A vingança dos certinhos | Marta Barcellos | Digestivo Cultural

busca | avançada
55740 visitas/dia
1,4 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Projeto “Equilibrando” oferece oficinas e apresentações gratuitas de circo
>>> Namíbia, Não! curtíssima temporada no Sesc Bom Retiro
>>> Ceumar no Sesc Bom Retiro
>>> Mestrinho no Sesc Bom Retiro
>>> Edições Sesc promove bate-papo com Willi Bolle sobre o livro Boca do Amazonas no Sesc Pinheiros
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Modernismo e além
>>> Pelé (1940-2022)
>>> Obra traz autores do século XIX como personagens
>>> As turbulentas memórias de Mark Lanegan
>>> Gatos mudos, dorminhocos ou bisbilhoteiros
>>> Guignard, retratos de Elias Layon
>>> Entre Dois Silêncios, de Adolfo Montejo Navas
>>> Home sweet... O retorno, de Dulce Maria Cardoso
>>> Menos que um, novo romance de Patrícia Melo
>>> Gal Costa (1945-2022)
Colunistas
Últimos Posts
>>> Lula de óculos ou Lula sem óculos?
>>> Uma história do Elo7
>>> Um convite a Xavier Zubiri
>>> Agnaldo Farias sobre Millôr Fernandes
>>> Marcelo Tripoli no TalksbyLeo
>>> Ivan Sant'Anna, o irmão de Sérgio Sant'Anna
>>> A Pathétique de Beethoven por Daniel Barenboim
>>> A história de Roberto Lee e da Avenue
>>> Canções Cruas, por Jacque Falcheti
>>> Running Up That Hill de Kate Bush por SingitLive
Últimos Posts
>>> Assim criamos os nossos dois filhos
>>> Compreender para entender
>>> Para meditar
>>> O que há de errado
>>> A moça do cachorro da casa ao lado
>>> A relação entre Barbie e Stanley Kubrick
>>> Um canhão? Ou é meu coração? Casablanca 80 anos
>>> Saudades, lembranças
>>> Promessa da terra
>>> Atos não necessários
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Surf Hype, o maior blogueiro de São Paulo
>>> Sexta feira, 13
>>> Que seja eterno enquanto dure
>>> The Early Years
>>> Ruy Proença: poesia em zona de confronto
>>> E a Turma da Mônica cresceu
>>> FLIP 2006 III
>>> Franz Kafka, por Louis Begley
>>> Solidariedade é ação social
>>> ¿Cómo sobrevivo?
Mais Recentes
>>> O Grande Conflito 379 de Ellen G. White pela Casa Publicadora Brasileira (2022)
>>> Livro - Os Músicos de Bremen de Flavio de Souza pela Ftd (2010)
>>> 1984 de George Orwell pela Companhia das letras (2019)
>>> Livro - A Sutil Arte de Ligar o F*da-se de Manson Mark pela Intrínseca (2017)
>>> Livro - O Texto: Leitura & Escrita de D. Coste pela Pontes (2002)
>>> O Monte Cinco 379 de Paulo Coelho pela Objetiva
>>> Inteligência Emocional- A Teoria Revolucionária Que Redefine o Que é Ser Inteligente de Daniel Goleman pela Objetiva (1995)
>>> Livro - O Menino de Calça Curta de Flavio de Souza pela Ftd (2018)
>>> Constituição da República Portuguesa Anotada - 1º Volume de J. J. Gomes Canotilho; Vital Moreira pela Coimbra (1984)
>>> Quando o passado não passa 379 de Elisa Masselli pela Vida & Consciência (2001)
>>> Livro - A Educação Física e o Esporte na Escola - Cotidiano, saberes e formação de Silvia Christina Madrid Finck pela Ibpex (2011)
>>> Livro - Caça ao tesouro de A. J. Wood pela Brinque Book (1998)
>>> Cálculo diferencial e integral 379 de Frank Ayres Jr pela Mcgraw Hill (1981)
>>> Livro - A Viagem de Virginia Woolf pela Novo Século (2008)
>>> Livro - Livro de Histórias de Georgie Adams / Outros pela Companhia das Letrinhas (1996)
>>> Livro - Tanatos no Limiar da Loucura de Andre Charak pela Geracao (1995)
>>> Greta 379 de Mônica de Castro pela Vida & Consciência (2005)
>>> Livro - Fazendo Meu Filme 2 Em Quadrinhos - Azar no Jogo, Sorte no Amor? de Paula Pimenta pela Nemo (2015)
>>> Niketche de Paulina Chiziane pela Companhia de Bolso (2021)
>>> Livro - Listas, Guapas, Limpias de Anna Pacheco pela Caballo de Troya (2019)
>>> Michaelis minidicionário Alemão Alemão Português Português Alemão 379 de Michaelis pela Melhoramentos
>>> Política y Estado de Adalberto C. Agozino pela Dosyuna (2009)
>>> Livro - A Cinderela das Bonecas de Ruth Rocha; Mariana Massarani pela Salamandra (2011)
>>> Michaelis minidicionário Francês Francês Português Português Francês 379 de Michaelis pela Melhoramentos
>>> ISO 14001 Sistemas de Gestão Ambiental - Implantação Objetiva e Econômica de Mari Elizabete Bernardini Seiffert pela Atlas (2011)
COLUNAS

