A massa e os especialistas juntos no mesmo patamar | Marília Almeida | Digestivo Cultural

busca | avançada
49702 visitas/dia
2,0 milhão/mês
Mais Recentes
>>> De Kombi na Praça - Pateo do Collegio
>>> Primeiras edições de Machado de Assis são objeto de exposição e catálogos lançados pela USP
>>> Projeto lança minidocumentário sobre a cultura do Gambá na Amazônia
>>> Cinema itinerante leva sessões gratuitas a cidades do Sudeste e do Sul
>>> Artistas abrem campanha de financiamento para publicação de graphic novel
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Jô Soares (1938-2022)
>>> Casos de vestidos
>>> Elvis, o genial filme de Baz Luhrmann
>>> As fezes da esperança
>>> Quem vem lá?
>>> 80 anos do Paul McCartney
>>> Gramática da reprodução sexual: uma crônica
>>> Sexo, cinema-verdade e Pasolini
>>> O canteiro de poesia de Adriano Menezes
>>> As maravilhas do modo avião
Colunistas
Últimos Posts
>>> Canções Cruas, por Jacque Falcheti
>>> Running Up That Hill de Kate Bush por SingitLive
>>> Oye Como Va com Carlos e Cindy Blackman Santana
>>> Villa candidato a deputado federal (2022)
>>> A história do Meli, por Stelleo Tolda (2022)
>>> Fabio Massari sobre Um Álbum Italiano
>>> The Number of the Beast by Sophie Burrell
>>> Terra... Luna... E o Bitcoin?
>>> 500 Maiores Álbuns Brasileiros
>>> Albert King e Stevie Ray Vaughan (1983)
Últimos Posts
>>> Direitos e Deveres, a torto e a direita
>>> Os chinelos do Dr. Basílio
>>> Ecléticos e eficazes
>>> Sarapatel de Coruja
>>> Descartável
>>> Sorria
>>> O amor, sempre amor
>>> The Boys: entre o kitsch, a violência e o sexo
>>> Dura lex, só Gumex
>>> Ponto de fuga
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Hasta la vista, baby
>>> O amor é importante, porra
>>> Por uma arquitetura de verdade
>>> O criador do algoritmo do YouTube
>>> Cisne Negro: por uma inversão na ditadura do gozar
>>> Filosofia teen
>>> Extraordinary Times
>>> O melhor programa cultural
>>> As estrelas e os mitos
>>> Open Culture
Mais Recentes
>>> Maria a Vida Toda de Paulo Castelo Branco pela Dom Quixote (2004)
>>> Sociedades tribais de Marshall D. Sahlins pela Zahar (1983)
>>> União soviética: Há socialismo nisto? de Vladimir Palmeira pela Marco zero (1982)
>>> Nacionalismo, Retórica "socialista" e Marxismo na América Latina de Juan Dal Maso pela Iskra (2013)
>>> Gringo de Airton Ortiz pela Record (2012)
>>> Veronika decide morrer de Paulo Coelho pela Klick (1998)
>>> O outro davos de François Houtart e François Polet pela Cortez (2002)
>>> Brasília Ideologia e Realidade Espaço Urbano Em Questão de Aldo Paviani pela Cnpq (1985)
>>> Brasil: Radiografia de um modelo de Nelson Werneck Sodré pela Vozes (1975)
>>> Trabalhadores pobres e cidadania de Nair Heloisa Bicalho de Sousa pela EDUFU (2007)
>>> País brilhantes, professores fascinantes de Augusto Cury pela Sextante (2003)
>>> I Fratelli Karamàzov Vol Primo de Fedor M Dostoevskij pela Club Degli
>>> A semana II - Obras completas de Machado de Assis pela Globo
>>> Um reformismo quase sem reformas de Valério Arcary pela Sundermann (2011)
>>> A esquerda e o movimento operário 1964-1984 volume 3 de Celso Frederico pela Oficina de livros (1991)
>>> Casório?! de Marian Keyes pela Bertrand Brasil (2005)
>>> As esquinas perigosas da história de Valério Arcary pela Xamã (2004)
>>> O Zahir de Paulo Coelho pela Rocco (2005)
>>> Marxismo Soviético - uma Análise Crítica de Herbert Marcuse pela Saga (1969)
>>> A Fortaleza de Sharpe de Bernard Cornwell pela Record (2005)
>>> O demônio e a srta. Prym de Paulo Coelho pela Rocco (2003)
>>> A carga de Mary Westmacott pela Nova fronteira (1956)
>>> A energia do dinheiro de Glória Maria Garcia Pereira pela Gente (2001)
>>> O Combate Sexual da Juventude Comentado de Gilson Dantas pela Iskra/centelha Cultural (2011)
>>> As armas da crítica de Emir Sader e Ivana Jinkings pela Boitempo (2012)
COLUNAS

