A realidade, na verdade, é mentira | Ivan Bilheiro | Digestivo Cultural

busca | avançada
50856 visitas/dia
2,3 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Circomuns Com Circo Teatro Palombar
>>> Prêmio AF de Arte Contemporânea abre inscrições para a edição comemorativa de 10 anos
>>> Inscrições abertas para o Prêmio LOBA Festival: objetivo é fomentar o protagonismo de escritoras
>>> 7ª edição do Fest Rio Judaico acontece no domingo (16 de junho)
>>> Instituto SYN realiza 4ª edição da campanha de arrecadação de agasalhos no RJ
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> A pulsão Oblómov
>>> O Big Brother e a legião de Trumans
>>> Garganta profunda_Dusty Springfield
>>> Susan Sontag em carne e osso
>>> Todas as artes: Jardel Dias Cavalcanti
>>> Soco no saco
>>> Xingando semáforos inocentes
>>> Os autômatos de Agnaldo Pinho
>>> Esporte de risco
>>> Tito Leite atravessa o deserto com poesia
Colunistas
Últimos Posts
>>> Jensen Huang, da Nvidia, na Computex
>>> André Barcinski no YouTube
>>> Inteligência Artificial Física
>>> Rodrigão Campos e a dura realidade do mercado
>>> Comfortably Numb por Jéssica di Falchi
>>> Scott Galloway e as Previsões para 2024
>>> O novo GPT-4o
>>> Scott Galloway sobre o futuro dos jovens (2024)
>>> Fernando Ulrich e O Economista Sincero (2024)
>>> The Piper's Call de David Gilmour (2024)
Últimos Posts
>>> O mais longo dos dias, 80 anos do Dia D
>>> Paes Loureiro, poesia é quando a linguagem sonha
>>> O Cachorro e a maleta
>>> A ESTAGIÁRIA
>>> A insanidade tem regras
>>> Uma coisa não é a outra
>>> AUSÊNCIA
>>> Mestres do ar, a esperança nos céus da II Guerra
>>> O Mal necessário
>>> Guerra. Estupidez e desvario.
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Da Poesia Na Música de Vivaldi
>>> Os autômatos de Agnaldo Pinho
>>> Construção de um sonho
>>> Quem é mesmo massa de manobra?
>>> A crise dos 28
>>> Snoop Dogg - Ups & Downs
>>> Leitura vertical e leitura horizontal
>>> Cameron Frye: o rapaz que se cansou de sentir medo
>>> O delfim, de José Cardoso Pires
>>> The best is yet to come
Mais Recentes
>>> História Geral das Civilizações Tomo Vll : A Época Contemporânea 2º Volume de Maurice Crouzet pela Difusão Européia (1963)
>>> Livro Literatura Estrangeira Homem No Escuro de Paul Auster pela Companhia Das Letras (2008)
>>> O Dinossauro Que Fazia Au-au de Pedro Bandeira pela Moderna (2013)
>>> Livro Psicologia Os Segredos da Mente Milionária Aprenda a Enriquecer Mudando Seus Conceitos Sobre o Dinheiro e Adotando os Hábitos das Pessoas Bem- Sucedidas de T. Harv Eker pela Sextante (2006)
>>> Livro Crítica Literária Simbolismo de Antônio Soares Amora pela Difel
>>> Livro Administração Meta-Capitalism - The E-business Revolution And The Design Of 21st-century Companies And Markets de Grady, Schneider, David Means pela John Wiley & Sons (2000)
>>> História Geral das Civilizações Tomo V : O Século XVlll ,2º Volume de Roland Mousnier pela Difusão Européia (1961)
>>> Livro Administração Matemática Financeira de Samuel Hazzan e José Nicolau Pompeo pela Saraiva (2007)
>>> HQ Tarzan nº1 - O Berço dos Deuses - Centenário de nascimento de Edgar Rice Burroughs de Edgar Rice Burroughs; Russ Manning pela Ebal (1975)
>>> Livro Literatura Estrangeira O Jardim dos Finzi Contini Mestres da Literatura Contemporânea de Giogio Bassani pela Record Altaya (1980)
>>> Livro Literatura Estrangeira O Menino Do Pijama Listrado de John Boyne pela Cia das Letras (2010)
>>> Livro Literatura Brasileira Os Doze Trabalhos de Hercules 1 Tomo Coleção Obras Completas de Monteiro Lobato 2 Série Literatura Infantil Volume 16 de Monteiro Lobato pela Brasiliense (1956)
>>> Livro Literatura Estrangeira Babbit Volume 44 de Sinclair Lewis pela Abril (1972)
>>> História Geral das Civilizações Tomo IV : Os Séculos XVI e XVII, 1º Volume de Roland Mousnier pela Difusão Européia (1960)
>>> Livro Literatura Brasileira Os Sertões - Grandes Nomes do Pensamento Brasileiro de Euclydes da Cunha pela Publifolha (2000)
>>> Livro Sociologia Belle Époque Tropical de Jeffrey D Needell pela Companhia Das Letras (1993)
>>> Manual de Preço de Transferência Beps, Brasil e Ocde - Volume 1 de Leonardo Freitas de Moraes e Castro - Francisco Lisboa Moreira pela Quartier Latin (2018)
>>> Livro Literatura Estrangeira Maze Runner - Correr ou Morrer de James Dashner pela V&R (2010)
>>> História Geral das Civilizações Tomo 1 : O oriente e a Grécia Antiga de André Aymard pela Difusão Européia (1965)
>>> HQ O Terror Negro nº 74 - Angustia do Além! de Não Identificado pela La Selva (1956)
>>> Livro Ciências Exatas Os Números a História de Uma Grande Invenção de Georges Ifrah pela Globo (1996)
>>> Livro Literatura Estrangeira Os Maias Episódios Da Vida Romântica Volume II de Eça de Queiroz pela Lello & Irmão (1951)
>>> Sacopenapã : Lagoa Espelho do Rio (Autografado) de Edmunto Souto pela Timbre (2005)
>>> HQ Mundo de sombras nº31 - Mistérios do Além de Não Identificado pela Não identificado
>>> Manual de Preço de Transferência Beps, Brasil e Ocde Volume Ii de Leonardo Freitas de Moraes e Castro pela Quartier Latin (2001)
COLUNAS

