Detefon, almofada e trato | Adriana Baggio | Digestivo Cultural

busca | avançada
53121 visitas/dia
2,0 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Projeto lança minidocumentário sobre a cultura do Gambá na Amazônia
>>> Cinema itinerante leva sessões gratuitas a cidades do Sudeste e do Sul
>>> Artistas abrem campanha de financiamento para publicação de graphic novel
>>> Projeto que une cultura e conscientização ambiental traz teatro gratuito a Minas Gerais
>>> Show da Percha com Circo do Asfalto
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Jô Soares (1938-2022)
>>> Casos de vestidos
>>> Elvis, o genial filme de Baz Luhrmann
>>> As fezes da esperança
>>> Quem vem lá?
>>> 80 anos do Paul McCartney
>>> Gramática da reprodução sexual: uma crônica
>>> Sexo, cinema-verdade e Pasolini
>>> O canteiro de poesia de Adriano Menezes
>>> As maravilhas do modo avião
Colunistas
Últimos Posts
>>> Canções Cruas, por Jacque Falcheti
>>> Running Up That Hill de Kate Bush por SingitLive
>>> Oye Como Va com Carlos e Cindy Blackman Santana
>>> Villa candidato a deputado federal (2022)
>>> A história do Meli, por Stelleo Tolda (2022)
>>> Fabio Massari sobre Um Álbum Italiano
>>> The Number of the Beast by Sophie Burrell
>>> Terra... Luna... E o Bitcoin?
>>> 500 Maiores Álbuns Brasileiros
>>> Albert King e Stevie Ray Vaughan (1983)
Últimos Posts
>>> Direitos e Deveres, a torto e a direita
>>> Os chinelos do Dr. Basílio
>>> Ecléticos e eficazes
>>> Sarapatel de Coruja
>>> Descartável
>>> Sorria
>>> O amor, sempre amor
>>> The Boys: entre o kitsch, a violência e o sexo
>>> Dura lex, só Gumex
>>> Ponto de fuga
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Cisne Negro: por uma inversão na ditadura do gozar
>>> Filosofia teen
>>> Extraordinary Times
>>> O melhor programa cultural
>>> As estrelas e os mitos
>>> Open Culture
>>> Conselheiros não se aconselham
>>> Sartre e a idade da razão
>>> O filósofo da contracultura
>>> O Presépio e o Artesanato Figureiro de Taubaté
Mais Recentes
>>> A guerra doa botões de Louis Pergaud pela Ediouro (1994)
>>> A árvore que dava dinheiro de Domingos Pellegrini pela Moderna (1982)
>>> A árvore que dava dinheiro de Domingos Pellegrini pela Moderna (1983)
>>> A árvore que dava dinheiro vol. 3 novela de Domingos Pellegrini pela Ática (2002)
>>> Artemis fowl de Eoin Colfer pela Record (2008)
>>> A estranha Madame Mizu de Thierry Lenaín pela Companhia das Letrinhas (2003)
>>> Sherlock Holmes em: Os seis bustos de napoleão e outras histórias de Arthur Conan Doyle pela L&PM Pocket (1999)
>>> Universidade das crianças/Cientistas explicam os enigmas do mundo de Ulrich Janben e Ulla Steuernagel pela Planeta (2008)
>>> A formulação de objetivos de ensino de Robert F. Mager pela Globo (1980)
>>> Avaliação institucional da universidade de Antônio Amorim pela Cortez (1992)
>>> O estudante de Adelaide Carraro pela Global (2003)
>>> Símbolos Antigos e Sagrados - Biblioteca Rosacruz XXIII de Ralph M Lewis F.R.C. pela Renes (1979)
>>> Ab-reação Análise dos Sonhos, Transferência de C. G. Jung pela Vozes (1999)
>>> Leitura de Estudo: ler para aprender a estudar e estudar para aprender a ler de Leda Tessari Catello Pereira pela Alínea (2003)
>>> Pfuenprinzessin de Indu Sundaresan pela Fischer (2005)
>>> Espiritualidade e Transcendência de C. G. Jung pela Vozes (2007)
>>> Deuses Americanos de Neil Gaiman pela Intrínseca (2016)
>>> Amaldiçoado de Joe Hill pela Arqueiro (2015)
>>> As Paixões da Ciência Estudo de História das Ciências de Nilton Japiassu pela Letras & Letras (1991)
>>> Corra, Alex Cross de James Patterson pela Arqueiro (2014)
>>> Manual da Felicidade de José Hermógenes pela Universo paralelo
>>> Amaldiçoadas de Jessica Spotswood pela Arqueiro (2014)
>>> Despertada - Série House Of Night 8 de P. C. Cast + kristin Cast pela Novo Século (2017)
>>> Doutrinados de Trisha Leaver; Lindsay Currie pela Gutenberg (2016)
>>> Mestre das Chamas de Joe Hill pela Arqueiro (2017)
COLUNAS >>> Especial 1964-2004

Quinta-feira, 29/4/2004
Detefon, almofada e trato
Adriana Baggio

+ de 9100 Acessos
+ 2 Comentário(s)

A democracia é um sistema político consolidado no Brasil, certo?

