Um grande romance para leitores de... poesia | Renato Alessandro dos Santos | Digestivo Cultural

busca | avançada
67078 visitas/dia
2,0 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Mega evento de preparação ao ENEM reúne personalidades e conteúdo exclusivo ao público jovem
>>> Lançamento do livro 'Pesquisa e ensino de história na Amazônia'
>>> Maurício Limeira lança coronavídeo GUERRA
>>> Mostra de Teatro traz quatro peças para assistir on-line
>>> Festival Som na Faixa apresenta edição online com atrações da música instrumental
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Coisa mais bonita é São Paulo...
>>> Cuba e O Direito de Amar (1)
>>> Aos nossos olhos (e aos de Ernesto)
>>> Carol Sanches, poesia na ratoeira do mundo
>>> O fim dos livros físicos?
>>> A sujeira embaixo do tapete
>>> Moro no Morumbi, mas voto em Moema
>>> É breve a rosa alvorada
>>> Alameda de água e lava
>>> Entrevista: o músico-compositor Livio Tragtenberg
Colunistas
Últimos Posts
>>> Gente feliz não escreve humor?
>>> A profissão de fé de um Livreiro
>>> O ar de uma teimosia
>>> Zuza Homem de Mello no Supertônica
>>> Para Ouvir Sylvia Telles
>>> Van Halen ao vivo em 1991
>>> Metallica tocando Van Halen
>>> Van Halen ao vivo em 2015
>>> Van Halen ao vivo em 1984
>>> Chico Buarque em bate-papo com o MPB4
Últimos Posts
>>> Saudade do amanhã
>>> Cata-lata
>>> A busca
>>> O poder da história
>>> Caraminholas
>>> ETC. E TAL
>>> Acalanto para a alma
>>> Desde que o mundo é mundo
>>> O velho suborno
>>> Normal!
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Bailes & Festas
>>> Une jeune fille normale
>>> O retorno dos que não foram
>>> A Música Erudita no Brasil
>>> Vândalos são eles
>>> Nelson ao vivo, como num palco
>>> Nelson ao vivo, como num palco
>>> Suzana Andres
>>> Que exemplo arrebatador a Colômbia dá ao mundo
>>> Poeira, pra que te quero?
Mais Recentes
>>> Coleção Concursos - Volume.11 de Aniello Aufiero pela E.Aufiero (2007)
>>> Coleção Concursos - Volume.11 de Aniello Aufiero pela E.Aufiero (2007)
>>> Escritos e ambiente do Novo Testamento de Odette Mainville (org) pela Vozes (2002)
>>> Nunca pare de lutar de Ludmila Ferber pela Thomas Nelson (2012)
>>> The secret / o segredo de Rhonda Byrne pela Ediouro (2007)
>>> Medical update. Demência vascular n°20 / 2005 de Vários pela Bolina (2005)
>>> As Dez Leis da Realização e A força de Ian Mecler pela Best bolso (2012)
>>> Diário de um Banana Volume 7: Segurando Vela de Jeff Kinney pela V&R (2013)
>>> Diário de um Banana Volume 12: Apertem os Cintos de Jeff Kinney pela V&R (2017)
>>> Diário de um Banana Volume 9: Caindo na Estrada de Jeff Kinney pela Vr (2015)
>>> O conceito de amor em Santo Agostinho de Hannah Arendt pela Instituto Piaget
>>> O inusitado na vida e na morte de Ellio Tigger-Hiriesty de J. V. Di Bobbo pela J. V. Di Bobbo (1982)
>>> Os quatro grandes de Agatha Christie pela L&Pm Pocket (2014)
>>> A mulher que escreveu a biblia de Moacyr Scliar pela Companhia de Bolso (2007)
>>> 1919 de John dos Passos pela Abril Cultural (1983)
