Crítica à internet chega à ficção | Marta Barcellos | Digestivo Cultural

busca | avançada
58188 visitas/dia
2,0 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Conversas no MAB com Sergio Vidal e Ana Paula Lopes
>>> Escola francesa de Design, Artes e Comunicação Visual inaugura campus em São Paulo
>>> TEATRO & PODCAST_'Acervo e Memória', do Célia Helena, relembra entrevista com Nydia Licia_
>>> Projeto Cultural Samba do Caxinha cria arrecadação virtual para gravação de seu primeiro EP
>>> Designer e arquiteto brasileiro, Giovanni Vannucchi participa da VIIBienal Ibero-americana de Design
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Aos nossos olhos (e aos de Ernesto)
>>> Carol Sanches, poesia na ratoeira do mundo
>>> O fim dos livros físicos?
>>> A sujeira embaixo do tapete
>>> Moro no Morumbi, mas voto em Moema
>>> É breve a rosa alvorada
>>> Alameda de água e lava
>>> Entrevista: o músico-compositor Livio Tragtenberg
>>> Cabelo, cabeleira
>>> A redoma de vidro de Sylvia Plath
Colunistas
Últimos Posts
>>> Gente feliz não escreve humor?
>>> A profissão de fé de um Livreiro
>>> O ar de uma teimosia
>>> Zuza Homem de Mello no Supertônica
>>> Para Ouvir Sylvia Telles
>>> Van Halen ao vivo em 1991
>>> Metallica tocando Van Halen
>>> Van Halen ao vivo em 2015
>>> Van Halen ao vivo em 1984
>>> Chico Buarque em bate-papo com o MPB4
Últimos Posts
>>> O poder da história
>>> Caraminholas
>>> ETC. E TAL
>>> Acalanto para a alma
>>> Desde que o mundo é mundo
>>> O velho suborno
>>> Normal!
>>> Os bons companheiros, 30 anos
>>> Briga de foice no escuro
>>> Alma nua
Blogueiros
Mais Recentes
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> Aquele apoio
>>> A forca de cascavel — Angústia (Fuvest)
>>> Pouca gente sabe
>>> O chilique do cabeleireiro diante da modelo
>>> Paradiso por Metheny
>>> A nova propaganda anda ruim
>>> A Erva do Diabo, de Carlos Castaneda
>>> Manual para o leitor de transporte público
>>> Ganha-pão
Mais Recentes
>>> Contabilidade Geral e Avançada Esquematizadotizado de Eugenio Mototo pela Saraiva Jur (2018)
>>> Floriano Peixoto - Vida e Governo de Francolino Camêu e Arthur Vieira Peixoto pela A Noite (1925)
>>> Annaes das Guerras do Brazil com os Estados do Prata e Paraguay de Coronel J. S. Torres Homem pela Imprensa Nacional (1911)
>>> "E o sangue brasileiro correrá..." de Elvaldo de Alarcon pela Du Barry (1942)
>>> O punhal nazista no coração do Brasil de Capitão Antônio Carlos Mourão Ratton (e outros) pela Imprensa Oficial do Estado de Santa Catarina (1943)
>>> História da II Guerra Mundial 1939-1945 (6 volumes) de Edgar Mc Innis pela Globo (1958)
>>> A Canção de Ariel de Martins Fontes pela Comissão glorificadora de Martins Fontes (1938)
>>> Passagens: Estudos sobre a filosofia de Kant de Ricardo Terra pela Ufrj (2003)
>>> Vathek de William Beckford pela L&PM Pocket (2007)
>>> Natureza e ilustração: Sobre o materialismo de Diderot de Maria das Graças de Souza pela Unesp (2002)
>>> Hume et la fin de la philosophie de Yves Michaud pela Quadrige / PUF (1999)
>>> Hume: Une Philosophie Des Contradictions de Jean-Pierre Cléro pela Vrin (1998)
