Cursiva | Guilherme Pontes Coelho | Digestivo Cultural

busca | avançada
34554 visitas/dia
1,1 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
>>> Leminski, estações da poesia, por R. G. Lopes
>>> Crônica em sustenido
Colunistas
Últimos Posts
>>> Banco Inter É uma BOLHA???
>>> Não Aguento Mais a Empiricus
>>> Nubank na Hotmart
>>> O recente choque do petróleo
>>> Armínio comenta Paulo Guedes
>>> Jesus não era cristão
>>> Analisando o Amazon Prime
>>> Amazon Prime no Brasil
>>> Censura na Bienal do Rio 2019
>>> Tocalivros
Últimos Posts
>>> O céu sem o azul
>>> Ofendículos
>>> Grito primal V
>>> Grito primal IV
>>> Inequações de um travesseiro
>>> Caroço
>>> Serial Killer
>>> O jardim e as flores
>>> Agradecer antes, para pedir depois
>>> Esse é o meu vovô
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Da Poesia Na Música de Vivaldi
>>> Festa na floresta
>>> A crítica musical
>>> 26 de Julho #digestivo10anos
>>> Por que escrevo
>>> História dos Estados Unidos
>>> Meu Telefunken
>>> Uma Receita de Bolo de Mel
>>> O apanhador no campo de centeio
>>> Curriculum vitae
Mais Recentes
>>> Deus é inocente – a imprensa, não de Carlos Dorneles pela Globo (2003)
>>> Memórias do subsolo de Fiodor Dostoiévski pela 34 (2000)
>>> Songbook - Tom Jobim, Volume 3 de Almir Chediak pela Lumiar (1990)
>>> Comunicação e contra-hegemonia de Eduardo Granja Coutinho (org.) pela EdUFRJ (2008)
>>> Caetano Veloso Songbook V. 1 de Almir Chediak pela Lumiar
>>> Origami a Milenar Arte das Dobraduras de Carlos Genova pela Escrituras (2004)
>>> O vampiro Lestat de Anne Rice pela Rocco (1999)
>>> Nova enciclopédia ilustrada Folha volume 2 de Folha de São Paulo pela Publifolha (1996)
>>> Esperança para a família de Willie e Elaine Oliver pela Cpb (2018)
>>> Leituras do presente de Valdir Prigol pela Argos (2007)
>>> Insight de Daniel C. Luz pela Dvs (2001)
>>> Política e relações internacionais de Marcus Faro de Castro pela UnB (2005)
>>> Harry Potter e a Pedra Filosofal de J. K. Rowling pela Rocco (2000)
>>> Infinite Jest de David Foster Wallace pela Back Bay Books (1996)
>>> Nine Dragons de Michael Connelly pela Hieronymus (2009)
>>> The Innocent de Taylor Stevens pela Crown Publishers (2011)
>>> The Watchman de Robert Crais pela Simon & Schuster (2007)
>>> The Watchman de Robert Crais pela Simon & Schuster (2007)
>>> Filosofia Para Crianças e Adolescentes de Maria Luiza Silveira Teles pela Vozes (2008)
>>> O Caminho da Perfeição de A. C. Bhaktivedanta Swami pela The Bhaktivedanta (2012)
>>> O Caminho da Perfeição de A. C. Bhaktivedanta Swami pela The Bhaktivedanta (2012)
>>> Vida de São Francisco de Assis de Tomás de Celano pela Vozes (2018)
>>> Apóstolo Paulo de Sarah Ruden pela Benvirá (2013)
>>> Apóstolo Paulo de Sarah Ruden pela Benvirá (2013)
>>> Astrologia e Fatalismo Magnetismo e Hipnose de Ferni Genevè pela Fase (1983)
>>> Práticas da leitura de Roger Chartier (org.) pela Estação Liberdade (2001)
>>> Universo em Desencanto A Verdadeira Origem da Humanidade Vol 1 de Não Informada pela Mundo Racional
>>> Matemática Financeira de Roberto Zentgraf pela Ztg (2002)
>>> Como Negociar Qualquer Coisa Com Qualquer Pessoa Em Qualquer Lugar do Mundo de Frank L. Acuff pela Senac (1998)
>>> Morte e Vida Severinas: das Ressurreições e Conservações ... Ed. Ltda. de Nelci Tinem e Luizamorim: Organização pela Impre. Univ. J. Pessoa (2012)
>>> Mais Trinta Mulheres que Estão Fazendo a Nova Literatura de Luiz Ruffato pela Record (2005)
>>> Príncipe Sidarta A Fuga do Palácio de Patricia Chendi pela Rocco (2000)
>>> Como Criar Filhos Autoconfiantes de Anthony Gunn pela Gente (2011)
>>> Como Criar Filhos Autoconfiantes de Anthony Gunn pela Gente (2011)
>>> Como Criar Filhos Autoconfiantes de Anthony Gunn pela Gente (2011)
>>> Como Criar Filhos Autoconfiantes de Anthony Gunn pela Gente (2011)
>>> Como Criar Filhos Autoconfiantes de Anthony Gunn pela Gente (2011)
>>> Smart Work Why Organizations Full Of Intelligent People ... de Steven A. Stanton pela Do Autor (2016)
>>> Estatística Objetiva de Roberto Zentgraf pela Ztg (2001)
>>> Diários Messiânicos: uma Experiência de Extensão Universitária de Bruno Cesar Euphrasio de Mello pela Univ. Federal Rgs. (2015)
>>> The Lost Symbol de Dan Brown pela Doubleday (2009)
>>> Dez Dias de Cortiço de Ivan Jaf pela Ática (2009)
>>> Medicina do Além Um Presente de Jesus para a Humanidade de Fabio Alessio Romano Dionisi pela Dionisi (2014)
>>> Energia Renovável de Dme pela Dme
>>> São João Paulo Grande Seus Cinco Amores de Jason Evert pela Quadrante (2018)
>>> At Risk de Patricia Cornwell pela Little Brown And Company (2006)
>>> Gone For Good de Harlan Coben pela Na Orion Paperback (2007)
>>> When The Wind Blows de James Patterson pela Little Brown And Company (1998)
>>> Windmills Of The Gods de Sidney Sheldon pela William Morrow And Companhy (1987)
>>> If Tomorrow Comes de Sidney Sheldon pela William Morrow And Companhy (1985)
COLUNAS

