Meu querido blog | Ana Elisa Ribeiro | Digestivo Cultural

busca | avançada
64351 visitas/dia
1,8 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Concerto cênico Realejo de vida e morte, de Jocy de Oliveira, estreia no teatro do Sesc Pompeia
>>> Seminário Trajetórias do Ambientalismo Brasileiro, parceria entre Sesc e Unifesp, no Sesc Belenzinho
>>> Laura Dalmás lança Show 'Minha Essência' no YouTube
>>> A Mãe Morta
>>> BATA ANTES DE ENTRAR
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Quem vem lá?
>>> 80 anos do Paul McCartney
>>> Gramática da reprodução sexual: uma crônica
>>> Sexo, cinema-verdade e Pasolini
>>> O canteiro de poesia de Adriano Menezes
>>> As maravilhas do modo avião
>>> A suíte melancólica de Joan Brossa
>>> Lá onde brotam grandes autores da literatura
>>> Ser e fenecer: poesia de Maurício Arruda Mendonça
>>> A compra do Twitter por Elon Musk
Colunistas
Últimos Posts
>>> Oye Como Va com Carlos e Cindy Blackman Santana
>>> Villa candidato a deputado federal (2022)
>>> A história do Meli, por Stelleo Tolda (2022)
>>> Fabio Massari sobre Um Álbum Italiano
>>> The Number of the Beast by Sophie Burrell
>>> Terra... Luna... E o Bitcoin?
>>> 500 Maiores Álbuns Brasileiros
>>> Albert King e Stevie Ray Vaughan (1983)
>>> Rush (1984)
>>> Luiz Maurício da Silva, autor de Mercado de Opções
Últimos Posts
>>> A lantejoula
>>> Armas da Primeira Guerra Mundial.
>>> Você está em um loop e não pode escapar
>>> O Apocalipse segundo Seu Tião
>>> A vida depende do ambiente, o ambiente depende de
>>> Para não dizer que eu não disse
>>> Espírito criança
>>> Poeta é aquele que cala
>>> A dor
>>> Parei de fumar
Blogueiros
Mais Recentes
>>> O humor é como as marés, ora sobe ora desce
>>> Guimarães Rosa em Buenos Aires
>>> Festival de Curitiba 2010
>>> O último estudante-soldado na rota Lisboa-Cabul
>>> O INVISÍVEL
>>> Meu reino por uma webcam
>>> De louco todos temos um pouco
>>> Doces Cariocas
>>> A imaginação educada, de Northrop Frye
>>> Weezer & Tears for Fears
Mais Recentes
>>> Tempo 1 - Cahier Dexercices de évelyne Bérard; Y. Canier pela Didier do Brasil (1997)
>>> A Arca de Noé de Ruth Rocha pela Ática (2001)
>>> Crédito-prêmio de Ipi: Novos Estudos e Pareceres de Paulo de Barros Carvalho e Outros pela Manole (2005)
>>> The Washington Manual of Medical Therapeutics de Daniel H. Cooper; Andrew J. Krainik; Sam J. Lubner pela Lippincott Usa (2007)
>>> Vidas Investigadas de Sócrates a Nietzsche de James Miller pela Rocco (2011)
>>> Depois do Funeral de Agatha Christie pela Círculo do Livro
>>> Processo Civil - Recurso - 3 ° Edição de Gilson Delgado Miranda / Patricia Miranda Pizzol pela Atlas (2002)
>>> Como Deus Cura a Dor de Mark W. Baker pela Sextante (2008)
>>> Winnie the Pooh de Disney's pela Ladybird
>>> Timidez - Como Ajudar Seu Filho a Superar de Lorecy Scavazzini pela Gente (2008)
>>> O Processo de Franz Kafka pela Folha de S. Paulo
>>> Teoria Da Regulação de Vinícius Portela Martins pela Campus (2010)
>>> Mentiras Perfeitas Superando os Mitos Que Se Colocam Entre Você de Jennifer Crow pela Palavra (2015)
>>> A Obra Em Negro de Marguerite Yourcenar pela Nova Fronteira
>>> Envelhecer Ou Morrer, Eis a Questão de Pedro Paulo Monteiro pela Gutenberg Autentica (2008)
>>> Momentos de Reflexão de Dr. Jorge Lordello pela Diario de Suzano
>>> Autodefesa Espiritual de Stamatios Zannis Philippoussis pela Não Encontrada
>>> Die Sterne Blicken Herab de A. J. Croninn pela Bertelsmann Lesering (1960)
>>> Eternas Escamas de Tera Lynn Childs pela Id (2012)
>>> Coleção Dr. Drauzio Varella - Aids de Drauzio Varella & Carlos Jardim pela Geral
>>> O Princípio Dilbert de Scott Adams pela Ediouro
>>> Interesses Difusos e Coletivos - Esquematizado de Cleber Masson; Adriano Andrade; Landolfo Andrade pela Metodo (2011)
>>> Introdução a Gestão Pública de Clesio Saldanha dos Santos pela Saraiva (2009)
>>> Tarsila do Amaral de Angela Braga pela Moderna (1998)
>>> 31 Reasons People do Not Receive Their Financial Harvest de Mike Murdock pela Wisdom International (1998)
COLUNAS >>> Especial A Arte de Blogar

