Escrevendo com o inimigo | Ana Elisa Ribeiro | Digestivo Cultural

busca | avançada
49722 visitas/dia
2,6 milhões/mês
Mais Recentes
>>> TOGETHER WE RISE TRAZ UMA HOMENAGEM ÀS PESSOAS QUE FIZERAM PARTE DA HISTÓRIA DO GREEN VALLEY
>>> Instituto Vox realiza debate aberto sobre o livro O Discurso da Estupidez'
>>> A Arte de Amar: curso online desvenda o amor a partir de sua representação na arte e filosofia
>>> Consuelo de Paula e João Arruda lançam o CD Beira de Folha
>>> Festival Folclórico de Etnias realiza sua primeira edição online
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> A desgraça de ser escritor
>>> Um nu “escandaloso” de Eduardo Sívori
>>> Um grande romance para leitores de... poesia
>>> Filmes de guerra, de outro jeito
>>> Meu reino por uma webcam
>>> Quincas Borba: um dia de cão (Fuvest)
>>> Pílulas Poéticas para uma quarentena
>>> Ficção e previsões para um futuro qualquer
>>> Freud explica
>>> Alma indígena minha
Colunistas
Últimos Posts
>>> Uma aula com Thiago Salomão do Stock Pickers
>>> MercadoLivre, a maior empresa da América Latina
>>> Víkingur Ólafsson toca Rameau
>>> Philip Glass tocando Mad Rush
>>> Elena Landau e o liberalismo à brasileira
>>> O autoritarismo de Bolsonaro avança
>>> Prelúdio e Fuga em Mi Menor, BWV 855
>>> Blooks Resiste
>>> Ambulante teve 3 mil livros queimados
>>> Paul Lewis e a Sonata ao Luar
Últimos Posts
>>> Coincidência?
>>> Gabbeh
>>> Dos segredos do pão
>>> Diário de um desenhista
>>> Uma pedra no caminho...
>>> Sustentar-se
>>> Spiritus sanus
>>> Num piscar de olhos
>>> Sexy Shop
>>> Assinatura
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Nelson Freire em DVD e Celso Furtado na Amazônia
>>> Um caos de informações inúteis
>>> Asia de volta ao mapa
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Parei de fumar
>>> Ford e Eastwood: cineastas da (re)conciliação
>>> Amor à segunda vista
>>> O Gmail (e o E-mail)
>>> Diogo Salles no podcast Guide
Mais Recentes
>>> Estrelas Tortas - Infanto Juvenil de Walcyr Carrasco pela Moderna (2003)
>>> O Anjo Rouco - Infanto Juvenil de Paulo Venturelli pela Positivo (2010)
>>> Comunicação Global - Aumentando Sua Inteligência Interpessoal de Lair Ribeiro pela Rosa dos Tempos (1992)
>>> Dívida Externa, Recessão e Ajuste Estrutural de Diversos pela Paz e terra (1983)
>>> Apostila de Direito Comercial de Curso OAB pela Marcato (2005)
>>> A Cura Quântica de Deepak Chopra pela Best Seller (1989)
>>> Curso Teórico Prático do Processo Civil de José da Silva Pacheco pela Borsoi (1962)
>>> Lei dos registros públicos - Comentada de Walter Ceneviva pela Saraiva
>>> Petroladrões: a História do Saque à Petrobrás de Ivo Patarra pela Vide Editorial (2016)
>>> Novo - Código Civil Brasileiro de Auriverde pela Do Autor (2003)
>>> Tdd - Desenvolvimento Guiado Por Testes de Kent Beck pela Bookman (2010)
>>> O Canto do Dodô de David Quammen pela Companhia das Letras (2008)
>>> Financiamentos de Empresas - 25 princípios para captar dinheiro e crescer de Dileep Rao/Richard Cardozo pela Folha de S. Paulo (2003)
>>> Direito Administrativo e Ciência da Administração Direito vol. 3 l. 1 de J.G.Menengale pela Borsoi (1950)