Se você respondeu "sim" convictamente, é melhor rever sua opinião. Após 20 anos das Diretas Já e 40 anos do golpe militar, a divulgação dos resultados de uma pesquisa sobre a democracia na América Latina, realizada pelo PNUD (Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento), só faz reforçar a lenda da memória curta do brasileiro.

A pesquisa, intitulada A Democracia na América Latina, foi realizada em todos os países latinos do continente e ouviu mais de 18 mil pessoas. O relatório levou dois anos para ficar pronto e apresenta, entre outros aspectos, a opinião da população sobre a democracia, os principais problemas dos países, o grau de confiança nas instituições públicas e no governo e também o chamado IDE. O IDE, Índice de Democracia Eleitoral, avalia a participação da população nas eleições, a liberdade e a correção do processo eleitoral e o acesso a cargos públicos através do voto. Nesse aspecto o Brasil atingiu o ponto máximo entre 1990 e 2002, mostrando que em nosso país a democracia e os direitos políticos da população estão consolidados.

Se o regime político e a participação da população no processo eleitoral estão garantidos, o mesmo não se pode dizer do acesso à educação, à segurança, a condições dignas de vida. O Brasil enfrenta altos índices de pobreza e desigualdade. Talvez seja por isso que a maioria dos entrevistados, cerca de 54%, disseram que trocariam a democracia por um regime totalitário se ele fosse capaz de resolver os problemas econômicos. Se você começa a sentir um incômodo déja vu, com certeza não é o único. Uma das justificativas para a ditadura militar no Brasil foi justamente o desenvolvimento econômico e o bem-estar da população.

Pelos dados apresentados na pesquisa, parece que o brasileiro desqualifica o regime democrático por conta da incompetência dos representantes políticos. A maior parte dos entrevistados se queixa da corrupção, da ineficiência do judiciário, da falta de profissionalismo e do abuso de poder da polícia e da incapacidade do governo em resolver problemas sociais básicos. Além disso, 64,7% acham que os governantes não cumprem o que prometem porque mentem nas eleições.

A análise dos resultados da pesquisa só confirma a incapacidade do brasileiro em relacionar causa-efeito e perceber sua própria parcela de responsabilidade nas situações. Parece o filho mimado, que prefere submeter-se a um pai autoritário e castrador, mas que provenha todas as suas necessidades e caprichos, do que participar ativamente das questões familiares trabalhando para seu bem-estar e, consequentemente, obter daí o seu bem-estar individual.

O governo realmente é ineficiente em muitos aspectos. Mas o brasileiro precisa se mancar e perceber que algumas coisas são culpa dele. As pessoas reclamam da corrupção, como mostra a pesquisa, mas ela é institucionalizada em todas as faixas sociais, em todas as esferas, em todos os níveis hierárquicos. Claro, corrupto é o Waldomiro Diniz, não o cidadão que ultrapassa o limite de velocidade nas estradas e tenta subornar o guarda para não levar multa. De que adianta reclamar do governo, da corrupção, da polícia e da justiça, se nos aproveitamos das ineficiências dessas instituições quando é para nosso benefício?

São muito esquisitas também as reclamações sobre a honestidade das promessas de campanha quando políticos reconhecidamente incompetentes e criminosos continuam sendo eleitos para cargos públicos. Se o nosso processo eleitoral é o melhor da América Latina e mesmo assim continuamos a eleger mentirosos, o problema está em quem? Nos eleitores, é claro.

Parece que a eleição está muito mais relacionada a uma oportunidade de negócios, de obtenção de benefícios, do que a um processo democrático de escolha de governantes e representantes que façam o melhor pelas cidades, estados e pelo país. O critério do voto está na base do "o que é que eu ganho com isso?". É evidente que, nos casos em que mesmo as necessidades mais básicas de uma comunidade não estão satisfeitas, o voto está muito distante de um ato de cidadania. É uma das poucas vezes em que essas pessoas terão uma moeda de troca com algum valor, e que mesmo assim compra muito pouco pelo tanto que vale. Uma cesta básica, uma camiseta, às vezes um par de muletas.

