Meu malvado favorito | Renato Alessandro dos Santos | Digestivo Cultural

busca | avançada
59473 visitas/dia
1,9 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Feriado, dia 20 :: Toni Garrido e Evandro Mesquita fazem show de graça na Laura Alvim em Ipanema
>>> Cadê a Criança que tava aqui? reestreia dia 5 de fevereiro no Alfa
>>> ENDURO A PÉ - CIRCUITO DE LAZER NO CENTRO
>>> Show 'Ana Cañas Canta Belchior' chega ao Teatro Bradesco em São Paulo
>>> SESI apresenta Filó Machado 60 Anos de Música no aniversário de São Paulo
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Eleições na quinta série
>>> Mãos de veludo: Toda terça, de Carola Saavedra
>>> A ostra, o Algarve e o vento
>>> O abalo sísmico de Luiz Vilela
>>> A poesia com outras palavras, Ana Martins Marques
>>> Lourival, Dorival, assim como você e eu
>>> O idiota do rebanho, romance de José Carlos Reis
>>> LSD 3 - uma entrevista com Bento Araujo
>>> Errando por Nomadland
>>> É um brinquedo inofensivo...
Colunistas
Últimos Posts
>>> O melhor da Deutsche Grammophon em 2021
>>> A história de Claudio Galeazzi
>>> Naval, Dixon e Ferriss sobre a Web3
>>> Max Chafkin sobre Peter Thiel
>>> Jimmy Page no Brasil
>>> Michael Dell on Play Nice But Win
>>> A história de José Galló
>>> Discoteca Básica por Ricardo Alexandre
>>> Marc Andreessen em 1995
>>> Cris Correa, empreendedores e empreendedorismo
Últimos Posts
>>> Brega Night Dance Club e o afrofuturismo amazônico
>>> Fazer o que?
>>> Olhar para longe
>>> Talvez assim
>>> Subversão da alma
>>> Bons e Maus
>>> Sempre há uma próxima vez
>>> Iguais sempre
>>> Entre outros
>>> Corpo e alma
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Um monstro que ri
>>> Um monstro que ri
>>> Felicidade: reflexões de Eduardo Giannetti
>>> Alguns momentos com Daniel Piza
>>> Edward Snowden: a privacidade na era cibernética
>>> A Nouvelle Vague e Godard
>>> Livros que aproximam
>>> Discoteca Básica por Ricardo Alexandre
>>> Brasil em Cannes
>>> The ultimate cure for startup
Mais Recentes
>>> The Hugo Winners de Isaac Asimov pela Penguin Books (1964)
>>> Força É a Nova Beleza de Kate T. Parker pela Rosa dos Tempos (2018)
>>> Turma da Mônica Jovem Vol. 09: o Sumiço do Cebola de Mauricio de Sousa pela Panini Comics (2009)
>>> Turma da Monica Jovem Monstros do Id Parte 1 Vol 15 de Mauricio de Sousa pela Panini Comics (2009)
>>> A Grande Mentira de Nicholas Searle pela Record (2019)
>>> Animal Dreams de Barbara Kingsolver pela Harper Perennial (1990)
>>> Turma da Monica Jovem Vol. 11 - Ser Ou Não Ser? de Mauricio de Sousa pela Panini Comics (2009)
>>> Turma da Mônica Jovem - 12 Ser Ou Não Ser ? Parte Final de Mauricio de Sousa pela Panini Comics (2009)
>>> Turma da Mônica Jovem - 12 Ser Ou Não Ser ? Parte Final de Mauricio de Sousa pela Panini Comics (2009)
>>> Turma da Mônica Jovem - 12 Ser Ou Não Ser ? Parte Final de Mauricio de Sousa pela Panini Comics (2009)
>>> Criando Meninos de Steve Biddulph pela Fundamento (2004)
>>> Galileu e os Negadores da Ciência de Mario Livio pela Record (2021)
>>> Aloha-ha-ha! de Barbara Park pela Random House (2006)
>>> Signum: Estudo da Linguagem de Universidade Estadual de LondrinaUel pela Uel (1998)
>>> Harlequin Romance - No Need to Say Goodbye de Betty Neels pela Harlequin Books (1990)
>>> Tex Coleção Nº 54 de Bonelli pela Globo (1991)
>>> New Moon - Edição de Bolso de Stephenie Meyer pela Little Brown and Company - Us (2006)
>>> Twilight - Edição de Bolso de Stephenie Meyer pela Mt Books (2005)
>>> Tex Nº 139 de Bonelli pela Globo (1987)
>>> Food Wars 10 de Yuto Tsukuda pela Planeta Manga (2020)
>>> S - O Navio de Teseu de J. J. Abrams e Doug Dorst pela Intrínseca (2015)
>>> Tex Nº 316 de Bonelli pela Globo (1996)
>>> Star Wars Episode I - a Ameaça Fantasma 2 de Kia Asamiya pela Jbc (2002)
>>> O Livro dos Manuais de Paulo Coelho pela Do autor (2008)
>>> Curso de Inglês # Number One - Inglês Completo de Sérgio Barreto pela Skopos (2017)
COLUNAS

Terça-feira, 22/9/2020
Meu malvado favorito
Renato Alessandro dos Santos

+ de 4000 Acessos

Venho cada vez mais descendo ladeira abaixo. Pleonasmo conta? Conta. Primeiro, foram os filmes, que, em proporção a séries, hoje vejo cada vez menos; antes disso, decerto, veio alguma outra coisa, mas não me lembro exatamente o quê; então, como viver suplanta qualquer tentativa modorrenta de arrancar da memória um espasmo qualquer, deixo tudo pra lá e me concentro no agora, e o agora anda terrível. T.E.R.R.Í.V.E.L., você sabe. Coronavírus, Bolsonaro, 2020 de um modo geral.



