Sobre o Oscar Social | Vicente Escudero | Digestivo Cultural

busca | avançada
65675 visitas/dia
2,1 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Trajetória para um novo cinema queer em debate no Diálogos da WEB-FAAP
>>> ÚLTIMAS APRESENTAÇÕES ONLINE DO ESPETÁCULO O DESMONTE
>>> Rodolpho Parigi participa de live da FAAP
>>> Para fugir de ex-companheiro brasileira dá volta ao mundo com pouco dinheiro
>>> Zé Guilherme encerra série EntreMeios com participação da cantora Vania Abreu
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Entrevista: o músico-compositor Livio Tragtenberg
>>> Cabelo, cabeleira
>>> A redoma de vidro de Sylvia Plath
>>> Mas se não é um coração vivo essa linha
>>> Zuza Homem de Mello (1933-2020)
>>> Eddie Van Halen (1955-2020)
>>> Prêmio Nobel de Literatura para um brasileiro - II
>>> Vandalizar e destituir uma imagem de estátua
>>> Partilha do Enigma: poesia de Rodrigo Garcia Lopes
>>> Meu malvado favorito
Colunistas
Últimos Posts
>>> Zuza Homem de Mello no Supertônica
>>> Para Ouvir Sylvia Telles
>>> Van Halen ao vivo em 1991
>>> Metallica tocando Van Halen
>>> Van Halen ao vivo em 2015
>>> Van Halen ao vivo em 1984
>>> Chico Buarque em bate-papo com o MPB4
>>> Como elas publicavam?
>>> Van Halen no Rock 'n' Roll Hall of Fame
>>> A última performance gravada de Jimmi Hendrix
Últimos Posts
>>> Normal!
>>> Os bons companheiros, 30 anos
>>> Briga de foice no escuro
>>> Alma nua
>>> Perplexo!
>>> Orgulho da minha terra
>>> Assim ainda caminha a humanidade
>>> Três tempos
>>> Matéria subtil
>>> Poder & Tensão
Blogueiros
Mais Recentes
>>> A PROPÓSITO DE UM POEMA
>>> Como E Por Que Ler O Romance Brasileiro
>>> Jornalista, um bicho de 7 cabeças e 10 chifres
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> O amigo do escritor
>>> O primeiro Show do Milhão a gente nunca esquece
>>> SemiÓtica
>>> Vandalizar e destituir uma imagem de estátua
>>> Cinema e os Direitos Humanos
>>> Elogio Discreto: Lorena Calábria e Roland Barthes
Mais Recentes
>>> O Uraguai de Basílio Gama pela Leitura XXI (2009)
>>> Dexter Design de Um Assassino de Jeff Lindsay pela Planeta (2011)
>>> Dexter no Escuro de Jeff Lindsay pela Planeta (2010)
>>> Querido e Devotado Dexter de Jeff Lindsay pela Planeta (2009)
>>> O Guardião de Memórias de Kim Edwards pela Sextante (2007)
>>> Querida Filha de Elizabeth Little pela Rocco (2017)
>>> Cinquenta Tons Mais Escuros de E. L. James pela Intrísica (2012)
>>> Cinquenta Tons de Cinza de E. L. James pela Intrísica (2012)
>>> Viver é coisa Perigosa - Orientações para soluções de conflitos de Guilherme Schelb pela Do autor (2008)
>>> Contos (Literatura Francesa) de Voltaire pela Nova Cultural (2003)
>>> Mulherzinhas (Literatura Norteamericana) de Louisa May Alcott pela Nova Cultural (2003)
>>> O morro dos ventos uivantes (Literatura Inglesa/Britânica) de Emily Brontë pela Nova Cultural (2003)
>>> Naná (Literatura Francesa) de Emile Zola pela Nova Cultural (2003)
>>> Babbitt (Literatura norteamericana) de Siclair Lewis pela Nova Cultural (2003)
>>> Ivanhoé (Literatura Escocesa/Britânica) de Walter Scott pela Nova Cultural (2003)