Terça-feira, 4/7/2006
A massa e os especialistas juntos no mesmo patamar
Marília Almeida

+ de 5000 Acessos
+ 1 Comentário(s)

Qual o segredo do Google e Linux, um dos maiores sucessos da Era da Internet? Ambos são baseados na inteligência coletiva. O maior portal de busca da web consegue encontrar justamente a página que procuramos em apenas alguns segundos devido a um mecanismo, o algoritmo Pagerank. Ele permite ao maior portal de busca mundial hierarquizar suas páginas pelo número de links que levam para elas em todas as páginas de seu banco de dados. Em resumo, o Google acredita que as páginas mais relevantes estão diretamente relacionadas à popularidade. Em outras palavras, ele é guiado pela sabedoria popular. E funciona.

A mesma coisa acontece com o sistema operacional Linux. Criado pelo hacker finlandês Linus Torvalds, em 1991, foi disseminado livremente pela web por seu criador, através da divulgação de seu código fonte. Linus apenas pediu a quem o utilizasse que mandasse soluções de como melhorá-lo, o que permitiu seu constante aperfeiçoamento por programadores de todo o mundo. Até que o sistema se firmou como o maior desafio isolado à gigante Microsoft.

Estes dois exemplos confirmam a tese do jornalista estadunidense James Surowiecki, defendida em seu livro A sabedoria das multidões (Record, 2006, 376 págs.). O livro é a reunião de artigos publicados na imprensa nos quais buscou explicar o funcionamento do mercado. Colunista da revista semanal New Yorker, colaborador de jornais como The New York Times e The Wall Street Journal, James é editor na área de negócios. Para ele, um grupo pode ser tão inteligente quanto os melhores intelectuais por tomar decisões mais acuradas, baseadas nos conceitos de independência, diversidade e num tipo de descentralização que não significa necessariamente anarquia e que possui, sim, uma organização.

Em meio à crescente valorização de CEOs, a figura do principal executivo em companhias mundiais, o mercado busca pessoas altamente especializadas, o que faz com que os argumentos de James soem como um tiro na nuca. O autor é enfático ao afirmar que a busca pelas pessoas mais inteligentes pode significar perda de tempo e dinheiro. E que especialistas isolados tendem a ter maior dificuldade para tomar decisões e prever mudanças. Para James, um grupo que esteja de acordo com os três conceitos citados pode ser mais eficiente. Esta idéia está de acordo com o pensamento de Adam Smith, filósofo escocês formulador da teoria econômica, para o qual a especialização deve ser estimulada e alimentada pela descentralização.

Para ter uma idéia concreta desta teoria, lembremos do nosso game show tupiniquim Show do Milhão, apresentado no SBT por Sílvio Santos. Relacionando-o com o programa original estadunidense Who wants to be a milionaire?, é comprovado que a "ajuda dos universitários" é mais eficiente que a de um único especialista. James demonstra que, no programa americano, enquanto o especialista escolhido pelo competidor acertou 65% das vezes as questões que lhe foram dirigidas, o público heterogêneo escolhido a esmo, os nossos "universitários", acertaram em 91% das vezes.

Ao expor essa tese, James se confronta com pensadores de peso como o filósofo Friedrich Nietzsche, para quem "a loucura é uma exceção nos indivíduos, mas regra nos grupos". O escritor francês Gustave Le Bon, autor de The Crowd - A study of a popular mind, chegou a afirmar que "nas massas é estupidez e não bom senso que se acumulam".

