Por que o petrolão é muito diferente do mensalão | Julio Daio Borges | Digestivo Cultural

busca | avançada
34554 visitas/dia
1,1 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
>>> Leminski, estações da poesia, por R. G. Lopes
>>> Crônica em sustenido
Colunistas
Últimos Posts
>>> Banco Inter É uma BOLHA???
>>> Não Aguento Mais a Empiricus
>>> Nubank na Hotmart
>>> O recente choque do petróleo
>>> Armínio comenta Paulo Guedes
>>> Jesus não era cristão
>>> Analisando o Amazon Prime
>>> Amazon Prime no Brasil
>>> Censura na Bienal do Rio 2019
>>> Tocalivros
Últimos Posts
>>> O céu sem o azul
>>> Ofendículos
>>> Grito primal V
>>> Grito primal IV
>>> Inequações de um travesseiro
>>> Caroço
>>> Serial Killer
>>> O jardim e as flores
>>> Agradecer antes, para pedir depois
>>> Esse é o meu vovô
Blogueiros
Mais Recentes
>>> A crítica musical
>>> 26 de Julho #digestivo10anos
>>> Por que escrevo
>>> História dos Estados Unidos
>>> Meu Telefunken
>>> Uma Receita de Bolo de Mel
>>> O apanhador no campo de centeio
>>> Curriculum vitae
>>> O Salão e a Selva
>>> Ed Catmull por Jason Calacanis
Mais Recentes
>>> At Risk de Patricia Cornwell pela Little Brown And Company (2006)
>>> Gone For Good de Harlan Coben pela Na Orion Paperback (2007)
>>> When The Wind Blows de James Patterson pela Little Brown And Company (1998)
>>> Windmills Of The Gods de Sidney Sheldon pela William Morrow And Companhy (1987)
>>> If Tomorrow Comes de Sidney Sheldon pela William Morrow And Companhy (1985)
>>> Pearl Dakotah Treasures 2 de Lauraine Snelling pela Bethany House (2004)
>>> Pearl Dakotah Treasures 2 de Lauraine Snelling pela Bethany House (2004)
>>> Children Of The Lamp Book One de P. B. Kerr pela Orchard Books (2004)
>>> The Tale Of Despereaux de Kate Di Camillo pela Candlewick Press (2003)
>>> What She Left For Me de Tracie Peterson pela Bethany House (2005)
>>> Mulher (Trilingue) de Orestes Campos Barbosa pela Sografe, Belo Horizonte (2009)
>>> Mulher (Trilingue) de Orestes Campos Barbosa pela Sografe, Belo Horizonte (2009)
>>> A Christmas Carol de Charles Dickens pela Bendon (2014)
>>> A Christmas Carol de Charles Dickens pela Bendon (2014)
>>> Ruby Dakotah Treasures 1 de Lauraine Snelling pela Bethany House (2003)
>>> Opal Dakotah Treasures 3 de Lauraine Snelling pela Bethany House (2005)
>>> Amethyst Dakotah Treasures 4 de Lauraine Snelling pela Bethany House (2005)
>>> Amethyst Dakotah Treasures 4 de Lauraine Snelling pela Bethany House (2005)
>>> Amethyst Dakotah Treasures 4 de Lauraine Snelling pela Bethany House (2005)
>>> Amethyst Dakotah Treasures 4 de Lauraine Snelling pela Bethany House (2005)
>>> Amethyst Dakotah Treasures 4 de Lauraine Snelling pela Bethany House (2005)
>>> Amethyst Dakotah Treasures 4 de Lauraine Snelling pela Bethany House (2005)
>>> Amethyst Dakotah Treasures 4 de Lauraine Snelling pela Bethany House (2005)
>>> The 1999 - John Dinkeloo Memorial Lecture de Will Bruder pela The Univ. Michigan/ USA (1999)
>>> Não estamos abandonados de Eliana Machado Coelho pela Lúmen (2016)
>>> This Charming Man de Marian Keyes pela Penguin Books (2009)
>>> Anybody Out There de Marian Keyes pela Penguin Books (2007)
>>> The Undomestic Goddess de Sophie Kinsella pela A Dell Book (2005)
>>> A voz do fogo de Alan Moore pela Conrad (2002)
>>> The Innocent Man de John Grisham pela A Dell Book (2006)
>>> The Innocent Man de John Grisham pela A Dell Book (2006)
>>> Bluebonnet Belle de Lori Copeland pela Steeple Hill (1997)
>>> Bluebonnet Belle de Lori Copeland pela Steeple Hill (1997)
>>> Tratado de comunicação organizacional e política de Gaudêncio Torquato pela Cengage Learning (2011)
>>> Catálogo de Periódicos Brasileiros Microfilmados de Coord. Ana Fanda/ A. Romano de Sat' Anna:Presid. pela Biblioteca Nacional/ RJ. (1994)
>>> Vá em frente não deixe para depois de Zibia Gasparetto pela Vida e Consciencia (2016)
>>> Regimes de historicidade - presentismo e experiencias do tempo de François Hartog pela Autentica (2013)
>>> Amazônia: 20 Lendas e Mitos/ Legends And Myths from Amazônia (5 lín de Gea: Coordenadoria Editorial pela Graf. Ed. da Amazônia
>>> La Amada Inmóvil de Amado Nervo pela Soc. Edit. Latino- Americana (1950)
>>> Um (One) de Richard Bach pela Record/ RJ.
>>> Um (One) de Richard Bach pela Record/ RJ.
>>> Amando Uns aos Outros: o Desafio das Relações Humanas de Leo Buscaglia pela Record/ RJ.
>>> A força do entusiasmo de Prof.Gretz pela Viabilização de Talentos Humanos (2005)
>>> Legislação Penal Especial : Crimes Contra a Economia Popular.- Crimes Falimentares.- Crimes Contra a Liberdade de Imprensa de Manoel Pedro Pimentel (Min. Trib. Alçada Criminal / Sp) pela Revista dos Tribunais (1972)
>>> Os tomadores de decisão de Robert Heller pela Makron (1991)
>>> Farmácia de pensamentos de Sonia de Aguiar pela Relume Dumará (2000)
>>> Hipnotizando Maria de Richard Bach pela Integrare (2019)
>>> Tudo Sobre Finanças - Guia Prático de A a Z ( Exame) de Tim Hindle pela Nobel (2002)
>>> Estranho À Terra de Richard Bach pela Hemus
>>> Estranho À Terra de Richard Bach pela Hemus
COLUNAS

