O experimento de J. K. Rowling | Marta Barcellos | Digestivo Cultural

busca | avançada
27782 visitas/dia
955 mil/mês
Mais Recentes
>>> MANU LAFER APRESENTA SHOW NOBODY BUT YOU - TRIBUTO A KIKA SAMPAIO
>>> Sesc Belenzinho recebe a banda E a Terra Nunca me Pareceu Tão Distante
>>> Sesc Belenzinho recebe a atriz e cantora Zezé Motta
>>> Psicólogo lança livro de preparação para concurseiros usando a Terapia Cognitiva-Comportamental
>>> O Sertão na Canção: Guimarães Rosa
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Era uma casa nada engraçada
>>> K 466
>>> 2 leituras despretensiosas de 2 livros possíveis
>>> Minimundos, exposição de Ronald Polito
>>> Famílias terríveis - um texto talvez indigesto
>>> O Carnaval que passava embaixo da minha janela
>>> A menos-valia na poesia de André Luiz Pinto
>>> Lançamentos de literatura fantástica (1)
>>> Cidadão Samba: Sílvio Pereira da Silva
>>> No palco da vida, o feitiço do escritor
Colunistas
Últimos Posts
>>> Weezer & Tears for Fears
>>> Gryphus Editora
>>> Por que ler poesia?
>>> O Livro e o Mercado Editorial
>>> Mon coeur s'ouvre à ta voix
>>> Palestra e lançamento em BH
>>> Eleições 2018 - Afif na JP
>>> Lançamentos em BH
>>> Lançamento paulistano do Álbum
>>> Pensar Edição, Fazer Livro 2
Últimos Posts
>>> Kleber Mendonça volta a Cannes com 'Bacurau'
>>> Nem só de ilusão vive o Cinema
>>> As Expectativas de um Recrutador e um Desempregado
>>> A Independência Angolana além de Pepetela
>>> Porque dizer adeus?
>>> Direções da véspera IV
>>> Direções da véspera IV
>>> A pílula da felicidade
>>> Dispendioso
>>> O mês do Cinemão
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Memorial de Berlim
>>> The Good Life
>>> O Natal quase sempre é um problema
>>> O físico que era médico
>>> O historiador das idéias
>>> Maria Antonieta, a última rainha da França
>>> Gentili sobre o 7 a 1
>>> Convivendo com a Gazeta e o Fim de Semana
>>> Uma pirueta, duas piruetas, bravo, bravo!
>>> O petista relutante
Mais Recentes
>>> Psicoterapia Aberta: Formas do Encontro de Wilson Castello de Almeida pela Ágora (1988)
>>> A Contorcionista Mongol de Roberto Muggiati (autografado) pela Record (2000)
>>> O Marido Perfeito Mora ao Lado de Felipe Pena pela Record (2010)
>>> O Ciclista da Madrugada de Arnaldo Block pela Record (2009)
>>> Cristal Polonês de Leticia Wierzchowski pela Record (2003)
>>> Sal de Leticia Wierzchowski pela Intrinseca (2013)
>>> A Máquina de Xadrez de Robert Löhr pela Record (2007)
>>> Caça às Bruxas Macartismo: uma Tragédia Americana de Argemiro Ferreira pela L&pm (1989)
>>> Curso De Direito Penal - Parte Especial - Vol. 2 de Fernando Capez pela Saraiva (2013)
>>> Coleção Oab Nacional - Direito Penal de Luiz Antônio de Souza pela Saraiva (2014)
>>> A casa de Hades - Percy Jackson de Rick Riordan pela Intrinseca (2013)
>>> Leituras Indispensáveis 1 de Aziz Ab'Sáber pela Ateliê (2008)
>>> O Tango da Velha Guarda de Arturo Pérez-reverte pela Record (2013)
>>> O Decimo Inferno e Luna Caliente de Mempo Giardinelli pela Record (2003)
>>> Nefrologia de M. Legrain et Al. pela Masson (1983)
>>> Paraíso de Tatiana Salém Levy pela Foz (2014)
