Sobre o Oscar Social | Vicente Escudero | Digestivo Cultural

busca | avançada
55507 visitas/dia
1,4 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
COLUNAS

Quinta-feira, 10/3/2011
Sobre o Oscar Social
Vicente Escudero

+ de 2600 Acessos


LIANA TIMM© (http://timm.art.br/)

Bem, é isso aí. O Oscar passou mais uma vez e, exceto pela opinião dos seguidores do Twitter de James Franco, a cerimônia foi uma droga. Enquanto a plateia morria de tédio assistindo a dupla de apresentadores, completada por Anne Hathaway no papel de cutucadora oficial de James Franco para lembrá-lo de suas falas, os prêmios eram distribuídos numa previsibilidade matemática. Entre a dislexia dos discursos e atrações terríveis, como Gwyneth Paltrow provando que existe constrangimento até para cantores de karaokê, a maior atração foi Kirk Douglas anunciando com suspense o prêmio de melhor atriz coadjuvante, enquanto James Franco tuitava fotos dos bastidores.

James Franco está em todo lugar. Enquanto você lê está coluna, ele dá aulas de interpretação na Universidade de Nova York. James Franco também está em uma dezena de curtas no Funny or Die, mostrando técnicas de atuação engraçadinhas e piadas sobre o filme 127 horas, a história de um sujeito que corta o próprio braço depois de ficar preso sozinho por mais de cinco dias num cânion em Utah, um cativeiro semelhante ao da plateia do Oscar: passada mais da metade da cerimônia, todos começaram a se identificar com a situação (créditos: Rick Gervais). Ele também está no Twitter enviando twitpics a cada meia hora, mostrando sua localização para adoráveis stalkers. Não deixa de comparecer a qualquer programa de televisão em que é convidado, está no cinema em 127 horas, além de protagonizar um vilão secundário em Besouro Verde. Ele também é garoto propagando da Gucci. James Franco é uma espécie de meme vivo, disposto a se completar com qualquer legenda. Este Marlon Brando da geração internet é capaz de fazer qualquer coisa. Só não é capaz de apresentar o Oscar.

Já Anne Hathaway foi mais previsível que as vitórias de O Discurso do Rei. Se o seu parceiro estava devagar e preso, Anne fez questão de seguir à risca o roteiro e alcançou seu objetivo: atingir a audiência mais jovem. O pior de sua apresentação também foi o pior do roteiro escrito para o show. Ela também pareceu menos culpada pela chatice das formalidades que James Franco. No final da cerimônia, os dois olhavam paras as câmeras quase se lamentando por terem cumprido com o prometido. Se foi esse o roteiro do show, a Academia, definitivamente, não entende o público jovem.

E foi este público que deve ter se surpreendido com a premiação de melhor filme para O Discurso do Rei, numa cerimônia que tentou a todo custo agradar a geração que acompanhava tudo no Twitter. Foi no mínimo estranho assistir a festa montada para atingir o público da internet terminar com a premiação da história de um rei gago, incapaz de discursar. Talvez fosse adequado trocar os vencedores das categorias de melhor filme e melhor edição. Em A Rede Social, as cenas são cuidadosamente recortadas para mostrar o isolamento social dos envolvidos na criação do Facebook, a história se passa entre vários tempos diferentes enquanto a audiência de seus fundadores no processo judicial se desenrola dentro de um escritório. Já em O Discurso do Rei, o papel da edição foi mais crucial, delimitou a característica moderna do roteiro e impediu que o filme se aproximasse de um documentário retratando o papel do rei Jorge VI na iminência da 2ª Guerra Mundial (somadas às atuações excelentes de Colin Firth e Geoffrey Rush). A forma como a câmera captou os momentos de conflito entre o rei e seu terapeuta e a divisão precisa das cômicas sessões de terapia determinou o absurdo da situação vivida pelos personagens. E ainda havia o nariz enorme sob o topetinho grudento de Geoffrey Rush sempre no centro das cenas, tentando minar o mau humor da majestade. A edição dos dois filmes foi muito boa, mas pelo tom da festa e pela longevidade que parecem prometer, A Rede Social levava vantagem para conquistar o prêmio de melhor filme, que poderia ter sido trocado com O Discurso do Rei pelo prêmio de melhor edição. Por essas razões e pela falta de originalidade do enredo, O Discurso do Rei parece estar prestes a entrar na categoria de ganhadores esquecidos como Crash, A volta ao mundo em 80 dias e Quem quer ser um milionário?, entre outros.