Quinta-feira, 11/12/2014
Por que o petrolão é muito diferente do mensalão
Julio Daio Borges

+ de 2800 Acessos

* Porque é muito maior: O mensalão não chegou a 200 milhões de reais. O petrolão chegou inicialmente a 10 bilhões, segundo o doleiro Alberto Youssef, mas já se fala em 20 bilhões de reais (pelas estimativas da operação Lava Jato).

* Porque ultrapassa as fronteiras nacionais: Antes mesmo da última eleição, apareceu uma ramificação na Holanda, que a presidente Graça Foster prontamente ocultou (na CPI da Petrobras). Só que a Holanda se pronunciou oficialmente agora. E, nos Estados Unidos, já abriram dois processos, de investidores contra a Petrobras, por perdas e danos. "Podem quebrar a empresa", disse um dos advogados entrevistados.

* Porque o escândalo não tem "defensores": Márcio Thomaz Bastos, o advogado do diabo, morreu. Foi ele quem salvou Lula do processo de impeachment, como ministro da Justiça, em 2005. E foi ele quem, como advogado dos "mensaleiros", classificou o mensalão como "uma fantasia", em pleno STF em 2012. José Eduardo Cardozo, atual ministro da Justiça, já reconheceu, nas páginas amarelas da Veja em 2008, que "o mensalão existiu". (Até o momento, Cardozo não negou a existência do petrolão.)

