Nice, Bebeth e Anjali | Marta Barcellos | Digestivo Cultural

busca | avançada
55373 visitas/dia
2,0 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Unil oferece abordagem diferenciada da gramática a preparadores e revisores de texto
>>> Conversas no MAB com Sergio Vidal e Ana Paula Lopes
>>> Escola francesa de Design, Artes e Comunicação Visual inaugura campus em São Paulo
>>> TEATRO & PODCAST_'Acervo e Memória', do Célia Helena, relembra entrevista com Nydia Licia_
>>> Projeto Cultural Samba do Caxinha cria arrecadação virtual para gravação de seu primeiro EP
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Aos nossos olhos (e aos de Ernesto)
>>> Carol Sanches, poesia na ratoeira do mundo
>>> O fim dos livros físicos?
>>> A sujeira embaixo do tapete
>>> Moro no Morumbi, mas voto em Moema
>>> É breve a rosa alvorada
>>> Alameda de água e lava
>>> Entrevista: o músico-compositor Livio Tragtenberg
>>> Cabelo, cabeleira
>>> A redoma de vidro de Sylvia Plath
Colunistas
Últimos Posts
>>> Gente feliz não escreve humor?
>>> A profissão de fé de um Livreiro
>>> O ar de uma teimosia
>>> Zuza Homem de Mello no Supertônica
>>> Para Ouvir Sylvia Telles
>>> Van Halen ao vivo em 1991
>>> Metallica tocando Van Halen
>>> Van Halen ao vivo em 2015
>>> Van Halen ao vivo em 1984
>>> Chico Buarque em bate-papo com o MPB4
Últimos Posts
>>> O poder da história
>>> Caraminholas
>>> ETC. E TAL
>>> Acalanto para a alma
>>> Desde que o mundo é mundo
>>> O velho suborno
>>> Normal!
>>> Os bons companheiros, 30 anos
>>> Briga de foice no escuro
>>> Alma nua
Blogueiros
Mais Recentes
>>> O do contra
>>> American Dream
>>> Todas as Tardes, Escondido, Eu a Contemplo
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Prêmio Nobel de Literatura para um brasileiro - II
>>> Delicado, vulnerável, sensível
>>> De Kooning em retrospectiva
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> Aquele apoio
>>> A forca de cascavel — Angústia (Fuvest)
Mais Recentes
>>> Ruínas do Tempo de Jess Walter pela Verus (2013)
>>> Os nossos pés de todos os dias de Apollo Taborda França pela Do autor (1984)
>>> Por Um Fio de Drauzio Varella pela Cia das Letras (2004)
>>> Gay Plays de William M. Hoffman pela Avon Books (1979)
>>> Existe Sempre uma Razão de Elisa Masselli pela Mensagem de Luz (2007)
>>> A Segunda Vida: um guia para a mulher madura de Marisa Sanabria pela Êxito (2015)
>>> Outra Vez a Esperança de Antonio Carlos Neves pela Mercado Aberto (1987)
>>> Os Bons e os Justos de Lourenço Cazarré pela Mercado Aberto (1993)
>>> Clebynho - O Babalorixá Aprendiz de Leandro Müller pela Pallas (2010)
>>> As Maluquices do Imperador de Paulo Setúbal pela Nacional (1983)
>>> A Felicidade é Fácil de Edney Silvestre pela Record (2011)
>>> Contos. Porque Conto - autografado de Públio José pela Do autor (2009)
>>> Paratii: entre dois pólos de Amyr Klink pela Companhia da Letras (1992)
>>> É Possível Salvar a Europa? de Thomas Piketty pela Intrínseca (2015)
>>> Pensão Riso da Noite de José Condé pela José Olympio / Civilização Brasileira / Três (1973)
>>> O Caminho Para O Céu: Livro II das Crônicas da Terra de Zecharia Sitchin pela Madras (2014)
>>> Ioiô Pequeno da Várzea Nova de Mario Leônidas Casanova pela Clube do Livro (1979)
>>> O Papa e Mussolini. A Conexão Secreta Entre Pio XI e a Ascensão do Fascismo na Europa de David I. Kertzer pela Intrínseca (2017)
>>> Entrevero de Vários Autores pela L&PM / Mpm
>>> Pesquisa FAPESP Nº 265 de Diversos Autores pela Fapesp (2018)
>>> O Longo Adeus a Pinochet de Ariel Dorfman pela Companhia das Letras (2003)
>>> Contos de Voltaire pela Nova Cultural (2002)
>>> Pesquisa FAPESP Nº 263 de Diversos Autores pela Fapesp (2018)
>>> Divina Comédia - Coleção A Obra-Prima de Cada Autor, Série Ouro de Dante Alighieri pela Martin Claret (2002)
>>> Babbitt de Sinclair Lewis pela Nova Cultural (2002)
>>> Pesquisa FAPESP Nº 261 de Diversos Autores pela Fapesp (2017)
>>> Ana Karênina de Tolstói pela Nova Cultural (2002)
>>> Havia Gigantes Na Terra de Zecharia Sitchin pela Madras (2014)
>>> Pesquisa FAPESP Nº 260 de Diversos Autores pela Fapesp (2017)
>>> Divergente de Veronica Roth pela Rocco (2012)
>>> A Divina Comédia de Dante pela Nova Cultural (2002)
>>> Xeque E Mate - Xadrez Sem Mistério E Com Muito Suspense de Gilberto Milos Júnior & Davy D'Israel pela Adonis (2000)
>>> Rock Jazz Bossa Poética de João Dutra pela Do Autor (2014)
>>> Os Melhores Poemas de Mário de Andrade de Gilda de Mello e Souza pela Globo (1993)
>>> Revista Internacional de Espiritismo - RIE, Ano LXXV, Número 07, Agosto de Vários Colaboradores pela O Clarim (2000)
>>> Antes Que a Saudade Chegue de Sady Figueira pela Evangraf (2001)
>>> A Gata do Rio Nilo de Lia Neiva pela José Olympio (1999)
>>> Convergente de Veronica Roth pela Rocco (2014)
>>> III Prêmio Proex/UFPA de Literatura - Antologia Poesias, Crônicas e Contos de Vários Autores pela Ufpa (2013)
>>> Revista Galileu, Ano 12, Número 154, Maio de Vários Colaboradores pela Globo (2004)
>>> Quinze Anos (A Juventude Como Ela É) de Carlos Heitor Cony pela Tecno Print (1973)
>>> Fazendo meu filme 3 - Roteiro Inesperado de Fani de Paula Pimenta pela Gutenberg (2013)
>>> Revista Força Aérea Nº 05 de Diversos Autores pela Action (1996)
>>> Histórias Extraordinárias de Edgar Allan Poe pela Nova Cultural (2003)
>>> Revista Força Aérea Nº 03 de Diversos Autores pela Action (1996)
>>> Mulherzinhas de Louisa May Alcott pela Nova Cultural (2003)
>>> Decamerão de Boccaccio pela NOVA Culltural (2003)
>>> Historia Da Filosofia- Os Pensadores de Bernadette Siqueira abrão pela Nova cultural (2004)
>>> Revista Força Aérea Nº 49 de Diversos Autores pela Action (2007)
>>> Os Trabalhadores do Mar de Victor Hugo pela Nova Cultural (2002)
COLUNAS