>>> Direito Administrativo e Ciência da Administração Direitovol. 1 de J.G.Menengale pela Borsoi (1950)
>>> O andar do bêbado de Leonard Mlodinow pela Zahar (2009)
>>> A Ponte - Vida e Ascensão de Barack Obama de David Remnick pela Companhia das Letras (2010)
>>> Instituições de Direito Civil de Roberto de Ruggiero pela Saraiva (1958)
>>> Trabalho, Capital Mundial e Formação dos Trabalhadores de Antônia de Abreu e Sousa e Outros (org.) pela Ufc (2008)
>>> Feng Shui Para Harmonizar Seu Lar e Sua Vida de Pier Campadello pela Madras (1998)
>>> Mil Nomes de Deus de Eknath Easwaran pela Ece (1999)
>>> A Antiga Ciência e a Arte da Psicoterapia Prânica de Choa Kok Sui pela Ground (1991)
>>> Sexo, Drogas e Economia de Diane Coyle pela Futura (2003)
>>> Adventure Story de L. G. Alexander pela Longman (1987)
>>> terceiro Setor e Questão social Crítica ao Padrão emergente de intervenção social de Carlos Montaño pela Cortez (2008)
>>> Adventures With a Microscope de Richard Headstrom pela Dover (1977)
>>> O pensamento de Che Guevara de Michael Löwy pela Expressão Popular (1999)
>>> Dom Casmurro de Machado de Assis pela Record (1998)
>>> A Assustadora História da Medicina de Richard Gordon pela Prestígio (2002)
>>> Terapia Floral Bach Aplicada à Psicologia de Victor Kripper pela Gente (1992)
>>> Nova Adventures in Science de John Mansfield pela Addison Wesley (1983)
>>> Parsifal - Um Intelectual na Política de Luís Sérgio Santos pela Escrituras (2017)
>>> L'Adolescence Premier Livre de M. Delapalme pela Hachette (1914)
>>> Tardes de um Pintor Ou as Intrigas de um Jesuíta de Teixeira e Sousa pela Foco Letras (2020)
>>> Comunique-se melhor e Desenvolva sua memória de Jorge Luiz Brand pela Berthier (1999)
>>> Súmulas e Orientações Jurisprudenciais do TST Comentadas e organizadas por assunto de Élison Miessa dos Santos/Henrique Corrfeia pela Juspodivm (2012)
>>> ABZ do Amor de Inge e Sten Heleger pela Artenova (1979)
>>> Escala reduzida do Autoconceito - E.R.A. - de Lúcia Cerne G. Corona pela Cepa
>>> 150 Ways to Play Solitaire de Alphonse Moyse pela U S Playing Card Company
>>> Você tem Personalidade? de Pedro Bloch pela Bloch (1968)
>>> Saiba porque os cristãos devem guardar o sábado! de Antonio E.Marcondes pela Bfi
>>> 101 Segredos de Medicina Natural de Peron Autret pela Europa America (1975)
>>> 10 Anos Con Mafalda de Quino pela Lumen (1973)
>>> Globo Rural--Ele faz a terra dar de tudo de Editora globo pela Globo (1989)
>>> Lady gaga de Brandon hurst pela Madras (2010)
>>> Orientaçoes curriculares para o ensino medio--1--linguagens,codigos e tecnologias. de Mec pela Mec
>>> Vida silvestre:o estreito limiar entre preservaçao e destruiçao. de Coordenadora angela maria branco pela Dupligrafica (2007)
>>> Grandes imperios e civilizaçoes--frança--volumes:1 e 2. de Delprado pela Delprado
>>> Cerrado e pantanal--areas e açoes prioritarias para conservaçao da biodiversidade. de Ministerio do meio ambiente pela Mma (2007)
>>> Contabilidade - Escola de Administração Fazendária - ESAF de Ricardo J. Ferreira pela Ferreira (2014)
COLUNAS

