Maria Antonieta, a última rainha da França | Adriana Baggio | Digestivo Cultural

busca | avançada
35423 visitas/dia
1,3 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
>>> Banco Inter É uma BOLHA???
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Lançamento de livros em Natal
>>> Simone de Beauvoir: da velhice e da morte
>>> Simone de Beauvoir: da velhice e da morte
>>> Michael Jackson Tweeting
>>> O Conselheiro também come (e bebe)
>>> Troca-troca
>>> Harry, Rony e Hermione
>>> A comédia de um solteiro
>>> O palhaço, de Selton Mello
Mais Recentes
>>> Kit Terapia da Vida, da Aceitação, do Perdão de Lisa Engelhardt/david W. Schell pela Paulus (2019)
>>> O Mundo O Brasil O Homem de Darcy Bessone de Oliveira Andrade pela UFMG (1966)
>>> O Mundo O Brasil O Homem de Darcy Bessone de Oliveira Andrade(Autografado) pela UFMG (1966)
>>> Para Enriquecer, Pense como um Milionário de Howard E.Hill pela Ibrasa (1969)
>>> Domine o Seu Sistema Nervoso de David Harold Fink, M.D. pela Cientifica
>>> O Ateneu (Crônica de Saudades) - Série Bom Livro de Raul Pompéia pela Ática (1976)
>>> A Relíquia - Biblioteca Folha nº 6 de Eça de Queiroz pela Ediouro (1997)
>>> O Caçador de Nuvens - Poemas de Messias Marcelino Lopes pela Casa do Novo Autor (2011)
>>> Do Renascimento ao Impressionismo através das obras do... de Alberto Tassinari pela Berlendis & Vertecchia (1995)
>>> As 25 Leis Bíblicas do Sucesso de William Douglas e Rubens Teixeira pela Sextante (2012)
>>> Rezar os Salmos Hoje de Francisco Teixeira / Carlos Mesters pela Livraria Duas Cidades (1970)
>>> Cristo está Vivo de Michel Quoist pela Livraria Duas Cidades (1973)
>>> Padres e Bispos Auto-Analisados de João Mohana pela Livraria Agir (1967)
>>> Sofrer e Amar (Psicologia do Sofrimento) de João Mohana pela Livraria Agir (1966)
>>> O Mundo e Eu de João Mohana pela Livraria Agir (1967)
>>> Amor e Responsabilidade de João Mohana pela Livraria Agir (1966)
>>> O Encontro de João Mohana pela Livraria Agir (1976)
>>> Obras de Eça de Queiroz Vol. XI - Edição do Centenário - 1947 - Formato Grande de Obras de Eça de Queiroz pela Lello & Irmão (1947)
>>> Obras de Eça de Queiroz Vol. IX - Edição do Centenário - 1947 - Formato Grande de Obras de Eça de Queiroz pela Lello & Irmão (1947)
>>> Obras de Eça de Queiroz Vol. XIII ...- Edição do Centenário - 1948 - Formato Grande de Obras de Eça de Queiroz pela Lello & Irmão (1948)
>>> Obras de Eça de Queiroz Vol. III... - Edição do Centenário 1946 - Formato Grande de Obras de Eça de Queiroz pela Lello & Irmão (1946)
>>> Santa - Helena de Octave Aubry pela Irmãos Pongetti
>>> O Retrato de Valentina de Afonso Schmidt pela Inst.Progresso Ed. (1948)
>>> Sainte Thérèse d'Avila/Lazarillo de Tormès/Christophe Colomb de Georges Haldas et José Herrera Petere pela Rencontre Lausanne (1963)
>>> Desenvolvimento Sustentável no Amapá: Uma visão crítica de Alain Ruellan/ Manuel Cabral e Nilson... pela Fund.João Mangabeira (2007)
>>> As Intermitências da Morte de José Saramago pela Companhia das Letras (2005)
>>> A Verdade Acima de Tudo de Eric Knight pela Universitária (1941)
>>> A Oração Pode Mudar Sua Vida de José Lázaro Boberg pela EME (2008)
>>> O Analista de Bagé de Luís Fernando Veríssimo pela Círculo do Livro
>>> Noventa e Três de Vitor Hugo pela Livraria Chardron
>>> Hacia La Estación de Finlandia de Edmund Wilson pela Alianza Ed.Madrid (1972)
>>> O Poder da Mente Humana em 9 volumes de Vários Autores pela Loyola
>>> Direito Penal em 4 volumes de E.Magalhães Noronha pela Saraiva (1973)
>>> Curso de Eletrônica volume 1 de U.S.Navy, Bureau of Naval Personnel... pela Hemus (1976)
>>> Superdicionário Língua Portuguesa de Francisco Fernandes/ Celso Pedro Luft pela Globo (1999)
>>> E Se Fosse Com Você? de Sandra Saruê pela Melhoramentos (2011)
>>> Deu no New York Times de Larry Rohter pela Objetiva (2007)
>>> Mega Dicionário de Termos Técnicos e Populares: da Saúde de Eduardo Nogueira pela Rovelle (2007)
>>> Rosas do Brasil de Sérgio Schaefer pela Edunisc (2006)
>>> Rosas do Brasil de Sérgio Schaefer pela Edunisc (2006)
>>> Novo Curso de Direito Civil Volume I Parte Geral de Pablo Stolze Gangliano e Rodolfo Pamplona Filho pela Saraiva (2007)
>>> Uma Execucao na Familia: a Jornada de um Filho de Pais Condenados A... de Robert Meeropol pela Casa Amarela (2006)
>>> Vexame -os Bastidores do Fmi na Crise Que Abalou o Sistema Financeiro de Paul Blustein pela Economia (2002)
>>> Vexame -os Bastidores do Fmi na Crise Que Abalou o Sistema Financeiro de Paul Blustein pela Economia (2002)
>>> Vexame -os Bastidores do Fmi na Crise Que Abalou o Sistema Financeiro de Paul Blustein pela Record (2002)
>>> A Dinâmica da Estratégia Competitiva de George S. Day e Outros pela Campus (1999)
>>> Travessia do Pantanal de Luís M. Neto - Maria T. Büchele pela Nova Letra (2006)
>>> Veronika Decide Morrer e o Zahir - Dois Livros de Paulo Coelho pela Sextante (2012)
>>> Direito Constitucional e Direito Administrativo de Aglair Figueiredo Villas Couto pela Impactus (2006)
>>> O Livro de Ouro da Mitologia - Historias de Deuses e Herois de Thomas Bulfinch pela Agir (2019)
COLUNAS

