Tempo vida poesia 4/5 | Elisa Andrade Buzzo | Digestivo Cultural

busca | avançada
54617 visitas/dia
1,8 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Projetos culturais e acessibilidade em arte-educação em cursos gratuitos
>>> Indígenas é tema de exposição de Dani Sandrini no SESI Itapetininga
>>> SESI A.E. Carvalho recebe As Conchambranças de Quaderna, de Suassuna, em sessões gratuitas
>>> Sesc Belenzinho recebe cantora brasiliense Janine Mathias
>>> Natália Carreira faz show de lançamento de 'Mar Calmo' no Sesc Belenzinho
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Lá onde brotam grandes autores da literatura
>>> Ser e fenecer: poesia de Maurício Arruda Mendonça
>>> A compra do Twitter por Elon Musk
>>> Epitáfio do que não partiu
>>> Efeitos periféricos da tempestade de areia do Sara
>>> Mamãe falhei
>>> Sobre a literatura de Evando Nascimento
>>> Velha amiga, ainda tão menina em minha cabeça...
>>> G.A.L.A. no coquetel molotov de Gerald Thomas
>>> O último estudante-soldado na rota Lisboa-Cabul
Colunistas
Últimos Posts
>>> The Number of the Beast by Sophie Burrell
>>> Terra... Luna... E o Bitcoin?
>>> 500 Maiores Álbuns Brasileiros
>>> Albert King e Stevie Ray Vaughan (1983)
>>> Rush (1984)
>>> Luiz Maurício da Silva, autor de Mercado de Opções
>>> Trader, investidor ou buy and hold?
>>> Slayer no Monsters of Rock (1998)
>>> Por que investir no Twitter (TWTR34)
>>> Como declarar ações no IR
Últimos Posts
>>> Auto estima
>>> Jazz: 10 músicas para começar
>>> THE END
>>> Somos todos venturosos
>>> Por que eu?
>>> Dizer, não é ser
>>> A Caixa de Brinquedos
>>> Nosferatu 100 anos e o infamiliar em nós*
>>> Sexta-feira santa de Jesus Cristo.
>>> Fé e dúvida
Blogueiros
Mais Recentes
>>> À beira do caminho
>>> Monteiro Lobato, a eugenia e o preconceito
>>> Vale Emprego
>>> Lourival, Dorival, assim como você e eu
>>> internet jornalismo revolução
>>> Façam suas apostas
>>> Estômago, com João Miguel
>>> A política brasileira perdeu a agenda
>>> Iniciantes, de Raymond Carver
>>> A Teoria de Tudo
Mais Recentes
>>> Guia de Elegância de uma Reles Mortal de Helena Perim Costa pela Matrix (2006)
>>> O Processo Civil na Prática do Advogado e Tribunais Vol 2 de Iêdo Batista Neves pela Fase (1990)
>>> O Luar na Avenida da Fé de Gina Barkhordar Nahai pela Geração Editorial (2002)
>>> Projeto Emaus - Ensino Religioso - 9º Ano de Dalcides Biscalquin; Ediçoes Sm pela Sm Didáticos (2013)
>>> Moderna Plus. Literatura. Tempos, Leitores e Leituras Parte 1 de Maria Luiza M. Abaurre pela Moderna (2011)
>>> Tóxicos de Celso Delmanto pela Saraiva (1982)
>>> Jscript - Guia de Consulta Rápida de Edgard B. Damiani pela Novatec
>>> Benetton - a Família, a Empresa e a Marca de Jonathna Mantle pela Nobel (1999)
>>> A Grande Cozinha - Cozinha na Frigideira de Roberto Civita pela Abril
>>> A Teoria Social e Ambiente de Instituto Piaget pela Instituto Piaget (1998)
>>> As Noticias + Malucas do Planeta de Alessandro Bender pela Paris (2004)
>>> Jonas - o Contador de Histórias - Contos Selecionados de Jorge Pedreira de Cerqueira pela Lorenz (2013)
>>> Lei de Murphy de Gerenciamento de Projetos de Eduardo Gorges pela Brasport (2007)
>>> Atitudes Vencedoras de Carlos Hilsdorf pela Senac Sp (2003)
>>> Indomada de P. C. Cast; Kristin Cast pela Novo Seculo Sp (2010)
>>> Sagrados Corações de Sarah Dunant pela Record
>>> The Origin of Species By Mean of Natural Selection - the Descent of Ma de Charles Darwin pela Great Books
>>> A História da Felicidade de Marleine Cohen pela Saraiva
>>> Sarcoidosis: Clinical Management de Om P. Sharma pela Butterworth-heinemann (1984)
>>> Análise das Demonstrações de Ricardo J. Ferreira pela Ferreira (2007)
>>> Sic Ginecologia e Obstetrícia - Obstetrícia Vol. 1 de Fábio Roberto pela Medcel (2016)
>>> Moderne Und Postmoderne: Architektur Der Gegenwart de Architektur Der Gegenwart pela Vieweg+teubner Verlag (1988)
>>> Master Curse: o Super Cursão de Inglês de Antonio Lopes pela New York Ed
>>> Correio Braziliense Ou Armazem Literario, V. 24 de Hipólito José da Costa pela Imprensa Oficial do Estado (2002)
>>> Trouble At the Zoo - Level 2 de Rob Waring pela Thomson Heinle (2006)
COLUNAS