>>> As Brumas de Avalon: O prisioneiro da árvore de Marion Zimmer Bradley pela Círculo do livro
>>> As Brumas de Avalon: A grande Rainha livro dois de Marion Zimmer Bradley pela Imago (1982)
>>> As Brumas de Avalon: A senhora da Magia de Marion Zimmer Bradley pela Imago (1982)
>>> Sem olhos em gaza de Aldous Huxley pela Abril Cultural (1985)
>>> A igreja Latino-americana no contexto mundial de Martin N. Dreher pela Sinodal (1999)
>>> Se houver amanhã; Nada dura pra sempre de Sidney Shedon pela Best-Bolso (2010)
>>> A teia da aranha de Agatha Christie pela L&Pm Pocket (2014)
>>> Um brinde de de Agatha Christie pela L&Pm Pocket (2014)
>>> Punição para a inocência de Agatha Christie pela L&Pm Pocket (2014)
>>> Diário de um Banana Volume 8: Maré de Azar de Jeff Kinney pela Vr (2014)
>>> As Brumas de Avalon: O gamo-rei de Marion Zimmer Bradley pela Imago (1982)
>>> O senhor dos ladrões de Cornelia Funke pela A página (2012)
>>> Coração de tinta de Cornelia Funke pela A página (2010)
>>> O Mistério de Jesus de Vamberto Morais pela Edições (1990)
>>> O Gesto Essencial - Literatura, Politica e Lugares de Nadine Gordimer pela Rocco (1995)
>>> Brandão Entre o Mar e o Amor de Jorge Amado;José Lins e outros pela Record (2000)
>>> Getting Things Done: A Arte de Fazer Acontecer de David Allen pela Elsevier (2005)
>>> Dracula - Pre-Intermediate - Acompanha CD de Bram Stoker pela Disal (2011)
>>> O Jovem Torless de Robert Musil pela Biblioteca Folha (2003)
>>> O Andar do Bêbado: Como o Acaso Determina Nossas Vidas de Leonard Mlodinow pela Zahar (2009)
>>> Questões Comentadas - Direito Administrativo de Matheus Carvalho e Raphael Santana pela Juspodivm (2016)
>>> Inteligência Emocional no Trabalho de Hendrie Weisinger,PhD pela Objetiva (1997)
>>> O caçador de pipas de Khaled Hosseini pela Nova Fronteira (2006)
>>> Encontro com o Cristo de Jesus de Wilson Ribeiro pela Master Book (1999)
>>> A História do Século 20 Para Quem Tem Pressa: Tudo Sobre os 100 Anos que Mudaram a Humanidade em 200 Páginas! de Nicola Chalton; Meredith MacArdle pela Valentina (2017)
>>> Ficando Longe do Fato de Já Estar Meio que Longe de Tudo de David Foster Wallace pela Companhia das Letras (2012)
>>> A novela do curioso impertinente - Edição Bilíngue de Miguel De Cervantes Saavedra pela Relume Dumara (2005)
>>> Gestão da Educação Corporativa: Cases, Reflexões e Ações em Educação a Distância de Eleonora Jorge Ricardo pela Pearson Prentice Hall (2007)
>>> Porongos: Fatos e Fábulas de Cesar Pires Machado pela Praça da Matriz (2011)
>>> Maomé - Uma Biografia do Profeta de Karen Armstrong pela Companhia das Letras (2002)
>>> Merlin Volume 3: Teia de Traições de M. K. Hume pela Novo Século (2014)
>>> APRENDENDO A ESCREVER (AZUL) de EDITORA TODOLIVRO pela TODOLIVRO
>>> 13 Razões Para Votar no PT de BITTENCOURT, AURELIO MARCONDES E LINS pela MATRIX
>>> #Por Que Eu Leio de HARPER COLLINS pela HARPERCOLLINS
>>> La Sabiduría Para Ser Feliz y Crear la Paz de Daisaku Ikeda pela Azul Índigo (2019)
COLUNAS

