Faxina de Ano Novo: também no Facebook | Adriana Baggio | Digestivo Cultural

busca | avançada
83267 visitas/dia
2,3 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Zeca Camargo participa de webserie sobre produção sustentável de alimentos
>>> Valéria Chociai é uma das coautoras do novo livro Metamorfoses da Maturidade
>>> Edital seleciona 30 participantes do país para produção de vídeos sobre a infância
>>> Joca Andreazza dirige leitura de Auto da Barca de Camiri na série 8X HILDA
>>> Concerto Sinos da Primavera
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Um antigo romance de inverno
>>> O acerto de contas de Karl Ove Knausgård
>>> Assim como o desejo se acende com uma qualquer mão
>>> Faça você mesmo: a história de um livro
>>> Da fatalidade do desejo
>>> Cuba e O Direito de Amar (3)
>>> Isto é para quando você vier
>>> 2021, o ano da inveja
>>> Pobre rua do Vale Formoso
>>> O que fazer com este corpo?
Colunistas
Últimos Posts
>>> Queen na pandemia
>>> Introducing Baden Powell and His Guitar
>>> Elon Musk no Clubhouse
>>> Mehmari, Salmaso e Milton Nascimento
>>> Gente feliz não escreve humor?
>>> A profissão de fé de um Livreiro
>>> O ar de uma teimosia
>>> Zuza Homem de Mello no Supertônica
>>> Para Ouvir Sylvia Telles
>>> Van Halen ao vivo em 1991
Últimos Posts
>>> Janelário
>>> A vida é
>>> (...!)
>>> Notívagos
>>> Sou rosa do deserto
>>> Os Doidivanas: temporada começa com “O Protesto”
>>> Zé ninguém
>>> Também no Rio - Ao Pe. Júlio Lancellotti
>>> Sementinas
>>> Lima nova da velha fome
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Entrevista com Paulo Polzonoff Jr.
>>> A Marcha da Família: hoje e em 1964
>>> A escola está acabando
>>> Co-opting creative revolution
>>> Gigantes de Tecnologia na Bolsa dos EUA
>>> Daily Rituals - How Artists Work, by Mason Currey
>>> Quem é o abutre
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> O computador de antigamente
>>> Privacidade
Mais Recentes
>>> Revista hot--36--frances sarado. de Sisal pela Sisal
>>> Revista hot--22--picape corsa--opala x opala. de Sisal pela Sisal
>>> Revista carstereo tuning--70--maremoto de Crazy turkey pela Crazy turkey
>>> Carros antigos--02--40 modelos de Escala pela Escala
>>> Revista opala & cia--10--ss caravan--discreto street rod. de On line pela On line
>>> Revista transporte mundial--6--catalogo de onibus e microonibus 2005 de Motor press brasil pela Motor press brasil (2005)
>>> Office 2007 Excel 2007 Básico de Gilberto Carniatto dos Santos pela Senac (2008)
>>> Info Profissional EXCEL de Vários pela Abril (2021)
>>> Venda Mais Nº79 - 2000 GAY de Vários pela Quantum (2000)
>>> Você s/a Exame. As melhores empresas para você trabalhar (edição de 15 anos) de Vários pela Abril (2011)
>>> Nova escola Nº271/2014 (avaliação processual) de Vários pela Abril (2014)
>>> Carta Fundamental Nº44 Era uma vez de Vários pela Carta capital (2013)
>>> Brasil Almanaque Cultura Popular. (edição de aniversário) Nº144 de Vários pela Andreato (2011)
>>> Não se apega, não de Isabela Freitas pela Intrínseca (2015)
>>> Não se apega, não de Isabela Freitas pela Intrínseca (2015)
>>> Pro Teste nº31/nov/2004 - nº34/Mar/2005 - nº22/Fev/2004 de Vários pela Proteste (2004)
>>> Pro Teste Nº129/2013 (Sabões em pó e líquido) de Vários pela Proteste (2013)
>>> Em busca do tempo perdido Vol 3. Dic Porto Fr-Pt-Pt-Fr c/ CD. O Escafandro e a Borboleta de Marcel Proust / Porto / Jean-Dominique Bauby pela Globo
>>> Pro Teste nº67/2008 - nº48/2006 de Vários pela Proteste (2008)
>>> Pro Teste nº122/mar/2013 - nº49/Jul/2006 de Vários pela Proteste (2013)
>>> Pro Teste nº127 - nº123 de Vários pela Proteste (2013)
>>> Password English Dictionary For Speakers of Portuguese de Martins Fontes pela Martins Fontes (1998)
>>> Vidas Secas de Graciliano Ramos pela Record
>>> New Framework 4a de Richmond pela Richmond
>>> New Framework Student Book 2A de Rich pela Richmond
COLUNAS