Sexta-feira, 22/10/2010
Meu querido blog
Ana Elisa Ribeiro

+ de 6400 Acessos
+ 1 Comentário(s)


LIANA TIMM© (http://timm.art.br/)

Nos idos de 2000 ou 2001, um amigo me enviou, por e-mail, um link, um login e uma senha. Junto com o convite, vinham as intruções de como escrever naquele negócio. Não era um site, não era uma conta de e-mail. Era um blog. Uma coisa com nome engraçado que servia para a gente escrever o que quisesse e publicar, sem depender de programador especialista.

O amigo era o Corvo, que abriu o blog e chamou uma turma para escrever ali. Na verdade, eu e ele éramos os mais assíduos. Com o tempo, os outros desistiram e a empreitada ficou mesmo para nós. O fenômeno blog ainda nem era muito badalado e a gente se divertia, cada um num estado do país, escrevendo textos sobre comportamento e bobagens que provocavam discussão.

A discussão mesmo, o debate, vinha na forma dos comentários dos leitores. Era uma turma de pessoas, também de vários cantos do Brasil, que se conhecia dos chats do UOL. Essa turma postava centenas (!) de comentários ao texto do dia, debatendo assuntos como sexo, futebol e amizade. Só que, para conseguir colocar comentários no blog, era necessário baixar um programinha gratuito na internet e inserir no código-fonte do setup do blog. A operação era complexa para não-especialistas, mas dávamos conta do recado. Blogs não vinham com ferramentas de comentário automáticas. Grande parte dos blogs era apenas uma página para alguém escrever sozinho, sem a interferência explícita de leitores entusiasmados ou ofendidos.

Vez ou outra, estávamos lá, bem no auge de uma discussão importantíssima, quando a ferramenta de comentários sumia, juntamente com todo o diálogo postado ali. Isso ocorria, muitas vezes, porque o software que dava suporte aos comentários sumia, saía da rede, era extinto, e as caixinhas nos blogs se evaporavam também. Um terror geral.

Uns anos depois da experiência no Corvo, resolvi fazer carreira solo. Abri (lancei, inaugurei, publiquei, não sei que nome é mais adequado ao evento) o Estante de Livros, um blog que servia para muitas coisas, embora nem sempre (e quase nunca) para essa que afirmam os trabalhos acadêmicos: fazer diário virtual. Nada disso. Esse papo, aliás, é engraçado. O Estante era um espaço de falar de literatura contemporânea. Servia para eu exercitar uns microcontos meio atrevidos, mas, principalmente, para entrevistar e resenhar autores que acabavam de publicar seus livros. Giffoni, Pelizzari, Joca Terron, Ivana Arruda Leite e vários outros estavam lá, com seus depoimentos sobre poesia, conto, livro, editora. Pequenas entrevistas e resenhas de livros recém-lançados dividiam espaço com minha série de Kinsey e Glasgow, personagens criados em uma época em que eu editava revistas e livros de medicina.

O Estante tinha ferramenta de comentários. Ele deu o que falar. Foi matéria de jornais impressos e surtiu entrevistas da blogueira (essa palavra era meio ofensiva) na televisão local. O Estante foi mote de crônicas e alvo de críticas. Foi por causa dele também que um autor foi questionado. Na entrevista, o conhecido cronista mineiro fazia uma brincadeira sobre um prêmio por ele recebido. O pessoal da instituição que deu o prêmio levou a piada a sério, questionou, pediu para tirar do ar. Pois sim, essas coisas não são novidade.