>>> Hume's Philosophy of Religion de J. C. A Gaskin pela MacMillan (1988)
>>> Machado de Assis: equívocos da crítica de Alfredo Jacques pela Iel (1974)
>>> Diálogos com Leuco de Cesare Pavese pela Cosac & Naify (2012)
>>> Subjetividade, Espaço E Tempo Em David Hume de Monica Loyola Stival pela Humanitas / FAPESP (2015)
>>> Biologia 1(ensino médio) biologia das células de Amabis Martho pela Moderna plus (2010)
>>> História conexões de Alexandre Alves, Letícia Fagundes pela Moderna plus (2013)
>>> Geografia conexões de Lygia Terra, Regina Araújo e Raul Borges pela Moderna plus (2012)
>>> Atividade em Feltro Foguete dos Cálculos de Claudia Maria Bertuqui Ribeiro pela Feltro (2020)
>>> Contribuição para a História da Revolução Constitucionalista de 1932 de Euclydes Figueiredo pela Livraria Martins (1954)
>>> Por São Paulo e pelo Brasil de João Neves pela Sem (1933)
>>> A Revolução Constitucionalista de Herculano C. e Silva pela Civilização Brasileira (1932)
>>> Química 1 (ensino médio) de Tito Canto pela Moderna plus (2010)
>>> Prefiero Espanol (ensino médio) 1 de Gretel Eres Fernandez pela Moderna (2010)
>>> A Columna Romão Gomes de Herbert V. Levy pela Saraiva & Cia (1933)
>>> Literatura (ensino médio) 1 de Maria Luiza M. Abaurre e Marcela Pontara pela Moderna plus (2010)
>>> Um Desconhecido de Danielle Steel pela Record (1999)
>>> Capacete de Aço de Affonso de Carvalho pela Civilização Brasileira (1933)
>>> Palmo a Palmo (a Lucta no Sector Sul) de Cap. Alves Bastos pela Sociedade Impressora Paulista (1932)
>>> Preces Atendidas de Danielle Steel pela Record (2009)
>>> Matemática (ensino médio) 1 de Manoel Paiva pela Moderna plus (2013)
>>> Agora Nós! de Paulo Duarte pela Sem (1927)
>>> Um Mundo que Mudou de Danielle Steel pela Record (1996)
>>> Revolucione sua qualidade de vida de Augusto Cury pela Sextante (2002)
>>> O poder de cura da linhaça de Conceição Trucom pela Alaúde (2015)
>>> 1934 de Alberto Moravia pela Riográfica (1986)
>>> 000 Contra Moscou Viagem ao País do Medo de Ibrahim Sued pela Bloch (1965)
>>> 1 de Janeiro de 1993 o Que Vai Mudar na Europa de Peter Sutherland pela Ed 70 (1993)
>>> 10 Anos de Aventuras na História - as Reportagens Fundamentais de Da Editora pela Abril (2013)
>>> 10 Décadas: a História do Santos Futebol Clube de Celso Jatene pela Companhia Ed Nacional (2012)
>>> 10. 000 Anos de Descobertas de Bruno Kaiser pela Melhoramentos
>>> 100 Crônicas Escolhidas Rubem Braga de Rubem Braga pela José Olympio (1958)
>>> 100 Dicas de Marketing Sexual para Homens de Roberto Bo Goldkorn pela Best Seller (2006)
>>> 100 Dicas Infalíveis para Emagrecer e Se Manter Em Forma de Fred A. Stutman M D pela Sextante (2010)
>>> 100 Dicas Infalíveis para Emagrecer e Se Manter Em Forma de Fred A. Stutman pela Sextante (2010)
>>> 100 Escovadas Antes de Ir para a Cama de Melissa Panarello pela Objetiva (2004)
>>> 100 Magias para Guardar Segredos de As Bruxinhas Witch pela Edelbra (2002)
>>> 1000 Perguntas Falências e Concordatas de Waldir Vitral pela Rio (1983)
>>> 1001 Dicas & Conselhos Úteis para Usar Melhor Seu Computador de Readers Digest pela Seleções Readers Digest (2002)
COLUNAS