Quinta-feira, 16/9/2004
Maria Antonieta, a última rainha da França
Adriana Baggio

+ de 73500 Acessos
+ 1 Comentário(s)

A lembrança mais forte acerca de Maria Antonieta, rainha da França, é que teria sugerido ao povo faminto que comesse brioches, já que não havia pão. E que por conta de desatinos como esse, teve a cabeça decepada pela guilhotina da Revolução Francesa.

Para quem se interessar em conhecer mais a fundo a história da esposa de Luís XVI, vale a pena conferir Maria Antonieta: a última rainha da França. O livro, lançado este ano pela Editora Objetiva, é fruto de uma exaustiva pesquisa feita pela historiadora Evelyne Lever. Para compor um retrato não apenas da rainha, mas também das questões políticas da Europa no século XVIII, a autora baseou-se em documentos oficiais e cartas de pessoas que compartilharam da intimidade de Maria Antonieta e de sua família, tanto na corte de Viena, onde ela nasceu, quanto na corte francesa.

De tão detalhado, o relato chega a ser um pouco cansativo. O livro conta a história da rainha desde o seu nascimento até a morte. Primeiro, os dias felizes em Viena, com a família, em um estilo de vida muito mais simples do que as inumeráveis exigências de protocolo e etiqueta que precisaria seguir na França. A autora deteve-se em detalhes como as roupas usadas por Maria Antonieta, os pratos que compunham suas refeições e até os diálogos entabulados com as pessoas que lhe eram próximas. Alguns desses detalhes poderiam ter sido suprimidos, bem como uma certa forma de narrativa muito descritiva. Percebe-se, é claro, uma intenção em comprovar os fatos relatados, o que diferencia essa biografia de outras obras mais fantasiosas.

Apesar de não focar exatamente nos aspectos políticos da França e da Europa do século XVIII, é impossível falar de Maria Antonieta sem contextualizar a época em que viveu. A abordagem política fica mais presente quando as atitudes da rainha começam a servir de motivo para as revoltas populares que há muito já se previam. A mistura de egoísmo, arrogância, ingenuidade e futilidade ajudaram a formar uma imagem dela para o povo e seus desafetos que refletia o comportamento da nobreza francesa em geral. Privilégios às pessoas de seu interesse, preocupações com as intrigas da corte, um modo de vida luxuoso e dispendioso e uma completa alienação dos problemas do povo e também das implicações políticas de seus atos, contribuiram para levar a rainha à guilhotina.

Mas o livro não se atém apenas aos defeitos: mostra uma mulher corajosa, de personalidade, prejudicada pela pressão e pela chantagem emocional exercida pela mãe, a rainha da Áustria, mesmo à distância. As atitudes tomadas por Maria Antonieta na corte muitas vezes foram vistas - e apresentadas - como traição. Por conta de sua alienação e do desejo de levar a vida da maneira que lhe interessava e agradava, a rainha não percebia as implicações negativas de seus atos junto ao Rei e aos ministros, quando tentava, em vão, obter posições privilegiadas para as intenções políticas do império austríaco.

