Guerras sujas: a democracia nos EUA e o terrorismo | Humberto Pereira da Silva | Digestivo Cultural

busca | avançada
37376 visitas/dia
1,1 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
>>> Leminski, estações da poesia, por R. G. Lopes
>>> Crônica em sustenido
Colunistas
Últimos Posts
>>> O recente choque do petróleo
>>> Armínio comenta Paulo Guedes
>>> Jesus não era cristão
>>> Analisando o Amazon Prime
>>> Amazon Prime no Brasil
>>> Censura na Bienal do Rio 2019
>>> Tocalivros
>>> Livro Alma Brasileira
>>> Steve Jobs em 1997
>>> Jeff Bezos em 2003
Últimos Posts
>>> O céu sem o azul
>>> Ofendículos
>>> Grito primal V
>>> Grito primal IV
>>> Inequações de um travesseiro
>>> Caroço
>>> Serial Killer
>>> O jardim e as flores
>>> Agradecer antes, para pedir depois
>>> Esse é o meu vovô
Blogueiros
Mais Recentes
>>> A literatura feminina de Adélia Prado
>>> Jorge Caldeira no Supertônica
>>> A insustentável leveza da poesia de Sérgio Alcides
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
>>> Millôr e eu
>>> As armas e os barões
>>> Quem é o autor de um filme?
>>> Cyrano de Bergerac
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Marco Lisboa na Globonews
Mais Recentes
>>> Por vocêw por mim no Vietnã de Ferreira Guller pela Sped
>>> Mussolini I Unleahed 1939-1941 de Mac Gregor Knor pela Cambridge (1986)
>>> Itajaí - Imagens e Memórias de Lindinalva Deóla da Silva pela Fundação Genèsio Miranda Li (1995)
>>> Atentados políticos: de César a Kennedy de Paulo Matos Peixoto pela Paumape (1990)
>>> Atentados políticos: de César a Kennedy de Paulo Matos Peixoto pela Paumape (1990)
>>> Atentados políticos: de César a Kennedy de Paulo Matos Peixoto pela Paumape (1990)
>>> Para gostar de Ler - Crônicas vol.1 de Carlos D. de Andrade, Fernando Sabino, Paulo M. Campos e Rubem Braga pela Ática (1999)
>>> Fendas Urbanas de Luiz Antonio de Queiroz pela Ofício das Palavras (2008)
>>> Quatro Mitos Brasileiros de Monica Stahel pela Martins Fontes (2003)
>>> Entretempo de Antonio Fantinato pela Topbooks (2008)
>>> A Casa de Babylônia: Estudo da Habitação Rural no Interior de São P... de Andrea Piccini pela Annablume (1996)
>>> Zupt...o Amigo do Peito de Stella Cobra Muraça pela Edicon (1997)
>>> Ciências da natureza, matemática e suas tecnologias - Biologia de Escola da Juventude pela FDE
>>> Ciências humanas e suas tecnologias - Geografia de Escola da Juventude pela FDE
>>> A Resistível Ascensão do Boto Tucuxi de Márcio Souza pela Marco Zero (1982)
>>> Beijos Engolidos de Jurandir Pinoti pela Ssua (2007)
>>> Rita Você-é-um-doce de Telma Guimarães Castro Andrade pela Atual (1993)