Sexta-feira, 11/10/2013
Crítica à internet chega à ficção
Marta Barcellos

+ de 2700 Acessos

Quem (ainda) não desistiu do bom debate na internet conhece o conselho básico: ignore os chamados trolls e outros tipos de baixo nível intelectual que inevitavelmente irão aparecer nesse ambiente. Pois, em seu último romance, Reprodução, Bernardo Carvalho não dá a colher de chá ao leitor: para avançar na leitura, é preciso ouvir e ouvir a ladainha estúpida do "estudante de chinês". É como se, no livro, esse personagem detestável que todos tentamos ignorar - sob o argumento de que, ao não alimentá-lo com a nossa atenção, ele definhará por inanição - ganhasse finalmente o protagonismo com o qual sempre sonhou.

Reprodução se presta a múltiplas leituras, inclusive além da óbvia associação com o submundo da internet. Mas apenas esta primeira camada, a do incômodo com o personagem, já é suficiente para provocar uma discussão importante sobre os efeitos deletérios da rede vistos pela ficção. Aparentemente, Carvalho faz parte de uma leva de romances que sucederá os primeiros best sellers, de não-ficção, críticos e pessimistas em relação à internet, escritos por especialistas como Andrew Keen e Nicholas Carr. Na ficção americana, a grande sensação promete ser The circle, de Dave Eggers, com lançamento previsto para 8 de outubro nos Estados Unidos.

O protagonista de Reprodução é um sujeito detestável, e durante a minha leitura foi um desafio aceitá-lo como personagem principal. Se, em narrativas breves, protagonistas sem caráter são mais do que bem vindos, em romances às vezes é difícil aceitá-los sem alguma complexidade que os humanize. Canalhas são canalhas, ponto final, e nos afastamos deles antes de corrermos o risco de compreendê-los. Recentemente eu havia convivido com um protagonista assim, o cínico cientista de Solar, de Ian McEwan, e observei que a maestria do escritor nestes casos está em justamente em criar um tipo de identificação do leitor até mesmo em relação aos defeitos mais odiosos do personagem, consciente ou inconscientemente.

E qual seria a reação do leitor, no caso do estudante de chinês? Não sei se o impacto do personagem é o mesmo para leigos na internet, mas aqueles com alguma vivência logo descobrem de quem se trata. Anti-democrático e cheio de preconceitos, ele constrói teorias conspiratórias e opiniões que defende serem baseadas em fatos incontestáveis. Os fatos da internet - e também de outras mídias (a revista Veja só não é citada de forma literal). É um discurso de ódio anárquico e circular, produzido de forma a se desviar das tentativas de desmascarar a fragilidade dos argumentos. Familiar? Pois é, estão no seu discurso o "pronto, falei" e o "todo mundo sabe que...", sem falar nas generalizações absurdas e na impaciência com a suposta burrice de quem pensa diferente (senti falta do "quer que desenhe?" para caracterizar definitivamente o personagem).

Reconhecido o personagem, comecei a considerar se valeria a pena continuar a leitura e aturar o tal "estudante" - tendo de lidar com os traumas que ele me desperta - até o fim do livro. Seria realismo demais para minha atual fase de leitora? A dispersão me deixou tentada a conferir a similaridade entre aquele discurso - trabalhado sob o artifício da literatura - e a linguagem "real" da internet. Fechei o livro. Entrei no Facebook. Depois de rolar algumas vezes a tela do smartphone, levei um susto: encontrei uma frase de uma das primeiras páginas de Reprodução. Uma frase do estudante de chinês:

"Na Arábia Saudita, ladrão é amputado; aqui é deputado. kkkkkk". Vinte e sete pessoas curtiram. A frase era atribuída, entre parênteses, ao próprio Bernardo Carvalho, e não a seu personagem, o que sem dúvida pode ter levado muita gente a clicar "curtir" sem prestar muita atenção. Curtir sem pensar muito - exatamente como o estudante de chinês. Fiquei na dúvida se meu amigo de Facebook tinha armado uma pegadinha (duas pessoas chegaram a comentar que a frase era muito boa) ou se ele próprio tinha vivido um momento de identificação com o personagem reacionário. Eu poderia entrar no debate (ai ai, debate na internet?), pelo menos esclarecer aos outros sobre a autoria da frase, mas me detive. Estava atordoada. A sensação era de que o personagem do livro tinha invadido o meu Facebook. Eu havia fechado o livro e o livro continuara aberto. Não era (mais) possível ignorar a existência do estudante de chinês.