Quarta-feira, 17/8/2011
A realidade, na verdade, é mentira
Ivan Bilheiro
+ de 4400 Acessos
+ 2 Comentário(s)

Sobre as múltiplas e traiçoeiras faces da realidade. Assim é apresentado o livro Infâmia (Objetiva/Alfaguara, 2011, 277 págs.), de Ana Maria Machado, em uma de suas orelhas. Ou seria mais sobre a construção de múltiplas versões da realidade que, assim, sepultam a verdade? Quando se diz por aí que "os fatos são indiscutíveis, é necessário interpretá-los", estranhe. No final das contas, interpretações se fantasiam de fatos, os verdadeiros fatos são sepultados pelas versões e, assim, a realidade se perde. O que se vê, na verdade, é que as várias interpretações tornam-se onipresentes, e o necessário (e complicado) é interpretá-las...

A obra de Ana Maria Machado é muito mais sobre a infâmia ― com artigo definido ― do que, propriamente, a respeito de alguma infâmia. No caso, duas histórias, correndo em paralelo, que cumprem o papel de fazer um alerta, muito forte e atual, sobre os mecanismos através dos quais vidas são destruídas por conta de mecanismos de ocultação e deturpação da verdade.

De um lado, o embaixador Manuel Serafim Soares de Vilhena, chamado Manu entre os íntimos, chefe de uma família com tradição na carreira diplomática brasileira. Leitor por gosto e profissão, gosta de se dizer "intruso" das histórias, que lê e acompanha de perto, vivenciando-as. Ao longo da trama, por conta de uma catarata, encontra-se impossibilitado de fazer leituras e contrata a filha de um amigo para que cumpra a função de seus olhos, lendo para ele. No curso dos acontecimentos, o embaixador, que se nota tão perspicaz diante dos acontecimentos noticiados na mídia e das viagens encontradas na literatura, sente-se fracassado por não ter conseguido acompanhar a decadência da filha recém-perdida. Manu se questiona, por várias vezes, como foi que ele não conseguiu enxergar a urgência do caso da filha, o sofrimento que a vitimou. Neste caso, não foi "intruso", não foi um bom leitor.

Em paralelo, a história de um chefe de almoxarifado de uma repartição pública, chamado Custódio Fialho Borges Filho. Há anos trabalhando naquele Instituto, Custódio subiu até onde podia na carreira. Nessa condição, conseguiu dar meios para que os filhos corressem atrás dos próprios sonhos profissionais. Sentia-se satisfeito com isso. Mas, em sua posição, acabou constatando certas irregularidades que vinham sendo feitas pela nova diretoria. Em busca de justiça, por entender que um funcionário público, como diz o nome, deve funcionar para o público, resolve buscar meios de denunciar o ocorrido em seu local de trabalho. Através do contato com um jornalista, dispara a investigação da mídia e lança, "em horário nobre", o podre que se apossava do Instituto nos últimos tempos.

Embaixador e funcionário público: distantes em seus postos, próximos em suas tragédias. Ambos começam a notar que a realidade nem sempre corresponde à verdade e que, muitas vezes, versões magistralmente construídas são postas em seu lugar e iludem, fazendo da verdade uma opção descartada na construção desta realidade. Lançados em cenários construídos com muitas peças falsas, sofrem na busca do verdadeiro que está por trás, acreditando ser possível encontrá-lo.

