Crítica à internet chega à ficção | Marta Barcellos | Digestivo Cultural

busca | avançada
41334 visitas/dia
1,0 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
>>> Leminski, estações da poesia, por R. G. Lopes
>>> Crônica em sustenido
>>> Do inferno ao céu
>>> Meninos, eu vi o Bolsonaro aterrando
>>> Manual para revisores novatos
>>> A Copa, o Mundo, é das mulheres
Colunistas
Últimos Posts
>>> 100 nomes da edição no Brasil
>>> Eu ganhei tanta coisa perdendo
>>> Toda forma de amor
>>> Harvard: o que não se aprende
>>> Pedro Cardoso em #Provocações
>>> Homenagem a Paulo Francis
>>> Arte, cultura e democracia
>>> Mirage, um livro gratuito
>>> Lançamento de livro
>>> Jornada Escrita por Mulheres
Últimos Posts
>>> João Gilberto: o mito
>>> Alma em flor
>>> A mão & a luva
>>> Pesos & Contra-pesos
>>> Grito primal II
>>> Calcanhar de Aquiles
>>> O encanto literário da poesia
>>> Expressão básica II
>>> Expressão básica
>>> Minha terra, a natureza viva.
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Bar azul - a fotografia de Luiz Braga
>>> Eu + Você = ?
>>> Virtudes e pecados (lavoura arcaica)
>>> Pela estrada afora
>>> A vida sem computador
>>> Sobre os blogs de jornalistas
>>> Pink Floyd 1972
>>> A mulher madura
>>> Regras da Morte
>>> Simone de Beauvoir: da velhice e da morte
Mais Recentes
>>> Coleção Os Pensadores de Vários pela Abril Cultural (1973)
>>> Passando a Limpo: a Trajetória de um Farsante: História Completa... de Pedro Collor de Mello/ Coord. Dora Kramer pela Record (1993)
>>> Passando a Limpo: a Trajetória de um Farsante: História Completa... de Pedro Collor de Mello/ Coord. Dora Kramer pela Record (1993)
>>> Um Diplomata da Regeneração - O 1º Conde de Villa Franca do Campo de Fernando Abecassis pela Tribuna da Historia (2007)
>>> Inspeção do Trabalho de Nelson Mannrich pela LTr (1991)
>>> Jurupari - Estudos de Mitologia Brasileira de Silvia Maria S. de Carvalho pela Ática (1979)
>>> Sport in the 21st Century de John Mehaffey & Reuters pela Thames & Hudson (2007)
>>> Matemática para economistas de Alpha Chiang pela Unesp (1982)
>>> Memórias do cárcere 3º volume Colônia Correlaccional de Graciliano Ramos pela José Olympio (1954)
>>> As hortaliças na medicina doméstica de A. Balbach pela Edel
>>> Caderno de teses vol.2 28ºCongresso Nacional procuradores Estado de Helena Maria Silva Coelho pela Metropole industria gráfica ltda (2002)
>>> Casais Inteligentes Enriquecem Juntos de Gustavo Cerbasi pela Gente/ SP. (2004)
>>> Ordem Juridico-econômica e trabalho de Ricardo Antonio Lucas Camargo pela Sergio antonio fabris (1998)
>>> Capo Verde. Una storia lunga dieci isole de Marzio Marzot & Maria de Lourdes de Jesus et alii pela D'Anselmi (1989)
>>> Investimentos Inteligentes: Para Conquistar e Multiplicar o seu Primeiro Milhão de Gustavo Cerbasi pela Thomas Nelson do Brasil (2008)
>>> Esquecidos e Renascidos - Historiografia Acadêmica Luso-americana de Iris Kantor pela Hucitec (2004)
>>> Nova York anos 40 de Andreas Feininger pela Museu Lazar Segall (2011)