Mas há sempre essas horas quando o espírito, apesar de tudo, alça voo e, lá em cima, olhando para baixo e, longe do alcance de todos os transes vividos aqui na superfície, continua planando, entre as nuvens, entre o cerúleo do infinito azul. Horas assim são raras na vida de gente que tem de levantar cedo e trabalhar feito um condenado para, se tudo correr bem, pôr na mesa o pão de ontem, já bastante maltratado pelo tempo. Infelizmente, é assim. Aos menos afortunados, nem tudo são rosas & mar, também, mas o prazer que certas coisas suscitam em horas de leveza de espírito compensa essas artimanhas que o destino, feito revoada de pombos enfezados, deixa em nós.

Dexter Morgan é um serial killer que tem estado aqui em casa, em plena época de pandemia, quase toda noite. As seis horas da tarde nem bem despontam no horizonte e nos ponteiros do relógio, e eu já paro todo o trabalho, toda a leitura, todo o estudo, toda a caminhada, toda a audição dos discos de vinil, e ligo o notebook, a Amazon Prime e, em seguida, aperto o player de Dexter, série cuja nota no IMDb ultrapassa os oitos pontos e que traz um assassino serial que se vinga daquelas pessoas que nem mesmo o que o gato enterra valem. Como? Matando-as, para, em pequenos sacos pretos de lixo, ser desovadas no oceano. A cidade é Miami, e Dexter tem uma irmã de criação, um passado tenebroso e um presente onde pode, sozinho, agir como Batman, Daredevil ou algum outro super-herói incapaz de deixar passar incólume aquela criatura que tão pouca simpatia demonstra por outras pessoas.

2008 é lembrado como o ano da quebra do mercado imobiliário que pulverizou a economia norte-americana e, dominó, as bolsas do mundo todo. Mas 2008 é também o ano em que Dexter já era uma série consagrada que passava na TV paga. O que sei é que, 12 anos depois, ver Dexter continua a ser entretenimento dos mais agradáveis a quem séries gosta de ver. Assim, quando as 18 horas se anunciam já vou logo desligando tudo e me preparando para o périplo que o Código Dexter pede; isto é, as precauções que o moço toma para que não vá preso ou para que não seja morto pelo estado, uma vez que em Flórida há a pena de morte a pessoas que andam por aí matando outras. Não sei como a série termina. Em 2008, não a vi – só a temporada um e olhe lá. Mas, hoje, após duas semanas, entro eu na quinta temporada e, a julgar pelo andar da fibra óptica, nesta semana ou na próxima a série termina, para mim, e depois vem de novo a pachorra, a busca por algo que possa de alguma maneira amortecer os milhares de mortes de 2020, a presença de gente como Bolsonaro & Trump no mundo etc. Claro, ninguém precisa pedir a cabeça de Jair, como fez o Hélio. Mas, Dexter, se estiver passando por Washington ou Brasília esses dias e...


Renato Alessandro dos Santos
Batatais, 22/9/2020


Quem leu este, também leu esse(s):
01. O abalo sísmico de Luiz Vilela de Cassionei Niches Petry
02. Os bigodes do senhor autor de Renato Alessandro dos Santos
03. O Vosso Reino de Luís Fernando Amâncio
04. K 466 de Renato Alessandro dos Santos
05. Memórias de um caçador, de Ivan Turguêniev de Ricardo de Mattos


Mais Renato Alessandro dos Santos
Mais Acessadas de Renato Alessandro dos Santos em 2020
01. Meu malvado favorito - 22/9/2020
02. Um grande romance para leitores de... poesia - 14/7/2020
03. Os defeitos meus - 15/12/2020
04. Contentamento descontente: Niketche e poligamia - 25/8/2020
05. A redoma de vidro de Sylvia Plath - 20/10/2020


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Revisão do Cristianismo Série Pensamento da era Cósmica Vol 1
J. Herculano Pires
Paidéia
(1977)



O Primo Basílio
Eça de Queirós
Klick



A história da princesa isabel
Regina Echeverria
Versal
(2014)



A Leitura Em Questão
Jean Foucambert
Artes Medicas



Mysteries of the World
Herbert Genzmer
Parragon
(2010)



Dormir Bem Com Plantas Medicinais
Jaap Huibers
Hemus
(1983)



Curso de Direito Penal - Parte Especial Volume II
Rogerio Greco
Impetus
(2015)



Aluísio Azevedo Literatura Comentada
Antonio Dimas
Abril
(1980)



Formação Econômica do Brasil
Celso Furtado
Companhia Nacional
(1974)



Depois do Funeral
Agatha Christie
Círculo do Livro





busca | avançada
59473 visitas/dia
1,9 milhão/mês