No entanto, as esferas social e culturalmente privilegiadas também agem assim, mesmo tendo, em teoria, condições de perceber o real papel do voto. Ele continua sendo usado como moeda, mas nessas esferas seu valor aumenta. Portanto, é muita cara de pau dos brasileiros reclamarem das promessas de campanha não cumpridas quando gente como Paulo Maluf aparece, novamente, em primeiro lugar nas pesquisas de intenção de voto para a prefeitura de São Paulo.

O Brasil ainda é uma nação muito jovem. Assim como os adolescentes, o país talvez precise de tempo para amadurecer e assumir a responsabilidade pelos seus atos. Muita gente lutou para que o país voltasse a um regime democrático, mas parece que a população sofre da mesma inconstância e crise de identidade dos púberes. Entre um regime paternalista e repressor, mas que tira o peso da responsabilidade, e uma situação democrática que só funciona se cada um assumir seu papel e contribuir para o bem-estar geral, parece que os brasileiros estão preferindo detefon, almofada e trato.


Adriana Baggio
Curitiba, 29/4/2004


Quem leu este, também leu esse(s):
01. História da leitura (I): as tábuas da lei e o rolo de Marcelo Spalding
02. O fator estrela de Guga Schultze
03. Autor não é narrador, poeta não é eu lírico de Ana Elisa Ribeiro


Mais Adriana Baggio
Mais Acessadas de Adriana Baggio em 2004
01. Maria Antonieta, a última rainha da França - 16/9/2004
02. Do que as mulheres não gostam - 14/10/2004
03. O pagode das cervejas - 18/3/2004
04. ¡Qué mala es la gente! - 27/5/2004
05. Detefon, almofada e trato - 29/4/2004


Mais Especial 1964-2004
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
4/5/2004
20h46min
Concordo com a tese de que, após tantos anos de autoritarismo, levaremos pelo menos o mesmo tempo para "iniciar" um processo de amadurecimento da democracia, que passa, não tenho dúvida, pela correçao de um grave erro: o pluripartidarismo. Essa forma de organização política, além de ser utilizada para o atendimento de interesses particulares ou coletivos de pequenos grupos políticos, impede a implementação de qualquer planejamento de governo, uma vez que o eleito não poderá, mesmo por aclamação, permanecer no governo mais que 8 anos consecutivos, o que considero muito pouco tempo para execução de projetos sociais ou não.
[Leia outros Comentários de Antonio Carlos]
11/5/2004
11h05min
Adriana, concordo em parte quando se afirma que a democracia, apesar de muito ruim, é o melhor sistema existente. Q a democracia é muito ruim basta ver a nossa, q só poderá funcionar bem o dia em q não for mais necessária, ou seja, quando formos todos cidadãos de primeiríssima qualidade. O parlamentarismo monárquico, tipo ingles, com uma câmara dos lords totalmente antidemocrática, e direitos medievais q um soberano ainda pode usar (não tem usado), parece-me o caminho a seguir. É o único sistema natural, criado aos poucos, pelos "ires e vires" da História. Sem muita teoria e incapaz de resistir a "críticas intelectuais", mas q funciona bem há uns 800 anos.
[Leia outros Comentários de pedroservio]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




O Homem Que Pagou a Dívida Externa do Brasil
João Bithencourt
Civilização Brasileira
(1995)
+ frete grátis



O Incrível Hulk Nº 121
Marvel
Abril
(1993)



Deliciosos e Disfarçados
Jessica Seinfeld
Ediouro Publicações
(2008)



A Solidão da Cidade na Pandemia e Antes Dela
Arlindo Gonçalves
Estronho
(2020)



Quase Tudo - Memorias
Danuza Leão
Cia das Letras
(2006)



Bases da Fisioterapia Respiratória
Maria da Glória Rodrigues Machado
Guanabara
(2013)



Dona Morte em: O segredo da vida... e da morte
Raphani Margiotta
Seleções
(2017)



Building Construction Inspection - a Guide For Architects
Jay Bannister
John Wiley & Sons
(1991)



Moderno Dicionário Escolar
Douglas Tufano
Moderna
(2005)



A Comunicação na Gestão da Sustentabilidade das Organizações
Margarida Maria Krohling Kunsch
Difusão
(2009)





busca | avançada
53121 visitas/dia
2,0 milhão/mês