Championship Vinyl - a pequena loja de discos | Renato Alessandro dos Santos | Digestivo Cultural

busca | avançada
73422 visitas/dia
2,5 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Minute Media anuncia lançamento da plataforma The Players’ Tribune no Brasil
>>> Leonardo Brant ministra curso gratuito de documentários
>>> ESG como parâmetro do investimento responsável será debatido em evento da Amec em parceria com a CFA
>>> Jornalista e escritor Pedro Doria participa do Dilemas Éticos da CIP
>>> Em espetáculo de Fernando Lyra Jr. cadeira de rodas não é limite para a imaginação na hora do recrei
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Silêncio e grito
>>> Você é rico?
>>> Lisboa obscura
>>> Cem encontros ilustrados de Dirce Waltrick
>>> Poética e política no Pântano de Dolhnikoff
>>> A situação atual da poesia e seu possível futuro
>>> Um antigo romance de inverno
>>> O acerto de contas de Karl Ove Knausgård
>>> Assim como o desejo se acende com uma qualquer mão
>>> Faça você mesmo: a história de um livro
Colunistas
Últimos Posts
>>> Hemingway by Ken Burns
>>> Cultura ou culturas brasileiras?
>>> DevOps e o método ágil, por Pedro Doria
>>> Spectreman
>>> Contardo Calligaris e Pedro Herz
>>> Keith Haring em São Paulo
>>> Kevin Rose by Jason Calacanis
>>> Queen na pandemia
>>> Introducing Baden Powell and His Guitar
>>> Elon Musk no Clubhouse
Últimos Posts
>>> Acentuado
>>> Mãe, na luz dos olhos teus
>>> PoloAC retoma temporada de Os Doidivanas
>>> Em um tempo, sem tempo
>>> Eu, tu e eles
>>> Mãos que colhem
>>> Cia. ODU conclui apresentações de Geração#
>>> Geração#: reapresentação será neste sábado, 24
>>> Geração# terá estreia no feriado de 21 de abril
>>> Patrulheiros Campinas recebem a Geração#
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Amando quem não existe
>>> 18 de Outubro #digestivo10anos
>>> A alma boa de Setsuan e a bondade
>>> Geração abandonada
>>> O dia em que a Terra parou
>>> A Geração Paissandu
>>> Srta Peregrine e suas crianças peculiares
>>> Literatura Falada (ou: Ora, direis, ouvir poetas)
>>> Publicar em papel? Pra quê?
>>> Impressões
Mais Recentes
>>> As Aventuras de Pinóquio de Carlo Collodi pela Companhia das Letrinhas (2002)
>>> Livro das Perguntas de Ferreira Gullar; Pablo Neruda; Isidro Ferrer pela Cosac & Naify (2008)
>>> Entrevista Com o Vampiro de Anne Rice pela Rocco (1991)
>>> Pais Brilhantes - Professores Fascinantes de Augusto Cury pela Sextante (2003)
>>> Ciranda de Pedra de Lygia Fagundes Telles pela Rocco (1998)
>>> Uma Janela Em Copacabana de Luiz Alfredo Garcia-Roza pela Companhia das Letras (2001)
>>> Trópico de Câncer de Henry Miller pela Biblioteca Folha (2003)
>>> Our Man in Panama de John Dinges pela Random House (1990)
>>> Os Princípios da Competição Empresarial de Luís Paulo Luppa; Johnny Duarte pela Landscape
>>> O Supermanager de Robert Heller pela Mcgraw - Hill (1987)
>>> Limites sem Trauma de Tania Zagury pela Record (2008)
>>> Iracema de José de Alencar pela Travessias (1984)
>>> Rachel de Queiroz - o Quinze de Rachel de Queiroz pela Jose Olympio (2010)
>>> Introdução ao Direito das Agências Reguladoras de Sergio Guerra pela Freitas Bastos Não (2004)
>>> Introdução ao Direito das Agências Reguladoras de Sergio Guerra pela Freitas Bastos Não (2004)
>>> Introdução ao Direito das Agências Reguladoras de Sergio Guerra pela Freitas Bastos Não (2004)
>>> Iracema de José de Alencar pela Ciranda Cultural
>>> Iracema / Senhora - 2 Romances pelo Preço de 1 de José de Alencar pela Scipione (1994)
>>> O Homem Interior: ícones do Filho de Deus de Helene Hoerni-jung pela Pensamento (2006)
>>> A Ditadura dos Cartéis - Anatomia de um Subdesenvolvimento de Kurt Rudolf Mirow pela Civilização Brasileira (1978)
>>> Apaixonados - Histórias de Amor de Fallen de Lauren Kate pela Galera Record (2014)
>>> O Olho de Jade de Diane Wei Liang pela Record (2008)
>>> A Eterna Mensagem de Therezinha Oliveira pela Allan Kardec (2010)
>>> Minhas Duas Estrelas uma Vida Com Meus Pais Dalva de Oliveira e Herivelto Martins de Pery Ribeiro e Ana Duarte pela Globo (2009)
>>> Cirurgia de Pequenos Animais de Theresa Fossum pela Elsevier (2014)
COLUNAS

