A guerra das legendas e o risco da intolerância | Marta Barcellos | Digestivo Cultural

busca | avançada
54424 visitas/dia
1,8 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Nasi e Scandurra apresentam clássicos do IRA! no Sesc Santo André
>>> Douglas Germano apresenta 'Umas e Outras'
>>> Mostra de Cinemas Africanos acontece em São Paulo e Curitiba a partir de 6 julho
>>> Iecine abre inscrições para a Oficina de Crítica e Fruição Cinematográfica
>>> Orquestra Modesta retorna ao Sesc Santo Amaro com 'Canções Para Pequenos Ouvidos 2'
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> 80 anos do Paul McCartney
>>> Gramática da reprodução sexual: uma crônica
>>> Sexo, cinema-verdade e Pasolini
>>> O canteiro de poesia de Adriano Menezes
>>> As maravilhas do modo avião
>>> A suíte melancólica de Joan Brossa
>>> Lá onde brotam grandes autores da literatura
>>> Ser e fenecer: poesia de Maurício Arruda Mendonça
>>> A compra do Twitter por Elon Musk
>>> Epitáfio do que não partiu
Colunistas
Últimos Posts
>>> Oye Como Va com Carlos e Cindy Blackman Santana
>>> Villa candidato a deputado federal (2022)
>>> A história do Meli, por Stelleo Tolda (2022)
>>> Fabio Massari sobre Um Álbum Italiano
>>> The Number of the Beast by Sophie Burrell
>>> Terra... Luna... E o Bitcoin?
>>> 500 Maiores Álbuns Brasileiros
>>> Albert King e Stevie Ray Vaughan (1983)
>>> Rush (1984)
>>> Luiz Maurício da Silva, autor de Mercado de Opções
Últimos Posts
>>> A lantejoula
>>> Armas da Primeira Guerra Mundial.
>>> Você está em um loop e não pode escapar
>>> O Apocalipse segundo Seu Tião
>>> A vida depende do ambiente, o ambiente depende de
>>> Para não dizer que eu não disse
>>> Espírito criança
>>> Poeta é aquele que cala
>>> A dor
>>> Parei de fumar
Blogueiros
Mais Recentes
>>> L’Empereur
>>> Longa vida à fotografia
>>> iPad pra todo mundo
>>> Minha pátria é a língua portuguesa
>>> Minha pátria é a língua portuguesa
>>> Wikipedia e a informação livre
>>> Público, massa e multidão
>>> Uma Receita de Bolo de Mel
>>> Os Clássicos e a Educação Sentimental
>>> O youtuber é um novo dândi?
Mais Recentes
>>> Os Natos: Volta ao Mundo Falando Português (não Possui o Brinquedo) de Beto Junqueyra pela Planeta Jovem (2003)
>>> Corinthias: é Preto no Branco de Washington Olivetto, Nirlando Beirão pela Dba (2002)
>>> Jovem o Suficiente: numa Viagem ao Redor do Mundo, a Busca da Juven... de Felipe Gaúcho pela Matrix (2015)
>>> Sempre Às Vezes Nunca: Etiqueta e Comportamento / 7ª Ed - Confira !!! de Fabio Arruda pela Arx (2003)
>>> Tudo Tem Seu Preço / 10ª Ed - Confira !!! de Zibia Gasparetto (ditado por Lucius) pela Vida & Consciência (2002)
>>> Antes o Mundo Não Existia - Mitologia dos Antigos Desana Kehiripora de Firmiano Arantes Lana pela Foirn (1995)
>>> Sua Comunicação: Como Se Comunicar para Obter Excelentes Resultados de Fábio Eltz pela Casa da Qualidade (2005)
>>> Poderosa (confira) de Sérgio Klein pela Fundamento (2005)
>>> Confidências de uma Mulher - Confira! de Edilza Alves Nascimento pela Não Consta (1992)
>>> Justiça Liberal - Argumentos Liberais Contra o Neoliberalismo - Confir de Alvaro de Vita pela Paz e Terra (1993)
>>> Reforma da Previdência o Encontro Marcado - a Difícil Escolha Entre... de Fabio Giambiagi pela Elsevier / Campus (2007)
>>> Uma Mulher Singular a Historia Desconhecida da Mãe de Barack Obama de Janny Scott / 1ª Ed - Confira !!! pela Record (2012)
>>> 23:21 Quase Meia-noite - Confira!! de Radyr Gonçalves pela Oito (2018)
>>> Mentes Inquietas - Tdah - Desatenção, Hiperatividade e Impulsividade de Ana Beatriz Barbosa Silva pela Fontanar (2009)
>>> Quem Ama Educa! / 29ª Ed - Confira !!! de Içami Tiba pela Gente (2002)
>>> Como Fazer Propostas e Relatórios - Coleção Você S. A. de Andrew Leigh pela Nobel (2000)
>>> Onça Preta - Confira! de Lucrecia Zappi pela Benvirá (2013)
>>> Manual de Medicina do Esporte - Confira !!! de R. Guillet/ J. Genety/ E. Brunet Guedj pela Masson
>>> Libertinagem e Estrela da Manhã - Folha Grandes Escritores Brasileiros de Manuel Bandeira pela Folha de São Paulo (2008)
>>> O Menino Que Não Gostava de Ler de Susanna Tamaro pela Presença (2000)
>>> O Jeito Warren Buffet de Investir: os Segredos do Maior Investidor Do de Robert G. Hagstrom pela Benvirá (2019)
>>> No Tempo das Especiarias de Fábio Pestana Ramos pela Contexto (2004)
>>> Cidades de Papel de John Green pela Intrínseca (2013)
>>> O Mundo na Hora Certa - os 11 Principais Gerenciais... de James C. Wetherbe pela Campus (1998)
>>> Sonhos Com Deuses e Monstros de Laini Taylor pela Intrinseca (2015)
COLUNAS

