A grama do vizinho | Adriane Pasa | Digestivo Cultural

busca | avançada
37900 visitas/dia
1,3 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
>>> Banco Inter É uma BOLHA???
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ação Social
>>> Dá-lhe, Villa!
>>> forças infernais
>>> 20 de Abril #digestivo10anos
>>> Pensando sozinho
>>> Minha casa, minha cama, minha mesa
>>> Aranhas e missangas na Moçambique de Mia Couto
>>> Novos Melhores Blogs
>>> Reflexões para um mundo em crise
>>> Não Aguento Mais a Empiricus
Mais Recentes
>>> Plantas de Cobertura do Solo Caracteristicas e Manejo Em Pequenas . de Claudino Monegal pela Autor (1991)
>>> Os Honorários Advocatícios na Justiça do Trabalho - de Carlos Roberto Ramos pela : Conceito (2013)
>>> 1985 - o Autor de Laranha Mecânica Contesta o 1984 de Orwell e Mostra de Anthony Burgess pela Lpm (1980)
>>> Ciencias Criminais - Articulacoes Criticas Em Torno dos 20 Anos da Con de Ana C. B. de Pinho pela Lumenjuris (2009)
>>> Manual de Anestesia Em Pequenos Animais - de Paddleford pela Roca (2001)
>>> Las Investigaciones de Alvirah y Willy de Mary Higgins Clark pela Plaza & Janes (1998)
>>> Manual de Direito Constitucional - Volume Único de Marcelo Novelino pela Metodo (2014)
>>> Surfing and Health: Expert, Medial and Advice de Joel Steinman pela Meyer (2019)
>>> Competition in Global Industries de Michael E. Porter pela : Harvard Business School (1986)
>>> 22/11/63 - Novela de Stephen King pela Plaza Janés (2012)
>>> Guia Autorizado Adobe Photoshop 7. 0 - Com Cd - Livro de Treinamento de O mesmo pela Makron Books (2003)
>>> Instrumentos Musicales Precortesianos de Samuel Marti pela Inah (1968)
>>> Lo Mejor de La Siesta Inolvidable de Jorge Halperín pela Aguilar (2005)
>>> Novo Comentário Bíblico Contemporâneo - Lucas de Graig A. Evans pela Vida (1996)
>>> Etiquette For Outlaws de Rob Cohen pela Harper Entertainment (2001)
>>> Caixa de Pássaros de Josh Malerman pela Intrinseca (2015)
>>> Retratos e Fotogramas: Isabelle Huppert de Sesc SP pela Sesc (2009)
>>> As minas de Salomão de Eça de Queiroz pela Livraria Lello
>>> Sim Não de Jussara Braga pela do Brasil (1987)
>>> Alves & C.a de Eça de Queiroz pela Livraria Lello (1928)
>>> Fogo no Céu! de Mary França - Eliardo França pela Ática (1991)
>>> Contos de Eça de Queiroz pela Livraria Lello (1934)
>>> An Amazing Story de Telma Guimarães Castro Andrade pela Atual (1996)
>>> O crime do Padre Amaro de Eça de Queiroz pela Livraria Lello (1935)
>>> Codorna - Criação - Instalação - Manejo de Irineu Fabichak pela Nobel (1987)
>>> Guerras Secretas -Super-Heróis Marvel de Alex Irvine pela Novo Século (2016)
>>> Cartas de Inglaterra de Eça de Queiroz pela Livraria Lello
>>> Cem Anos de Iberê de Luiz Camillo Osorio pela Cosac Naify (2014)
>>> Dia de Aninha de Ciça Alves Pinto pela Global (1996)
>>> Lasar Segall Un Expresionista Brasileño de Ivo Mesquita, Jorge Schwartz e outros pela Takano (2002)
>>> The White Mountains de John Christopher pela Longman (1974)
>>> Laje de Santos, Laje dos Sonhos de Guilherme Kodja Tebecherani, Ana Paula Pinto e outros pela Globo (2009)
>>> Ulster Story de Michael Villeneuve pela Longman (1977)
>>> Marco Giannotti de Nelson Brissac Peixoto pela Cosac Naify (2007)
>>> Morri para Viver de Andressa Urach pela Planeta (2015)
>>> Esio Trot de Roald Dahl pela Puffin Books (2001)
>>> Laura Belém de Laura Belém e outros pela Cosac Naify (2013)
>>> Brave New World de Aldous Huxley pela Longman (1978)
>>> Favela, um Bairro de Cristiane Rose Duarte e Outros (org.) pela Pro (1996)
>>> 1/3 da Vida de Wanderley Oliveira e Ermance Dufaux pela Dufaux (2016)
>>> Quê ?! de Tião Carneiro pela Autor
>>> Conheça a Verdade de Bruce Milne pela Abu (1987)
>>> Para uma Nova Era, Poesia & Prosa de Remisson Aniceto pela Patuá (2019)
>>> Mentes perigosas de Ana Beatriz Barbosa Silva pela Fontanar (2008)
>>> Meu menino vadio de Luiz Fernando Vianna pela Intrínsica (2017)
>>> Correndo com tesouras de Augusten Burroughs pela Ediouro (2002)
>>> Supernova - A Estrela dos Mortos de Renan Carvalho pela Novo Conceito (2015)
>>> Supernova - O Encantador de Flechas de Renan Carvalho pela Novo Conceito (2015)
>>> Segregação e Gentrificação: Os conjuntos habitacionais em Natal de Sara Raquel Fernandes Queiroz de Medeiros pela Edufrn (2018)
>>> Repensar as Familias de Fiona Williams pela Principia (2004)
COLUNAS

