O ponto final da escrita cursiva | Vicente Escudero | Digestivo Cultural

busca | avançada
50039 visitas/dia
1,2 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
COLUNAS

Quinta-feira, 15/9/2011
O ponto final da escrita cursiva
Vicente Escudero

+ de 3700 Acessos


Carta de J.D. Salinger

O campo minado da informatização e da internet, sabotador de ofícios e hábitos antigos, tem feito vítimas seguidas a cada duplicação da capacidade de processamento dos chips de computadores nos mesmos limites da Lei de Moore. Se o número de transistores que podem ser colocados dentro de um microprocessador duplica a cada dois anos, o número de vítimas deste avanço no processamento de dados não fica para trás. Em menos de dez anos de disponibilidade ampla da web, livros, telefones domésticos, hábitos de consumo e formas de ensino virtualizaram-se quase destruindo os nichos destes produtos e serviços no mundo físico. Este fenômeno, que pode ser denominado desconcretista, veio acompanhado da exigência de uma nova forma de pensar e de interagir com a realidade. De repente, o curso de datilografia, muito procurado até o meio da década de 90, foi trocado pelo de informática. Hoje, os efeitos destas transformações são tão grandes que a linguagem reproduzida nos computadores caminha para substituir um hábito muito mais antigo do que as outras vítimas que tentaram atravessar o terreno cibernético, como o jornalismo, os livros em papel e o ensino presencial. O alvo da vez chama-se escrita cursiva.

Não é novidade que a escrita cursiva sofreu um wazari com a popularização da informática e se esquiva diariamente contra um ippon da troca de informações instantâneas da internet, ainda mais agora, com a larga vantagem dos e-books sobre o papel. O dado novo interessante, que muda o prognóstico da luta -e talvez a defina- é a adesão à idéia pelo governo americano. Desde março de 2011, as diretrizes básicas da educação do governo federal dos Estados Unidos descredenciaram o ensino da escrita cursiva do currículo obrigatório das escolas. Agora, o ensino da matéria é opcional nos estados que aderirem à orientação proposta pelo governo federal, que até esta data conta com quarenta e uma unidades federadas participantes.

A discussão mal começou e dois grupos bastante distintos já marcaram suas posições. A maioria dos mestres e estudiosos da língua inglesa defende o caráter suplementar do ensino da escrita cursiva, enquanto pais e docentes do ensino fundamental defendem a obrigatoriedade.

Os mandatários da permanência da escrita cursiva no currículo obrigatório defendem a utilização da técnica não apenas pela sua função básica de comunicação, mas também pelo fato do aprendizado da escrita cursiva se tratar de um instrumento para o desenvolvimento motor dos estudantes em formação. Este argumento está conjugado com outro, de que o desenvolvimento da reflexão intelectual pelos estudantes necessariamente passa pelo aprendizado desta técnica, pois a escrita cursiva exigiria um grau muito maior de atenção e reflexão para transcrição das idéias no papel, já que diminui a quantidade de distrações entre o pensamento e a sua concretização, situação muito diferente da que ocorre na utilização exclusiva de meios digitais, em que a transmissão dos dados é realizada através da digitação.

Do outro lado da querela estão os defensores da orientação adotada pelo governo americano, que caracteriza a escrita cursiva como opcional dentro do currículo de matérias do ensino fundamental. Embora este grupo esteja dividido em duas correntes, ambas estão fundadas no mesmo argumento: o ensino da matéria não é mais imprescindível. Uma destas correntes de pensamento defende que todas as formas de escrita à mão são completamente desnecessárias e podem ser substituídas integralmente pela utilização de meios digitais, mesmo nas situações que requerem a presença física da pessoa, como a utilização da assinatura para sua identificação, a qual já pode ser substituída por dispositivos contendo assinaturas digitais. A outra corrente não defende esta repentina quebra de página no livro da escrita cursiva, apesar de também entender que a orientação do governo é adequada. Para seus defensores, o desenvolvimento tecnológico ainda não é capaz de substituir de forma infalível a comunicação através da escrita à mão, o que ainda torna imprescindível o aprendizado de pelo menos uma de suas formas: a escrita através de letras desconectadas entre si, as letras de fôrma.