Sexta-feira, 13/8/2010
Escrevendo com o inimigo
Ana Elisa Ribeiro

+ de 4300 Acessos
+ 5 Comentário(s)


LIANA TIMM© (http://timm.art.br/)

Passo a passo. Letrinha, sílaba, palavra e frase. Não passava muito daí enquanto a gente estava na escola. Texto, só na rua. É lá que as coisas acontecem com mais liberdade. Na escola era só a composição com tijolinhos, pouco cimento e muita areia. Parede dura demais dá trinca. Daí já se vislumbra o método. Acho que a gente começava a ler pelas letras, embora alguns amiguinhos da vizinhança aprendessem pelas palavras, ou algo assim. É como dizem os químicos: sintético e analítico. Mais ou menos isso.

Lá pelas tantas, alguém dizia que certas palavras eram como pontes que criavam articulações com outras, com parágrafos inteiros. E por falar neles, eram matéria de estudo durante infinitas semanas. O que é um parágrafo? Há quem diga que é um bloco de palavras e frases cercado por um branco de cada lado. Parágrafo americano, parágrafo francês. É quando se muda de assunto. Mais adiante, revelam que é quando mudam o ângulo ou o foco do assunto. Ah, meu Deus, como assim? Faça o que eu faço. Não adianta só prestar atenção ao que eu digo. Era assim que se aprendia a escrever. Mas e quando o professor não escreve? Aí o jeito é prestar atenção mesmo e anotar. Parágrafo é quando você abre uma endentação na primeira frase. Ponto e parágrafo. Na máquina de escrever, era feito com um toquinho a mais. Difícil era educar o olho para separar sílabas (coisa que não existe mais para crianças que usam editores de texto eletrônicos).

Será que se aprende mesmo a escrever? Ou depende muito mais de conhecimento tácito, operativo, procedimental ou seja lá o nome que isso tenha. Uma coisa é certa: ninguém nunca sabe a gramática normativa. Sabendo disso, é só relaxar. Mas há quem se dê bem com ela. Então é melhor fazer um esforço. Aprenda ao menos a procurar. No outdoor do aeroporto estava escrito: o que você acha depende muito do que você procura. Meu avô já dizia: assombração sabe para quem aparece.

Vamos lá: aprenda a escrever um parágrafo e seja feliz na vida acadêmica. Levamos uns doze anos para aprender e, quando chego na faculdade, uma professora dessas famosas me ensina que resumos acadêmicos não são feitos com parágrafos. Faz-se com apenas um blocão de texto em que se encontram dados como introdução, metodologia, resultados, discussão e conclusão do trabalho, tudo de roldão, de uma vez só, num único fôlego universitário. Que decepção. Agora que eu aprendi a abrir parágrafo, me desensinam. Mas fique calma, querida, é apenas para alguns gêneros de texto de circulação restrita a certa comunidade. Não é assim para todo mundo.

E aí me acomete aquela gana incrível de abrir um parágrafo. Um grande esforço é necessário para que eu atravesse esse desejo de articular melhor a leitura do meu estimado leitor ideal. O que ele vai pensar de mim? Que não sei sequer abrir parágrafo? Que tipo de escritor sou eu? Mas me disseram que esses leitores estão preparados para ler esta categoria de textos. Fico em paz.

Disseram também que os títulos devem resumir a ideia principal do texto. Lendo jornais de cinquenta centavos (ou menos), fico pensando muito nisso. Será? Pego acolá um livro do Verissimo (o cronista) para ler e lá estão todas as deslições de título que a escola não me deu. Títulos são elementos inteligentes de textos que querem ser mais do que apenas burocráticos. Aí um amigo querido me alerta: dance conforme a música. No vestibular, você usa aí os parágrafos e os títulos que aprendeu nas aulas do cursinho (estamos aqui, caro leitor, tratando de uma média, claro. Feliz é você se a carapuça não lhe serve). Na rua, em casa, no trabalho, você usa o que deve ser mesmo, conforme as interações, os gêneros e as necessidades vão ditando.