Sexta-feira, 11/5/2012
A guerra das legendas e o risco da intolerância
Marta Barcellos

+ de 4000 Acessos

Na cauda longa da internet, sempre é possível evitar conflitos - de gosto e de interesses. Cada qual encontra seus pares, organiza sua tribo e se lambuza na cultura ou no entretenimento que lhe aprouver. No Facebook, por exemplo, dá para cancelar a assinatura de quem comenta BBB e fingir que o programa não existe. Uma busca rápida no Youtube e descobrimos que existem pessoas nos quatro cantos do mundo virtual com a nossa exata preferência musical ou cinematográfica.

Nas mídias antigas, porém, ainda rolam alguns conflitos antigos, antigos. Do tipo... luta de classes! Pois é, a velha luta de classes marxista, em plena era pós-moderna (ou já alter-moderna, como prefere o francês Nicolas Bourriaud, que andou pelo Brasil falando de arte contemporânea), resiste aos tempos de identidades múltiplas e globalizadas.

Foi o que deduzi da guerra das legendas, que vem sendo travada em nossa televisão por assinatura. Ao contrário da TV aberta, reconhecida desde sempre como mídia massificada e popular, o serviço pago tem aparência abrangente, por conta das dezenas de canais oferecidos a quem tem paciência com o controle remoto e com os comerciais aos berros da Net. Só que ela não possui uma cauda tão comprida assim, ainda mais se compararmos com a internet...

Vamos à guerra. Na disputa pela audiência da nova classe média brasileira, também chamada de classe C emergente, muitas emissoras por assinatura passaram a dublar séries televisivas e filmes que antes eram legendados. Para a "velha classe média", foi a gota d'água.

Sim, porque a classe média outrora comovida com o sofrimento dos excluídos anda incomodada com essa inclusão toda. Aeroportos e shoppings lotados graças às compras parceladas, autoajuda em todas as prateleiras da livrarias, gêneros musicais de gosto duvidoso por toda parte e agora... filmes clássicos dublados no meu canal! Onde isso vai parar?

Pois a discussão foi parar nas páginas de cultura dos jornais do Rio de Janeiro (ops, do único jornal do Rio), repercutiu internet afora, e os ânimos mostraram-se para lá de exaltados. Nos termos do parágrafo aí de cima. Embora se trate de uma guerra de curto prazo (acabará na medida em que os canais e o sistema de TV oferecer opções com ou sem legenda no controle remoto), considerei-a emblemática desses tempos confusos que estamos vivendo. Aliás, já é emblemático que seja justamente uma solução tecnológica que vá resolver o problema. Se a internet não engoliu a TV como se esperava, a TV tenta cada vez mais ser interativa, para competir com a internet.

Solução dada, a trégua se estabelecerá: aqueles que gostam de som original com legendas não vão precisar olhar para o lado e pensar em quem são os tais que preferem filmes dublados.