O Estante foi habitado até 2003 ou 2004, quando resolvi sair do ar. Ela continua lá, uma espécie de meteorito em órbita, lixo no espaço. De vez em quando, aparece no buscador do Google quando alguém digita meu nome. Mas está quieta, parada, sequer traças comem ali as beiradas dos textos.

Depois do Estante, não me animei mais a blogar. Isso ganhou fama, correu o mundo, virou febre e deu até dinheiro, rezam as lendas. Blogs foram incorporados seriamente pelos jornais e suas versões Web. Blogs viraram assunto de tese nas universidades. E, por fim, viraram matéria e exercício escolar. Nada mal para a trajetória de algo que, no começo, ninguém entendia direito para que servia.

Um dia, fiquei com saudades e abri o Remendo, no WordPress. Chique, com tudo pronto, do melhor e do mais bacana. Blog de responsa, mas não escrevi mais do que uns dois posts nele. Não tinha mais ritmo, fôlego ou tempo mesmo. Não sei. Não era mais meu espaço de expressão.

Isso foi um pouco antes de eu cativar meu espaço no Digestivo. Era 2003 quando Julio Daio me ofereceu um sítio onde cultivar meus textos. Era um site, mas o DC já era um setup fácil de escrever, onde bastava conhecer uns sinaizinhos para itálico ou para abrir parágrafo. Bastavam isso e pontualidade. Compromisso, claro, e a abertura aos comentários dos leitores.

Os blogs viraram outra coisa. Não são mais um espaço inocente para anônimos exercitarem seus dotes. Blogs são um espaço de escrita (na expressão de um pesquisador americano, o J. D. Bolter) importante entre as possibilidades de expressão e publicação de algumas gerações Web. Não apenas esta mais jovem ou uma cheia de apelidos, mas para todas as que se aventurarem pela abertura de um caderno, uma agenda, um diário, um jornal ou simplesmente um sítio digital com características pessoais. Só que, hoje, com muito mais vizinhos.


Ana Elisa Ribeiro
Belo Horizonte, 22/10/2010


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Ideologias em forma de spam de Diogo Salles
02. Mulheres, homens e outros insetos de Ana Elisa Ribeiro
03. Thomas Bernhard com espírito curitibano de Franco Caldas Fuchs
04. Ataque dos Clones de Nemo Nox


Mais Ana Elisa Ribeiro
Mais Acessadas de Ana Elisa Ribeiro em 2010
01. O menino mais bonito do mundo - 29/1/2010
02. Por que a Geração Y vai mal no ENEM? - 30/7/2010
03. Meu querido Magiclick - 12/2/2010
04. Palavrão também é gente - 26/2/2010
05. Caçar em campo alheio ou como escrever crônicas - 11/6/2010


Mais Especial A Arte de Blogar
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
23/10/2010
17h20min
Infelizmente hoje esse tal boom dos blogs, transformou blogar em uma competição por seguidores, onde antes as pessoas contavam suas emoções ficou a tentativa de dar informações, só que a qualidade foi deixada de lado, quantos não são os blogs por aí com erros monstruosos de português mas com mil seguidores ou mais devido às promoções?!! A realidade tem se tornado angustiante e apavorante :(
[Leia outros Comentários de Samantha Abreu]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Viver Literatura : Ensaios e Artigos
Dirce Cortes Riel
Eduerj
(2009)



Clara e a olimpíada de 2016
Ilan Brenman Silvana Rando
BRInque-book
(2013)



Historietas Argentinas En La Biblioteca Nacional
Miguel Ángel
Conabip
(2012)



Dicionário Biográfico Vol 1
Varios Autores
Abril
(1972)



Maracanã adeus
Edilberto Coutinho
Corpo da letra
(1989)



Contra as Pobrezas, Agir Juntos
Mizael Donizetti Poggioli
Vicentina
(2016)



S. O. S Família
Divaldo Pereira Franco
Leal
(1999)



Eva
William P. Young
Arqueiro
(2015)



Classicos Disney-Pixar Para Ler E Ouvir - Os Incriveis+CD
Disney Pixar
Abril Coleções
(2009)



Ganhar
Bernard Tapie
Cultura
(1987)





busca | avançada
64351 visitas/dia
1,8 milhão/mês