>>> A Chave da casa de Tatiana Salém Levy pela Record (2007)
>>> Margarida La Rocque: a Ilha dos Demônios de Dinah Silveira de Queiroz pela Record (1991)
>>> Três famílias: identidades e trajetórias transgeracionais nas classes populares de Luiz Fernando Dias Duarte e Edlaine de Campos Gomes pela FGV (2008)
>>> Crítica da Divisão do Trabalho de André Gorz pela Martins Fontes (2001)
>>> O Mais Belo País é o Teu Sonho de Flávio Moreira da Costa (autografado) pela Record (1995)
>>> O sociologo e o historiador de Pierre Bourdieu e Roger Chartier pela Autentica (2011)
>>> Em defesa da sociologia de Anthony Giddens pela Unesp (2001)
>>> Irmã Morte de Justo Navarro pela Record (2011)
>>> Caos Total de Jean-claude Izzo pela Record (2002)
>>> Medicina Sexualidade e Natalidade de Henrique Augusto Lima (autografado) pela Byk (1999)
>>> Crônicas inéditas 2 de Manuel Bandeira pela Cosac Naify
>>> Adivinhadores de água de Eduardo Escorel pela Cosac Naify (2005)
>>> Flávio de Carvalho: Espaços da Arte Brasileira de Luiz Camillo Osorio pela Cosac Naify (2009)
>>> Cultura e materialismo de Raymond Williams pela Unesp (2011)
>>> O Eixo do Mal Latino-Americano e a Nova Ordem Mundial de Heitor de Paola pela Observatório Latino (2016)
>>> Marca, Imagem e Reputação: a Trajetória de Sucesso de Pessoas e Empresas de Fernanda de Carvalho e Francisco Britto e Richard House pela Da Boa Prosa (2012)
>>> Clarice, uma Biografia de Benjamin Moser pela Cosac Naify (2015)
>>> Um Barril de Risadas, um Vale de Lágrimas de Jules Feiffer pela Cia das Letras (2008)
>>> Inelegibilidades no Direito Brasileiro de Joel J. Cândido pela Edipro (2003)
>>> Recursos em matéria eleitoral de Tito Costa pela Revista dos Tribunais (2004)
>>> Direito Eleitoral & Questões Controvertidas de Antônio Carlos Martins Soares pela Lumen Juris (2008)
>>> Langage et pouvoir symbolique de Pierre Bourdieu pela Editions Fayard (2001)
>>> Les Règles de l'art de Pierre Bourdieu pela Editions du Seuil (1998)
>>> Princípios Estruturantes das Agências Reguladoras e os Mecanismos de Controle de Alexandra da Silva Amaral pela Lumen Juris (2008)
>>> Homo Academicus de Pierre Bourdieu pela Les Editions de Minuit (2005)
>>> A criança e a mídia: imagem, educação, participação de Cecilia Von Feilitzen; Ulla Carlsson pela Cortez (2002)
>>> Circulação internacional e formação intelectual das elites brasileiras de Ana Maria Almeida; Letícia Canêdo, Afrânio Garcia; Agueda Bittencourt pela Unicamp (2019)
>>> Crimes eleitorais de Suzana de Camargo Gomes pela Revista dos Tribunais (2008)
>>> Delegação e Avocação Administrativas de Regis Fernandes de Oliveira pela Revista dos Tribunais (2005)
>>> Probidade administrativa. Comentários à Lei 8.429/92 e legislação complementar de Marcelo Figueiredo pela Malheiros (2004)
>>> Inquérito Policial & Competências e Nulidades de Atos de Polícia Judiciária de Anderson Souza Daura pela Juruá (2008)
>>> Agora e Para Sempre Lara Jean de Jenny Han pela Intrínseca (2017)
>>> Michael Kohlhaas de Heinrich Von Kleist pela Grua (2014)
>>> Perícias judiciais de engenharia. Doutrina. Prática. Jurisprudência de Francisco Maia Neto pela Del Rey (1999)
COLUNAS