Terça-feira, 11/2/2020
Championship Vinyl - a pequena loja de discos
Renato Alessandro dos Santos

+ de 1300 Acessos

Se você é daqueles que julgam os livros pela capa, provavelmente, não leu Alta fidelidade, premiado romance dos anos 1990 de Nick Hornby. O problema da edição que tenho aqui é que ela traz a silhueta estilizada de dois CDs, além do título e do nome do autor, claro. Certo, mas e daí? Daí que quem lê o romance, cujo protagonista tem uma loja de discos de vinil, não vai encontrar CDs lá, mas discos, discos e mais discos. Então, por que os dois Compact Discs? Aquele era um momento de transição na indústria da música, e talvez por isso a editora tenha optado pelos CDs, por conta da novidade que eram esses disquinhos que, hoje, nem todo mundo quer ter por perto.

Por perto, agora, que tal os discos de vinil? O engraçado é que a simples presença deles nas mãos do personagem que ocupa o centro das coisas em Alta fidelidade passa a impressão de alguém que se recusa a crescer e a se tornar adulto, o que significa, Ousadia, viver longe dos pais e, às vezes, (alegria, alegria) não ter muita gente por perto. Certo, mas, uma vez que a mãe ou o pai não vai regar as plantas todos os dias, quando chega a hora de cuidar delas, e aí? Bem, nesse caso, não seria mais fácil não tê-las por perto?



Culpa da Rocco, a opção pela capa medonha, porque, superado o mau gosto, o que o romance traz é uma narrativa esfuziante sobre os transes do amor naquela fase em que o casamento ainda não chegou para enterrar a vida — e se até os 30 e poucos não aconteceu é porque há algo de errado aí, certo? De qualquer forma, superar os 40, solteiro, é coisa de pessoas de muita independência, sejam feias, bonitas, hipnóticas, neuróticas, o que for... Mas... voltando à capa... será que teria existido outro motivo? É que nenhuma pessoa pode dizer que tal reviravolta não ecoe a vida do protagonista, porque associar a queda do vinil à ascensão dos CDs não deixa de significar, também, que Rob Flemming, o adultescente do romance, dono da praticamente falida loja de discos Championship Vinyl, superou o passado, isto é, seus traumas em relação ao amor, e cresceu, finalmente. Mas tal suposição ficará por conta dos leitores, e, contra ela, há de se dizer que nenhum CD substituiu vinil algum do idiossincrático Flemming.

Um Lote Repleto de Grande Discos

Hoje, com o aumento das vendas dos discos de vinil — com o papel alumínio embalando tudo, como um bombom (toca-discos vintage, álbuns clássicos de todos os gêneros, estantes com prateleiras e prateleiras cobertas de discos como se fossem livros; isto é, não com a capa em exposição, mas sua lombada etc.) —, ler ou reler esse romance é uma baita experiência, porque, não bastasse a trama, a narrativa mira a cultura pop, bombardeando os leitores com informações sobre artistas, discos, bandas, todo o kit.

Um exemplo: você sabia que sete anos após a morte de Otis Redding foi lançado na Inglaterra um compacto simples com "You left the water running"? Só que a viúva Otis não gostou de nada disso e exigiu que os compactos fossem retirados de circulação, o que fez deles um objeto raro, mosca branca mesmo, para deleite daqueles colecionadores que, em troca de um disco difícil de ser encontrado, talvez não fossem vender a alma ao caramujo lá de baixo, mas, decerto, abririam mão do descanso merecido no sábado e no domingo só para pôr as mãos naquela raridade que, provavelmente, vai ser ouvida uma única vez, e olhe lá! É que no altar da estante certos discos têm de ser cultuados como um Deus. “Santa estupidez, Wayne!” — diria Robin Bom Camarada, nessa hora. “Acha mesmo, rapaz?” — comentaria, surpreso decerto, o herdeiro solitário.

Subo numa cadeira e começo a descer as caixas de compactos. Ao todo há sete ou oito, e embora eu tente não olhar o que está dentro delas enquanto coloco-as no chão, na última caixa vejo de relance o primeiro deles: é um compacto de James Brown na King, com trinta anos de idade, e eu começo a formigar de expectativa.

Quando começo a examiná-los direito, percebo imediatamente que é o tesouro que sempre sonhei encontrar desde que comecei a colecionar discos. Há compactos dos Beatles que só os fã-clubes têm, os seis primeiros compactos do The Who, gravações originais de Elvis no início dos anos sessenta, montes de compactos de blues e de soul raros e...