Quarta-feira, 3/8/2011
Cursiva
Guilherme Pontes Coelho

+ de 3400 Acessos

Ele mede algo próximo a vinte centímetros. É cilíndrico, reto e rígido. É satisfatoriamente duro para o seu diâmetro. Quebrá-lo ao meio, a julgar pelo seu aspecto simplório, linear e mesmo insosso, exige mais força do que se espera. (Fiz um teste.) Um objeto de aparência trivial. Sobretudo este entre meus dedos polegar, indicador e médio - a profana trindade das letras cursivas.

Este lápis que seguro, que, antes de você ler estas palavras em pixels intangíveis, me ajuda a traçar todas estas linhas sobre o papel, este lápis é todo preto: a casca, o corpo e a borracha. Um objeto simples. Uma varinha. Que faz jus ao dito popular. Porque o que importa, mesmo, é a mágica que ela faz.


Alguns itens: parafernália cursiva.


Antes de falar dos poderes mágicos do lápis 2B, preciso dizer que o lápis que ora uso para escrever este preâmbulo é um entre vários. A quantidade exata destes vários lápis seria 36, contando com os lápis de cor que inexplicavelmente guardo no meu estojo e cuja presença percebi apenas nesta contagem. Os lápis de cor nunca foram usados, ainda conservam o tamanho original. A maioria dos outros, porém, já foi podada. Porque eu raramente vejo um lápis meu chegar à metade do seu tamanho original. Não me pergunte por quê. Tão logo percebo um decréscimo do seu comprimento, já o troco por outro, de preferência um que ainda não tenha sido nem apontado (e o que ficou pela metade simplesmente some). Os 36 lápis de que disponho se dividem em 16 usados, 4 intactos, 2 de carpinteiro, 2 Staedtler 8B e 12 coloridos. O lápis preto de grafita que estou usando era virgem quando escrevi a primeira sentença deste texto.

Quando a digressão do parágrafo acima for reescrita, à frente do computador, usarei o teclado do notebook. Esta outra ferramenta altera tudo o que se refere à atividade psicomotora de escrever. Enquanto escrevo à mão, com um lápis 2B, é como se usasse apenas um dedo. Eu me reduzo à minha condição inata de homem destro para escrever com apenas um dedo - o grafite na ponta do lápis. É muito diferente de escrever com o teclado, tanto o da jurássica máquina de escrever quanto o de computadores, porque ele transformou todos os seres humanos em ambidestros.

Usamos as duas mãos ao teclado. Dos nossos dez dedos, oito são para caracteres, e, para quem fez o extinto curso de datilografia (como eu), cada um destes dedos, do auricular ao indicador (Aa Ss Dd Ff Gg), é responsável, em média, por quatro caracteres, entre números, letras, acentos e sinais de pontuação; sem contar com a tecla Shift e demais atalhos para caracteres especiais. Tento imaginar como Joyce lidaria com um notebook. Não sei como ele escrevia, que métodos usava. (Edmund Wilson, uma portento da produção escrita, só escrevia à mão.) Como Joyce escreveria a cena de Stephen Dedalus na praia, capítulo três de Ulysses, ou mesmo o monólogo interior de Molly Bloom, ao teclado de um notebook?