Já viu quantos tipos de A existem? Como é que se aprende isso? Haja memória. Como é que se desaprende apenas um formato das coisas? Ainda bem que o cérebro é flexível como borracha. Pena que não seja bonitinho. Palavra, sílaba, letra. De que se faz um bom texto? De regras, me diria o bom aluno. Decore aí: não se separa o sujeito do verbo (que diz respeito a esse sujeito, claro). Copiou? Pois escreva aí o que estou lhe dizendo, se quiser conservar seus pontos na caderneta (ou no sistema on-line). Não separe o sujeito do que ele fez. E por que insistes? Porque algum dia lhe disseram que a vírgula se coloca "onde a gente respira". Santa madre. Pois respire diferente. Trate de não respirar tanto assim. Respire como se caminhasse na esteira. Não suba escadarias antes de escrever. Torça para que sua redação de vestibular seja feita no andar térreo. Desaprenda. As vírgulas têm lugar lógico (na maioria das vezes) para acontecer. Um amigo trafica uma informação: use de menos que a chance de acertar é maior. Ah, é? Eu sei que isso é certo para o emprego de "isso" e "isto". Quando é que você usou "isto"? Decore aquelas explicações sobre distância do interlocutor, mais perto, mais longe, acolá. Encene isso por aí. Depois faça as contas.

Escrever sozinho dá nisso. E escrever com coautores? Escrever em parceria. Isso existe? Claro que sim. Só que é mais difícil do que achar parceiro no amor. Você se casa umas quatro vezes enquanto arranja apenas meio coautor de verdade. E é necessário permitir que mexam muito nas suas gavetas. Tanto o marido/a esposa quanto o coautor. Mas vai que dá certo? Para isso, é preciso aprender e desaprender juntos.


Ana Elisa Ribeiro
Belo Horizonte, 13/8/2010


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Metallica e nostalgia de Luís Fernando Amâncio
02. Agora o mundo perde cotidianamente os seus ídolos de Guilherme Carvalhal
03. Sejamos multiplicadores de Fabio Gomes
04. Concurso literário, caminho para a publicação de Eugenia Zerbini
05. Retrato do Leitor enquanto Anotação de Duanne Ribeiro


Mais Ana Elisa Ribeiro
Mais Acessadas de Ana Elisa Ribeiro em 2010
01. O menino mais bonito do mundo - 29/1/2010
02. Por que a Geração Y vai mal no ENEM? - 30/7/2010
03. Meu querido Magiclick - 12/2/2010
04. Palavrão também é gente - 26/2/2010
05. Caçar em campo alheio ou como escrever crônicas - 11/6/2010