Mas, deixemos claro. O autor não é, definitivamente, um masoquista. Ele não desafia o senso comum e conceitos tão arraigados mundialmente se não tivesse embasamento para isto. Primeiramente, seu objetivo é indicar, e o faz por dezenas de experiências, de inúmeros cientistas de variadas épocas; para a importância de se reconhecer o valor da inteligência coletiva e que ela pode, contribuir, especialmente, com a economia e os negócios.

James ainda desconstrói e coloca em minúcias as exceções à sua tese, mostrando que, sob determinadas circunstâncias, como grandes revoltas e bolhas do mercado, estes grupos podem agir de maneira irracional e, conseqüentemente, não de modo eficiente como era presumido. Às vezes, seus argumentos são fatalistas e generalistas, quando o autor afirma que "é assim que o mundo funciona". Mas James nunca deixa de dar insights ao leitor e pontuar possíveis interferências no que defende bem. A sabedoria coletiva tem a necessidade de algumas regras e pode cair em armadilhas como muita comunicação entre seus integrantes e, logicamente, a margem de desequilíbrio que pode haver conforme o número de participantes que a compõe.

É preciso ter clara qual a definição que James dá a "massa". Ao se referir a um grupo, o autor pode falar tanto de platéias de games shows como de grandes empresas, passando por diversos tipos de apostadores. A primeira parte do livro é eminentemente teórica, mas repleta de exemplos práticos, que se constituem em estudos fragmentados em diversas áreas do conhecimento, perpetrados por cientistas e economistas. Já a segunda parte apresenta estudos de caso, incluindo o acidente do Columbia, que demonstram formas diferentes de organizar pessoas em torno de um objetivo comum.

James introduz sua obra com uma experiência do cientista britânico Francis Galton, famoso por seu trabalho em estatística e na ciência da hereditariedade. Em uma feira rural em 1906, o cientista resolveu executar uma tarefa aparentemente simples: avaliar o competidor médio. Para isso, eles tinham que responder quanto pesaria um boi depois de abatido e esfolado. De 737 apostas, Francis tirou uma média surpreendentemente próxima à real: 542,9 kg. O peso real do boi seria 543,4 kg. Há uma série de experiências como essa na obra, que vão desde contar quantas jujubas há em um pote, passando por situações inusitadas como furar filas, ou observar a coordenação de pedestres nas calçadas. Todas instigam e desafiam nossos pré-conceitos.

Há, porém, experiências mais influentes, lucrativas e úteis que exemplificam a sabedoria coletiva. Elas se concentram nos mercados de ações e apostas. James lembra da explosão do ônibus espacial Challenger, em 1986, que fez com que as ações da Thiokol, empresa que construiu os anéis de vedação do foguete, caíssem impressionantes 12% em curto período de tempo, como se fosse rapidamente julgada por um mercado atento, que, foi comprovado, não possuía informações mais privilegiadas que a imprensa. Esta suspeita se confirmou após seis meses, quando foi comprovado que os anéis da Thiokol apresentaram falhas que causaram a explosão. James explica que a média de opiniões do público elimina os erros, mas lembra que, para que este grupo acerte em sua previsão, deve haver um mínimo de informação para que isto aconteça.

Além do mercado de ações, James demonstra que o de apostas oferece raciocínio similar e até mesmo programa seus lucros com base nesta sabedoria. Mas o autor também mostra projetos inovadores que embasam sua tese e podem até mesmo mudar os rumos estratégicos de uma eleição. Um exemplo é o Iowa Eletronic Market (IEM). Criado em 1988 pela Faculdade de Administração da Universidade de Iowa, prevê o resultado de eleições, com uma estrutura bem menor que um instituto de pesquisas como o Gallup. A novidade é que ele pode ser mais eficiente e produzir um novo mercado. Aberto a todas as pessoas que queiram participar, ele permite a compra e venda de contratos futuros, baseado em opiniões individuais sobre qual candidato terá o melhor desempenho. Mas, como tudo que envolve a sabedoria coletiva, até hoje é subestimado.