>>> Grandeur et Servitude Patton de Ladislas Farago pela Stock (1963)
>>> A Ponte para o Passado de Ivan Jaf pela Atual (1993)
>>> Amazônia de Alan Oliveira pela Saraiva (1999)
>>> Auto do Frade: poema para vozes de João Cabral de Melo Neto pela Nova Fronteira (1984)
>>> Armada América: Relatos Sobre a Inquietudo do Império de Fernando Monteiro pela Francis (2003)
>>> A História de Lalo de Júlio Emílio Braz pela Saraiva (2003)
>>> Açúcar Amargo de Luiz Puntel pela Ática (1994)
>>> Malika Oufkir Prisioneira do Rei de Malika Oufkir e Michele Fitoussi pela Companhia das letras (2000)
>>> A Vaca Voadora de Edy Lima pela Global (2002)
>>> A noite da grande magia branca de Simone Sauaressig pela Kuarup (1991)
>>> Sol-solaris de Heloisa Helena Troncarelli pela Edicon (1985)
>>> A Caminho... Apelo À Pesquisa N. 2 - Jan / Dez. 2004 de Diversos Autores pela Ceuclar (2004)
>>> Revista do Centro Universitário Claretiano - N. 3 - Jan / Dez. 2003 de Diversos Autores pela Ceuclar (2003)
>>> A sombra da Águia de Mark Hertsgaard pela Record (2003)
>>> Contos Como Eu Conto de Jurema Waack pela Ônix (2008)
>>> O mistério da Casa Verde de Moacyr Scliar pela Ática (2002)
>>> Contos Escolhidos de I. L. Peretz pela Rampa (1950)
>>> Quero Ternura de Mãos Se Encontrando: de árabes e Judeus, de Branco... de Celso Barroso pela Independente (1978)
>>> Tem Carta pra Mim? de Fanny Abramovich pela Scipione (1994)
>>> Do arquivo e da memória: fatos, personagens e reflexões sobre o sio... de Samuel Malamud pela Bloch (1983)
>>> Qual é o Seu Preconceito Preferido? de Carlos Augusto M. F. da Silva pela Ateniense (1991)
>>> Serões de Dona Benta e História das Invenções de Monteiro Lobato pela Brasiliense (1950)
>>> A Câmara das Pedras Fendidas de J. W. Seixas Santos pela Conan (1994)
>>> A Mesa do Silêncio - Dedicatória e Autógrafo de Armindo Trevisan pela Lpm (1982)
>>> A Cidade Reinventa a Democracia de Ademar José Becker pela Corag (2000)
>>> Quem Nasceu para Cintilante Nunca Chega a Francesinha de Magali Moraes pela Sulina (2002)
>>> Auschwitz Altar do Capitalismo de Cultura Vozes pela Vozes (1995)
>>> Fronteira Inclemente de Brasil Dubal pela Iel (1976)
>>> A represa / Suburbana de Maria Helena Khüner e Celso Antonio da Fonseca pela Funarte (1980)
>>> O Folclore da Caixa: Contos de Antenor Pimenta Madeira e Outros pela Caixa (1984)
>>> Do Simbólico ao Virtual de Jorge Lúcio de Campos pela Perspectiva (1990)
>>> A Linguagem no Pensamento e na Ação de S. I. Hayakawa pela Pioneira (1963)
>>> As Alegres Comadres de Windsor e a Megera Domada de William Shakespeare pela Edições de Ouro (1966)
COLUNAS