* Porque Dilma Rousseff não é Luiz Inácio Lula da Silva: Dilma não teve problema em ser "leviana" nos debates contra Aécio Neves. Mas não iria tão longe quanto Lula, que foi à TV portuguesa e proclamou: "O mensalão não existiu" (o vídeo está no YouTube). Nem o próprio Lula iria tão longe agora. Quando perguntado, recentemente, sobre o petrolão, respondeu: "Perguntem à Polícia Federal". Como se ele não tivesse sido presidente da República quando a história toda começou (2006 ou 2004, dependendo da fonte). Dilma ainda não negou o petrolão, até porque já passou da hora: Holanda e Estados Unidos atestam que o petrolão existiu. Dilma prefere não dar nenhuma declaração nesse sentido. Passa a bola para seu ministro da Justiça, que não é nenhum Márcio Thomaz Bastos, e que tem se atrapalhado cada vez mais.

* Porque o governo não está "fechado" com Dilma sobre a questão: Ao contrário de Lula, que combinou com todo mundo - desde os dirigentes do PT até o ministro da Justiça, até o PSDB -, só deixando escapar Roberto Jefferson e Duda Mendonça, Dilma combinou com Cardozo, mas "seu" procurador-geral da República, Rodrigo Janot, acaba de declarar que os diretores da Petrobras deveriam ser "demitidos". Cardozo, na maior cara de pau do mundo, rebateu dizendo "não haver indícios" contra a diretoria. (A mesma diretoria de Paulo Roberto Costa, que é réu confesso, de Renato Duque, que já foi preso, e de Nestor Cerveró, responsável pela compra suspeitíssima da refinaria de Pasadena.) Fora Jorge Hage, que, ministro da Controladoria-Geral da União, se demitiu no meio do escândalo.

* Porque o PT não é mais o mesmo: Lula, que socorreu Dilma durante a campanha, já fugiu da questão (mandando perguntarem à Polícia Federal). José Dirceu, ex-braço-direito de Lula, estava preso, acaba de ser solto, mas já (re)apareceu no suposto escândalo das empreiteiras, com uma "consultoria" suspeita, e portanto não vai ajudar. José Genoíno, ex-presidente do PT, continua preso, e doente (dizem). Sobra Aloizio Mercadante, que não é nenhum José Dirceu, e que já deve estar "ajudando", à sua maneira. Sobra Rui Falcão, que, nessas horas, só serve para dar declarações inócuas, e que deve estar tentando "controlar" a mídia (e a internet), mas agora é tarde. (Fora que Rui Falcão não vai se oferecer ao sacrifício como o ex-presidente José Genoíno.) João Vaccari Neto? Vaccari Neto não é nenhum Delúbio Soares e não parece ter vocação para se fazer de "bobo", a fim de concorrer a uma vaga de "herói da pátria". Dilma se encontra sem socorro. Ou porque fugiram da raia, ou porque foram presos ou porque não têm como ajudar mesmo. Restam os "postes"... Fernando Haddad? Nem Marta Suplicy está mais do lado do PT... (Parlamentares do PT estão, supostamente, implicados no escândalo...)

* Porque a oposição não é mais a mesma: Deixar passar o impeachment de Lula em 2005 foi um erro. O PSDB, provavelmente, se arrepende hoje. E FHC deve se arrepender também. Eles achavam que Lula iria "sangrar" até perder a eleição, mas ele se refez e, em 2006, ganhou de novo. O PSDB escolheu um candidato fraco também: Geraldo Alckmin, que, até hoje, não faz *aquela oposição* ao PT. Felizmente, nem só do PSDB vive, hoje, a oposição brasileira. Temos Ronaldo Caiado que, aliás, foi o primeiro a solicitar a demissão de toda a diretoria da Petrobras. Temos Aécio Neves - que é do PSDB - mas que está se deixando empurrar para a direita (sabiamente). Temos as manifestações. Temos as redes sociais. Temos uma imprensa mais crítica (apesar de toda a mídia estatal). E teremos até um novo Congresso Nacional, com mais oposicionistas, em 2015.

