As manifestações sobre o transporte público em SP | André Simões | Digestivo Cultural

busca | avançada
86662 visitas/dia
2,4 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Nó na Garganta narra histórias das rodas de choro brasileiras
>>> TODAS AS CRIANÇAS NA RODA: CONVERSAS SOBRE O BRINCAR
>>> Receitas com carne suína para o Dia dos Pais
>>> Selo Anonimato Records chega ao mercado fonográfico em agosto
>>> Última semana! Peça “O Cão de Kafka” fica em cartaz até 1º de agosto
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Ao pai do meu amigo
>>> Paulo Mendes da Rocha (1929-2021)
>>> 20 contos sobre a pandemia de 2020
>>> Das construções todas do sentir
>>> Entrevista com o impostor Enrique Vila-Matas
>>> As alucinações do milênio: 30 e poucos anos e...
>>> Cosmogonia de uma pintura: Claudio Garcia
>>> Silêncio e grito
>>> Você é rico?
>>> Lisboa obscura
Colunistas
Últimos Posts
>>> Deep Purple em Nova York (1973)
>>> Blue Origin's First Human Flight
>>> As últimas do impeachment
>>> Uma Prévia de Get Back
>>> A São Paulo do 'Não Pode'
>>> Humberto Werneck por Pedro Herz
>>> Raquel Cozer por Pedro Herz
>>> Cidade Matarazzo por Raul Juste Lores
>>> Luiz Bonfa no Legião Estrangeira
>>> Sergio Abranches sobre Bolsonaro e a CPI
Últimos Posts
>>> Renda Extra - Invenção de Vigaristas ou Resultado
>>> Triste, cruel e real
>>> Urgências
>>> Ao meu neto 1 ano: Samuel "Seu Nome é Deus"
>>> Rogai por nós
>>> Na cacimba do riacho
>>> Quando vem a chuva
>>> O tempo e o vento
>>> “Conselheiro do Sertão” no fim de semana
>>> 1000 Vezes MasterChef e Nenhuma Mestres do Sabor
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Amor platônico
>>> 80 (Melhores) Blogs na Época
>>> Nordeste Oriental
>>> Entrevista com Flávia Rocha
>>> Clint: legado de tolerância
>>> Sultão & Bonifácio, parte I
>>> Nicolau Sevcenko & jornalismo
>>> 25 de Julho #digestivo10anos
>>> Hugo Cabret exuma Georges Méliès
>>> Jornais do futuro?
Mais Recentes
>>> Bíblia Sagrada Nova Versão Transformadora de Equipe Nvt pela Mundo Cristão (2016)
>>> A Mão e a Luva - Coleção Prestígio de Machado de Assis pela Ediouro (1987)
>>> Introdução à Teologia Fundamental de Rino Fisichella pela Loyola (2012)
>>> O Mulato - Coleção Prestígio de Aluísio Azevedo pela Ediouro (1987)
>>> Uma Lágrima de Mulher - Coleção Prestígio de Aluísio Azevedo pela Ediouro (1987)
>>> Filosofia Política e Liberdade de Roland Corbisier pela Paz e Terra (1975)
>>> Civilização e Cultura. Volume 1 de Luis da Câmara Cascudo pela Livraria José Olympio (1973)
>>> Antologia do Folclore Brasileiro - 2 Volumes de Luis da Câmara Cascudo pela Martins (1965)
>>> Alguém Que Anda por Aí de Julio Cortázar pela Nova Fronteira (1981)
>>> Revolução na América Latina de Augusto Boal pela Massao Ohno (1961)
>>> Arte de Amar e Contra íbis de Ovídio pela Cultrix (1962)
>>> História Concisa da Literatura de Alfredo Bosi pela Cultrix (1979)
>>> Por Que Almocei Meu Pai de Roy Harley Lewis pela Companhia das Letras (1993)
>>> A Filosofia de Descartes de Ferdinad Alquié pela Presença / Martins Fontes (1969)
>>> A . Comte - Sociologia de Evaristo de Moraes Filho; Florestan Fernandes pela Ática (1983)
>>> The Pedants Return de Andrea Barham pela Bantam Books (2007)
>>> O Ser e o Tempo da Poesia de Alfredo Bosi pela Companhia das Letras (2004)
>>> Thomas Hobbes de Os Pensadores: Hobbes pela Abril Cultural (1979)
>>> Introdução ao Filosofar de Gerd Bornheim pela Globo Livros (2003)
>>> O Caneco de Prata de João Carlos Marinho pela Global (2000)
>>> Berenice Contra o Maníaco Janeloso de João Carlos Marinho pela Global (1997)
>>> Conceptual Issues in Evolutionary Biology de Elliott Sober pela Mit Press (1993)
>>> A History Their Own Women in Europe - 2 Volumes de Bonnie S. Anderson; Judith P. Zinsser pela Harper & Rowpublishers (1988)
>>> Revelações de Uma Bruxa de Marcia Frazão pela Bertrand Brasil (1994)
>>> Eu, Malika Oufkir: Prisioneira do Rei de Malika Oufkir; Michèle Fitoussi pela Companhia das Letras (2000)
COLUNAS >>> Especial Protestos

Quarta-feira, 19/6/2013
As manifestações sobre o transporte público em SP
André Simões

+ de 3000 Acessos

Sempre desconfio deste tipo de solenidade e deferência, mas realmente acho que a repórter Giuliana Vallone, da Folha de S. Paulo, merece alguma forma de prêmio. A agressão que sofreu - levando no olho um tiro de borracha enquanto cobria a manifestação contra o aumento das tarifas de transporte em São Paulo - por seu caráter brutal e sua gratuidade, força-nos a analisar este levante popular para além das convicções pré-estabelecidas e das bem definidas simpatias ou antipatias em relação a determinados grupos políticos.