Quarta-feira, 7/5/2014
Guerras sujas: a democracia nos EUA e o terrorismo
Humberto Pereira da Silva

+ de 3100 Acessos

1.
A queda do regime de Ben Ali na Tunísia em dezembro de 2010, e em seguida de Hosni Mubarak no Egito, desencadeou um processo em cadeia que logo a mídia ocidental denominou como a "Primavera Árabe". Com efeito, as quedas desses dois regimes precipitaram os de Muammar al Gaddafi na Líbia e de Abdullah Saleh no Iêmen, que foram varridos por uma onda insurgente frequentemente apoiada pelos órgãos de imprensa. Nesse contexto insurgente aberto pela "primavera", no momento apenas o regime de Bashar al Assad na Síria ainda se mantém em pé.

O caso é que a insurgência em regimes "tirânicos" árabes exigiu dos mais diversos órgãos de imprensa a presença de especialistas que se esforçavam para explicar como se moviam as mais diferentes facções, milícias, grupos com nomes que surgiam de hora para outra numa profusão de informações vazias e imprecisas num espaço geográfico amplo e extremamente complexo. Da noite para o dia Ben Ali, ou Abdullah Saleh, despontou como um tirano que até então não havia merecido a atenção midiática.

Ou seja, o tratamento midiático dos acontecimentos que levaram à Primavera Árabe, essencialmente sazonal, acabou marcado pelas conveniências de momento e com isso fortaleceu distorções por meio de vaguezas e imprecisões nas informações e presunçosas análises sobre o quê e o porquê do desenrolar dos eventos. De uma hora para outra, tiranos ganharam páginas e páginas na imprensa, assim como os excessos de seus regimes; mas também tão logo os regimes citados foram derrubados, uma onda de silêncio deixa no ar como as nações varridas pela Primavera Árabe se acomodaram ao novo contexto político. Como ficou o Iêmen de Abdullah Saleh? Melhor: como seu regime se impôs sob o "silêncio" ocidental e, depois de sua queda, caiu novamente no esquecimento?

2.
A complexidade do mundo árabe e do Islamismo, assim como o desenrolar dos acontecimentos que precipitaram a "primavera", não cabe em explicações superficiais e clichês midiáticos, os quais quando muito reforçam preconceitos e lugares comuns. A compreensão da presença e dos interesses americanos no vasto espaço geográfico onde vigora o islamismo é vital para se ter uma pátina de como certos regimes se sustentam, mas igualmente são derrubados. A cumplicidade com os americanos e as fortes dissenções entre os seguidores do Islã exigem esforços de compreensão sobre o que está efetivamente em jogo para além da propaganda que opõe o lado do bem e do mal.

É com esse intuito de compreensão que se oferece o livro Guerras sujas: o mundo é um campo de batalha (Companhia das Letras, 830 pág.), do jornalista Jeremy Scahill. Trata-se de um relato amplo e bem documentado dos bastidores do mudus operandi americano no mundo árabe. Tomando como ponto de inflexão o Onze de Setembro, Scahill tem como objetivo principal em seu caudaloso livro destrinchar e explicar as diversas teias que ligam e ajustam o novo paradigma da política externa americana ante a guerra contra o terror: a luta longe dos campos de batalha declarados, por unidades que oficialmente não existem, em operações para as quais não há dados oficiais.

Assim, a partir de entrevistas com agentes secretos, mercenários, líderes terroristas e parentes de vítimas, Scahill procurar dar sentido e consistência a personagens por trás das sombras, assim como esmiuçar a forma de organização e modus operandi de unidades secretas (criadas em decorrência de interpretações casuísticas na legislação americana, portanto que não prestam contas ao Congresso) como os SEALS (Sea, Air, Land Teams) e o JSOC (Joint Special Operations Command). Ao detalhar as relações de hierarquia e as operações secretas realizadas por estas unidades, Scahill traz à tona um relato que, no mínimo, deve perturbar quem ouve ou lê noticiário sobre eventos do mundo governado por fiéis ao Islã com mensagens que separam "mocinhos" e "bandidos", o lado do bem e do mal, a democracia e a tirania imposta por ditadores sanguinários.

3.
O dado relevante do livro não é que ele revela a "verdade" de que fora das fronteiras dos Estados Unidos o mundo é um campo de batalha; vale dizer: que um relato jornalístico seja neutro; imune, portanto, a contaminação ideológica ou interpretação parcial; mas tão somente que, se parte significativa de suas 800 páginas for fruto de imaginação, a que não é revela não haver diferença entre a prática de tortura e de violação de direitos humanos e de acordos internacionais na democracia americana e os regimes tirânicos que acobertam terroristas. Com isso, claro, para muitos, nenhuma novidade, seria ingênuo justamente pensar o contrário. Com isso, claro também, muito de oportunismo, leviandade e senso de sensacionalismo pode ser imputado ao trabalho de Scahill.

Certo, o jornalismo, para pensarmos nos pressuposto da sociedade de espetáculo forjados por Guy Debord, se alimenta de interpretações forçadas que geram controvérsias; polêmicas, enfim, que dificilmente são devidamente confrontadas com dados que minimizariam conclusões apressadas. Mas deve-se considerar que no caso de Guerras sujas, uma coisa é a mera suspeita, conjectura, ou especulação, outra é confrontar os dados que Scahill apresenta e as 123 páginas com notas para as fontes de consulta. Ou seja, o leitor que ficar desconfiado de manipulação de informações da parte de Scahill, pode bem percorrer o vasto material que ele pesquisou e coloca à disposição de quem suspeita da origem de suas afirmações e revelações.