Apesar da dificuldade inicial do casamento com Luís XVI, eles tornaram-se um casal unido, inclusive na alienação e na ingenuidade. Enquanto ela se preocupava com os divertimentos e com uma tentativa de viver uma outra vida através da encenação de peças teatrais, na qual era um dos personagens, o rei esquecia-se da vida e dos problemas do país nas caçadas e nas suas oficinas de trabalhos manuais com madeira e ferro. Nenhum dos dois quis ver o quer acontecia a sua volta.

Na verdade, eles não podem ser culpados. Reclusos na vida da corte, tanto Luís quanto Maria Antonieta não foram incentivados a conhecer mais sobre o que acontecia no mundo iluminista, sobre a realidade, sobre os problemas do país. Apesar do esclarecimento da época, a monarquia ainda era vista como algo divino, independente da vontade dos súditos. Por isso a recusa do rei, até o final, em aceitar uma constituição e uma posição menos poderosa nessa nova forma de governo. Por conta dessa teimosia, tanto ele quanto a rainha acabaram sendo acusados e executados como traidores da França.

A imagem de Maria Antonieta, denegrida durante a Revolução Francesa, foi reabilitada após sua morte. Em outro extremo, foi considerada a Rainha Mártir, por seu sofrimento na prisão e na execução. Atualmente, o que a autora de sua biografia propõe é que se veja a rainha nem como uma coisa, nem como outra. Apesar de fútil, egoísta e alienada, ela foi mais o bode expiatório de uma situação da qual apenas fazia parte, mas não poderia ser considerada responsável. Por outro lado, sua coragem e sua lealdade à família fazem dela uma personalidade a ser admirada.

De todas as "lendas" sobre Maria Antonieta, uma parece ser verdadeira: ela teria tido um relacionamento com um nobre sueco, devido à dificuldade em manter uma vida sexual e amorosa normal com o rei. Por outro lado, a história dos brioches não é verdadeira. Teria sido contada por Rousseau, mas referia-se a outra pessoa. Segundo o livro, por mais alienada que fosse, nem Maria Antonieta teria falado uma asneira tão grande.

Para ir além






Adriana Baggio
Curitiba, 16/9/2004


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Literatura, quatro de julho e pertencimento de Guilherme Carvalhal
02. A imaginação do escritor de Renato Alessandro dos Santos
03. Lembrança de Plínio Zalewski de Celso A. Uequed Pitol
04. Caindo as fichas do machismo de Marta Barcellos
05. A biblioteca de C. G. Jung de Ricardo de Mattos


Mais Adriana Baggio
Mais Acessadas de Adriana Baggio em 2004
01. Maria Antonieta, a última rainha da França - 16/9/2004
02. Do que as mulheres não gostam - 14/10/2004
03. O pagode das cervejas - 18/3/2004
04. Publicidade gay: razão ou sensibilidade? - 19/8/2004
05. ¡Qué mala es la gente! - 27/5/2004


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
23/3/2008
12h59min
a autoria da frase "que comam brioches" pode ser encontrada na biografia sobre Maria Antonieta que foi citada. realmente, ela nunca disse tal.
[Leia outros Comentários de antonio carlos meira]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




ULTRA-ESTRUTURA E FUNÇÃO CELULAR
L. C. U. JUNQUEIRA / L. M. M. SALLES
GUANABARA KOOGAN
(1975)
R$ 58,00



STARTERS - SOBREVIVER É APENAS O COMEÇO
LISSA PRICE
NOVO CONCEITO
(2012)
R$ 12,00



VERONIKA DECIDE MORRER
PAULO COELHO
OBJETIVA
(1998)
R$ 9,80



AS QUALIDADES POSITIVAS DOS FLORAIS DE BACH
HUGH MACPHERSON
AQUARIANA
(1992)
R$ 12,00



ANGLO VESTIBULARES PORTUGUÊS 2 LITERATURA
CACIO ANTONIO DE CASTRO - IVAN PRADO TEIXEIRA...
ANGLO
(2003)
R$ 4,99



APELO AOS VIVOS
ROGER GARAUDY
NOVA FRONTEIRA
(1981)
R$ 7,00



O VÍNCULO DO PRAZER
MASTERS & JOHNSON
RECORD
(1975)
R$ 12,24



MONIZ SODRÉ E A REPÚBLICA DEMOCRÁTICA
EDMUNDO MONIZ (DEDICATÓRIA)
NOVA ÉPOCA (RJ)
(1981)
R$ 28,28



ALMA E CORAÇÃO
FRANCISCO CÂNDIDO XAVIER / EMMANUEL
PENSAMENTO
(1969)
R$ 13,00



SOCIEDADE E ESPAÇO GEOGRAFIA GERAL E DO BRASIL
J WILLIAM VESENTINI
ATICA
(1997)
R$ 4,90





busca | avançada
35423 visitas/dia
1,3 milhão/mês