Quarta-feira, 11/1/2012
Faxina de Ano Novo: também no Facebook
Adriana Baggio

+ de 4400 Acessos

Para muitas pessoas, essa época de fim de um ano e início de outro inspira desejos de limpeza e arrumação. Fazer a faxina está naquele grupo de atitudes que parecem nos deixar mais leves para o novo ano, assim como as promessas de perder peso, economizar dinheiro, não brigar com a família.

Faz algum tempo que deixei de ligar para alguns dos mais típicos rituais de Ano Novo: cor da calcinha, roupa nova, os grãos de uva, o pulinho das ondas. Não que eu seja cética ou cínica: é mais uma questão de afinidade com as superstições. Se esses rituais não me sensibilizam, porém, o da arrumação é o contrário: acredito com todas as minhas forças que se desfazer das tralhas traz um novo ano muito melhor.

Em primeiro lugar, porque é preciso fazer uma seleção do que será descartado, o que leva à reflexão. Exige examinar as coisas que foram guardadas e os motivos de terem sido conservadas. Foi por nostalgia? Obrigação? Poucos dos objetos que guardamos são realmente necessários e alguns nem nos fazem bem.

Ter muitas coisas pode oferecer uma sensação de ganho, mas na verdade acarreta a perda de um bem precioso: tempo. Tempo de gerenciar o acúmulo, tempo que se gasta procurando alguma coisa, tempo destinado, justamente, na tal faxina anual. Tempo que poderia ser usado para outras coisas mais úteis, ou mais legais, ou que trazem mais alegria à vida.

Escrutinar os armários e tentar organizá-los também nos dá a dimensão do volume e dos motivos do nosso consumo. Ao contrário do que nos acostumamos a pensar, o consumo não se dá apenas com objetos, com bens materiais. Muito do que consumimos é abstrato e não é pago em dinheiro, mas em recursos ainda mais preciosos: tempo e energia. E se o final do ano é a época de se livrar das tranqueiras, há um lugar onde essa faxina se torna urgente: a timeline do Facebook.

Apesar de suas funcionalidades gerais, os usos que as pessoas fazem do sistema podem ter alguma variação. Não é muito diferente dos "usos" que fazemos das redes sociais "reais" que integramos. Basta lembrar da turma da faculdade: para alguns, era a turma das festas, da diversão; para outros, era tão somente um grupo de estudos; havia ainda os que vendiam produtos de catálogo e bombons para a hora do lanche; e tinha também aquele pessoal que só acompanhava de longe, sem participar de nada. Cada um faz o uso que desejar do Facebook. E, por isso, quando a sua timeline começa a apresentar usos que não combinam com o seu, talvez seja a hora de fazer a tal faxina.

Considero esse espaço como uma rede de relacionamento e de informação, que reúne amigos verdadeiros, alunos e ex-alunos, colegas e ex-colegas de trabalho, profissionais do mercado e pessoas que eu considero interessantes — e algumas que talvez me considerem da mesma forma. E assim como gosto de receber informação de qualidade, procuro postar esse tipo de informação também. Para meus critérios, informação de qualidade vai desde a divulgação de um evento da minha área de atuação até uma postagem espirituosa, passando por uma boa fofoca. Mesmo as idiossincrasias do cotidiano alheio podem me interessar, seja por mostrar como a pessoa leva sua vida, seja pelo jeito legal ou engraçado de escrever ou puramente pela curiosidade em perceber as vaidades e inseguranças dos outros a partir do que divulgam em seus perfis.

