Quase cinquenta | Marta Barcellos | Digestivo Cultural

busca | avançada
87759 visitas/dia
2,4 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Projeto 8x Hilda reúne obra teatral de Hilda Hilst em ciclo de leituras online
>>> Afrofuturismo: Lideranças de de Angola, Cabo Verde e Moçambique debatem ecossistemas de inovação
>>> Ibraíma Dafonte Tavares desvenda preparação e revisão de texto
>>> O legado de Roberto Burle Marx é tema de encontro online
>>> Sala MAS/Metrô Tiradentes - Qual é a sua Cruz?
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Da fatalidade do desejo
>>> Cuba e O Direito de Amar (3)
>>> Isto é para quando você vier
>>> 2021, o ano da inveja
>>> Pobre rua do Vale Formoso
>>> O que fazer com este corpo?
>>> Jogando com Cortázar
>>> Os defeitos meus
>>> Confissões pandêmicas
>>> Na translucidez à nossa frente
Colunistas
Últimos Posts
>>> Mehmari, Salmaso e Milton Nascimento
>>> Gente feliz não escreve humor?
>>> A profissão de fé de um Livreiro
>>> O ar de uma teimosia
>>> Zuza Homem de Mello no Supertônica
>>> Para Ouvir Sylvia Telles
>>> Van Halen ao vivo em 1991
>>> Metallica tocando Van Halen
>>> Van Halen ao vivo em 2015
>>> Van Halen ao vivo em 1984
Últimos Posts
>>> Kate Dias vive Campesina em “Elise
>>> Editora Sinna lança “Ninha, a Bolachinha”
>>> “Elise”: Lara Oliver representa Bernardina
>>> Tonus cristal
>>> Meu avô
>>> Um instante no tempo
>>> Salvem à Família
>>> Jesus de Nazaré
>>> Um ato de amor para quem fica 2020 X 2021
>>> Os preparativos para a popular Festa de Réveillon
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Homenagem a Fred Leal, do podcast É Batata
>>> A melhor companhia para o Natal
>>> A proposta libertária
>>> Semana da Canção Brasileira
>>> Mashup Camp Day One
>>> Estranha coincidência
>>> Aula com Suassuna
>>> O pingente que deu certo
>>> Fidelio, primeira parte
>>> Um brasileiro no Uzbequistão (III)
Mais Recentes
>>> Cultura Insubmissa (Estudos e reportagens) de Rosemberg Cariri/Oswald Barroso pela Nação Cariri (1982)
>>> Globalização, democracia e terrorismo de Eric Hobsbawn pela Cia. das Letras (2007)
>>> A Produção Cultural para a Criança de Regina Zilberman (Org.) pela Mercado Aberto (1982)
>>> Desenvolvimento e Educação da Criança - Aplicação de Piaget na sala de aula (Pedagogia/Educação) de David Elkind pela Zahar (1978)
>>> Pedagogia do Risco - Experiências anarquistas em Educação (Pedagogia/Educação) de Sílvio Gallo pela Papirus (1995)
>>> Recordando Paulo Freire: Experiências de Educação Libertadora na Escola (Pedagogia/Educação) de Maria Oly Pey (Org.) pela Achiamé (2007)
>>> O Anarquismo Hoje - Uma reflexão sobre as alternativas libertárias de Jorge E. Silva pela Achiamé (2007)
>>> História da Língua Portuguesa – II. Século XV e Meados do Século XVI de Dulce de Faria Paiva pela Ática (1988)
>>> Discurso sobre o Filho-da-Puta (Sociologia/Antropologia) de Alberto Pimenta pela Achiamé (1997)
>>> Propaganda Ideológica e Controle do Juízo Público de Noam Chomsky pela Achiamé (2003)
>>> A Pedagogia Libertária na História da Educação Brasileira (Pedagogia/Educação) de Neiva Beron Kassick/Clovis Nicanor Kassick pela Achiamé (2004)