Manuel Serafim Soares Vilhena, experiente nos meios políticos e diplomáticos, choca-se com a mentira a respeito da morte da filha. De fragmentos escritos pela mesma, até relatos de pessoas próximas, muitas pistas são recolhidas a fim de desvelar o que, efetivamente, ocorreu. Sentindo-se cada vez mais descrente do que lhe fora relatado, coloca-se no encalço da verdade, o que muda todo o cenário, altera cursos de vida, desfaz imagens sobre pessoas... A investigação mostra que o chão firme da realidade não passava de ilusão.

Custódio, por sua vez, constata rapidamente que a verdade nem sempre é o que importa. Vendo toda a sua denúncia, na busca da justiça, tornar-se um monstro incontrolável capaz de destruir vidas, pela deturpação de interpretações, o funcionário público luta para manter a esperança. Na mídia, vê toda a verdade revelada, mas apresentada de forma a servir à mentira, à farsa, ao roubo... "Tudo é verdade e nada é verdade", constatação do velho trabalhador ― a mesma d'O Estrangeiro de Camus, quando via o processo de que era réu fazer-se por uma ligação de fatos verdadeiros que construíam uma interpretação, uma versão somente favorável à acusação.

Ligadas, na trama, por relacionamentos entre os vários personagens, as histórias encaixam-se no sentido de construir o alerta: a infâmia, vil mecanismo de ocultação da verdade, tão presente na sociedade contemporânea, é um mal gravíssimo. A lição de um dos personagens é clara: "Atento, fui aprendendo que todo relato tem interpretações. Mais de uma. Nenhuma é a única correta. Mas muitas são apenas falsas, mentirosas".

A infâmia gera consequências terríveis, irreparáveis, e muitas vezes ela é construída pela fé cega que se tem em relatos, argumentos de autoridades, versões da mídia, gritos e acusações dos inimigos... Já Hamlet, de Shakespeare, lembrava que basta uma partícula impura para que toda a substância torne-se desprezível, que um pequeno defeito solapa toda a moral de um homem aos olhos alheios. Assim, maculadas pela infâmia, ainda que em uma mísera partícula (uma denúncia infundada), vidas inocentes são terrivelmente destruídas.

História permeada de referências a acontecimentos recentes do país, Infâmia é um livro que chama à responsabilidade o leitor: de que se alimentam as infâmias, as interpretações grotescas e deturpadas da verdade, se não do eco a elas feito? "Muitas vezes o crime não é aquilo que está sendo denunciado, mas a denúncia em si. Verdadeiros assassinatos de caráter, que é o nome técnico que os especialistas dão a isso", diz o embaixador personagem. Cumpre que os leitores, da imprensa, da literatura, dos relatos cotidianos, não sejam meros reprodutores, mas tornem-se críticos. Que as distorções da realidade não tornem a história infame...

Para ir além






Ivan Bilheiro
Juiz de Fora, 17/8/2011

Quem leu este, também leu esse(s):
01. Primavera para iniciantes de Elisa Andrade Buzzo
02. Lamartine Babo e futebol, uma simbiose de Marco Garcia
03. A verdade somente a verdade? de Adriane Pasa
04. O risco de se tornar um sem-noção de Marta Barcellos
05. Figuras de linguagem e a escrita criativa de Marcelo Spalding


Mais Ivan Bilheiro
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
19/8/2011
10h54min
Ana Maria Machado disse uma coisa curiosa num programa de televisão, a respeito desse livro: que ele vinha numa linha de títulos como "Desonra", de Coetzee, "Reparação", de Ian McEwan, "Humilhação", de Roth, e outros. Verdade: o que será que leva tantos autores de países diferentes a criar títulos assim, em onda mundial?
[Leia outros Comentários de francisco lopes]
24/8/2011
18h37min
Belo texto, Ivan! Essa discussão sobre a verdade é interessantíssima. E a frase "descontruída" no primeiro parágrafo já foi motivo de outras conversas. Pra ser sincero, não conhecia nem a autora nem o livro, mas me parece muito bom! As menções a Camus e Shakespeare engrandecem ainda mais o texto e a discussão em si.
[Leia outros Comentários de Rogério Arantes Luis]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Mini Shopaholic
Sophie Kinsella
Random House
(2011)



A Segunda Mais Antiga Profissão do Mundo
Paulo Francis
Três Estrelas;
(2016)



Livro Infanto Juvenis A Pequena Sereia Clássicos Disney Para Ler e Ouvir Volume 10
Disney
Abril Coleções
(2008)



Alquimia Exotérica da Criação
Ambra Je
Scortecci



Civilizações Megalíticas
Hans Biedremann
Editorial Verbo
(1971)



Exchanging visions of a responsible, plural, solidarity economy-RPSE
Vários Autores
Desconhecido



Livro Infanto Juvenis O Grande Lobo Mau Confissões de um Vilão de Contos de Fada
Claire Pyatt
Livro
(2014)



Casa de Bonecas
Herik Ibsen
Veredas
(1990)



Lenga Lenga do Folclore
Simão de Miranda
Elementar
(2019)



Cabra-Cega
Carlos Nascimento Silva
Relume Dumará
(1998)





busca | avançada
50856 visitas/dia
2,3 milhões/mês