* Porque o *Brasil* não é mais o mesmo: Além de toda essa movimentação cívica, o Brasil, como país, não está com essa bola toda. Em 2005, o Brasil era BRIC, estava em pleno "boom" das commodities. O auge da bolha aconteceria em 2009, com a capa da Economist. Era difícil contrariar Lula - associado a toda a pujança - naquela época. Agora, a bolha já estourou. Eike Batista, como símbolo-mor daquele período, inclusive se lamentou por ter virado "classe média". (Medo da Marilena Chauí?) Nem a China, grande cliente do Brasil, é mais a mesma. E nem o *petróleo* é mais o mesmo. Se a cotação do barril continuar caindo, nem o Pré-Sal será viável mais... E a Petrobras pode se converter numa nova OGX, guardadas as devidas proporções...

É por essas e por outras que o final da história do petrolão vai ser muito diferente do final do mensalão. Hoje não temos um Joaquim Barbosa, mas temos um Sérgio Moro. A diretoria da Petrobras será implicada, mesmo que, agora, fuja dos holofotes. Já está implicada fora do Brasil. Mesmo que Sergio Gabrielli se esconda numa secretaria de Estado no governo da Bahia. E mesmo que Graça Foster seja amiga de Dilma. Isso tudo só piora as coisas. Como Dilma foi presidente do Conselho de Administração, será, no mínimo, implicada como executiva. E mesmo que não enseje processo de impeachment, o petrolão, como um dos maiores escândalos de corrupção da República, será desmoralização o suficiente para fazer todo mundo cair, desde a diretoria até a presidente, até o presidente do Conselho, até a presidente da República.


Julio Daio Borges
São Paulo, 11/12/2014


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Fake na art e a pet humana de Gian Danton
02. O momento do cinema latino-americano de Humberto Pereira da Silva
03. O amor é um jogo que ganha quem se perde de Carina Destempero
04. A arte da crônica de Luiz Rebinski Junior
05. Desabafo de uma quase ex-professora de Loriza Kettle


Mais Julio Daio Borges
Mais Acessadas de Julio Daio Borges em 2014
01. Como detectar MAVs (e bloquear) - 22/10/2014
02. Sobre o caso Idelber Avelar - 8/12/2014
03. 40 - 29/1/2014
04. Meu Primeiro Livro - 18/6/2014
05. Mamãe - 19/1/2014


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




CÉLULAS A COMBUSTÍVEIS
KELLEN CRISTINA MESQUITA BORGES, ROSANA F. GONÇALVES UND MARIO J. GODINHO
NOVAS EDIÇÕES ACADÊMICAS
R$ 349,00



AYRTON SENNA E A MÍDIA ESPORTIVA
RODRIGO FRANÇA (AUTOGRAFADO)
AUTOMOTOR
(2010)
R$ 24,00



USABILIDADE E ARQUITETURA DA INFORMAÇÃO PARA ESTRUTURAÇÃO DE PORTAIS
THIAGO MARINHO
NOVAS EDIÇÕES ACADÊMICAS
R$ 349,00



AMOR A ROMA
AFONSO ARINOS DE MELO FRANCO
NOVA FRONTEIRA
R$ 41,00



SOLUÇÃO GRADUAL
CARL HONORÉ
RECORD - GRUPO RECORD
(2016)
R$ 46,20



MEMÓRIAS DA SAUNA FINLANDESA
MEMÓRIAS DA SAUNA FINLANDESA
34
(2010)
R$ 20,00
+ frete grátis



TAPETES E TAPEÇARIAS ARRAIOLOS NR 10 ANO 2 PUBLICAÇÃO TRIMESTRAL
CASA MIDÕES

R$ 24,88



ÊSSE CONTINENTE CHAMADO BRASIL
EDUARDO TOURINHO
JOSÉ OLYMPIO
(1964)
R$ 7,38



CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL - 05 DE OUTUBRO DE 1988
EQUIPE DA EDITORA ATLAS
ATLAS
(1988)
R$ 7,00



INSTITUIÇÃO E RELAÇÕES AFETIVAS
MARLENE GUIRADO
SUMMUS EDITORIAL
(1986)
R$ 70,00





busca | avançada
34554 visitas/dia
1,1 milhão/mês