Championship Vinyl - a pequena loja de discos | Renato Alessandro dos Santos | Digestivo Cultural

busca | avançada
60917 visitas/dia
1,9 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Dentre Nós Cia de Dança estreia “Sagrado Seja o Caos”
>>> Teatro: Sesc Santo André traz O Ovo de Ouro, espetáculo com Duda Mamberti no elenco
>>> PianOrquestra fecha a temporada musical 2021 da Casa Museu Eva Klabin com o espetáculo online “Colet
>>> Primeira temporada da série feminina “Never Mind” já está completa no Youtube da Ursula Monteiro
>>> Peça em homenagem à Maria Clara Machado estreia em teatro de Cidade Dutra, na periferia de São Paulo
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Eleições na quinta série
>>> Mãos de veludo: Toda terça, de Carola Saavedra
>>> A ostra, o Algarve e o vento
>>> O abalo sísmico de Luiz Vilela
>>> A poesia com outras palavras, Ana Martins Marques
>>> Lourival, Dorival, assim como você e eu
>>> O idiota do rebanho, romance de José Carlos Reis
>>> LSD 3 - uma entrevista com Bento Araujo
>>> Errando por Nomadland
>>> É um brinquedo inofensivo...
Colunistas
Últimos Posts
>>> A história de Claudio Galeazzi
>>> Naval, Dixon e Ferriss sobre a Web3
>>> Max Chafkin sobre Peter Thiel
>>> Jimmy Page no Brasil
>>> Michael Dell on Play Nice But Win
>>> A história de José Galló
>>> Discoteca Básica por Ricardo Alexandre
>>> Marc Andreessen em 1995
>>> Cris Correa, empreendedores e empreendedorismo
>>> Uma história do Mosaic
Últimos Posts
>>> Entre outros
>>> Corpo e alma
>>> O tempo é imbatível
>>> Consciência
>>> A cor da tarja é de livre escolha
>>> Desigualdades
>>> Novembro está no fim...
>>> Indizível
>>> Programador - Trabalho Remoto que Paga Bem
>>> Oficinas Culturais no Fly Maria, em Campinas
Blogueiros
Mais Recentes
>>> O poder da idéia
>>> A cidade e as serras
>>> A falta de paciência com o cinema
>>> Feliz aniversário, envelheço na cidade
>>> Antonio Candido
>>> Sem música, a existência seria um erro
>>> O pai tá on: um ano de paternidade
>>> Disciplinas isoladas
>>> Meus encontros e desencontros com Daniel Piza
>>> Pai e Filho
Mais Recentes
>>> Einstein e o Universo Relativístico (lacrado) de José Cláudio Reis, Marco Braga, Jairo Freitas pela Atual (2019)
>>> Adornos do Brasil Indígena - Resistências Contemporâneas de Vários Autores pela Sesc
>>> O Eclipse da Melancolia de Marcio Aquiles pela Patuá (2018)
>>> 1434 - o Ano Em Que uma Magnífica Frota Chinesa Velejou... (lacrado) de Gavin Menzies pela Bertrand Brasil (2010)
>>> Cozinha Regional Brasileira - Amazônia de Abril Coleções pela Abril (2009)
>>> Termodinâmica de Gilberto Ieno / Luiz Negro pela Cw (2004)
>>> King S Ransom de Ed Mcbain pela Oxford University Press (2000)
>>> De Tudo Que Eu Vi (lacrado) de Paulo César de Oliveira pela José Olympio (2019)
>>> O Show é Você (lacrado) de Clovis Tavares pela Integrare (2009)
>>> Juventude Em Viena - uma Autobiografia de Arthur Schnitzler pela Record (2015)
>>> O Ano Vermelho de Luiz Alberto Moniz Bandeira pela Civilização Brasileira (2017)
>>> Fundamentos Técnicos e o Sistema Nacional de Biossegurança Em Biotecno de Pedro Canisio Binsfeld pela Interciência (2015)
>>> Brasil Atlântico - um País Com a Raiz na Mata de Vários Autores pela Mar de Ideias (2010)
>>> The Winged Tiger Comics & Stories - 1999 de Phil Yeah pela Não Consta
>>> O Cliente por um Fio de Marcelo Rissato pela Nobel (2004)
>>> A Segunda Dama de Irwing Wallace pela Nova Cultural (1985)
>>> Partir da Infância - Diálogos Sobre Educação de Paulo Freire, Sérgio Guimarães pela Paz & Terra (2011)
>>> Diarios do Vampiro - o Retorno: Almas Sombrias de L. J. Smith pela Galera Record (2011)
>>> Curso de Processo Penal de Fernando Capez pela Saraiva (1999)
>>> Os Novos 52- a Sombra do Batman N°8 de Dc Comics pela Panini
>>> Segurança Pública e Ministério Público (lacrado) de Lia de Souza Siqueira pela Lumen Juris (2017)
>>> Poderes Paranormais - Como a Ciência Explica a Parapsicologia de Diane Hennacy Powell pela Nova Era (2011)
>>> Livro dos Editoriais 20 Anos de Ibccrim pela Ibccrim (2012)
>>> O Guardião Invisível de Dolores Redondo pela Record (2014)
>>> A Christmas Carol - Level 4 de Charles Dickens pela Penguin Readers (2002)
COLUNAS