4.
Em síntese, Guerras sujas é um livro a ser lido por todos que desconfiam da retórica americana, comprada convenientemente pela mídia ocidental, e que separa "mocinhos" e "bandidos". Se o bem é inevitavelmente alcançado por meio do mal, como sabem os leitores de Maquiavel - ou na prática se revelam as motivações subliminares de regimes totalitários e ditaduras - eis uma controversa e perturbadora questão filosófica. Ocorre que admitir a adoção do mal para alcançar o bem é uma distorção que não condiz com a prerrogativa de um regime democrático.

Sendo líquido e certo que a realização do bem convive inequivocamente com o mal, a palavra "democracia" não passa de mero exercício retórico. Não há democracia, em sentido estrito (a transparência de decisões que se referem a todos e a todos afetam), por trás de ações secretas que caçam terroristas pelos quatro cantos do mundo em nome do bem (na conta, quantos morreram porque estavam na hora errada e no lugar errado?). Justamente por isso os abusos em sessões de tortura que não diferem os Estados Unidos de qualquer ditatura ou regime tirânico, e que são tratados exaustivamente por Scahill como política secreta de Estado.

Para ir além



Humberto Pereira da Silva
São Paulo, 7/5/2014


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Brasileiros aprendendo em inglês de Carla Ceres
02. A lírica pedregosa de Mário Alex Rosa de Jardel Dias Cavalcanti
03. Os clássicos e o leitor de hoje de Lolita Beretta
04. Lady Gaga, uma aula do pastiche de Relivaldo de Oliveira
05. Religião prêt-à-porter de Verônica Mambrini


Mais Humberto Pereira da Silva
Mais Acessadas de Humberto Pereira da Silva em 2014
01. Tectônicas por Georgia Kyriakakis - 13/8/2014
02. O medo como tática em disputa eleitoral - 8/10/2014
03. Gustavo Rezende: uno... duplo... - 22/1/2014
04. Monticelli e a pintura Provençal no Oitocentos - 5/2/2014
05. O momento do cinema latino-americano - 11/6/2014


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




3° FESTIVAL DE CINEMA LATINO AMERICANO DE SP 2008
VÁRIOS
MEMORIAL
(2008)
R$ 5,00



O QUE A BIBLIA REALMENTE ENSINA ?
ASSOCIAÇÃO TORRE DE VIGIA
ASSOCIAÇÃO TORRE DE VIGIA
(2015)
R$ 6,00



OS LUSÍADAS
LUÍS DE CAMÕES
ABRIL CULTURAL
(1980)
R$ 15,00



DESENVOLVIMENTO E CRISE NO BRASIL - EDIÇÃO ESPECIAL
LUIZ CARLOS BRESSER PEREIRA (CAPA DURA)
BRASILIENSE
(1987)
R$ 26,82



TRAPAÇA
JAMES SIEGEL
RECORD
(2011)
R$ 18,00



VOCE PRECISA SER DETERMINADO
SILAS MALAFAIA
CENTRAL GOSPEL
R$ 8,00



ESAÚ E JACÓ
MACHADO DE ASSIS
GLOBO
(1997)
R$ 18,00



BOLETIM OFICIAL GRANDE ORIENTE DE SÃO PAULO
CLÁUDIO ROQUE BUONO FERREIRA
DO AUTOR
R$ 9,00



CONTOS BRASILEIROS - ANTOLOGIA ESCOLAR DE OURO
IVO BARBIERI MARIA MECLER KAMPELL

R$ 5,00



VIDA NAS CIDADES - EXPECTATIVAS URBANAS NO NOVO MUNDO
WITOLD RYBCZYNSKI
RECORD
(1996)
R$ 15,00





busca | avançada
37376 visitas/dia
1,1 milhão/mês