Segunda-feira, 23/12/2013
A grama do vizinho
Adriane Pasa

+ de 3500 Acessos

Todo dia eu olhava pra ela. Todo dia. Pela janela da minha cozinha. E era linda. E a cor era muito viva, principalmente em dias de sol. Até que um dia peguei uma lupa e fui até lá. O lance é conferir de perto, porque de longe todo mundo é normal. Dei uma disfarçada e fui em direção à caixa de cartas, depois abri o portão, fingi estar esperando algo, dei alguns passos para o lado e abaixei. E vi. Com a lupa. Vi a minhoca e a larva da minhoca e depois um tatuzinho-bola. E pior. Achei o máximo. Tinha vida e era engraçada, surpreendente como os vídeos em close-up da Discovery Channel. Dei uma analisada na cor, que disso eu entendo. Era de um verde-bandeira brilhante, saturado, nenhuma cor da escala Pantone se parecia com ele e tinha um efeito de glitter. Parecia uma mistura dos verdes das telas de Tarsila. Que raiva. Algumas folhas estavam meio amareladas, ok, mas faziam uma boa composição. Em tempos de copa do mundo, fica até bacana. E estava toda aparadinha, simétrica, um mini Maracanã. Aí resolvi cheirar e cheguei mais perto, a pontinha da folha me fez cócegas por dentro do nariz. Dei um espirro, desses que saem em partes e a gente fica com cara de idiota. Tinha um cheiro de chuva, mas chuva engarrafada, tipo essas colônias pós-banho. Quando passei a mão, uma aguinha ficou entre meus dedos. Uma coisa fresca, geladinha. De fato, era o máximo. Não havia dúvidas.

Antes que eu pudesse disfarçar e sair de fininho, a família chegou. As crianças saíram do carro correndo e com suas galochas de chuva pisaram grosseiramente na grama. Aquelas galochas cujas solas têm um desenho geométrico parecido com marcas de pneu. Faziam carimbos. A mãe, meio azeda, dizia aos berros, "vão pela calçada!". Havia alguma coisa estranha nelas, uma agressividade exacerbada, mesmo sorrindo e pulando se empurravam com força. O pai, com uma cara de cansado e com a testa cheia de rugas de final de dia pegava as compras no porta-malas. Deixou cair uma sacola que tinha não sei o que e quebrou e o líquido escorreu pelo verde-bandeira. Acho que era refrigerante, porque fez uma espuminha. A mãe reclamou. E aí veio o cachorro e cagou bem no lugar onde estavam as minhocas e o tatu-bola. Depois que todos entraram, as folhinhas pareciam meio amassadas e um pouco de terra havia se soltado, espalhando alguns torrões por cima de tudo. Como anoitecia, a cor tinha outro tom. As vozes foram ficando longe e eu ouvi a porta bater, com força. Pareceu-me um recado. A essas alturas eu já estava em frente ao meu portão, fingindo chegar da rua. Acho que ninguém reparou que eu estive ali observando e cobiçando, com uma solidão própria dos quadros de Hopper. Olhei em volta. Todos os jardins estavam com um aspecto estranho e perturbador, como na cena de Veludo Azul em que o rapaz encontra uma orelha cortada no meio de um matinho em um terreno baldio. Bizarro. O que antes era Walt Disney, de repente virou David Lynch.