Essa passagem do romance vai fazer qualquer colecionador de discos esfregar as mãos de satisfação, porque é mais ou menos por um momento desses que alguém espera a vida toda; isto é, como numa caça ao tesouro, ter um Lote Repleto de Grandes Discos é quase uma pílula de felicidade espontânea — ou — quem sabe? — como aquela epifania que algumas pessoas de boa vontade costumam ter quando, no horizonte, um holograma celestial vai surgindo... — e o desfecho dessa história é de deixar estupefato, no bom e no mau sentido, qualquer apaixonado por vinil. Hornby, porém, não mira apenas o universo dos colecionadores; se tivesse insistido nessa direção, o tiro teria escapulido pela culatra. Por quê? Primeiro, pela coloquialidade que faz a leitura fluir enxurrada adentro. Depois, porque os dilemas da vida amorosa, antes do casamento, surgem e, em contraste, aí sim, entrelaçam-se com a paixão pelos discos, o que torna tudo capaz de cativar adolescentes de todas as épocas, especialmente aqueles que, de coração partido, desiludem-se diariamente com @s possíveis [email protected] à cara-metade (nesse sentido, a série Lovesick fica muito próxima do universo de Alta fidelidade, como se até fosse influenciada por ele). Um porquê penúltimo — porquê penúltimo (risos) — é pela maneira espirituosa que o autor tem para lidar com o assunto todo, oferecendo listas e listas disso e daquilo (um achado à época). Por último — finalmente —, pela sutileza, comicidade e ironia que usa para cuidar dos espirituosos personagens que convivem com Flemming. É um livro, enfim, que alia — por meio da literatura — música, relacionamentos amorosos e discos de vinil.

Fica assim, então: se você é mais um dos que aderiram aos LPs — ou nunca os abandonou —, não vá deixar de ler, ainda que todos esses anos depois, esse romance de Hornby, nem de ver tanto a adaptação cinematográfica, com aquele John Cusack cabeça-dura nas pick-ups, quanto a série produzida pela Hulu. “There’s more to life than books, you know”, já dizia aquela canção dos Smiths. “But not much more.”

*

Cinco listas de Rob Flemming:

Cinco empregos ideais
1 Jornalista do NME (1976-1979)
2 Produtor da Atlantic Records (1964-1971)
3 Músico de qualquer tipo (com exceção de clássico ou de rap)
4 Diretor de cinema
5 Arquiteto

Cinco melhores livros de todos os tempos

1 The big sleep, de Raymond Chandler
2 Red dragon, de Thomas Harris
3 Sweet soul music, de Peter Guralnick
4 The hitchhiker’s guide to the galaxy, de Douglas Adams
5 “Algo de William Gibson, ou de Kurt Vonnegut”

Cinco melhores filmes europeus

1 Betty blue
2 Subway
3 Áta-me
4 O silêncio do lago
5 Diva, paixão perigosa

Cinco melhores filmes americanos

1 O poderoso chefão
2 O poderoso chefão II
3 Taxi driver
4 Os bons companheiros
5 Cães de aluguel

Cinco melhores músicas de todos os tempos

1 “Let’s get it on” (Marvin Gaye)
2 “This is the house that Jack built” (Aretha Franklin)
3 “Back in the USA” (Chuck Berry)
4 “White man in The Hammersmith Palais” (The Clash)
5 “So tired of being alone” (Al Green)

Nota do Autor
Renato Alessandro dos Santos, 47, é autor de Todos os livros do mundo estão esperando quem os leia e de O espaço que sobra, seu primeiro livro de poesia (ambos publicados pela Engenho e arte).

Nota do Editor
Leia também "Um cara legal".


Renato Alessandro dos Santos
Batatais, 11/2/2020


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Manual para revisores novatos de Ana Elisa Ribeiro
02. Nobel, novo romance de Jacques Fux de Jardel Dias Cavalcanti
03. MPTA, Dança feita de Afetos Condensados de Duanne Ribeiro
04. O armário que me pariu de Lisandro Gaertner
05. A rede contra as raposas analógicas de Carla Ceres


Mais Renato Alessandro dos Santos
Mais Acessadas de Renato Alessandro dos Santos em 2020
01. Um grande romance para leitores de... poesia - 14/7/2020
02. Os defeitos meus - 15/12/2020
03. Meu malvado favorito - 22/9/2020
04. A redoma de vidro de Sylvia Plath - 20/10/2020
05. Contentamento descontente: Niketche e poligamia - 25/8/2020


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Fantasma Em Orós
Milton Pedrosa
Cdl
(1974)



Brussels, Bruges, Ghent& Antwerp Eyewitness Top 10
Antony Mason
Dk Travel Guides
(2010)



Victor Hugo, Témoin de Son Siècle
Victor Hugo; Claude Roy (présenté Par)
Jai Lu Litterature
(1981)



Como Escolher Vinhos Alemães
Rosalind Cooper
Ao Livro Técnico
(1988)



Da Esperança à Utopia - Testemunho de uma Vida
D. Paulo Evaristo Arns
Sextante
(2001)



A Palavra é Futuro
Gabriel Perissé
Gutenberg
(2012)



O Segredo da Auto-realização Com Glossário de Termos Sânscritos
I. K. Taimni
Adyar



Responsabilidade Patrimonial dos Sócios Nas Sociedades Comerciais
Iolanda Lopes de Abreu
Saraiva (sp)
(1988)



Ou Va Le Travail Humain?
Georges Friedmann
Gallimard
(1973)



Na Antevespera - 6a Edição
Monteiro Lobato
Brasiliense
(1955)





busca | avançada
73422 visitas/dia
2,5 milhões/mês