>>> A mulher de Trinta Anos (Literatura Francesa) de Honorè de Balzac pela Nova Cultural (2003)
>>> Razão e Sensibilidade (Literatura Inglesa) de Jane Austen pela Nova Cultural (2003)
>>> Tom Jones (Literatura Inglesa) de Henry Fielding pela Nova Cultural (2003)
>>> Ninguém escreve ao coronel de Gabriel Garcia Marques pela Record (2014)
>>> Tragédias - Romeu e Julieta/Macbeth/Otelo, o mouro de Veneza de William Shakespeare pela Nova Cultural (2003)
>>> Mazzaropi - Uma antologia do riso (Humorismo/Cinema brasileiro) de Paulo Duarte pela Imprensa oficial (2009)
>>> Cordel - Poeta Severino José (Literatura de Cordel) de Luiz de Assis Monteiro (Introdução e antologia) pela Hedra (2001)
>>> STP- Socialismo Teoria Y Prática 2 Febrero -1987 de Ekaterina Shalaieva pela Agência Prensa Nóvosti (1987)
>>> Moll Flanders de Daniel Defoe pela Nova Cultural (2003)
>>> Preceitos Áureos do Esoterismo de G. de Purucker pela Lorenz (1991)
>>> A Metamorfose de Franz Kafka pela Nova Cultural (2002)
>>> Macroeconomia de Olivier Blanchard pela Campus (1999)
>>> Energias Além das Formas de Marly Del Corona pela Casa Editorial Schimidt (1994)
>>> Madame Bovary de Gustave Flaubert pela Nova Cultural (2002)
>>> Noites do Sertão de João Guimarães Rosa pela José Olympio (1976)
>>> A Arte da Ilusão de Nora Roberts pela Harper Collins (2015)
>>> Farmacologia Clínica para Dentistas 2ªed. de Lenita Wannmacher - Maria Beatriz Cardoso Ferreira pela Guanabara Koogan (1999)
>>> Signos em Rotação de Octavio Paz pela Perspectiva (1990)
>>> Mulheres Empilhadas de Patrícia Melo pela Leya (2019)
>>> Extraordinário de R,J Palacio pela Intríseca (2014)
>>> O Homem Revoltado de Albert Camus pela Record (1996)
>>> Antologia Meus Contos Preferidos de Lygia Fagundes Telles pela Rocco (2004)
>>> Educar Professores? de Beatriz Alexandrina de Moura Fétizon pela Universidade de São Paulo (1984)
>>> A Geração das Palavras: Skinner e Chomsky Vol 25 de Maria da Penha Villalobos pela Universidade de São Paulo (1986)
>>> A Televisão e os Adolescentes A Sedução dos Inocentes Vol 22 de Heloisa Dupas Penteado pela Universidade de São Paulo (1983)
>>> Revista do Instituto de Estudos Brasileiros n. 41 de Prof. Dra. Marta Rossetti Batista (Diretora) pela Universidade de São Paulo (1996)
>>> Os Ministérios na Igreja dos Pobres de Alberto Parra S. J. pela Vozes (1991)
>>> Direitos Humanos Direitos dos Pobres de Leonardo Boff e Outros pela Vozes (1991)
>>> A Cristandade Colonial Mito e Ideologia de Riolando Azzi pela Vozes (1987)
>>> A Militarização da Questão Agrária no Brasil de José de Souza Martins pela Vozes (1984)
>>> Holocausto Desafio à Teologia Cristã de S. Shapiro e Outros pela Vozes (1984)
>>> Odontopediatria 7ªed. de Ralph E. Mcdonald- David R. Avery pela Guanabara Koogan (2001)
>>> O Poder dos Donos de Marcel Bursztyn pela Vozes (1984)
>>> Homenagem a Ugo Foscolo Omaggio de Elvira Rina M. Ricci Professora Responsável pela Universidade de São Paulo (1979)
>>> No País das Fadas e Outras Histórias Fantásticas de H. G. Wells pela Paulicéia (1993)
COLUNAS

