A guerra das legendas e o risco da intolerância | Marta Barcellos | Digestivo Cultural

busca | avançada
54626 visitas/dia
1,3 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
>>> Banco Inter É uma BOLHA???
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Sobre o Jabá
>>> Crise da Democracia
>>> Bill Gates e o Internet Explorer
>>> LEM na TV Cronópios
>>> Não Aguento Mais a Empiricus
>>> Poesia para jovens
>>> São Paulo, que dá nome à nossa cidade
>>> Viagem a 1968: Tropeços e Desventuras (3)
>>> Um estranho incidente literário
>>> Na Cama Com Tarantino
Mais Recentes
>>> O Grumete: romance do Brasil colonial do século XVIII de Luiz Carlos Carneiro pela Lake (2003)
>>> A terceira mulher Permanência e revolução do feminino de Gilles Lipovetsky pela Companhia das letras (2000)
>>> Os Limites da Paixão de Norma Jorge Moreira pela Dpl (2005)
>>> Vivendo uma História de Amor de Humberto C. Pazian pela Letras & Textos (2000)
>>> Elos Sem Fim de Deborah Cristina e Mello de Jesus (Espírito) pela Minas (2001)
>>> A eleição da criançada de Pedro Bandeira pela Melhoramentos (2006)
>>> Violência de Gênero e Políticas Públicas de Suely Souza de Almeida (Org.) pela Ufrj (2007)
>>> Ana levada da breca de Maria de Lourdes Krieger pela Moderna (2002)
>>> Psicanálise da criança de Melanie Klein pela Mestre Jou (1969)
>>> O Cipreste no Jardim de Osho pela Cultrix (1997)
>>> Los Hermanos Rico de Georges Simenon pela Punto de Lectura (2005)
>>> Não conte a ninguém de Harlan Coben pela Arqueiro (2009)
>>> Uma dobra no tempo de Madeleine L'Engle pela Harper Collins (2017)
>>> Diários de Berlim de Marie Vassiltchikov pela Boitempo (2015)
>>> Fidel Castro. Biografia a Duas Vozes de Ignácio Ramonet pela Boitempo (2016)
>>> Globalização, Dependência e Neoliberalismo na América Latina de Carlos Eduardo Martins pela Boitempo (2011)
>>> Paris, Capital da Modernidade de David Harvey pela Boitempo (2015)
>>> Geriatria Moderna Para Leigos - Série Viver A Vida de Newron Luiz Terra e Colaboradores pela Leitura XXI (2007)
>>> O Ano I da Revolução Russa de Victor Serge pela Boitempo (2007)
>>> Práticas Psicogerontológicas Nos Cuidados De Idosos de Eliana Novaes Procópio pela Juruá (2012)
>>> O Envelhecimento de Luiz Eugênio Garcez Leme pela Contexto (1998)
>>> A Ilíada (Em Verso) de Homero pela Ediouro
>>> Psicogerontologia Fundamentos e Práticas de Diana Silvina Singer e Colaboradores pela Juruá (2009)
>>> A Montanha que Devemos Conquistar de István Mészáros pela Boitempo (2015)
>>> Desenvolvimento e Envelhecimento: Perspectivas biológicas, psicológicas e sociológicas de Anita Liberalesso (org.) pela Papirus (2012)
>>> A Ilíada (Forma Narrativa) de Homero pela Ediouro
>>> Poder e Desaparecimento de Pilar Calveiro pela Boitempo (2019)
>>> Eneida de Virgílio pela Ediouro
>>> As Ilusões Perdidas de Honoré de Balzac pela Abril Cultural (1978)
>>> A Aldeia Ancestral de Pearl S. Buck pela Gráfica Brasileira (1950)
>>> Trabalho e Dialética - Hegel, Marx e a Teoria Social do Devir de Jesus Ranieri pela Boitempo (2011)
>>> Crime e Castigo - 2 volumes de Dostoiévski pela Abril Cultural (1979)
>>> O Conhecimento do Cotidiano As Representações Sociais Na Perspectiva Da Psicologia Social de Mary Jane Spink (org) pela Brasiliense (1995)
>>> Lutas de Classes na Alemanha de karl marx e Friedrich Engels pela Boitempo (2010)
>>> O Conhecimento Confiável: Uma Exploração Dos Fundamentos Para a Crença na Ciência de John Ziman pela Papirus (1996)
>>> O Paradoxo da Moral de Vladimir Jankelevitch pela Papirus (1994)
>>> Uma Mensagem Profética Para Sua Vida de Silas Malafaia pela Central Gospel (2011)
>>> Educação não é privilégio de Anísio Teixeira pela Ufrj (2007)
>>> Germinal de Émile Zola pela Abril Cultural (1979)
>>> Soledad no Recife de Urariano Mota pela Boitempo (2009)
>>> Quando A Nossa Fé É Provada de Silas Malafaia pela Central Gospel (2011)
>>> As Aventuras do Sr. Pickwick de Charles Dickens pela Abril Cultural (1979)
>>> No Caminho de Swann de Marcel Proust pela Abril Cultural (1979)
>>> Dom Quixote de La Mancha de Cervantes pela Abril Cultural (1978)
>>> Aborto Perda e Renovação: Um Paradoxo Na Procura da Identidade Feminina de Eva Pattis pela Paulus (2000)
>>> Ana Karênina - 2 volumes de Tolstói pela Abril Cultural (1979)
>>> Sonhos A Essência Orientando A Existência de Djalma Argolo pela Amar (2012)
>>> A Sabedoria dos Sonhos Para Desvendar O Inconsciente Feminino de Karen A. Signell pela Ágora (1998)
>>> Vivências da Maternidade e Suas Consequências Para o Desenvolvimento Psicológico do Filho de Eliana Marcello de Felice pela Vetor (2006)
>>> Os Sentidos Do Sintoma Psicanálise E Gastroenterologia de Paulo Roberto de Sousa pela Papirus (1993)
COLUNAS