Terça-feira, 14/7/2020
Um grande romance para leitores de... poesia
Renato Alessandro dos Santos

+ de 2300 Acessos

Acabei de ler Os detetives selvagens. Dizer que é o Ulisses ou o Visões de Cody de Roberto Bolaño seria exagero; ao menos com Joyce, embora o romance de Kerouac não fique atrás. A leitura levou dias, semanas, meses, talvez até mais de um ano. Lia-o e ia intercalando-o com outras páginas. Não tinha pressa. Vieram obrigações inadiáveis, projetos e outros arcabouços, mas, hoje, acabei de ler Os detetives selvagens, de Roberto Bolaño.


Quando terminei a leitura, deitado que estava, ouvindo The rise & fall of the third stream, o livro foi encaixar-se entre meu queixo e meu peito. Mirava a parede branca, enquanto a visão periférica não se esquecia da janela à direita – janela cuja imagem, neste momento, traz pra mim, num relâmpago, a última página de Os detetives selvagens, e chegar ao last but not least parágrafo de um romance, brindado pelo autor com o desenlace surpreendente que ele nos dá, levantando a taça, é algo que a literatura sabe oferecer como nenhuma outra forma de expressão artística. Lembrei de uma leitura recente de Eça (A relíquia), mas seria uma comparação disparatada não fosse apenas no sentido de atrelar duas obras que oferecem uma recompensa, um brinde à saúde do leitor, congratulando-o pela viagem. É que Teodorico Raposo, prestes a despencar, vive aquele clímax queirosiano que Eça tão bem sabia oferecer aos leitores.

Daqueles quebra-cabeças que, com a última peça, fazem sentido, a vereda de Os detetives selvagens expande-se por 622 páginas e é dividida em três partes. A primeira é narrada por Juan García Madero, estudante de 17 anos que entra para o grupo dos reais-visceralistas – poetas que se organizam ao redor de dois rebeldes: Arturo Belano e Ulises Lima. São os principais personagens do romance de Bolaño e são, também, dois eclipses sombreando toda a segunda parte não mais narrada por Madero, mas por nada menos que 50 personagens que, na sucessão de depoimentos, vão dando pistas sobre o paradeiro de Belano e Lima. Haja alteridade. Se a primeira parte ocupa-se dos dois últimos meses de 1976 e passa-se no DF (Distrito Federal), no México, os 50 personagens cobrem um período que vai de 1976 a 1996 e estão também na Espanha, nos EUA, mas principalmente no país da tequila, dos tacos e de Octavio Paz.


A última parte retorna, exatamente, ao fim da primeira, e encontramos Belano, Lima, Madero e Lupe fugindo de um cafetão e seguindo para os desertos de Sonora, no México. Durante pouco mais de um mês, eles estarão em busca do paradeiro de Césarea Tinajero, poeta que, supostamente, desapareceu numa bruma de mistério, sem mais nem menos, feito Rimbaud. Foi ela ícone dos visceralistas originais, grupo vanguardista de poetas dos anos 1920 – e, de supetão, está invertida a fórmula de se contar uma história de detetives, porque, embora o leitor tenha de unir as pontas, como em toda boa narrativa de mistério, não é um crime que motiva todas as peripécias que a última parte deixa, mas – sério – entender o que está acontecendo. Não ri, leitora. Porque há na narrativa de Bolaño todos os indícios de que o autor, cirurgicamente, sabe o que faz e, por isso, não faz sentido desistir do virar de páginas, mesmo que a duração leve meses. Genial Bolaño, pois é justamente a terceira parte que ilumina tudo, e é aquela surpresa que cada descoberta traz que premia os leitores ao final, e só tal pinhata já seria motivo de sobra para se deixar levar por cada uma das centenas de páginas do romance. É uma das últimas grandes narrativas deste limiar entre a cultura dos livros e a rapidez tecnológica de novas plataformas e formas de leitura, algo que, nessa modernidade apressada, pode inviabilizar a produção mais caudalosa dos romancistas atuais, mas que, de Bolaño, não recebe concessão, que o digam as imperdíveis 852 páginas que outra de suas obras, 2666, tem. É um autor para leitores de fôlego; é um autor já falecido precocemente mas que pôde deixar um espólio onde mais livros vêm surgindo, para a alegria de todos os leitores que – caminhando por Os detetives selvagens e admirados da destreza técnica do autor e das possibilidades criativas que sua literatura oferece – têm consciência de que, a cada página virada, restará, um dia, a última de Bolaño a ser sorvida ― sorvida com, com pleonasmo literário e tudo, contente contentamento.