A velocidade da digitação (uma coisa, digitar; outra, datilografar) pode ser inebriante a ponto de embotar o pensamento, suponho. Sem a barreira da materialidade do papel, que é espancado enquanto se escreve, a imaterialidade da página virtual aceita cada golpe (caractere) a uma velocidade muito maior e de forma irrefreável. Então, como conjugar a atividade motora de escrever ao teclado, leve, rápida, avassaladora, com a intenção criadora de descrever o pensamento de um personagem fictício, que vive na imaginação do agente digitador e, por isso, está sujeito à mente do criador, tão caótica quanto qualquer outra - quanto à do próprio personagem que tenta animar! - ou mesmo mais caótica, visto que se trata de um artista genial?

O lápis 2B me força a me concentrar, a não me perder com a possível profusão de palavras, inteligíveis ou não, que escrever com oito dedos (mais digitando do que datilografando) podem proporcionar. Embora já tenha em mente, quando me sento à mesa e abro o caderno de notas, um - perdoe a redundância - esboço etéreo do que quero escrever, tenho de me concentrar para evitar que as explosões de imagens, ideias e sensações em minha mente destruam minha concentração. Só tenho um dedo para transcrevê-las. Um dedo primitivo.

O lápis 2B de hoje é descendente direto, não, irmão; não, o lápis 2B é ele mesmo o pedaço de pau que algum ancestral nosso usou pela primeira vez para produzir um signo numa superfície qualquer. É o mesmo pedaço de pau, mas melhorado, tunado, que usamos para executar a maior conquista do gênero humano, o signo vocabular. Curiosamente, o teclado, sobretudo o do computador, este símbolo da tecnologia ao alcance de todos, o teclado amputou o polegar opositor, justo ele, o que difere os primatas humanos de todos os outros animais. Ao teclado, o polegar é a barra de espaços, que não produz caractere visível. O uso do polegar ao teclado equivale à suspensão do lápis sobre o papel entre uma palavra e outra, à quebra do atrito entre o grafite e a celulose. Ao nada.

Só agora, quando acabo o preâmbulo e me preparo para falar das mágicas de que o lápis 2B é capaz, eu percebo que você, leitor, está no futuro. O presente sou eu, aqui, sob o abajur, no frio peculiar de Brasília, escrevendo o que mais tarde, quando eu digitar este registro e o publicar virtualmente para sua leitura, será para mim meu passado simples e para você terá sido um passado mais que perfeito. Boa leitura.


Guilherme Pontes Coelho
Brasília, 3/8/2011


Quem leu este, também leu esse(s):
01. O nosso patriarca e o deles de Celso A. Uequed Pitol
02. O que em silêncio sabemos de Marilia Mota Silva
03. A arquitetura poética da pintura de Fabricius Nery de Jardel Dias Cavalcanti
04. Triste fim de meu cupcake de Elisa Andrade Buzzo
05. O bom, o ruim (e o crítico no meio) de Rafael Rodrigues


Mais Guilherme Pontes Coelho
Mais Acessadas de Guilherme Pontes Coelho em 2011
01. A sordidez de Alessandro Garcia - 9/2/2011
02. Churchill, de Paul Johnson - 2/2/2011
03. Pequenos combustíveis para leitores e escritores. - 7/9/2011
04. Cisne Negro - 16/2/2011
05. Derrotado - 2/3/2011


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




NOITE DE TEMPESTADE
JOHN SANFORD
ARQUEIRO
(2013)
R$ 15,00



BLACK DRAGON RALΩGRAD 03
TAKESHI OBATA
JBC
(2013)
R$ 39,00



O ESCARAVELHO DE OURO
EDGAR ALLAN POE
ROLIM
(1994)
R$ 14,99



FAREWELL
CARLOS DRUMMOND DE ANDRADE
RECORD
(1997)
R$ 25,00
+ frete grátis



A ORIGEM DA ESPÉCIE HUMANA
RICHARD LEAKEY
ROCCO
(1997)
R$ 90,00



HISTÓRIAS DOS NOSSOS ALUNOS
JOÃO EUDES BEZERRA GUERRA
EDIÇÃO DO AUTOR
(2004)
R$ 7,00



AFRODITE S. A.
JOÃO JOSÉ DA COSTA
MATRIX
(2011)
R$ 13,90
+ frete grátis



COMPÊNDIO DE PSYCHOLOGIA EXPERIMENTAL 2A.
HENRIQUE GREENEN
TYP DO GLOBO
(1913)
R$ 30,00



FAÇA SEUS PROPRIOS PRESENTES
MARIA BALLARÍN
QUEEN BOOKS
(2015)
R$ 31,07



PESQUISAS EM ALIMENTAÇÃO COLETIVA:
RAFAELLA M. M. SAMPAIO, ANA LUIZA DE R. F. MENDES UND FERNANDO C. R. BRITO
NOVAS EDIÇÕES ACADÊMICAS
R$ 272,00





busca | avançada
34554 visitas/dia
1,1 milhão/mês