Sexta-feira, 13/6/2014
A vingança dos certinhos
Marta Barcellos
+ de 3000 Acessos

Nos primeiros anos escolares da minha filha, reconheci naquele ambiente algo bastante familiar. Atenta às regras do colégio, ela cumpria suas tarefas, contribuía para que o sistema (rotinas de aprendizado, integração etc) funcionasse, esforçava-se como aluna, pensava coletivamente. Resultado: desaparecia na turma. Era ignorada. No meio do caos típico dos individualismos exacerbados (bagunça), seu comprometimento virava... nada. Toda a atenção dos professores, coordenadores, psicólogos era direcionada para os problemáticos, ou aqueles que percebiam o status propiciado pela habilidade de causar problemas.

Aquilo me era tão familiar (sim, também fui a certinha, ignorada inclusive em casa por ter irmãos mais "problemáticos"), que resolvi fugir do papel de mãe de aluno certinho. Em vez de dizer: ah, meu filho não dá trabalho, nem preciso ir às reuniões da escola, fiz o contrário. Estava sempre presente e disposta, nos encontros de pais, a discutir "coisas sem importância" relacionadas à vivência escolar da minha filha. Depois que todos os pais tinham perguntado sobre os critérios para a recuperação e a reprovação, por exemplo, eu questionava por que os estudantes que já tinham passado de ano não eram dispensados oficialmente nos últimos dias do calendário escolar. Na prática, as aulas eram o reforço para as provas finais, e cabia aos pais perceber a embromação e deixar seus filhos "já passados" faltarem.

A pergunta, claro, parecia inconveniente. Imagino que alguns pais achavam que eu me gabava. Mesmo assim eu mantinha-me firme em meu propósito. Por que a questão de premiar o mérito era menos importante do que a de encontrar soluções para alunos com dificuldades?

Houve uma fase em que o colégio colocava os professores, separados por matérias, à disposição dos pais, para um atendimento individual que acontecia durante uma manhã de sábado, todo semestre. Cada um deles ficava dentro de uma sala, e formava-se uma fila de mães e pais de cenho franzido, a preocupação devidamente autorizada por boletins em vermelho e advertências disciplinares. Na minha vez, eu acabava confirmando a mágoa de minha filha: muitos não sabiam quem ela era. Pegavam uma fichinha com as fotos da turma para reconhecê-la, e então vinha a pergunta: se ela tem boas notas, por que você está aqui? Aí eu perguntava sobre "coisas sem importância", como o relacionamento dela na turma, as dúvidas sobre pesquisas na internet ou o objetivo de alguma atividade promovida pela matéria. Lembro de uma vez ter me explicado:

- Pensei que havia algum problema, porque ela tem sido obrigada a mudar de lugar nas suas aulas, e está bastante chateada com isso.

- Ah, é porque essa turma tem muito problema de disciplina, e eu tento separar os mais bagunceiros.

- Colocando a minha filha no meio, entre dois bagunceiros?

- Exato.