Mas se tem uma coisa que decididamente não me interessa no Facebook são as mensagens prontas, as lições de moral e as posturas preconceituosas. Isso parece ter aumentado proporcionalmente — como é natural — com o crescimento da rede. E assim como um armário cheio de tranqueiras pede por uma limpeza, sinto que preciso fazer alguns descartes de contatos do Facebook. Nada pessoal contra esses perfis: é uma forma de racionalizar o consumo de informação, mantendo o que é interessante e evitando o desperdício de tempo e energia.

Em O culto do amador (Zahar, 2009, 208 p.), Andrew Keen critica a facilidade de acesso à expressão que é proporcionada, basicamente, pela internet. Para ele, os blogs, o YouTube e os sites de redes sociais permitem a produção e a distribuição de muita porcaria. Concordo com a parte da porcaria (eu mesma contribuo bastante com esse tipo de "lixo eletrônico"), mas ao contrário dele, acho isso positivo.

Por exemplo: todo mundo tem o direito de postar, seguidamente, mensagenzinhas e e liçõezinhas de moral em seu perfil no Facebook, seguidas da chancela #FATO, e eu seria a primeira a defender esse direito. Mas, na minha timeline, esse tipo de postagem é #TRANQUEIRA. Ao invés de copiar e colar essas mensagens breguinhas, por que as pessoas não tentam se manifestar por conta própria? Por que não escrevem algo da sua cabeça? Que tal produzir conteúdo original, ao invés de apenas repetir o que os outros falam? Em suma: por que não exercitar plenamente seu direito e sua possibilidade de expressão?

Algumas das postagens mais divertidas que aparecem na minha timeline são de uma aluna da faculdade onde ensino. Ela não escreve nada profundamente inteligente nem exatamente útil. Não divulga eventos e nem descobre links de blogs descolados. Seus pequenos textos falam do cotidiano, principalmente das coisas que lhe acontecem no ônibus que a leva para casa, na região metropolitana de Curitiba. Ela é engraçada, divertida, sarcástica. E não comete erros de português, com os quais implico bastante. Isso é um exemplo do que chamo de informação de qualidade, de conteúdo próprio — só para o caso de você estar me achando uma esnobe do Facebook.


Adriana Baggio
Curitiba, 11/1/2012


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Cinemateca, Cinemateca Brasileira nossa de Elisa Andrade Buzzo
02. Crônica à la Caio Fernando Abreu de Elisa Andrade Buzzo
03. Paris branca de neve de Renato Alessandro dos Santos
04. Não quero ser Capitu de Cassionei Niches Petry
05. Os Doze Trabalhos de Mónika. Epílogo. Ambaíba de Heloisa Pait


Mais Adriana Baggio
Mais Acessadas de Adriana Baggio
01. Apresentação - 31/5/1974
02. Maria Antonieta, a última rainha da França - 16/9/2004
03. Dicas para você aparecer no Google - 9/3/2006
04. Ser bom é ótimo, mas ser mau é muito melhor* - 24/4/2003
05. E você, já disse 'não' hoje? - 19/10/2011


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Um Capitalista Em Moscou
Armand Hammer
Best Seller
(1989)
R$ 26,00



Rumo a uma Vida Significativa
Simon Jacobson (adap)
Maayanot
(2001)
R$ 60,00



Sociedade e Território Vol. 29 Julho Revista de Estudos Urbanos e R...
Diversos Autores
Reur
(1999)
R$ 22,33



História da Venerável Ordem 3ª da Penitência do Seráfico..
Marieta Alves - 5766
Sec Cultura Est. Bahia
(1948)
R$ 65,00



Santa Rita Velha Safada
Mouzar Benedito
Santa Rita Velha Safada
(1987)
R$ 25,00



Garota Online
Zoe Sugg
Verus
(2015)
R$ 28,37



Meu Pescoço é um Horror - e Outros Papos de Mulher -7593
Nora Ephron
Racco
(2007)
R$ 10,00



Estratégia Empresarial E Negóciacao
Eduardo Pinto Vilas Boas
Kls
(2016)
R$ 35,00



Destrinchando
Lucas Machado
Atividade
(2003)
R$ 9,00



Navegar é Preciso (crônicas de Muitas Lutas) 2 Volumes
J. C. de Macedo Soares Guimarães
Rio Fundo
(1996)
R$ 30,00





busca | avançada
83267 visitas/dia
2,3 milhões/mês