Quinta-feira, 10/3/2011
Sobre o Oscar Social
Vicente Escudero

+ de 2700 Acessos


LIANA TIMM© (http://timm.art.br/)

Bem, é isso aí. O Oscar passou mais uma vez e, exceto pela opinião dos seguidores do Twitter de James Franco, a cerimônia foi uma droga. Enquanto a plateia morria de tédio assistindo a dupla de apresentadores, completada por Anne Hathaway no papel de cutucadora oficial de James Franco para lembrá-lo de suas falas, os prêmios eram distribuídos numa previsibilidade matemática. Entre a dislexia dos discursos e atrações terríveis, como Gwyneth Paltrow provando que existe constrangimento até para cantores de karaokê, a maior atração foi Kirk Douglas anunciando com suspense o prêmio de melhor atriz coadjuvante, enquanto James Franco tuitava fotos dos bastidores.

James Franco está em todo lugar. Enquanto você lê está coluna, ele dá aulas de interpretação na Universidade de Nova York. James Franco também está em uma dezena de curtas no Funny or Die, mostrando técnicas de atuação engraçadinhas e piadas sobre o filme 127 horas, a história de um sujeito que corta o próprio braço depois de ficar preso sozinho por mais de cinco dias num cânion em Utah, um cativeiro semelhante ao da plateia do Oscar: passada mais da metade da cerimônia, todos começaram a se identificar com a situação (créditos: Rick Gervais). Ele também está no Twitter enviando twitpics a cada meia hora, mostrando sua localização para adoráveis stalkers. Não deixa de comparecer a qualquer programa de televisão em que é convidado, está no cinema em 127 horas, além de protagonizar um vilão secundário em Besouro Verde. Ele também é garoto propagando da Gucci. James Franco é uma espécie de meme vivo, disposto a se completar com qualquer legenda. Este Marlon Brando da geração internet é capaz de fazer qualquer coisa. Só não é capaz de apresentar o Oscar.

Já Anne Hathaway foi mais previsível que as vitórias de O Discurso do Rei. Se o seu parceiro estava devagar e preso, Anne fez questão de seguir à risca o roteiro e alcançou seu objetivo: atingir a audiência mais jovem. O pior de sua apresentação também foi o pior do roteiro escrito para o show. Ela também pareceu menos culpada pela chatice das formalidades que James Franco. No final da cerimônia, os dois olhavam paras as câmeras quase se lamentando por terem cumprido com o prometido. Se foi esse o roteiro do show, a Academia, definitivamente, não entende o público jovem.

E foi este público que deve ter se surpreendido com a premiação de melhor filme para O Discurso do Rei, numa cerimônia que tentou a todo custo agradar a geração que acompanhava tudo no Twitter. Foi no mínimo estranho assistir a festa montada para atingir o público da internet terminar com a premiação da história de um rei gago, incapaz de discursar. Talvez fosse adequado trocar os vencedores das categorias de melhor filme e melhor edição. Em A Rede Social, as cenas são cuidadosamente recortadas para mostrar o isolamento social dos envolvidos na criação do Facebook, a história se passa entre vários tempos diferentes enquanto a audiência de seus fundadores no processo judicial se desenrola dentro de um escritório. Já em O Discurso do Rei, o papel da edição foi mais crucial, delimitou a característica moderna do roteiro e impediu que o filme se aproximasse de um documentário retratando o papel do rei Jorge VI na iminência da 2ª Guerra Mundial (somadas às atuações excelentes de Colin Firth e Geoffrey Rush). A forma como a câmera captou os momentos de conflito entre o rei e seu terapeuta e a divisão precisa das cômicas sessões de terapia determinou o absurdo da situação vivida pelos personagens. E ainda havia o nariz enorme sob o topetinho grudento de Geoffrey Rush sempre no centro das cenas, tentando minar o mau humor da majestade. A edição dos dois filmes foi muito boa, mas pelo tom da festa e pela longevidade que parecem prometer, A Rede Social levava vantagem para conquistar o prêmio de melhor filme, que poderia ter sido trocado com O Discurso do Rei pelo prêmio de melhor edição. Por essas razões e pela falta de originalidade do enredo, O Discurso do Rei parece estar prestes a entrar na categoria de ganhadores esquecidos como Crash, A volta ao mundo em 80 dias e Quem quer ser um milionário?, entre outros.