Quinta-feira, 23/9/2010
Tempo vida poesia 4/5
Elisa Andrade Buzzo

+ de 6500 Acessos
+ 1 Comentário(s)


foto: Alberto Krone-Martins

"Por su súbita emergencia y su vigor creador, Teotihuacán parece concebida en el deslumbramiento de esta revelación exaltante y, como en un vasto poema, cada uno de los elementos que la componen forma rigurosamente parte de un todo altamente inspirado" (Laurette Séjourné)

"Aún vivo con sus ojos cerrados y calientes,
tal vez sin que él lo note, el corazón le arrancan." (Carla Faesler)

A Calçada dos Mortos nos recebe como quem abraça antigos visitantes há muito esquecidos. Sua geometria astronômica e gris acalenta um passado de vigor e cor. Todos os apetrechos que a modernidade nos impõe tombam nesta caminhada, agora seremos apenas humanos. Sorvo a secura de seu ar. A vegetação que vemos nesta que era a rua principal de Teotihuacán, a Cidade dos Deuses, é rala, de um verde desbotado. Entrecortam a calmaria gritos dos vendedores de quinquilharias, murmúrios dos turistas. O guia Tona, de apresentação e inglês impecáveis, mostra-nos algo antes de nos deixar sozinhos desbravando o sítio arqueológico. O único som que vem do passado, com os lamúrios dos sacrificados para que o sol renascesse sempre, é o surpreendente silvo de pássaro que ecoa ao se bater palmas posicionado o corpo em determinado ponto da calçada.

Das escadarias que dão acesso ao topo da Pirâmide do Sol e a da Lua não vemos sangue escorrendo, como retratou Diego Rivera, nem as cores fortes que cintilavam na base enquanto os sacerdotes calcavam seus pés numa ziguezagueante subida. A maior cidade da América pré-colombiana é ruínas. Certificadas pela Unesco como Patrimônio da Humanidade, mas ruínas, pedras que escapulam dos degraus ― migalhas de construções, como a de Malinalco, templo dos bravos guerreiros águia, que vieram do vento ou das montanhas e que recolho com as mãos para uma lembrança ―, enquanto os arqueólogos tentam a todo custo reconstruí-las e preservá-las, pedaço a pedaço.