>>> Vygotsky, quem diria?! Em minha sala de aula (Pedagogia/Educação) de Celso Antunes pela Vozes (2002)
>>> Educação: Projetos e valores (Pedagogia/Educação) de Nilson José Machado pela Escrituras (2021)
>>> Guia Prático do Português Correto – Volume 2 Morfologia de Cláudio Moreno pela L&PM Pocket (2003)
>>> Arte e Anarquismo de Pierre Ferrua/Michel Ragon/Gaetano Manfredonia/Dominique Berthet/C. Valenti pela Imaginário (2001)
>>> A propriedade é um roubo e outros escritos anarquistas (Filosofia) de Pierre-Joseph Proudhon pela L&pm (2008)
>>> Moderna Plus. Matemática Paiva 3 de Manoel Paiva pela Moderna Plus (2010)
>>> Moderna Plus. Matemática Paiva 2 de Manoel Paiva pela Moderna Plus (2010)
>>> Gramática do Texto – Texto da Gramática de Samira Yousseff Campedelli & Jésus Barbosa Souza pela Saraiva (2001)
>>> Moderna Plus. Matemática Paiva 1 de Manoel Paiva pela Moderna Plus (2010)
>>> Matemática volume único ensino médio de Gelson Iezzi, Osvaldo Dolce e David Degenszajn pela Atual (2011)
>>> As Ilhas da Corrente de Ernest Hemingway pela Nova Fronteira (1970)
>>> Aprender e Praticar Gramática – Edição Renovada de Mauro Ferreira pela Ftd (2007)
>>> Poesia Sobre Poesia - Com Dedicatória de Affonso Romano de Santanna pela Imago (1975)
>>> A Agonia do Grande Planeta Terra de Hal Lindsey e C. C. Carlson pela Mundo Cristão (1973)
>>> A Chave de Rebeca de Ken Follett pela Record (1980)
>>> The Golden Tarot de Liz Dean pela Cico Books (2008)
>>> O Universo Numa Casca De Noz de Stephen Hawking pela Mandarim (2002)
>>> Novíssima Gramática Ilustrada Sacconi de Luiz Antonio Sacconi pela Nova Geração (2008)
>>> O Que Fiz para Merecer Isto? a Incompreensível Justiça de Deus de Anselm Grün pela Vozes (2007)
>>> Gramática - Português Fundamental de Douglas Tufano pela Moderna (2001)
>>> Antonio Lizárraga - Quadrados em Quadrados de Maria José Spiteri pela Edusp (2004)
>>> E se? de Randall Munroe pela Companhia das letras (2014)
>>> A outra vida de Susanne Winnacker pela Novo Conceito (2013)
>>> Você está pronta para ficar rica? de Jean Chatzky pela Elsevier (1998)
>>> Você está pronta para ficar rica? de Jean Chatzky pela Elsevier (1998)
>>> Você está pronta para ficar rica? de Jean Chatzky pela Elsevier (1998)
>>> A garota que você deixou para trás de Jojo Moyes pela Intrínseca (2014)
>>> Uma longa jornada de Nicholas Sparks pela Arqueiro (2013)
>>> Pântano de Sangue de Pedro Bandeira pela Moderna (2009)
>>> Hellsing - Volume - 1 EAN: 9788545700319 de Kohta Hirano pela Jbc (2015)
>>> Tentação sem limites de Babi Glines pela Arqueiro (2014)
>>> Diálogos III a República - Coleção Universidade de Platão pela Ediouro
>>> Uq Holder! - Vol. 1 EAN: 9788545701644 de Ken Akamatsu pela Jbc (2016)
>>> Mindful eating: Comer com atenção plena de Cynthia Antonaccio e Manoela Figueiredo pela Saúde (2018)
>>> Mitologias de Roland Barthes pela Bertrand Brasil (1989)
>>> Os Planelúpedes de Garcia de Paiva pela Brasília (1975)
>>> Uq Holder! - Vol. 3 EAN: 9788545702030 de Ken Akamatsu pela Jbc (2016)
>>> Criando prosperidade de Deepak Chopra pela Alaúde (2009)
>>> O Cravo de Mozart é Eterno de José Lins do Rego pela José Olympio (2004)
COLUNAS >>> Especial Idade