O prêmio mais justo da noite foi o de melhor trilha sonora para Trent Reznor e Atticus Ross, de A Rede Social, por uma composição que acompanha a solidão do ambiente digital frequentado pelos criadores do Facebook, mesmo vivendo numa república universitária, entre fraternidades, aulas e festas. O maior mérito da trilha sonora foi a fusão com os diálogos, atravessando todo o filme na mesma batida urgente das respostas prontas de Zuckerberg e cia. Trent Reznor e Atticus Ross entenderam bem a vaidade e superficialidade presente no ambiente frequentado pelos personagens e fizeram um trabalho que desapareceu na tela para aumentar a relevância do caráter dos envolvidos na disputa pela criação do Facebook.

Não surpreende que na cerimônia montada para agradar a geração de jovens presos ao computador, o filme que retrata com fidelidade a solidão desse ambiente tenha vencido exclusivamente as categorias técnicas de melhor edição, melhor roteiro adaptado e melhor trilha sonora. Enquanto James Franco, com seu tom blasé, desdenhava da plateia e usava seu iPhone no palco, deixando Anne Hathaway sem saber o que fazer, o roteiro involuntário da cerimônia seguia a cartilha dos geeks: mais vale usar um gadget sozinho do que uma boa festa. Essa é a geração que vai dominar o mundo pelos próximos vinte anos. Esse é o grupo que James Franco tentou agradar. Depois de uma apresentação tão ruim, duvido que ele ainda permaneça no Twitter.


Vicente Escudero
Campinas, 10/3/2011


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Treliças bem trançadas de Ana Elisa Ribeiro
02. No palco da vida, o feitiço do escritor de Cassionei Niches Petry
03. Os Doze Trabalhos de Mónika. 12. Rumo ao Planalto de Heloisa Pait
04. Fake news, passado e futuro de Luís Fernando Amâncio
05. Meu querido aeroporto #sqn de Ana Elisa Ribeiro


Mais Vicente Escudero
Mais Acessadas de Vicente Escudero em 2011
01. Kindle, iPad ou Android? - 14/4/2011
02. O incompreensível mercado dos e-books - 3/3/2011
03. O ponto final da escrita cursiva - 15/9/2011
04. Lynch, David - 8/12/2011
05. Diário da Guerra do Corpo - 9/6/2011


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




O PRÍNCIPE
NICOLAU MAQUIAVEL
PRINCIPIS
(2019)
R$ 14,00



SEDES DA COPA
STEPHAN CAMPINEIRO E DANIEL GONÇALVES
ARTE ENSAIO
(2012)
R$ 14,00



GUIA DO EMPREENDEDOR ESTRANGEIRO NA CHINA
JUAN ANTONIO FERNANDEZ- SHENGJUN
LEAP
(2010)
R$ 29,00



BELEZA SUSTENTÁVEL: COMO PENSAR, AGIR E PERMANECER JOVEM
CARLA GÓES SOUZA PÉREZ
INTEGRARE
(2010)
R$ 6,00



DICIONÁRIO DE DECISÕES TRABALHISTAS - 19ª EDIÇÃO
B. CALHEIROS BOMFIM E OUTROS
TRABALHISTAS
(1997)
R$ 5,00



OBESIDADE, NUTRIÇÃO E DIETA
DR. EMÍLIO PERES
CAMINHO
(1982)
R$ 12,00



LIÇÕES DE VIDA
ANNE TYLER
ED. IMAGO
(1989)
R$ 5,00



A BREVE SEGUNDA VIDA DE BREE TANNER
STEPHENIE MEYER
INTRÍNSECA
(2010)
R$ 5,00



DIREITO DO TRABALHO
PEDRO PAULO TEIXEIRA MANUS
ATLAS
(1999)
R$ 5,90



OS DEZ MANDAMENTOS
LORON WADE
CASA PUBLICADORA BRASILEIRA
(2007)
R$ 15,00





busca | avançada
65675 visitas/dia
2,1 milhões/mês