Bolaño vive; em seus livros, Bolaño vive, para admiração de leitores que mantêm acesos projetos de leitura capazes de esgotar toda a literatura dele. Toda. Toda uma literatura que é capaz de capturar nada menos que os subterrâneos de nossa vida contemporânea.

Fica assim então. O autor chileno espera ali, nos intervalos de leitura de Os detetives selvagens, esse romance engenhoso que trata, acima de tudo, de... poesia – sim, poesia – aquela espécie mágica de versos cuja verve remete às mais altas esferas do pensamento, lá onde a imaginação vive à altura de arranha-céus – fruto das mais “soberbas pontes e edifícios”, como sugere Drummond a respeito do engenho e da arte de toda a gente naquele admirável verso de Claro enigma.

Nota do Autor
Renato Alessandro dos Santos, 48, é autor de Lado B: música, literatura e discos de vinil, de Todos os livros do mundo estão esperando quem os leia (volumes I e II), de O espaço que sobra, seu primeiro livro de poesia (todos publicados pela Engenho e arte), além de outras obras. A ilustração acima é de Rodrigo Caldas e foi feita especialmente para o volume 2 de Todos os livros do mundo estão esperando quem os leia.



Renato Alessandro dos Santos
Batatais, 14/7/2020


Quem leu este, também leu esse(s):
01. A redoma de vidro de Sylvia Plath de Renato Alessandro dos Santos
02. Tolos Vorazes de Vicente Escudero
03. Em defesa das calçadas de Eduardo Carvalho
04. Brazilionaires de Marta Barcellos
05. Raios, trovoadas e técnicos de informática de Ana Elisa Ribeiro


Mais Renato Alessandro dos Santos
Mais Acessadas de Renato Alessandro dos Santos em 2020
01. Um grande romance para leitores de... poesia - 14/7/2020
02. Quincas Borba: um dia de cão (Fuvest) - 16/6/2020
03. Meu malvado favorito - 22/9/2020
04. Contentamento descontente: Niketche e poligamia - 25/8/2020
05. A redoma de vidro de Sylvia Plath - 20/10/2020


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




UMA OU OUTRA FORMA DE TIRANIA
MARCOS VINÍCIUS FERREIRA DE OLIVEIRA
7 LETRAS
(2006)
R$ 12,00



NIETZSCHE: FILOSOFIA E PENSAMENTOS - A INFLUÊNCIA DO PENSAMENTO E
EDITORA GEEK
GEEK
R$ 25,82



CAMINHOS DO MUNDO E DA VIDA
ANTONIO DE SOUSA
SCORTECCI
(2008)
R$ 15,00



O FANTASMA QUE FALAVA ESPANHOL - COL. QUE MISTÉRIO É ESSE ?
LUIZ GALDINO - 4ª EDIÇÃO
FTD
(1991)
R$ 7,00



PROENF: SAÚDE DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE: CICLO 6. MÓDULO 3
CARMEN ELIZABETH KALINOWSKI
ARTMED
(2006)
R$ 9,90



O PENSAMENTO VIVO DE DA VINCI
DA VINCI
MARTIN CLARET
(1985)
R$ 6,90



SOMOS AS ÁGUAS PURAS
CARLOS RODRIGUES BRANDÃO
PAPIRUS
(1994)
R$ 15,00



DIGITAL FORTRESS
DAN BROWN
ST MARTINS PRESS
(2004)
R$ 20,00
+ frete grátis



A PROFECIA DO MAGO
RENATA DE CASTRO MELO-MAURÍCIO MONTNOVE
FREITAS BASTOS
(1992)
R$ 27,65



COMO VOCÊ SE CHAMA?
R. MAGALHÃES JR.
EDITORA DOCUMENTÁRIO
(1974)
R$ 10,00





busca | avançada
67078 visitas/dia
2,0 milhão/mês