Sexta-feira, 14/3/2014
Quase cinquenta
Marta Barcellos

+ de 3300 Acessos

Um texto inspira o outro. Talvez os leitores do Digestivo não saibam como acontece a dinâmica que gera "especiais" por aqui, mas quase sempre é assim: um assunto do momento rende um debate ou um primeiro texto, que alguém do grupo de colunistas elogia ou comenta. A repercussão leva o editor Julio Daio Borges, ou outro, a sugerir o lançamento de uma série "especial", com uma pauta/convite aberta a todos os colaboradores.

Particularmente, não sou muito afeita a temas autobiográficos. Já tive meus tempos de blog, e hoje sou discreta nas redes sociais. Na verdade, ando tentando trilhar um caminho inverso: esquecer um pouco de mim mesma, sair do sufocante - e às vezes tentador - atoleiro narcisista que domina nossos tempos, me deixar atravessar por "outros eus", assumidamente inventados ou não. Enfim, ficção - como diria Eduardo Coutinho sobre os personagens de seus "documentários", que recebiam carta branca do cineasta para inventarem suas próprias narrativas autobiográficas.

Mas não tem jeito; são os nossos tempos. Há que se encarar o interesse autobiográfico. Consegui, sem esforço, fugir do apelo para falar das minhas origens familiares, mas fui fisgada pelo debate em torno da idade, que afinal nem sei se vai render um "especial". Afinal, como eu dizia lá em cima, é sempre um texto (no caso, um depoimento) que inspira outro texto. Ou não.

Explicando melhor: Julio escreveu sobre seus 40 anos, e, diante da boa repercussão, propôs um especial "Idade". Duanne Ribeiro apresentou um motivo para declinar que lhe pareceu óbvio: tem apenas 26 anos. Nem data redonda é. Mesmo assim, alguns depoimentos se seguiram naquela troca de e-mails, em torno das vantagens da maturidade - quando já se sabe o que se quer da vida. É mesmo provável que os mais velhos não tenham muito interesse nas reflexões sobre idade dos mais novos.

Foi aí que o meu "eu", o tal que eu pretendia esquecer, botou as manguinhas de fora. "Ah, eu já passei dessa fase saber o que se quer da vida" - ele se gabou, no diálogo imaginário com o grupo. Como aconteceu com o Júlio, pintou um medinho de adotar "discurso de velho", e não entrei no debate naquele momento.

Dizem que velho é a pessoa com 20 anos a mais que você (sim, Duanne é velho para alguém). Então, para mim, velho é o sujeito com 68 anos, especialmente aquele que afirma coisas como "no meu tempo é que a música era boa" ou "a internet afasta as pessoas". Bato na madeira três vezes e penso nas estratégias para chegar lá sem me transformar nesse tipo de velho. E, claro, torcer para as pessoas de 28 anos, as tais para quem sou irremediavelmente velha, me acharem moderninha, cabeça aberta ou sei lá que gíria elas usam no momento...

Mas não vou me perder, antes que alguém (jovem) pense que (já) estou com problemas de memória. O comentário que me havia provocado para o debate sobre idade dizia respeito a não se perder mais tempo com o que não vale a pena, ou não se gosta. Na maturidade, não temos tanta necessidade de agradar os outros, e o autoconhecimento costuma ser suficiente para se fazer opções melhores, aquelas com mais chances de nos fazer nos tornarmos nós mesmos. Sim, eu me lembro de alguma idade passada em que senti fortemente este sentimento: por que estou perdendo tempo com essas pessoas de quem não gosto?, por exemplo. E a descoberta da liberdade inesperada me encheu de alegria.

Assim foi. Acredito que fiz boas opções nesta virada para a maturidade. Pode ser que aquela tenha sido a minha idade do "sol do meio dia", o tal momento exato em que as sombras desaparecem, e nada se esconde, marcado pelo meio do caminho da vida, referido por Nietzsche. Só que existe um complicador para se estabelecer o momento certo da crise e das reflexões da meia idade: quando será exatamente o meio do caminho da nossa vida? Aquele em que podemos planejar uma "vida nova", a segunda metade de nossa vida?