O prêmio mais justo da noite foi o de melhor trilha sonora para Trent Reznor e Atticus Ross, de A Rede Social, por uma composição que acompanha a solidão do ambiente digital frequentado pelos criadores do Facebook, mesmo vivendo numa república universitária, entre fraternidades, aulas e festas. O maior mérito da trilha sonora foi a fusão com os diálogos, atravessando todo o filme na mesma batida urgente das respostas prontas de Zuckerberg e cia. Trent Reznor e Atticus Ross entenderam bem a vaidade e superficialidade presente no ambiente frequentado pelos personagens e fizeram um trabalho que desapareceu na tela para aumentar a relevância do caráter dos envolvidos na disputa pela criação do Facebook.

Não surpreende que na cerimônia montada para agradar a geração de jovens presos ao computador, o filme que retrata com fidelidade a solidão desse ambiente tenha vencido exclusivamente as categorias técnicas de melhor edição, melhor roteiro adaptado e melhor trilha sonora. Enquanto James Franco, com seu tom blasé, desdenhava da plateia e usava seu iPhone no palco, deixando Anne Hathaway sem saber o que fazer, o roteiro involuntário da cerimônia seguia a cartilha dos geeks: mais vale usar um gadget sozinho do que uma boa festa. Essa é a geração que vai dominar o mundo pelos próximos vinte anos. Esse é o grupo que James Franco tentou agradar. Depois de uma apresentação tão ruim, duvido que ele ainda permaneça no Twitter.


Vicente Escudero
Campinas, 10/3/2011


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Os Doze Trabalhos de Mónika. 4. Museu Paleológico de Heloisa Pait
02. As crianças do coração do Brasil de Elisa Andrade Buzzo
03. Breve resenha sobre um livro hediondo de Cassionei Niches Petry
04. Sobre os três primeiros romances de Lúcio Cardoso de Cassionei Niches Petry
05. A coerência de Mauricio Macri de Celso A. Uequed Pitol


Mais Vicente Escudero
Mais Acessadas de Vicente Escudero em 2011
01. Kindle, iPad ou Android? - 14/4/2011
02. O incompreensível mercado dos e-books - 3/3/2011
03. O ponto final da escrita cursiva - 15/9/2011
04. Lynch, David - 8/12/2011
05. Diário da Guerra do Corpo - 9/6/2011


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




O HOMEM SEXUALMENTE FELIZ
JUAN CARLOS KUSNETZOFF
NOVA FRONTEIRA
(1987)
R$ 15,00



60 MESES QUE MUDARAM O ORIENTE MÉDIO
DAVID TABACOF
KADIMAH
(2007)
R$ 5,00



MUITO PRAZER - FALE O PORTUGUÊS DO BRASIL. V. 2 CADERNO DE EXERCÍCIOS
GLÁUCIA ROBERTA ROCHA FERNANDES; E OUTROS
DISAL
(2014)
R$ 30,00



DIGGING FOR THE TRUTH
JOSH BERNSTEIN
GOTHAM BOOKS
(2006)
R$ 70,00



DIREITO DO TRABALHO
DÉLIO MARANHÃO
FGV
(1982)
R$ 39,90
+ frete grátis



PREPARANDO PARA O SÉCULO XXI
PAUL KENNEDY
CAMPUS
(1993)
R$ 15,00



PROBLEMAS DA LITERATURA INFANTIL
CECÍLIA MEIRELES
NOVA FRONTEIRA
(1984)
R$ 12,00



A CONQUISTA DE NÁPOLES - 2º VOLUME
ALEXANDRE DUMAS
SARAIVA
(1965)
R$ 4,00



FACA NA GARGANTA
HERMES LEAL
GERAÇÃO
(2006)
R$ 10,00



DIAGNÓSTICO E TESTES PSICOLÓGICOS
CHRISTIAN GUILLEVIC E STÉPHANE VAUTIER
CLIMEPSI
(1998)
R$ 32,88





busca | avançada
55507 visitas/dia
1,4 milhão/mês