>>> O Intelectual e o Poder de Eduardo Portella pela Tempo Brasileiro/ RJ. (1983)
>>> Indivíduo e Cosmos na Filosofia do Renascimento de Ernest Cassirer pela Martins Fontes (2001)
>>> Fundamentos Culturales de Civilizacion Industrial de John U. Nef pela Editorial Paidós/ Buenos Aires (1964)
>>> Noções Preliminares de Direito Previdenciário de Wagner Balera pela Quartier Latin (2004)
>>> Salvador Negro Amor de Sérgio Guerra pela Maianga (2007)
>>> Ensaios de Biologia Social - Encadernado de Josué de Castro pela Brasiliense/ SP (1957)
>>> A imprensa na História do Brasil & Fotojornalismo no século XX de Oswaldo Munteal & Larissa Grandi pela Desiderata/PUC (2005)
>>> Roteiro de Macunaíma (Encadernação de Luxo) de M. Cavalcanti Proença/ Autografado pela Ahembi/ SP. (1955)
>>> Alferes Teófilo Olegário de Brito Guerra -Um Memorialista Esquecido de Raimundo Soares de Brito pela Coleção Mossoroense (1980)
>>> HQ Os Grandes Inimigos do Mandrake Nº 2 + A Volta do Camelo de Barro de Lee Falk pela Globo (1989)
>>> Lugar de Fala de Djamila Ribeiro pela Polen (2019)
>>> Administração Financeira Internacional de David K. Eiteman, ArthurStonehill, e Michael Moffett pela Bookman (2002)
>>> HQ Os Grandes Inimigos do Mandrake Nº 1 + o Retorno do Cobra de Lee Falk pela Ebal (1989)
>>> História da Literatura Portuguesa/ Encadernado de Antonio José Saraiva e Oscar Lopes pela Porto Ed.
>>> Cortez -A Saga de Um sonhador de Teresa Sales -Goimar Dantas pela Cortez (2010)
>>> HQ Os grandes inimigos do Mandrake Nº 4 + Os Oito Tentáculos da Morte de Lee Falk pela Ebal (1989)
>>> HQ Rastros de ódio - Revista Cinemin Nostalgia 3 de Diversos Autores pela Ebal (1989)
>>> Regulamento do ICMS do Rio de Janeiro de Ana Cristina Martins Pereira pela Lex (2006)
>>> A cidade do sol de Khaled Hosseini pela Nova froteira (2007)
>>> HQ Revistsa Elipse nº 1 + Crepúsculo dos Super-heróis de David Campiti & Kevin Juaire & Bart Sears pela Ebal (1992)
>>> Cinquenta tons mais escuros de E L James pela Intrínseca (2012)
>>> As mil e uma noites- os corações desumanos de René Khawam pela Brasiliense (1991)
>>> HQ Quem foi? Os prisioneiros de Sulma de Diversos Autores pela Ebal (1982)
>>> Autoritarismo e Participação Política da Mulher de Fanny Tabak pela Graal/ RJ. (1983)
>>> Cartas entre amigos - sobre os medos contemporâneos de Fábio de melo e Gabriel chalita pela Ediouro (2009)
>>> A Civilização Romana de Pierre Grimal pela Edições 70 (2001)
>>> Centenário de José Bezerra Gomes de Joabel R. de Souza pela Fcjbg (2011)
>>> Alienação na Univesidade - a Crise dos Anos 80 de Paulo L. Hoffmann pela Edit. da UFSC (1985)
>>> O castelo da intriga de Paulo Stewart pela Scipicione (1996)
>>> No Tempo dos Faraós (Crianças Na História) de Ginette Hoffmann - Françoise Lebrun pela Scipione (1993)
>>> No Tempo dos Faraós (Crianças Na História) de Ginette Hoffmann - Françoise Lebrun pela Scipione (1996)
>>> As asas do joel de Walcir Carrasco pela Quinteto Editorial (2019)
>>> No Tempo dos Faraós (Crianças Na História) de Ginette Hoffmann - Françoise Lebrun pela Scipione (1998)
COLUNAS