Sexta-feira, 5/4/2013
Nice, Bebeth e Anjali
Marta Barcellos

+ de 3400 Acessos

Bem-vindo ao mundo de Bebeth. No entanto, antes de adentrarmos a casa de chá em que Bebeth fará a sua aparição, em grande estilo, para o grupo de quatro amigas, é preciso dar crédito a quem nos proporcionará essa oportunidade. Para isso, preciso apresentar Nice, minha cabeleireira, uma mulher nova para quem já tem neto, que trabalha em pé muitas horas seguidas, mas só pensa nisso quando chega o final do dia. Ela tem folga aos domingos e segundas-feiras, mas é das segundas que gosta mais.

Já Bebeth não é acostumada a ficar horas em pé, nem quando vai ao shopping. No salão de beleza, só fica sentada. Nice, não. Nice gosta muito de Bebeth, do jeito que é possível gostar das clientes do salão de Ipanema.

Para efeito de comparação, o ambiente de um cabeleireiro é como um táxi no quesito "jogar conversa fora e descobrir outros mundos" - embora só esteja acessível às mulheres não-Bebeth que venceram algum preconceito inicial em nome de um cabelo bem cortado e bem hidratado. Foi no salão que ouvi a história de Bebeth, contada por Nice - e talvez o que mais tenha me deixado perturbada, ao fim da conversa, foi a constatação de termos Nice em comum em nossas vidas tão diferentes, eu e Bebeth.