Dante tinha 35 anos quando escreveu o primeiro verso da Divina comédia, "No meio do caminho de nossa vida". Quando Barthes, inspirado por Dante, começou a desenvolver um projeto de "Vita Nova", de suposta preparação de um romance, já passava dos 60 anos. Morreu no ano seguinte ao anúncio de seu plano, atropelado por um ônibus. Em A preparação do romance, ele justifica o seu projeto lembrando que o sentimento de ser mortal não é "natural": a consciência de que "os dias estão contados" só costuma se dar a partir de certa idade. Será esta a idade ideal para reflexões?

Bem, reflexões são sempre bem vindas - e o leitor deve sempre estar atento às possíveis sombras, no caso de elas não terem sido geradas exatamente ao meio dia. Pois, como eu ia dizendo, fiquei feliz quando percebi já saber do que gosto, o que quero etc. Mas depois... bem, percebi que, se só fizesse o que gosto, eu não descobriria as coisas que ainda não sei que gosto. Então é ótimo não perder tempo com automatismos bobos, comportamentos no fundo impostos pela sociedade, pela família etc - mas também é bom estar aberto para experimentar algo que talvez não seja bom.

Os tais "velhos" de 68 anos que se tornaram meu antiexemplo se acomodaram nesta suposta felicidade de saber do que gostam. Se já descobriram a boa música, por que escutar este barulho de hoje em dia? Eu, no entanto, sei hoje, definitivamente, que não sei tanto assim sobre o que gosto, e que ainda preciso experimentar de quase tudo, para nunca saber de nada. "Definitivamente?" Escapou, sorry. Se eu tiver alguma certeza definitiva prometo escrever sobre a minha crise dos 50, no ano que vem. Quem sabe consigo a atenção daqueles que ainda não chegaram lá.



Marta Barcellos
Rio de Janeiro, 14/3/2014


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Partilha do Enigma: poesia de Rodrigo Garcia Lopes de Jardel Dias Cavalcanti
02. Os dilemas da globalização de Gian Danton
03. Michael Jackson, destinado ao eterno de Jardel Dias Cavalcanti
04. Amor aos pedaços de Vicente Escudero
05. Por que Coetzee de Daniel Lopes


Mais Marta Barcellos
Mais Acessadas de Marta Barcellos em 2014
01. Esquerda x Direita - 24/10/2014
02. Escritor: jovem, bonito, simpático... - 5/9/2014
03. O turista imobiliário - 14/8/2014
04. Quase cinquenta - 14/3/2014
05. Philomena - 7/2/2014


Mais Especial Idade
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Sic Est in Provérbio: Assim Diz o Provérbio
Carlos Bachinski
Juruá
(2006)
R$ 51,28



Alma em suplício
James M. Cain
Horizonte
(1984)
R$ 15,00



La Vie Française À Travers les Âges - 2ª Edição
La Documentacion Française
La Documentacion Française
(1962)
R$ 9,82



Geoatlas - Conforme Novo Acordo Ortográfico
Maria Elena Simielli
Ática
(2010)
R$ 35,10



Encontro no Nevoeiro
J. M. Simmel
Nova Fronteira
(1977)
R$ 5,00



Criando Uma Nova Civilização - A Política da Terceira Onda
Alvin e Heide Toffler
Record
(1995)
R$ 7,50



O Grande Deserto
James Ellroy
Record
(2001)
R$ 23,05



Conquiste Aquele Cara Em 60 Dias
Blake Lavak
Gente
(2016)
R$ 10,00



Razão do Poema: Ensaios de crítica e de estética
José Guilherme Merquior
É Realizações
(2014)
R$ 40,00



Brincando nos campos do senhor
Peter Matthiessen
Companhia das letras
(1991)
R$ 15,00





busca | avançada
87759 visitas/dia
2,4 milhões/mês