Sexta-feira, 11/10/2013
Crítica à internet chega à ficção
Marta Barcellos

+ de 2500 Acessos

Quem (ainda) não desistiu do bom debate na internet conhece o conselho básico: ignore os chamados trolls e outros tipos de baixo nível intelectual que inevitavelmente irão aparecer nesse ambiente. Pois, em seu último romance, Reprodução, Bernardo Carvalho não dá a colher de chá ao leitor: para avançar na leitura, é preciso ouvir e ouvir a ladainha estúpida do "estudante de chinês". É como se, no livro, esse personagem detestável que todos tentamos ignorar - sob o argumento de que, ao não alimentá-lo com a nossa atenção, ele definhará por inanição - ganhasse finalmente o protagonismo com o qual sempre sonhou.

Reprodução se presta a múltiplas leituras, inclusive além da óbvia associação com o submundo da internet. Mas apenas esta primeira camada, a do incômodo com o personagem, já é suficiente para provocar uma discussão importante sobre os efeitos deletérios da rede vistos pela ficção. Aparentemente, Carvalho faz parte de uma leva de romances que sucederá os primeiros best sellers, de não-ficção, críticos e pessimistas em relação à internet, escritos por especialistas como Andrew Keen e Nicholas Carr. Na ficção americana, a grande sensação promete ser The circle, de Dave Eggers, com lançamento previsto para 8 de outubro nos Estados Unidos.

O protagonista de Reprodução é um sujeito detestável, e durante a minha leitura foi um desafio aceitá-lo como personagem principal. Se, em narrativas breves, protagonistas sem caráter são mais do que bem vindos, em romances às vezes é difícil aceitá-los sem alguma complexidade que os humanize. Canalhas são canalhas, ponto final, e nos afastamos deles antes de corrermos o risco de compreendê-los. Recentemente eu havia convivido com um protagonista assim, o cínico cientista de Solar, de Ian McEwan, e observei que a maestria do escritor nestes casos está em justamente em criar um tipo de identificação do leitor até mesmo em relação aos defeitos mais odiosos do personagem, consciente ou inconscientemente.

E qual seria a reação do leitor, no caso do estudante de chinês? Não sei se o impacto do personagem é o mesmo para leigos na internet, mas aqueles com alguma vivência logo descobrem de quem se trata. Anti-democrático e cheio de preconceitos, ele constrói teorias conspiratórias e opiniões que defende serem baseadas em fatos incontestáveis. Os fatos da internet - e também de outras mídias (a revista Veja só não é citada de forma literal). É um discurso de ódio anárquico e circular, produzido de forma a se desviar das tentativas de desmascarar a fragilidade dos argumentos. Familiar? Pois é, estão no seu discurso o "pronto, falei" e o "todo mundo sabe que...", sem falar nas generalizações absurdas e na impaciência com a suposta burrice de quem pensa diferente (senti falta do "quer que desenhe?" para caracterizar definitivamente o personagem).

Reconhecido o personagem, comecei a considerar se valeria a pena continuar a leitura e aturar o tal "estudante" - tendo de lidar com os traumas que ele me desperta - até o fim do livro. Seria realismo demais para minha atual fase de leitora? A dispersão me deixou tentada a conferir a similaridade entre aquele discurso - trabalhado sob o artifício da literatura - e a linguagem "real" da internet. Fechei o livro. Entrei no Facebook. Depois de rolar algumas vezes a tela do smartphone, levei um susto: encontrei uma frase de uma das primeiras páginas de Reprodução. Uma frase do estudante de chinês:

"Na Arábia Saudita, ladrão é amputado; aqui é deputado. kkkkkk". Vinte e sete pessoas curtiram. A frase era atribuída, entre parênteses, ao próprio Bernardo Carvalho, e não a seu personagem, o que sem dúvida pode ter levado muita gente a clicar "curtir" sem prestar muita atenção. Curtir sem pensar muito - exatamente como o estudante de chinês. Fiquei na dúvida se meu amigo de Facebook tinha armado uma pegadinha (duas pessoas chegaram a comentar que a frase era muito boa) ou se ele próprio tinha vivido um momento de identificação com o personagem reacionário. Eu poderia entrar no debate (ai ai, debate na internet?), pelo menos esclarecer aos outros sobre a autoria da frase, mas me detive. Estava atordoada. A sensação era de que o personagem do livro tinha invadido o meu Facebook. Eu havia fechado o livro e o livro continuara aberto. Não era (mais) possível ignorar a existência do estudante de chinês.