Terça-feira, 11/2/2020
Championship Vinyl - a pequena loja de discos
Renato Alessandro dos Santos

+ de 1500 Acessos

Se você é daqueles que julgam os livros pela capa, provavelmente, não leu Alta fidelidade, premiado romance dos anos 1990 de Nick Hornby. O problema da edição que tenho aqui é que ela traz a silhueta estilizada de dois CDs, além do título e do nome do autor, claro. Certo, mas e daí? Daí que quem lê o romance, cujo protagonista tem uma loja de discos de vinil, não vai encontrar CDs lá, mas discos, discos e mais discos. Então, por que os dois Compact Discs? Aquele era um momento de transição na indústria da música, e talvez por isso a editora tenha optado pelos CDs, por conta da novidade que eram esses disquinhos que, hoje, nem todo mundo quer ter por perto.

Por perto, agora, que tal os discos de vinil? O engraçado é que a simples presença deles nas mãos do personagem que ocupa o centro das coisas em Alta fidelidade passa a impressão de alguém que se recusa a crescer e a se tornar adulto, o que significa, Ousadia, viver longe dos pais e, às vezes, (alegria, alegria) não ter muita gente por perto. Certo, mas, uma vez que a mãe ou o pai não vai regar as plantas todos os dias, quando chega a hora de cuidar delas, e aí? Bem, nesse caso, não seria mais fácil não tê-las por perto?



Culpa da Rocco, a opção pela capa medonha, porque, superado o mau gosto, o que o romance traz é uma narrativa esfuziante sobre os transes do amor naquela fase em que o casamento ainda não chegou para enterrar a vida — e se até os 30 e poucos não aconteceu é porque há algo de errado aí, certo? De qualquer forma, superar os 40, solteiro, é coisa de pessoas de muita independência, sejam feias, bonitas, hipnóticas, neuróticas, o que for... Mas... voltando à capa... será que teria existido outro motivo? É que nenhuma pessoa pode dizer que tal reviravolta não ecoe a vida do protagonista, porque associar a queda do vinil à ascensão dos CDs não deixa de significar, também, que Rob Flemming, o adultescente do romance, dono da praticamente falida loja de discos Championship Vinyl, superou o passado, isto é, seus traumas em relação ao amor, e cresceu, finalmente. Mas tal suposição ficará por conta dos leitores, e, contra ela, há de se dizer que nenhum CD substituiu vinil algum do idiossincrático Flemming.

Um Lote Repleto de Grande Discos

Hoje, com o aumento das vendas dos discos de vinil — com o papel alumínio embalando tudo, como um bombom (toca-discos vintage, álbuns clássicos de todos os gêneros, estantes com prateleiras e prateleiras cobertas de discos como se fossem livros; isto é, não com a capa em exposição, mas sua lombada etc.) —, ler ou reler esse romance é uma baita experiência, porque, não bastasse a trama, a narrativa mira a cultura pop, bombardeando os leitores com informações sobre artistas, discos, bandas, todo o kit.

Um exemplo: você sabia que sete anos após a morte de Otis Redding foi lançado na Inglaterra um compacto simples com "You left the water running"? Só que a viúva Otis não gostou de nada disso e exigiu que os compactos fossem retirados de circulação, o que fez deles um objeto raro, mosca branca mesmo, para deleite daqueles colecionadores que, em troca de um disco difícil de ser encontrado, talvez não fossem vender a alma ao caramujo lá de baixo, mas, decerto, abririam mão do descanso merecido no sábado e no domingo só para pôr as mãos naquela raridade que, provavelmente, vai ser ouvida uma única vez, e olhe lá! É que no altar da estante certos discos têm de ser cultuados como um Deus. “Santa estupidez, Wayne!” — diria Robin Bom Camarada, nessa hora. “Acha mesmo, rapaz?” — comentaria, surpreso decerto, o herdeiro solitário.

Subo numa cadeira e começo a descer as caixas de compactos. Ao todo há sete ou oito, e embora eu tente não olhar o que está dentro delas enquanto coloco-as no chão, na última caixa vejo de relance o primeiro deles: é um compacto de James Brown na King, com trinta anos de idade, e eu começo a formigar de expectativa.

Quando começo a examiná-los direito, percebo imediatamente que é o tesouro que sempre sonhei encontrar desde que comecei a colecionar discos. Há compactos dos Beatles que só os fã-clubes têm, os seis primeiros compactos do The Who, gravações originais de Elvis no início dos anos sessenta, montes de compactos de blues e de soul raros e...