Entrei em casa e o silêncio chegava a incomodar. Lembrei do Daniel. Um amigo escritor muito talentoso e que tinha uma risada divertida com gosto de infância. Daniel nunca estava em silêncio. Era muito generoso para isso. Há alguns dias ele havia me enviado uns textos lindos, que despertaram em mim um sentimento meio confuso. Aquelas coisas que a gente admira, acha genial, mas gostaria mesmo é que fossem nossas. Fui para o computador. Escrevi um troço estranho, totalmente diferente do que eu costumava escrever. Quis imitar o jardim perfeito dos textos de Daniel. Aí me deu uma sede e lembrei que só tinha água da torneira. Fui até a cozinha. Uns dias atrás tinha lido uma matéria sobre o cloro na água, dizia que ele mata em torno de 75% das bactérias. Mas será que também mata a gente, aos poucos? Lembrei que na casa ao lado, como tem crianças, nunca devia faltar água mineral. E refrigerante. Bebi um copo d'água da torneira num golão. Voltei para o computador e fiquei olhando para a tela um pouco. Corrigi alguns errinhos, mudei algumas palavras, pra parecer mais elaborado e inteligente. Em seguida mandei meu texto por e-mail para o Daniel. E disse a ele, na cara dura: "Hoje tentei fazer um texto parecido com os teus, veja aí". Senti um pouco de vergonha, mas aí a mensagem já tinha ido. Depois pensei que quando somos íntimos de alguém amigo jamais devemos ter vergonha de nada. A gente não precisa fingir que não está admirando e tentando imitar. Num terreno de liberdade, a cobiça nunca é anônima. É sempre declarada, explícita. Depois de alguns minutos ele respondeu dizendo "mas não tem nada a ver com o que você escreve!". A inveja é assim.


Adriane Pasa
Curitiba, 23/12/2013


Quem leu este, também leu esse(s):
01. A maldade humana de Gian Danton
02. Have a nice day de Adriane Pasa
03. A margem negra de Gian Danton
04. Predadores humanos de Gian Danton
05. Ficção hiper-real de Gian Danton


Mais Adriane Pasa
Mais Acessadas de Adriane Pasa em 2013
01. Um Lugar para Fugir Antes de Morrer - 15/5/2013
02. Cego, surdo e engraçado - 19/4/2013
03. Dooois ou um? - 28/10/2013
04. A grama do vizinho - 23/12/2013
05. A verdade somente a verdade? - 26/8/2013


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




OS CAMINHOS DO SILÊNCIO
MICHEL HUBAUT
PAULUS
(1994)
R$ 6,20



MOUROS, FRANCESES E JUDEUS - DEBATES
LUÍS DA CÂMARA CASCUDO
PERSPECTIVA
(1984)
R$ 40,00



ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA - CORPORATE FINANCE - 2ª
JAFFE; ROSS; WESTERFIELD
ATLAS
(2002)
R$ 45,00



DICIONARIO DAS PLANTAS UTEIS DO BRASIL 6 VOLUMES
M PIO CORREA
MINISTERIO DA AGRICULTURA
(1937)
R$ 1.200,00



O CLIENTE EM PRIMEIRO LUGAR
DENIS WALKER
MAKRON
(1991)
R$ 22,16



MENSAGENS DE INÊS DE CASTRO
FRANCISCO CÂNDIDO XAVIER & CAIO RAMACCOTTI
GEEM
(2014)
R$ 10,00



A HISTÓRIA DE CÂNDIDO URBANO URUBU
CARLOS EDUARDO NOVAES / VILMAR RODRIGUES
NORDICA
(1985)
R$ 4,15



UMA JANGADA PARA ULISSES- NOVELA
VIANNA MOOG
GLOBO
(1959)
R$ 8,00



ANTOLOGIA ESCOLAR PORTUGUÊSA
MARQUES REBELO
FENAME
(1970)
R$ 7,00



THE JEWISH MESSIAH
ARON GRUNBERG
THE PENGUIN PRESS
(2008)
R$ 70,00





busca | avançada
37900 visitas/dia
1,3 milhão/mês