Sexta-feira, 11/5/2012
A guerra das legendas e o risco da intolerância
Marta Barcellos

+ de 3500 Acessos

Na cauda longa da internet, sempre é possível evitar conflitos - de gosto e de interesses. Cada qual encontra seus pares, organiza sua tribo e se lambuza na cultura ou no entretenimento que lhe aprouver. No Facebook, por exemplo, dá para cancelar a assinatura de quem comenta BBB e fingir que o programa não existe. Uma busca rápida no Youtube e descobrimos que existem pessoas nos quatro cantos do mundo virtual com a nossa exata preferência musical ou cinematográfica.

Nas mídias antigas, porém, ainda rolam alguns conflitos antigos, antigos. Do tipo... luta de classes! Pois é, a velha luta de classes marxista, em plena era pós-moderna (ou já alter-moderna, como prefere o francês Nicolas Bourriaud, que andou pelo Brasil falando de arte contemporânea), resiste aos tempos de identidades múltiplas e globalizadas.

Foi o que deduzi da guerra das legendas, que vem sendo travada em nossa televisão por assinatura. Ao contrário da TV aberta, reconhecida desde sempre como mídia massificada e popular, o serviço pago tem aparência abrangente, por conta das dezenas de canais oferecidos a quem tem paciência com o controle remoto e com os comerciais aos berros da Net. Só que ela não possui uma cauda tão comprida assim, ainda mais se compararmos com a internet...

Vamos à guerra. Na disputa pela audiência da nova classe média brasileira, também chamada de classe C emergente, muitas emissoras por assinatura passaram a dublar séries televisivas e filmes que antes eram legendados. Para a "velha classe média", foi a gota d'água.

Sim, porque a classe média outrora comovida com o sofrimento dos excluídos anda incomodada com essa inclusão toda. Aeroportos e shoppings lotados graças às compras parceladas, autoajuda em todas as prateleiras da livrarias, gêneros musicais de gosto duvidoso por toda parte e agora... filmes clássicos dublados no meu canal! Onde isso vai parar?

Pois a discussão foi parar nas páginas de cultura dos jornais do Rio de Janeiro (ops, do único jornal do Rio), repercutiu internet afora, e os ânimos mostraram-se para lá de exaltados. Nos termos do parágrafo aí de cima. Embora se trate de uma guerra de curto prazo (acabará na medida em que os canais e o sistema de TV oferecer opções com ou sem legenda no controle remoto), considerei-a emblemática desses tempos confusos que estamos vivendo. Aliás, já é emblemático que seja justamente uma solução tecnológica que vá resolver o problema. Se a internet não engoliu a TV como se esperava, a TV tenta cada vez mais ser interativa, para competir com a internet.

Solução dada, a trégua se estabelecerá: aqueles que gostam de som original com legendas não vão precisar olhar para o lado e pensar em quem são os tais que preferem filmes dublados.

Mas aí surge a questão que me interessa: quem gosta de filme dublado é o semialfabetizado que ousou invadir os shoppings da velha classe média só porque se beneficia do bolsa-família? Será que esses rótulos ainda funcionam? Sei não. Voltando ao ambiente da internet, quantas vezes nos surpreendemos com pessoas que poderíamos colocar numa única moldura social e cultural, a partir de dados como local onde mora ou escolaridade, e que simplesmente não correspondem aos antigos estereótipos? Em pleno sertão nordestino mora o expert em música erudita; na zona sul carioca pode estar o mais novo fã do sertanejo universitário. E durma-se com essa diversidade toda, depois de desligar o computador.