Essa passagem do romance vai fazer qualquer colecionador de discos esfregar as mãos de satisfação, porque é mais ou menos por um momento desses que alguém espera a vida toda; isto é, como numa caça ao tesouro, ter um Lote Repleto de Grandes Discos é quase uma pílula de felicidade espontânea — ou — quem sabe? — como aquela epifania que algumas pessoas de boa vontade costumam ter quando, no horizonte, um holograma celestial vai surgindo... — e o desfecho dessa história é de deixar estupefato, no bom e no mau sentido, qualquer apaixonado por vinil. Hornby, porém, não mira apenas o universo dos colecionadores; se tivesse insistido nessa direção, o tiro teria escapulido pela culatra. Por quê? Primeiro, pela coloquialidade que faz a leitura fluir enxurrada adentro. Depois, porque os dilemas da vida amorosa, antes do casamento, surgem e, em contraste, aí sim, entrelaçam-se com a paixão pelos discos, o que torna tudo capaz de cativar adolescentes de todas as épocas, especialmente aqueles que, de coração partido, desiludem-se diariamente com @s possíveis [email protected] à cara-metade (nesse sentido, a série Lovesick fica muito próxima do universo de Alta fidelidade, como se até fosse influenciada por ele). Um porquê penúltimo — porquê penúltimo (risos) — é pela maneira espirituosa que o autor tem para lidar com o assunto todo, oferecendo listas e listas disso e daquilo (um achado à época). Por último — finalmente —, pela sutileza, comicidade e ironia que usa para cuidar dos espirituosos personagens que convivem com Flemming. É um livro, enfim, que alia — por meio da literatura — música, relacionamentos amorosos e discos de vinil.

Fica assim, então: se você é mais um dos que aderiram aos LPs — ou nunca os abandonou —, não vá deixar de ler, ainda que todos esses anos depois, esse romance de Hornby, nem de ver tanto a adaptação cinematográfica, com aquele John Cusack cabeça-dura nas pick-ups, quanto a série produzida pela Hulu. “There’s more to life than books, you know”, já dizia aquela canção dos Smiths. “But not much more.”

*

Cinco listas de Rob Flemming:

Cinco empregos ideais
1 Jornalista do NME (1976-1979)
2 Produtor da Atlantic Records (1964-1971)
3 Músico de qualquer tipo (com exceção de clássico ou de rap)
4 Diretor de cinema
5 Arquiteto

Cinco melhores livros de todos os tempos

1 The big sleep, de Raymond Chandler
2 Red dragon, de Thomas Harris
3 Sweet soul music, de Peter Guralnick
4 The hitchhiker’s guide to the galaxy, de Douglas Adams
5 “Algo de William Gibson, ou de Kurt Vonnegut”

Cinco melhores filmes europeus

1 Betty blue
2 Subway
3 Áta-me
4 O silêncio do lago
5 Diva, paixão perigosa

Cinco melhores filmes americanos

1 O poderoso chefão
2 O poderoso chefão II
3 Taxi driver
4 Os bons companheiros
5 Cães de aluguel

Cinco melhores músicas de todos os tempos

1 “Let’s get it on” (Marvin Gaye)
2 “This is the house that Jack built” (Aretha Franklin)
3 “Back in the USA” (Chuck Berry)
4 “White man in The Hammersmith Palais” (The Clash)
5 “So tired of being alone” (Al Green)

Nota do Autor
Renato Alessandro dos Santos, 47, é autor de Todos os livros do mundo estão esperando quem os leia e de O espaço que sobra, seu primeiro livro de poesia (ambos publicados pela Engenho e arte).

Nota do Editor
Leia também "Um cara legal".


Renato Alessandro dos Santos
Batatais, 11/2/2020


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Livrarias de Ricardo de Mattos
02. A sedução da narrativa de Marta Barcellos
03. Cego, surdo e engraçado de Adriane Pasa
04. Um Ano Feliz (!) de Ricardo de Mattos
05. À primeira estrela que eu vejo de Ana Elisa Ribeiro


Mais Renato Alessandro dos Santos
Mais Acessadas de Renato Alessandro dos Santos em 2020
01. Meu malvado favorito - 22/9/2020
02. Um grande romance para leitores de... poesia - 14/7/2020
03. Os defeitos meus - 15/12/2020
04. Contentamento descontente: Niketche e poligamia - 25/8/2020
05. A redoma de vidro de Sylvia Plath - 20/10/2020


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Rotas de Colisão um Tecnothriller Vertiginoso
Chris Hejmanowski
Jangada
(2014)



Nu sem Amuleto
José Fonseca Fernandes
José Olympio
(1968)



Mecânica Vetorial para engenheiros dinânica 2
Ferdinard P. Beer
Mcgraw Hill
(1980)



O Enigma das Pirâmides
Alvarez Lopez
Hemus
(1978)



Iluminação Cotidiana Como Ser Um Guerreiro Espiritual No Dia A Dia - Esoterico
Yeshe Chodron
Gaia



Morte e Suicídio Uma Abordagem Multidisciplinar
Evaldo A. D'Assumpção e Outros
Vozes
(1984)



Negócios e Prazer Harlequin Paixão Edição 177
Negócios e Prazer
Harlequin Books
(2010)



Clique a Clique - Baixando Programas da Internet - Livro + Dvd N04
Equipe Abril
Abril
(2011)



O Dossie Iscariotes
Marcos Losekann
Planeta
(2006)



A Cabana
William P. Young
Sextante
(2008)





busca | avançada
60917 visitas/dia
1,9 milhão/mês