Nestas duas semanas imersa pela e para a Poesia, me pergunto diante dessa convivência com dezenas de pessoas que, em seus países de origem, escrevem e estão nessa roda ― mesmo que seja para virar copos, distribuir livros entre si, escrever, enfim, na calma ou no ―, a poesia é monumento sólido? Ela traz uma mensagem, latente e fervente, como os antigos moradores de Teotihuacán? Como faz a poesia para levar seu canto vibrátil de geração a gerações, se não é apenas onda mecânica que se alastra? Diz a tradição mexica que uma nova pirâmide deveria ser construída sobre a outra a cada ciclo de 50 anos, para mostrar que aumentava o poderio do grupo. No Templo Maior, resquício asteca no Zócalo, podemos ver hoje e até andar por entre estas diversas fases que apareceram sob as escavações realizadas na década de 1970. Há fases da pirâmide que nem mesmo algumas gerações antiquíssimas viram e que nós temos o privilégio de ver, ressaltam. Pois se nós, poetas do hoje, participamos dessa camada aparente de pedra que se sobrepuja às anteriores, delas fazemos nossa base, nos imbuímos de sua estrutura e a modificamos ― somos, então, essa tradição que se faz e refaz, servil, arrogante, livre, rimada, modesta ou mordaz.

Podemos não saber muito bem tudo o que há por detrás dessa vontade, essa herança que nos sobrevoa, mas ela está lá a ser reconhecida. Logo ali, na Casa de la Primera Imprenta de América, de 1536, os primórdios de nossas relações tipográficas. E a poesia está aí, nos lados, no topo da pirâmide, nas entranhas, pois ela é a própria vida em estado pulsante, repaginando-se, resignando-se. Linguagem-monumento a ser reconstruída e sedimentada, destruída, revelada, apurada. Eu subo devagar os degraus da Pirâmide do Sol, os degraus são largos, o joelho resiste ao impacto e imagino os moradores de sua época de esplendor subindo correndo, o coração, sem medo? A constituição física baixa e troncuda, a vida breve. E dali, o firmamento é outra vez acre e pedregoso, e ousa ser o ontem em pleno dia resplandecente, e eu teimo em ser o agora, de papo para o ar. Eu subo devagar os degraus da Pirâmide da Lua, este joelho dobrado rendendo honrarias ao infinito.

Nota do Editor
Leia também "Tempo vida poesia 1/5", "Tempo vida poesia 2/5 e "Tempo vida poesia 3/5".


Elisa Andrade Buzzo
São Paulo, 23/9/2010


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Fechado para balanço, a poesia de André Luiz Pinto de Jardel Dias Cavalcanti
02. A pintura do caos, de Kate Manhães de Jardel Dias Cavalcanti
03. Houston, we have a problem de Renato Alessandro dos Santos
04. Preparar Para o Impacto de Marilia Mota Silva
05. Reflexões de um desempregado de Elisa Andrade Buzzo


Mais Elisa Andrade Buzzo
Mais Acessadas de Elisa Andrade Buzzo em 2010
01. Tempo vida poesia 2/5 - 19/8/2010
02. Tempo vida poesia 4/5 - 23/9/2010
03. A arqueologia secreta das coisas - 4/2/2010
04. Sobre jabutis, o amor, a entrega - 2/12/2010
05. Como se enfim flutuasse - 3/6/2010


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
28/9/2010
20h15min
De passo em passo caminhamos, de degraus em degraus subimos, até chegar no e contemplar os caminhos por onde construimos a poesia caminhando.
[Leia outros Comentários de Manoel Messias Perei]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Curso Preparatório Enem - Ciências Humanas História II Vol 12
Abril
Abril
(2010)



Reuniões Podem Funcionar - o Novo Método de Interação
Michael Doyle David Straus
Summus
(1976)



Intimas...! Notas Pessoais de Meditação
Lopez Arroniz
Santuário de Aparecida
(1969)



O Poder de Deus e a Força dos Santos
Eli Corrêa
Eli Corrêa
(2007)



Discurso de Primavera e Algumas Sombras
Carlos Drummond de Andrade
Record
(1977)



Five Little Pigs
Agatha Christie
Harper Collins
(2009)



O Controle Ideológico na Usp (1964-1978)
Outros; Heloísa Daruiz Borsari
Adusp
(2004)



The Splintered Kingdom - a Novel
James Aitcheson
Source Books Landmark
(2014)



Diferenças não são defeitos: A riqueza da diversidade nas relações humanas
Wanderley Oliveira pelo espírito Ermance Dufaux
Harmonia interior
(2011)



Contos Surrealistas e Satíricos
Alberto Moravia
Difel
(1986)





busca | avançada
54617 visitas/dia
1,8 milhão/mês