Comecemos por Nice. Como já antecipei, ela não é jovem, e talvez sofra por isso em seu local de trabalho, onde sempre ingressam novas profissionais - coloristas, cabeleireiras, manicures recém-treinadas pela rede de cabeleireiros carioca. Mulheres com muita energia em seus vinte e poucos anos. Como qualquer mulher madura que trabalha, Nice percebeu que precisava se diferenciar para não ser trocada por duas profissionais menos experientes e mais baratas. Foi então que apostou no treinamento em megahair.

A peculiaridade do megahair é que são necessárias muitas horas consecutivas para concluir todo o procedimento, caso a ideia seja aumentar o comprimento e dar volume aos cabelos - ou seja, ganhar uma bela cabeleira. Pequenas mechas são coladas uma a uma. Depois, tudo é tingido da mesma cor. Como a agenda de Nice vive bloqueada por causa das clientes do megahair, tive minha curiosidade aguçada sobre o assunto, como quem embarca em um táxi numa cidade pouco familiar. O que leva uma mulher a fazer megahair?

Nice talvez enumerasse como primeiro motivo o arrependimento em ter cortado o cabelo, mas, como nos conhecemos há alguns anos, ela pode ser mais sincera: olha, o que leva uma mulher a fazer megahair é ter muito dinheiro. Eu insisto na questão do tempo, porque uma mulher que pode passar dois dias inteiros no salão não tem tempo para ganhar dinheiro. Claro - e Nice me explica como se revelasse a uma criança que a vida não é justa -, as clientes de megahair não precisam trabalhar para ganhar o dinheiro que gastam.

Mas, olha, nós fizemos um treinamento em São Paulo (é Nice falando) e tivemos uma palestra muito boa. O palestrante nos orientou a não tratar mais as clientes como dondocas ou peruas. As mulheres ricas hoje em dia não usam brilhantes e peles, e até gostam de parecer que trabalham. Querem mais ter experiências do que coisas. E são mais discretas.

Com exceção de Bebeth. Não que Bebeth seja uma dondoca típica, a tal dos brilhantes e peles. É que é difícil pra ela ser discreta. Alta, magra, Bebeth tem um sorriso radiante, e agora vou ter que continuar a descrevê-la como ela ainda era naquele dia, véspera do megahair que bloqueou a agenda de Nice. Bebeth usava um corte da cabelo ousado: um chanel de bico, platinado. Se você não frequenta cabeleireiros em Ipanema, vai precisar de uma explicação mais detalhada para visualizar Bebeth, então vamos lá: chanel é aquele cabelo curto e cortado reto, na altura das orelhas, como o da estilista francesa. O bico é porque, no caso de Bebeth, o corte não é tão reto: as laterais junto ao rosto são mais compridas. Platinado é a cor dos cabelos da Marilyn Monroe, mas acho que isso todo mundo sabe.

Então, continuando, Bebeth é alta, e Nice está satisfeita em informá-lo. Às vezes surgem clientes baixinhas e gordinhas querendo "botar cabelão". Fica horrível (é Nice falando). Mas não há como dissuadir essa pobre mulher, que afinal tem os R$3 mil na conta bancária para pagar o cabelo, sem falar na mão de obra. Eu não tinha comentado ainda, mas um megahair caprichado não sai por menos de R$3 mil.

Sou tomada pelo mal estar de imaginar uma baixinha e gordinha horrível de cabelão. Os cabelos lindos; ela horrível. Será que o problema é o cabelão não melhorar a aparência da "pobre" mulher? Ou será que, por exibir tal aparência, ela não merece usufruir da experiência de ficar de cabelão do dia para a noite?

Sim, porque, juntando a palestra-treinamento do salão aos comentários de Nice, imagino que o megahair está em alta por se tratar de uma experiência - e não da ostentação de um cabelo de R$ 3 mil, como se fosse um diamante. Particularmente, nunca tinha pensado "puxa, que cabelo lindo, deve valer uns R$ 3 mil". Será que vou passar a pensar, agora?

Mas é aí que eu queria chegar. A "experiência" de ficar com os cabelos compridos do dia para noite só é uma "experiência" porque ninguém fica com os cabelos compridos do dia para a noite. Nem na Índia, de onde vêm os fios usados nos salões de beleza. Os cabelos que Bebeth colocará amanhã, dando adeus ao chanel de bico platinado, demoraram anos para crescer na cabeça de... chamemos de Anjali a indiana que cortou os seus cabelos em um templo na cidade de Chennai.