Sexta-feira, 23/8/2013
O experimento de J. K. Rowling
Marta Barcellos

+ de 3100 Acessos

Em 2007, o violinista americano Joshua Bell foi ignorado por horas numa estação de metrô em Washington, apesar de todo o seu virtuosismo interpretando as mais belas composições clássicas. O experimento, que havia sido proposto pelo jornal Washington Post, foi de certa forma repetido este ano para promover uma coleção da Folha de S.Paulo sobre grandes pintores. Um quadro de Di Cavalcanti - Três mulatas, de 1953 - passou o dia exposto numa das mais movimentadas feiras de antiguidades em São Paulo, na praça Benedito Calixto, sem receber a menor atenção dos caçadores de quinquilharias.

Como brincadeira, esse tipo de experimento parece apenas revelar a insensibilidade ou a ignorância do público médio; passantes apressados do metrô, visitantes distraídos de feirinhas de artesanato. De fato, podemos imaginar que se um especialista em música erudita ou em pintura brasileira por coincidência estivessem atentos no momento dos testes, talvez a "pegadinha" fracassasse, porque os artistas ou suas técnicas seriam reconhecidos.

Mas e se, em vez de rirmos da ignorância alheia, tomarmos as duas situações para pensar na distância entre a obra e o artista já reconhecido? Ou melhor: é realmente possível analisar, do ponto de vista de qualidade ou genialidade, uma obra de arte "às cegas", sem considerar a trajetória e a obra do artista como um todo? Será que um pintor excepcionalmente bom não pode estar sendo ignorado neste momento, numa exposição coletiva sem muito destaque? Não é possível que, longe dos experimentos ou das páginas do Washington Post e da Folha de S.Paulo, esse artista jamais tenha reconhecimento, nem depois de morto?

Bem, a tentação de continuar este texto com perguntas é grande (já que não tenho respostas), mas pararei por aqui. Muitas colunas atrás, no tempo dos comentários, alguém criticou o meu texto por ter muitas perguntas. Pois imagine que este seja um estilo meu, ou um maneirismo detestável, e desta vez eu assinasse esta coluna com um pseudônimo, para testar a "independência" do meu texto em relação à imagem que o tal leitor tem de mim. Será que ele ou outros me identificariam? (ops, uma pergunta)

É aí que chegamos à suposta liberdade do pseudônimo, argumento primeiro utilizado pela escritora J.K. Rowling para ter lançado em segredo um livro policial, The cuckoo's calling, sem avisar à legião de fãs da série Harry Potter (pela experiência que tenho em casa, eles se jogariam embaixo de um trem para Hogwarts se ela mandasse, então certamente teriam encomendado o livro de olhos fechados antes do lançamento).

Bem, a escritora britânica não chegou a colocar o seu quadro numa feirinha de artes nem se postou com o violino numa estação de metrô. O equivalente a isso teria sido a autopublicação do livro numa dessas plataformas eletrônicas acessíveis a autores iniciantes, que mesmo assim precisam batalhar por sua divulgação nas redes sociais. Rowling contou de cara com um bom empresário e uma boa editora (os seus), que aparentemente guardaram bem o segredo (pelo menos por algum tempo), e conseguiram com seu cacife uma ampla divulgação na mídia especializada. Então foi como se tivessem levado o especialista em música na estação do metrô, embora ele não pudesse reconhecer o rosto do violinista.

O resultado do "experimento" de Rowling é interessante: a crítica se mostrou favorável (e surpresa em relação à sofisticação do autor estreante, supostamente um investigador policial militar aposentado) e, apesar dela, apenas 1500 exemplares foram vendidos.

Oficialmente, a autora foi desmascarada pelo jornal Sunday Times, cujo repórter, desconfiado, teria submetido a obra a um linguista, que identificou semelhanças no texto com passagens do último Harry Potter e de Morte súbita, oficialmente o primeiro livro de Rowling depois do fim da saga do bruxinho. Tudo indica, porém, que a própria autora ou seus agentes se cansaram da brincadeira de vender pouco e vazaram o boato nas redes sociais. O jornalista só correu atrás da isca.