Analisando a questão sob um ponto de vista puramente econômico, tendo a concordar com meus amigos assim ditos conservadores/liberais: o maior erro do prefeito Fernando Haddad e do governador Geraldo Alckmin foi não ter imposto um reajuste maior para as tarifas de ônibus e metrô, respectivamente. Um aumento desses, de R$ 3 para R$ 3,20, depois de dois anos sem mudança de preços, abaixo da taxa de inflação, tem forte cheiro demagógico. Se a receita da área está menor, verbas terão de ser deslocadas de outro setor, ou o transporte público terá menos investimentos - qualquer uma das opções é maléfica, simples assim. Ademais, as tarifas paulistanas não estão em descompasso com a de outras grandes metrópoles.

Mas se optarmos por buscar a justeza por meio da matemática e da estatística, devemos levar outros fatos em consideração. Historicamente, manifestações populares com obstrução de serviços contribuem para a consecução dos objetivos de uma classe; categorias com sindicatos bem organizados se valem e se valeram de greves para obter reajustes salariais acima da média. Os incomodados podem chiar, ficar emburrados, praguejar, mas o negócio funciona.

E tende a funcionar justamente porque incomoda. Manifestação ordeira e uniformizada sob o vão do Masp só rende reportagens sarcásticas. Neste ponto, discordando dos meus amigos liberais/conservadores, não acho que o mercado regule o andar da carruagem. Se uma manifestação traz reivindicações descabidas ou com metas lunáticas, a pressão popular para que cesse a obstrução de serviços faz o movimento esvaziar-se naturalmente; caso os pontos sejam justos, os protestos ganham adesões para além do grupo que os organizou. Parece ser este o caso em São Paulo.

Se a revolta contra a tarifa de R$ 3,20 é descabida, o descalabro do transporte público em São Paulo é bem real, e o governo parece dar força ao descrédito da população quanto a melhoras rápidas. São muitíssimos exemplos possíveis, mas vamos falar do metrô: se se promete a abertura de uma estação para a data x, para a vermos em pleno funcionamento podemos esperar uns dez anos depois do prazo inicial, com o saldo de algumas mortezinhas residuais pelo caminho.

Engrossando as fileiras do movimento, há pessoas detestáveis, que reclamam por vinte centavos, mas têm dinheiro de sobra para comprar maconha? Provavelmente, muitas. Há imbecis que não conseguem juntar sujeito e predicado, aproveitando a oportunidade para extravasar seus recalques na depredação de patrimônio público? Mais do que alguns.

Mas não podemos desconsiderar o geral por causa de alguns elementos particulares. Seria como ridicularizar a arte musical usando como único exemplo as canções do Jota Quest, minimizar as benesses da engenharia ilustrando os argumentos apenas com o Minhocão. Ou, como cabe muito bem dizer, demonizar a instituição policial por causa do animal que atirou na Giuliana Vallone - ou ainda por causa de uma ditadura que acabou há 28 anos, tendo durado 21.

Considerar que os participantes destas manifestações são todos massa de manobra do PSTU e companhia é ser tão míope quanto aqueles que acham serem vinte centavos a raiz do problema. Se o tresloucado PSTU tivesse o poder de manobrar tanta gente, ao menos teria representação na Câmara, não é mesmo?

A alienação dos governantes neste caso também é tragicômica. Um roteirista precisaria ser muito bom para pensar em algo mais simbólico: enquanto a cidade pega fogo, vamos de mãos dadas aproveitar as delícias da primavera parisiense.

Ironicamente, o maior risco à eficácia deste movimento é sua reivindicação primeira ser atendida: baixam-se vinte centavos das tarifas de metrô e ônibus, as pessoas se acalmam, o assunto é esquecido - ficamos com um problema, mais do que com uma solução.

Mas podemos também pensar na melhor das hipóteses para o saldo deste caso: um estopim para a tomada de consciência, por parte da população, de seu poder de barganha quando há união em torno de uma causa. Não precisamos de vinte centavos a menos nas tarifas: é necessário que os governantes, dando-se conta do tamanho da encrenca, venham publicamente expor um plano de melhoras para o transporte público, sem evasivas, com metas e prazos bem delimitados. E a cada meta e prazo descumpridos, a população deve tomar novamente as ruas.

Nota do Editor:

Texto gentilmente cedido pelo autor. Originalmente publicado no Livros e Afins.


André Simões
São Paulo, 19/6/2013


Mais André Simões
Mais Especial Protestos
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Próximo Destino Marte
Marina Vigial
Panda Books
(2005)



Bicentenário de Campinas a Saga Que a Cidade Amou - Autografado
Rubem Costa
Komedi
(2013)



As Ostras Estão Morrendo
Walmir Ayala
Leitura
(2007)



Concepção de Frases Em Ninhos de água
Pedro Cezar
7 Letras
(2002)



A Cultura como Crença
J. Rogério Lopes
Cabral
(1995)



Umbanda Gira! - 1ª Edição
Gisela Darruda
Pallas
(2010)



Terapia do Ser Mulher
Karen Katafiasz
Paulus
(1998)



Osso - na Cabeceira das Avalanches - Autografado
Bruno Cattoni
7 Letras
(2005)



A culpa é das estrelas
John Green
Intrínseca
(2012)



Come and Get Me and Other Ghost Stories
Peter Bullard
Longman
(1983)





busca | avançada
86662 visitas/dia
2,4 milhões/mês