Ainda rolando o Facebook, encontrei um link que prometia jogar alguma luz na questão: uma entrevista feita pela jornalista Raquel Cozer, na Folha de S.Paulo, com o próprio escritor, sobre o seu novo livro. Como eu já intuía pelo ensaio "Em defesa da obra", publicado por ele na revista Piauí, Carvalho confirmava que o romance pretendia expressar seu desconforto com o ambiente acrítico internet. Ufa, nada como o antiquado recurso de pedir para o autor explicar sua obra e ajudar a pacificar tudo. Respirei aliviada.

Mas por pouco tempo. Abaixo da matéria (eu estava no ambiente da internet, lembra?), havia uma lista de comentários sobre a entrevista. Em alguns, lá estava ele novamente, o estudante de chinês. "Considerando que o autor afirma que a classe media não representa o Brasil, creio que a classe média não deve comprar o seu livro", dizia o, digamos, "estudante 1". "Que discursinho mais sem sentido. Nunca a literatura foi mais livre - dá pra publicar livros quase de graça fazendo impressão sob demanda", emendava o "estudante 2".

Nos comentários relacionados ao link da matéria no Facebook, o estudante de chinês voltava a atacar. Raquel tentava argumentar com ele - em vão, claro. Entrei no debate com a discrição que podia e perguntei: Será que Bernardo Carvalho previu que seu livro teria aquela "continuação" na internet? Como nem tudo na internet é "estudante de chinês", um comentarista perspicaz matou a charada: "Cuidado: você acha que está lendo o livro, mas é o livro que está lendo você!".



Marta Barcellos
Rio de Janeiro, 11/10/2013


Quem leu este, também leu esse(s):
01. I-ching-poemas de Bruna Piantino de Jardel Dias Cavalcanti
02. Da Renovação Papal de Ricardo de Mattos
03. E você, já disse 'não' hoje? de Adriana Baggio


Mais Marta Barcellos
Mais Acessadas de Marta Barcellos em 2013
01. Para viver de literatura - 7/2/2013
02. Mamãe cata-piolho - 31/5/2013
03. Suicídio - 15/2/2013
04. Suicídio, parte 2 - 15/3/2013
05. Até eu caí nessa - 8/11/2013


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




AULAS DE COMUNICAÇÃO EM LÍNGUA PORTUGUESA 8ª SÉRIE
LUIZ ANTÔNIO
ÁTICA
R$ 12,00



BOLA
THIERRY DES FONTAINES
REPTIL
(2014)
R$ 34,00



A CABEÇA DE RUPERT MURDOCH
PAUL LA MONICA
AGIR
(2009)
R$ 4,25



FUNDAMENTOS DE ÉTICA EMPRESARIAL E ECONÔMICA
MARIA DO CARMO WHITAKER E OUTROS
ATLAS
(2009)
R$ 15,00



HISTÓRIAS...
MILTON BORRELLI
SCORTECCI
(2007)
R$ 7,00



A CAPACITAÇÃO BRASILEIRA PARA A PESQUISA CIENTIFICA E TECNOLÓGICA
SIMON SCHWARTZMAN E OUTROS (VOL 3)
FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS
(1996)
R$ 17,28



COMO OBTER OS FINANCIAMENTOS OFICIAIS - 7633
FUAD M. ZORUB
BRASILEIRA DO DESENVOLVIMENTO
(1969)
R$ 10,00



COMECE BEM O SEU DIA
LUZIA SANTIAGO
CANÇÃO NOVA
(2009)
R$ 7,00



A EMPRESA INTELIGENTE
GILBERTO DE ABREU SODRÉ CARVALHO
IMAGO
(2010)
R$ 12,00



SANTA RITA VELHA SAFADA
MOUZAR BENEDITO
SANTA RITA VELHA SAFADA
(1987)
R$ 25,00





busca | avançada
41334 visitas/dia
1,0 milhão/mês