É interessante notar que a orientação governamental não impede que o ensino da escrita cursiva seja realizado mesmo nos estados que a adotarem. Dentro do sistema de educação americano, que possui como fundamento principal de organização a participação da sociedade local nas escolas, soa estranho que a simples caracterização do ensino da disciplina como opcional tenha causado uma revolta generalizada dos pais, defendendo a manutenção da obrigatoriedade. Neste período de mudanças drásticas em hábitos seculares, em que o envio de cartas foi substituído pelos e-mails, os jornais estão à beira da falência e o comércio não exige mais a existência de um balcão para atender a clientela, não é difícil concluir que o conflito criado pela medida é muito mais geracional do que didático ou, até mesmo, utilitário. Estariam os pais com receio de ver um hábito tão arraigado em suas personalidades ser deixado de lado por uma geração que passa grande parte do dia se comunicando, quase de olhos fechados, através de celulares, tablets e afins? O desaparecimento de um hábito tão particular e íntimo parace ter atingido um dos maiores medos da geração que está criando seus filhos no século XXI: o de tornar-se obsoleto.

Nos últimos vinte anos, no mínimo, o foco das escolas no Brasil e nos Estados Unidos tem sido garantir que os alunos produzam uma escrita utilitária, no mínimo legível. Este processo passa pela grafia correta das palavras somada à flexibilidade na utilização da escrita cursiva junto com as letras de fôrma. Também é fato incontestável que a maioria dos adultos acaba desenvolvendo, com o passar do tempo, uma mistura de escrita cursiva com letras de fôrma, um método próprio que atende às próprias necessidades, isso quando não ocorre o abandono completo da escrita cursiva para dar lugar a letras de fôrma. O caráter instrumental da escrita, no final, sempre acaba prevalecendo. Sorte para quem sempre foi péssimo aluno de caligrafia.

O momento atual, muito mais do que um avanço para a incorporação da escrita no processo de informatização, representa o retorno do estilo da cursiva romana, em que a maioria das letras não é conectada. Difícil imaginar um mundo onde ninguém é capaz de escrever um bilhete para avisar que vai voltar logo. Os computadores venceram, isso é indiscutível. O difícil é encontrar um que não esteja coberto com recados em adesivos Post-it.


Vicente Escudero
Campinas, 15/9/2011


Quem leu este, também leu esse(s):
01. O artífice do sertão de Celso A. Uequed Pitol
02. O tigre de papel que ruge de Celso A. Uequed Pitol
03. Os Doze Trabalhos de Mónika. 10. O Gerador de Luz de Heloisa Pait
04. Os Doze Trabalhos de Mónika. 6. Nas Asas da Panair de Heloisa Pait
05. Séries da Inglaterra; e que tal uma xícara de chá? de Renato Alessandro dos Santos


Mais Vicente Escudero
Mais Acessadas de Vicente Escudero em 2011
01. Kindle, iPad ou Android? - 14/4/2011
02. O incompreensível mercado dos e-books - 3/3/2011
03. O ponto final da escrita cursiva - 15/9/2011
04. Lynch, David - 8/12/2011
05. Diário da Guerra do Corpo - 9/6/2011


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




TARDE DEMAIS PARA CHORAR... CEDO DEMAIS PARA MORRER
EDITH PENDLETON
CIRCULO DO LIVRO
R$ 4,70



JORNADA NAS ESTRELAS - OS GUARDIÃES DA PAZ
GENE DEWEESE
ALEPH
(1993)
R$ 20,00



A MEMÓRIA DA TERRA - 43 POEMAS
ANTONIO OZÓRIO LEME DE BARROS
TIKINET
(2012)
R$ 29,75
+ frete grátis



HACIA UNA VIDA PLENA DE SENTIDO
MENAJEM MENEL SCHNEERSON
LEOGRAF & COMPAÑÍA
(1995)
R$ 15,00



PINÓQUIO - CONTOS MÁGICOS - CAPA 3D
DISNEY
MELBOOKS
(2012)
R$ 26,00



THE KING'S TWO BODIES - A STUDY IN MEDIAEVAL POLITICAL THEOLOGY
ERNST H. KANTOROWICZ
PRINCETON PAPERBAKS
(1997)
R$ 19,90



OS LUSÍADAS
CAMÕES
NOVA CULTURAL
R$ 10,00



ELITE DA TROPA
LUIZ EDUARDO SOARES - ANDRÉ BATISTA - RODRIGO
OBJETIVA
(2006)
R$ 10,00



CAÇA SUBMARINA
CLAUDIO GUARDABASSI / WALDIR NACCARATO
MAR AZUL
(1996)
R$ 25,00



INTRODUÇÃO AO TAROT E CABALA
SAMAEL AUN WEOR
AEF
(2015)
R$ 15,00





busca | avançada
50039 visitas/dia
1,2 milhão/mês