material não divulgado e, muitas, com certeza, foram destruídas logo que saíram das mãos do ex-prisioneiro. Não há uma catalogação dos escritos, mesmo com o trabalho da Fundação responsável por isso, o que dificultou a edição do material e fragmenta a leitura do livro.

São apresentados trechos da intimidade de um homem surpreendentemente sóbrio. Um líder carismático avesso aos discursos inflamados, que preferia a sensatez e a fala calma para transmitir confiança ao público. Mesmo isolado e sujeito às humilhações da cadeia, e consciente de que fora condenado à prisão perpétua, procurou transmitir segurança em seus princípios sem alimentar vingança contra o opressor. Desconcerta pensar em um jovem casal― Nelson e Winnie separado por cartas censuradas, ternura nutrida à distância. Esforços dos dois em nome da luta pela igualdade para o povo, mesmo que isso significasse, quase sempre, privações à própria família. Desconcerta também descobrir que eles permaneceram juntos enquanto separados fisicamente e se divorciaram quando Mandela foi libertado, 28 anos depois. Ele se recusa a detalhar os motivos da separação nas entrevistas que compõem a biografia.

O trabalho árduo na pedreira da prisão na Ilha de Robben era acompanhado por cantos de liberdade proibidos para os homens submetidos aos trabalhos forçados. Proibidos porque davam força e motivo de orgulho para os encarcerados. Canções ainda hoje polemizadas na África do Sul pós-apartheid ― vide a repercussão ao comentário de Bono Vox em fevereiro deste ano sobre uma canção que incentivava a morte de fazendeiros africânderes, brancos ― como prova de uma legalidade de direitos civis ainda não sedimentada no quesito cultural. Afinal, são menos de duas décadas de liberdade frente a séculos de dominação branca, da colonização europeia à ascensão dos bôeres.

De acordo com uma carta escrita a Winnie em 1975, Mandela dedicava 15 minutos à meditação diária, como meio de exercício espiritual. A introspecção seria importante para pensar na própria mesquinhez como ser humano, nas fraquezas provocadas pela vaidade e ambição e em maneiras para superar tal condição. Os fundamentos da vida espiritual, segundo Mandela, "honestidade, sinceridade, simplicidade, humildade, generosidade pura, ausência de vaidade, disposição para ajudar os outros" (pág. 207) seriam "qualidades facilmente alcançáveis por todos", se pararmos de medir o sucesso por fatores como riqueza e ascensão social e nos concentrarmos na introspecção que desenvolvesse questões abstratas no íntimo do ser.

Poucos têm conhecimento de Mandela como um homem culto, desde a juventude, apesar da pobreza. Gostava de citar passagens do teatro grego, estudou latim e devorava literatura de guerra. Por isso, cada uma das quatro partes do livro é dividida com os nomes e gêneros dos estilos clássicos: pastoral, épico, trágico e tragicômico. Como em uma sinfonia. Momentos distintos no espectro da existência. Por falar em escritos sobre guerras e guerrilhas, alimentou esse interesse quando comandou o Umkhonto we Sizwe ― braço armado do Congresso Nacional Africano (CNA), partido que integrou desde a juventude e pelo qual foi eleito presidente décadas depois.

Nelson Mandela sempre teve plena consciência da aura mítica criada em torno de sua personalidade. E se esforçou para desconstruir tal conceito, talvez por medo de se tornar uma estátua da igualdade e uma bandeira dos direitos, e não apenas um homem que lutou por ideais concretos. Por receio de que o mundo recitasse a lenda e se esquecesse da carne e do sangue que moveram a consciência, insiste em afirmar sua condição humana e negar qualquer pretensão de santidade. Em mais de uma ocasião, avisa ao interlocutor que "um santo é um pecador que continua tentando ser limpo". Não é alguém que nunca tenha errado e que paire acima dos semelhantes com um olhar repreensivo, mas um ser que se esforça para superar os próprios erros, inerentes à existência humana.

"Na vida real lidamos não com deuses, mas com seres humanos comuns, como nós mesmos: homens e mulheres cheios de contradições(...). O aspecto no qual a pessoa se concentra para julgar outras depende do seu caráter em particular. Quando julgamos outras pessoas, também estamos sendo julgados por elas(...). Um realista, por mais chocado e desapontado que esteja com as fragilidades das pessoas a quem adora, irá olhar para o comportamento humano de todos os lados de forma objetiva e se concentrará nas qualidades edificantes da pessoa, aquelas que elevam o espírito e despertam o entusiasmo pela vida(...)".

Prefere negar o mito para lembrar que, enfim, há uma corrente sanguínea, um intelecto, o peso das decisões e dos erros antes de qualquer imagem mítica que o mundo possa construir de seus feitos.

Para ir além






Enzo Menezes
Belo Horizonte, 1/6/2011


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Em defesa da arte urbana nos muros de Fabio Gomes
02. Precisa-se de empregada feia. Bem feia. de Yuri Vieira
03. A literatura, a internet e um papo com Alex Castro de Luis Eduardo Matta
04. Dicionário de Nomes Próprios, de Amélie Nothomb de Ricardo de Mattos


Mais Enzo Menezes
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




UM IR E VIR COTIDIANO
SIVA BIANCHI
NOVAS EDIÇÕES ACADÊMICAS
R$ 349,00



TRAÍDA SÉRIE HOUSE OF NIGHT - LIVRO 02 8898
P C CAST E KRISTIN CAST
NOVO SÉCULO
(2009)
R$ 10,00



OSTEOPOROSE
M. A. DAMBACHER E E. SCHATCHT
ALFAD
R$ 9,00



MANEJO REPRODUTIVO DE OVINOS DE CORTE (NAS REGIÕES CENTRO-OESTE, NORTE E SUDESTE DO BRASIL)
AURORA MARIA GUIMARÃES GOUVEIA CLÁUDIO JOSÉ BORELA ESPESCHIT E SILVIA LETICIA TARTARI
LK
R$ 63,00



TRAVESSIA REPORTAGEM SOBRE O SERTÃO DE GUIMARÃES ROSA
JULIANA SIMONETTI
LINC
(2010)
R$ 35,00
+ frete grátis



O LIVRO DOS MILAGRES
KEVIN BELMONTE
THOMAS NELSON BRASIL
(2015)
R$ 36,00



POIROT INVESTIGA
AGATHA CHRISTIE
RECORD
(2001)
R$ 10,00



LOVE KISS
GILBERT OAKLEY
DIAMOND STAR
(1970)
R$ 19,82



O GUIA OFICIAL DO CLUB PENGUIN VOL 1
DISNEY
MELHORAMENTOS
(2011)
R$ 4,00



DIREITO PENAL CONCRETO
ANTÔNIO JOSÉ MIGUEL FEU ROSA
CONSULEX
(1992)
R$ 26,82





busca | avançada
31843 visitas/dia
1,0 milhão/mês