Mas aí surge a questão que me interessa: quem gosta de filme dublado é o semialfabetizado que ousou invadir os shoppings da velha classe média só porque se beneficia do bolsa-família? Será que esses rótulos ainda funcionam? Sei não. Voltando ao ambiente da internet, quantas vezes nos surpreendemos com pessoas que poderíamos colocar numa única moldura social e cultural, a partir de dados como local onde mora ou escolaridade, e que simplesmente não correspondem aos antigos estereótipos? Em pleno sertão nordestino mora o expert em música erudita; na zona sul carioca pode estar o mais novo fã do sertanejo universitário. E durma-se com essa diversidade toda, depois de desligar o computador.

O fato é que há sinais da multiplicidade de identidades sociais e culturais em toda parte, e também de confusões e tensões geradas por ela. Fico até com pena dos pesquisadores do mercado de consumo e dos robozinhos da internet que tentam encaixar os consumidores em caixinhas. Mas difícil mesmo será mudar a cabeça de gerações que se acostumaram a organizar o pensamento usando as tais caixinhas. Sim, estou falando de preconceito e intolerância, que nem sempre serão mediados por soluções tecnológicas no mundo, digamos, presencial.

Veja este outro exemplo que envolve tensão e caixinhas: a guerra entre motoristas e ciclistas nas grandes cidades. O mesmo colunista do único jornal carioca (ok, do principal jornal carioca) que levantou a questão da dublagem de filmes também se envolveu nesta frente, incomodado com o congestionamento provocado por uma nova ciclovia em seu percurso diário de táxi. Cravou que, ao contrário de Berlim, com clima ameno compatível, o Rio jamais teria entre seus ciclistas trabalhadores a caminho do escritório. Bicicletas seriam para lazer ou estudantes. Pela reação na internet, não era bem assim.

Quem se arrisca hoje, no Rio ou em São Paulo, a traçar um perfil dos ciclistas que desafiam os carros no trânsito? São os engravatados de Berlim ou os entregadores de encomendas? Estudantes que fogem do congestionamento ou do transporte caro? Trabalhadores ecológicos ou simplesmente pragmáticos? Só há um motivo para colocá-los numa única caixinha: a intolerância. A intolerância ao outro, ao diferente de nós, àquele que nem tentamos compreender, às mudanças que parecem ameaçar "direitos conquistados" mas que podem tornar a vida mais diversa e interessante.

Outro exemplo? As reações à aprovação do sistema de cotas raciais na universidade pública. Mas isso daria outra coluna...



Marta Barcellos
Rio de Janeiro, 11/5/2012


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Imprimam - e repensem - suas fotografias de Ana Elisa Ribeiro
02. Preparar Para o Impacto de Marilia Mota Silva
03. Lembrança de Plínio Zalewski de Celso A. Uequed Pitol
04. Proibir ou não proibir? de Cassionei Niches Petry
05. Intervenção militar constitucional de Gian Danton


Mais Marta Barcellos
Mais Acessadas de Marta Barcellos em 2012
01. A Paris de Chico Buarque - 19/10/2012
02. O fim do livro, não do mundo - 20/4/2012
03. Esquecendo de mim - 25/5/2012
04. O Facebook e a Alta Cultura - 17/8/2012
05. O direito autoral vai sobreviver à internet? - 27/1/2012


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




O Labirinto
Armando Fernandes de Oliveira
Eme
(2005)



O Beijo Gelado
Luiz Fernando Oderich
Sulina



Geografia Econômica
Pierre George
Fundo de Cultura
(1970)



Inovação na Gestão Publica
Pricewaterhousecoopers
Saint Paul



O Livreiro de Cabul
Asne Seierstad; Grete Skevik
Record
(2006)



Bacon - Os Pensadores
Francis Bacon
Nova Cultural
(1997)



Direito das Famílias - Acompanha Caderno de Exercícios
Cristiano Chaves de Farias e Nelson Rosenvald
Lumen Juris
(2008)



Parintins 95 o Ritual Amazônico
Óskar Sjöstedt-antonio Maria Filho
Ler
(1995)



O Livro de Areia - 1ª Ed.
Jorge Luis Borges
Folha de São Paulo
(2012)



Minha Primeira Paixão
Pedro Bandeira e Elenice Machado De
Ftd
(1992)





busca | avançada
54424 visitas/dia
1,8 milhão/mês