Assim é o certinho que ainda não aprendeu a necessidade de... fazer marketing pessoal. Ele é usado para "ficar no meio", ignorado e utilizado para fazer a estrutura funcionar. Acabará sendo confundido com o "bonzinho", se não mostrar enfaticamente que conhece as próprias qualidades e que seu espírito cooperativo - em relação aos que valorizam problemas e dificuldades - tem limites.

Se na minha vida escolar e familiar cheguei a desempenhar com resignação este desprezado papel cooperativo, na vida profissional logo percebi que era preciso me rebelar. Afinal, para melhorar, a estrutura precisa da contestação dos certinhos - em geral mais embasada que os "pitis" e fricotes dos "problemáticos". Na prática, a tal acomodação "problemático-certinho-problemático", com o certinho na carteira escolar do meio, nivela a tal estrutura (agora sem tanta bagunça) por baixo, pois desloca o foco da competência ou da criatividade discreta para a incompetência histriônica de supostos gênios em potencial.

Pois é, faz parte do pacote "a vingança dos certinhos" denunciar a preguiça dos enrolados, a arrogância dos mimados, as desculpas esfarrapadas dos que sempre parecem vítimas (da sorte, do governo, do chefe, do professor) mas não são vítimas de verdade. Até para distingui-los daqueles que realmente precisam de uma atenção especial para seus problemas.

Ultimamente fala-se muito de meritocracia de um jeito torto. Ela passou a ser defendida por conservadores para atacar a defesa das minorias - por meio das cotas, por exemplo. Pois eu sou a favor das cotas, da defesa das minorias e também da meritocracia. O mérito deve ser adotado como regra justamente para se combater os privilégios estabelecidos por uma elite que aprendeu a perpetuar seus privilégios. São os filhos/herdeiros dessa elite que se valem de relacionamentos e jeitinhos para escamotear a preguiça ou a falta de competência. É um raciocínio de "mereço mais atenção que os outros" que começa lá na escola particular da classe média alta. E que acaba sendo avalizada vida afora, graças a indicações, fisiologismo, ajudinhas entre compadres abastados.

Se alguém realmente precisa de apoio, por ser vítima de discriminação ou de um problema real, defendo a total compreensão dos certinhos - inclusive institucionalizada. Mas, se tudo não passar de fricote de mimado, viva a meritocracia.



Marta Barcellos
Rio de Janeiro, 13/6/2014

Quem leu este, também leu esse(s):
01. Os olhos de Ingrid Bergman de Renato Alessandro dos Santos
02. O pai da menina morta, romance de Tiago Ferro de Jardel Dias Cavalcanti
03. Raio-X do imperialismo de Celso A. Uequed Pitol
04. Bombril: a marca que não evoluiu com as mulheres de Adriana Baggio
05. Orgasmo ao avesso de Débora Carvalho


Mais Marta Barcellos
Mais Acessadas de Marta Barcellos em 2014
01. Esquerda x Direita - 24/10/2014
02. Escritor: jovem, bonito, simpático... - 5/9/2014
03. O turista imobiliário - 14/8/2014
04. Quase cinquenta - 14/3/2014
05. Philomena - 7/2/2014


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Os Livros da Fuvest Unicamp I (veja os Titulos na Relação) Vestib
Varios
Objetivo
(2009)



Cresça e Apareça
Luiz Alberto Alves dos Santos
Semente
(1996)



Coleção Frajola e Piu-piu - a Maldição do Nilo. Looney Tunes
Sid Jacobson
Babel
(2011)



Moderna Plus Literatura Tempos, Leitores e Leituras Unico Aluno
Maria Luiza M. Abaurre
Moderna
(2011)



Primeiro Mataram Meu Pai / 1ª Ed - Condira !!!
Loung Ung
Harper Collins
(2017)



The "early Times" Book of Unsolved Mysteries
Keith Brumpton(illustrator)
Puffin Books
(1993)



Abc de Castro Alves
Jorge Amado
Martins



Mangá Blade 26
Hiroaki Samura
Conrad
(2004)



Asas Brancas
Carlos Queiroz Telles
Moderna
(1997)



A Linguagem do Bebê
Lynne Murray e Liz Andrews
Publifolha
(2004)





busca | avançada
55740 visitas/dia
1,4 milhão/mês