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
30/7/2010
16h14min
Depois de escrever "Caçar em campo alheio ou como escrever crônicas", você vem com esse texto, também sobre a escrita. Estaria a cronista se transformando em metacronista? Se assim for, que seja, porque está ótimo!
[Leia outros Comentários de Carlos Goettenauer]
14/8/2010
12h01min
Além de escrever livros, gosto de escrever frases. Uma delas, em especial, mostra o quanto o caminho das pedras pode ser feito com letras. Tire suas próprias conclusões. Criar frases como essa não é um exercício de academia. "Quando está amando, o homem é capaz de procurar flores no deserto; quanto é amado, consegue encontrá-las."
[Leia outros Comentários de ROBERTO ESCRITOR]
14/8/2010
17h51min
Escritor ou Literato? Qual dos dois é a pretensão? Escritor é aquele que escreve. Se alguém for podado porque não é um literato, não é um corretor de textos, então torne-se um PHD em literatura e não terá a qualidade necessária à inspiração que invade um escritor nato, um Poeta e sua emoção solta em pedaços, bem mais interessantes do que um modelo frio e calculista. Muita gente tem deixado de escrever exatamente por se achar sem condições para isto, mas teria tantas coisas para grafar em um papel... Que pena, deu ouvidos a quem não deveria. Pegue um original cheio de erros gramaticais, mas com conteúdo de um começo, meio e fim que já nasceram prontos e então leve para o acabamento de um professor doutor - corretor de textos! Se não, termos um outro Paulo Coelho será bem mais difícil e precisaremos ficar citando sempre os mesmos e poucos escritores fantásticos do passado... O passado foi, é importante como experiência, mas as Genialidades do futuro estão escrevendo hoje!
[Leia outros Comentários de Celito Medeiros]
15/8/2010
09h21min
Cada escritor tem um ritmo e uma gramática. Até os menos favorecidos de compreensão pela lingua pátria. Portanto, quem escreve é aquele que, antes de todas as rotinas e preâmbulos de fórmulas corretas, parágrafos e afins, tem o conteúdo, o sabor da aventura, da ficção e da compreensão do mundo ao seu redor. O leitor? Bem, ele tem, antes de mais nada, que entrar no ritmo de como o escritor o faz. Quando consegue, vislumbra se o mesmo tem ou não a criatividade que está procurando. Achou? Ótimo. Abra a mente e aprenda a compartilhar. E fale bem dele para outros. Os escritores precisam de quem os ame e aceite, podem acreditar. Os do passado, a palavra já o diz. Sejamos presentes nos atuais. Tem muito talento esperando por reconhecimento.
[Leia outros Comentários de Cilas Medi]
20/8/2010
15h45min
Quem é escritor, nasce escritor. Segundo já ouvi dizer, há nos EUA até escola para fabricar um escritor, ensinando a compor um texto, inventar personagens, elaborar a história etc. Ouvi dizer também que a moda anda pegando por aqui. Não adianta, é tudo bobagem. No entanto, não se pode admitir um pedreiro que não saiba lidar com a massa do cimento: como é que um escritor pode desconhecer seu idioma? É sua ferramenta de trabalho, é preciso conhecê-la bem. Para escrever bem é preciso conhecer o idioma e ler muito. Para ser um literato é preciso, além disso, ter uma coisa mágica que se chama "dom". Nesse caso, já estamos falando de uma ARTE.
[Leia outros Comentários de Gil Cleber]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




CAN - CRIANDO ALGO NOVO
DAIMLER CHRYSLER
RECURSOS HUMANOS
R$ 49,16



PORTOS E COMERCIO EXTERIOR
EDUARDO MARIO DIAS
FGV
(2016)
R$ 24,90



PROJETO ARARIBÁ HISTÓRIA 8º ANO
MARIA RAQUEL APOLINÁRIO
MODERNA
(2007)
R$ 6,00



REVISTA SEMANAL DE EDIFÍCIOS E MONUMENTOS 6
DIVERSOS AUTORES
DIREÇÃO-GERAL DOS EDIFÍCIOS
(1997)
R$ 55,83



O EXAME DE LATIM (EDIÇÃO B - SEM PONTOS)
NICOLAU FIRMINO
SIMÕES LOPES E OUTRAS
(1941)
R$ 32,28



UMA AUTOBIOGRAFIA - BIOGRAFIA
RITA LEE
GLOBO LIVROS
R$ 30,00



PORTUGUÊS COM AÇÚCAR
VICTOR COSTA
EDP
R$ 33,49



SINOPSES JURÍDICAS: PROCESSOS PENAL - PROCEDIMENTOS, NULIDADES E RECURSOS- VOL. 15
ALEXANDRE CEBRIAN ARAÚJO REIS E VICTOR RIOS GONÇALVES
SARAIVA
(2000)
R$ 7,00



ESQUIZOFRENIA REFRATÁRIA - 2ª EDIÇÃO
RODRIGO A. BRESSAN; HELIO ELKIS
SEGMENTO FARMA
(2007)
R$ 11,90



REVISTA DOS VEGETARIANOS - EDIÇÃO 160
EUROPA
EUROPA
(2020)
R$ 13,00





busca | avançada
49722 visitas/dia
2,6 milhões/mês