Bebeth ficará apenas três meses usando os cabelos que cresceram por anos a partir do couro cabeludo de Anjali. Depois desse período, ela já avisou à Nice, mudará de visual novamente. Acho difícil que, pelo menos uma vez nestes três meses, talvez quando estiver com insônia por causa da TPM, Bebeth não pense em Anjali.

Cabelos crescem de 1 a 1,5 centímetro por mês. Em média, uma pessoa tem, aos 25 anos, entre 100 mil e 150 mil fios de cabelo (Bebeth e Anjali, ao contrário de Nice, são jovens, portanto estas estatísticas lhes servem). Os cabelos indianos não são distribuídos para o mundo todo apenas porque são fortes, lisos e virgens de tinturas e outros processos químicos. É porque são baratos, muito baratos. Anjali não ganhou nem uma rúpia por 40 centímetros dos seus 150 mil fios de cabelos fortes, lisos e virgens, que demoraram três anos para crescer, porque os ofereceu a uma divindade.

Anjali sabe vagamente que os cabelos oferecidos em sacrifício nos templos indianos são depois vendidos, mas não se importa. Antigamente, parece que eram usados como enchimento de colchões, e agora vão para os megahair. O que importa é que o seu ato de cultivar e sacrificar os lindos cabelos será considerado por Ganesha, o deus-menino com cabeça de elefante, que atenderá ao seu pedido. Qual terá sido o pedido de Anjali? Não, nisso Bebeth não chegou a pensar.

Bebeth teve um pouco de insônia na véspera do grande dia, o da aparição para as amigas, mas resolveu o problema com corretivo nas olheiras e duas cocas zero. Daqui a pouco, vai encontrá-las numa casa de chá em um casarão histórico no bairro do Flamengo. É a terceira vez que o grupo escolhe aquele lugar, lindo de morrer. Sempre impecável, Bebeth tem o dom de escolher roupas com caimento perfeito em seu corpo esguio. Nem usa muitas joias. É um tiquinho invejada pelas amigas, que sempre elogiam o seu estilo e esperam ansiosas por novidades.

Agora, atrasada, Bebeth entra na casa de chá e as quatro cabeças se voltam para ela.


Marta Barcellos
Rio de Janeiro, 5/4/2013


Quem leu este, também leu esse(s):
01. A medida do sucesso de Fabio Gomes
02. Hilda Hilst delirante, de Ana Lucia Vasconcelos de Jardel Dias Cavalcanti
03. Saudade de ser 'professor' de Filosofia de Cassionei Niches Petry
04. A coerência de Mauricio Macri de Celso A. Uequed Pitol
05. Apresentação: Ficção e Sociedade de Heloisa Pait


Mais Marta Barcellos
Mais Acessadas de Marta Barcellos em 2013
01. Para viver de literatura - 7/2/2013
02. Mamãe cata-piolho - 31/5/2013
03. Suicídio - 15/2/2013
04. Suicídio, parte 2 - 15/3/2013
05. Até eu caí nessa - 8/11/2013


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




THE STORY OF MEDICINE
VICTOR ROBINSON
THE NEW HOME LIBRARY
(1943)
R$ 78,30



ZOROASTER ZOROTUSHTRA ZARATUSTRA
ORDEM DO GRAAL NA TERRA
ORDEM DO GRAAL NA TERRA
R$ 12,00



RELIGIÕES COMPARADAS
DIVERSOS AUTORES
CRUZADA ESPIRITUALISTA
(1929)
R$ 92,39



CAMINHOS E ESCOLHAS
ABÍLIO DINIZ
CAMPUS
(2004)
R$ 11,00



A MORTE TEM SETE HERDEIROS
STELLA CARR; GANYMÉDES JOSÉ
MODERNA
(2003)
R$ 11,90



PAI! NÃO CONSIGO DORMI
MICHAEL FOREMAN
CAMINHO
(1997)
R$ 17,86



A BORBOLETA PINTORA
EUNICE BRAIDO
FTD
(2010)
R$ 8,50



CLUB PENGUIN QUADRINHOS VOLUME 1
DISNEY
MELHORAMENTOS
(2010)
R$ 8,95



DESPERTANDO SOB CHAMAS
ANTONIO LÚCIO PELO ESPÍRITO LUCIANO
CEAC
R$ 39,21



PARA UMA ARQUEOLOGIA DO DISCURSO IMPERIAL CADERNOS DE FILOSOFIA 3
FERNANDO GANDRA
REGRA DO JOGO
(1978)
R$ 11,16





busca | avançada
55373 visitas/dia
2,0 milhões/mês