O fato é que há sinais da multiplicidade de identidades sociais e culturais em toda parte, e também de confusões e tensões geradas por ela. Fico até com pena dos pesquisadores do mercado de consumo e dos robozinhos da internet que tentam encaixar os consumidores em caixinhas. Mas difícil mesmo será mudar a cabeça de gerações que se acostumaram a organizar o pensamento usando as tais caixinhas. Sim, estou falando de preconceito e intolerância, que nem sempre serão mediados por soluções tecnológicas no mundo, digamos, presencial.

Veja este outro exemplo que envolve tensão e caixinhas: a guerra entre motoristas e ciclistas nas grandes cidades. O mesmo colunista do único jornal carioca (ok, do principal jornal carioca) que levantou a questão da dublagem de filmes também se envolveu nesta frente, incomodado com o congestionamento provocado por uma nova ciclovia em seu percurso diário de táxi. Cravou que, ao contrário de Berlim, com clima ameno compatível, o Rio jamais teria entre seus ciclistas trabalhadores a caminho do escritório. Bicicletas seriam para lazer ou estudantes. Pela reação na internet, não era bem assim.

Quem se arrisca hoje, no Rio ou em São Paulo, a traçar um perfil dos ciclistas que desafiam os carros no trânsito? São os engravatados de Berlim ou os entregadores de encomendas? Estudantes que fogem do congestionamento ou do transporte caro? Trabalhadores ecológicos ou simplesmente pragmáticos? Só há um motivo para colocá-los numa única caixinha: a intolerância. A intolerância ao outro, ao diferente de nós, àquele que nem tentamos compreender, às mudanças que parecem ameaçar "direitos conquistados" mas que podem tornar a vida mais diversa e interessante.

Outro exemplo? As reações à aprovação do sistema de cotas raciais na universidade pública. Mas isso daria outra coluna...



Marta Barcellos
Rio de Janeiro, 11/5/2012


Quem leu este, também leu esse(s):
01. A Copa, o Mundo, é das mulheres de Luís Fernando Amâncio
02. Como medir a pretensão de um livro de Ana Elisa Ribeiro
03. Minimundos, exposição de Ronald Polito de Jardel Dias Cavalcanti
04. Inferno em digestão de Renato Alessandro dos Santos
05. Sebastião Rodrigues Maia, ou Maia, Tim Maia de Renato Alessandro dos Santos


Mais Marta Barcellos
Mais Acessadas de Marta Barcellos em 2012
01. A Paris de Chico Buarque - 19/10/2012
02. O fim do livro, não do mundo - 20/4/2012
03. O Facebook e a Alta Cultura - 17/8/2012
04. Esquecendo de mim - 25/5/2012
05. O direito autoral vai sobreviver à internet? - 27/1/2012


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




FILOSOFIA DA ARTE
VIRGIL C. ALDRICH
ZAHAR
(1969)
R$ 13,00



JUVENTUDE, O GRANDE DESAFIO
JORGE BORAN
PAULINAS
(1986)
R$ 6,50



A ARTE DO DESCASO - A HISTÓRIA DO MAIOR ROUBO A MUSEU DO BRASIL
CRISTINA TARDÁGUILA
INTRÍNSECA
(2016)
R$ 22,00



OS DESEQUILÍBRIOS ESTÁTICOS
MARCEL BIENFAIT
SUMMUS
(1995)
R$ 44,91
+ frete grátis



1565 ENQUANTO O BRASIL NASCIA
PEDRO DORIA
HARPER COLLINS BR
(2018)
R$ 15,00



AMOR É PROSA SEXO É POESIA
ARNALDO JABOR
OBJETIVA
(2004)
R$ 10,00



ARISTOTLE AS POET
ANDREW L. FORD
OXFORD UNIVERSITY PRESS
(2011)
R$ 190,00



ATRAVES DO ESPELHO
ISA MARA LANDO; JOSTEIN GAARDER
SEGUINTE
(1998)
R$ 10,00



A PRIMAVERA DO DRAGÃO
NELSON MOTTA
OBJETIVA
(2011)
R$ 9,90



FAYGA OSTROWER
CARLOS MARTINS ORG
GMT- SEXTANTE
(2001)
R$ 360,00





busca | avançada
54626 visitas/dia
1,3 milhão/mês