Outra curiosidade deste caso é justamente a performance de Morte súbita. O lançamento foi cercado de preparativos e expectativas, mas era evidente que a crítica receberia de má vontade a primeira incursão de uma autora juvenil terrivelmente bem sucedida na séria literatura adulta. Não deu outra: as críticas foram frias e as vendas, um sucesso. Já sobre The cuckoo's, a escritora, em seu comunicado, disse ter vivido, na pele do pseudônimo de Robert Galbraith, uma "experiência muito libertadora": "Foi maravilhoso publicar um livro sem badalação ou expectativa."

Experimento libertador ou um dos maiores golpes editoriais dos últimos anos, o livro de J.K. Rowling (que imediatamente pulou para o primeiro lugar na lista de mais vendidos) tem tudo para se tornar a exceção que confirma a regra: não existe espaço hoje, no mercado editorial ou no mundo artístico, para o pseudônimo. O anonimato, que romanticamente permitiria a apreciação da marca de genialidade do artista sem interferências mundanas como a de uma biografia (que poderá incluir um primeiro livro simplório ou mostrar um talento lapidado à custa de determinação e oficinas literárias), não se sustenta no mercado cultural ou artístico.

Numa época em que o sucesso em qualquer profissão depende de uma biografia bem construída e com foto no Facebook; numa época em que os especialistas perderam a autoridade para uma imprevisível massa de internautas com opinião e influência própria, numa época em que até a arte "pura" se rendeu às regras do mercado; nenhuma editora vai aceitar um autor novo que prefere se manter anônimo, apostando que a sua qualidade se "venderá" sozinha. A brincadeira pode até virar modinha em mercados maduros, de muitos livros, e assim mesmo entre autores consagrados.

No Brasil, acredito que tenha pouco futuro. De qualquer forma, sempre estará longe da ideia romântica de anonimato libertador, como já foi o pseudônimo em outras épocas. Além disso, se o autor for misterioso, quem fará a palestra na feira literária?



Marta Barcellos
Rio de Janeiro, 23/8/2013


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Piada pronta de Luís Fernando Amâncio
02. Blockchain Revolution, o livro - ou: blockchain(s) de Julio Daio Borges
03. O fim do PT de Julio Daio Borges
04. A vida exemplar de Eric Voegelin de Celso A. Uequed Pitol
05. Manauara ou Manauense de Marcela Ortolan


Mais Marta Barcellos
Mais Acessadas de Marta Barcellos em 2013
01. Para viver de literatura - 7/2/2013
02. Mamãe cata-piolho - 31/5/2013
03. Suicídio - 15/2/2013
04. Suicídio, parte 2 - 15/3/2013
05. Até eu caí nessa - 8/11/2013


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




TEILHARD E SAINT-EXUPÉRY (CADERNOS TEILHARD 8)
ANDRÉ-A. DEVAUX
VOZES
(1967)
R$ 10,00



ORATÓRIO DOS INCONFIDENTES (FACES DO VERBO) - 1ª EDIÇÃO
DOMÍCIO PROENÇA FILHO
LÉO CHRISTIANO
(1989)
R$ 14,00



FOCO DO CLIENTE
JOSÉ CARLOS TEIXEIRA MOREIRA
GENTE
R$ 8,00



A MATEMÁTICA E A MODELAGEM COMPUTACIONAL DAS ONDAS INTERNAS
GLADYS ELIZABETH CALLE CARDEÑA
NOVAS EDIÇÕES ACADÊMICAS
R$ 349,00



DROODLES
DANILO GENTILI
PANDA BOOKS
(2015)
R$ 13,00



OS TRABALHOS DE HÉRCULES
AGATHA CHRISTIE
L&PM POCKET
(2011)
R$ 15,00



SELEÇÕES DO READERS DIGEST DE JANEIRO DE 1970
TITO LEITE (REDATOR RESPONSÁVEL)
YPIRANGA
(1970)
R$ 7,00



O CÓDIGO GENÉTICO
ISAAC ASIMOV
CULTRIX
(1962)
R$ 15,00



PAIS & MÃES CULPADOS OU INOCENTES ?
ALDO NAOURI
CAMPUS
(2005)
R$ 18,00



DISCOBIOGRAFIA LEGIONÁRIA
CHRIS FUSCALDO
LEYA
(2016)
R$ 29,00





busca | avançada
27782 visitas/dia
955 mil/mês