Ainda rolando o Facebook, encontrei um link que prometia jogar alguma luz na questão: uma entrevista feita pela jornalista Raquel Cozer, na Folha de S.Paulo, com o próprio escritor, sobre o seu novo livro. Como eu já intuía pelo ensaio "Em defesa da obra", publicado por ele na revista Piauí, Carvalho confirmava que o romance pretendia expressar seu desconforto com o ambiente acrítico internet. Ufa, nada como o antiquado recurso de pedir para o autor explicar sua obra e ajudar a pacificar tudo. Respirei aliviada.

Mas por pouco tempo. Abaixo da matéria (eu estava no ambiente da internet, lembra?), havia uma lista de comentários sobre a entrevista. Em alguns, lá estava ele novamente, o estudante de chinês. "Considerando que o autor afirma que a classe media não representa o Brasil, creio que a classe média não deve comprar o seu livro", dizia o, digamos, "estudante 1". "Que discursinho mais sem sentido. Nunca a literatura foi mais livre - dá pra publicar livros quase de graça fazendo impressão sob demanda", emendava o "estudante 2".

Nos comentários relacionados ao link da matéria no Facebook, o estudante de chinês voltava a atacar. Raquel tentava argumentar com ele - em vão, claro. Entrei no debate com a discrição que podia e perguntei: Será que Bernardo Carvalho previu que seu livro teria aquela "continuação" na internet? Como nem tudo na internet é "estudante de chinês", um comentarista perspicaz matou a charada: "Cuidado: você acha que está lendo o livro, mas é o livro que está lendo você!".



Marta Barcellos
Rio de Janeiro, 11/10/2013


Quem leu este, também leu esse(s):
01. E por falar em aposentadoria de Fabio Gomes
02. A feira ao longe de Elisa Andrade Buzzo
03. Barba ensopada de sangue: a ilusão é humana de Isabella Ypiranga Monteiro
04. 90125: o renascimento do Yes de Diogo Salles
05. Bosnian Rainbows - Bosnian Rainbows (2013) de Guilherme Carvalhal


Mais Marta Barcellos
Mais Acessadas de Marta Barcellos em 2013
01. Para viver de literatura - 7/2/2013
02. Mamãe cata-piolho - 31/5/2013
03. Suicídio - 15/2/2013
04. Suicídio, parte 2 - 15/3/2013
05. Até eu caí nessa - 8/11/2013


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




ESCREVA BEM AGORA!
RONALDO ALVES DE OLIVEIRA
EDICTA
(2001)
R$ 15,00



UM TOM CINZENTO DE CULPA
MACDONALD JOHN D.
COMPANHIA DAS LETRAS
(1987)
R$ 6,89



TIMOR NO AMANHECER DA ESPERANÇA
EDUARDO GAGEIRO
IINDETERMINADA
(2000)
R$ 87,09



TIRANDO DUVIDAS VOLUME 2
AMILCAR DEL CHIARO FILHO
MUNDO MAIOR
(2004)
R$ 12,00



MODERNIZAÇÃO: PROTESTO E MUDANÇA 7611
S. N. EISENSTADT
ZAHAR
(1969)
R$ 12,00



QUANDO DIGO NÃO, ME SINTO CULPADO
MANUEL J. SMITH
CIRCULO DO LIVRO
R$ 95,00



FERNANDO PEIXOTO : ARQUITETO
FERNANDO PEIXOTO
J. J. CAROL
(2011)
R$ 25,00



ARQUITETURA ESCRITOS
JACOB B. GOLDEMBERG
DO AUTOR
(1998)
R$ 16,80



ESPIRITISMO 2º SÉCULO O SENTIDO EVOLUTIVO DA DOUTRINA ESPÍRITA: UMA OPINIÃO
CARLOS PEPPE
GRIFO
R$ 6,90



UM ARTISTA DO MUNDO FLUTUANTE
KAZUO ISHIGURO
ROCCO
(1989)
R$ 20,00





busca | avançada
58188 visitas/dia
2,0 milhões/mês