Porém, nem tudo são flores quando falamos de consciência coletiva. Este caminho de formação de um grupo ideal proposto por James resvala em uma série de armadilhas, que podem se tornar benéficas se aprendermos a lidar com elas ou serem extremamente dúbias em algumas situações. Uma delas é o conceito de imitação ou cascata de informações, que nada mais é do que a tendência humana de imitar o grupo no qual está inserido. Um exemplo que o autor nos dá é a invasão dos Estados Unidos à Baía dos Porcos, em Cuba. Ela foi perpetrada por um grupo homogêneo, que pode incorrer em decisões erradas mais facilmente do que o oposto. Este conceito é complicado pelas convenções sociais, que não permitem que o grupo pense diferentemente e, por conseguinte, possa tomar uma decisão mais acurada.

Mas James torna opiniões aparentemente simplistas em análises mais complexas justamente quando revela esta dubiedade, inerente do comportamento humano. Um exemplo é a tendência das pessoas serem demasiadamente autoconfiantes e, conseqüentemente, terem grandes chances de tomarem decisões erradas. Porém, elas podem, ao mesmo tempo, serem cautelosas e não entrarem em uma cascata de informação. A possibilidade de que entrem neste ciclo varia conforme as decisões lhe são mais importantes e é mais difícil de acontecer com relação a moda e produtos culturais.

James explica e reconhece que há três tipos de problemas que a sabedoria coletiva pode resolver: cognitivos, de coordenação e cooperação. Cognitivos são os mais facilmente utilizados por ela, pois consiste em prever medidas futuras e fenômenos externos e isolados, onde se tira uma média e se obtém a sabedoria do grupo, como demonstrado na experiência que adivinhava o peso do boi. Já nos de coordenação os integrantes do grupo têm que prever suas próprias ações e as dos outros, a exemplo de tomar uma decisão de ir ou não a um bar, prevendo o que pode estar acontecendo nele. Nos de cooperação, os integrantes, ao pensarem em seus interesses pessoais, acabam por ajudar uns aos outros, com base no princípio de sociabilidade e de acordo com sua cultura.

O autor, por fim, não dá receitas prontas e nos deixa com uma série de perguntas intrigantes, após passar pelos mais diversos temas, como cultura popular, psicologia, biologia e ciência política. Por que a CIA, uma das maiores redes de informação do mundo, não conseguiu evitar ataques terroristas como o 11 de Setembro? Por que o cinema não cobra os ingressos de seu filme de acordo com seu valor comercial e tempo de bilheteria, de acordo com a lei da oferta e da procura? Por que os gerentes de fundos mútuos, que são pagos para se diferenciarem de seus concorrentes, incorrem muitas vezes nos mesmos erros, baseados nas mesmas estratégias?

James atinge o ápice de sua tese quando se depara com a teoria do livre mercado. E nos deixa mais uma pergunta: é possível que esta sabedoria coletiva seja implementada no atual sistema econômico e político capitalista? O autor começa por proclamar a franqueza inerente aos negócios trazida pelo capitalismo, mas se torna vago ao falar da corrupção das entidades do sistema, como qualquer um se tornaria. É realmente uma questão difícil quando a coletividade também significa aproveitamento e lucros desmedidos, onde um integrante de um grupo, tomado pelo ceticismo, pode imitar a desonestidade de outros. É, em conclusão, um círculo vicioso difícil de se resolver e equacionar.

Mas há alguns caminhos expostos por James que levam, inevitavelmente, a tomadas de decisão melhores nos mais diversos âmbitos da sociedade. Para o autor, a internet é o sistema mais descentralizado do mundo. Sendo assim, permite que a sabedoria coletiva seja mais bem utilizada, a exemplo dos dois casos já citados no começo deste texto. Ele cita Howard Rheingold, um dos papas das comunidades virtuais, que acredita que o Smart Mobs, tecnologia celular, permite uma maior coordenação de ações entre os integrantes de um grupo. Talvez a globalização digital se configure como o melhor caminho, senão o mais viável.

A tese de James não serve apenas para os Estados Unidos, apesar do livro estar focado em fatos do país. Muitos dos elementos expostos pelo autor são universais. E é importante separar nesta discussão o conceito de sabedoria coletiva da convencional. A sabedoria coletiva é mais eterna e profunda. Como o autor bem traduz, ela difere uma sociedade de um monte de pessoas vivendo juntas.

Para ir além






Marília Almeida
São Paulo, 4/7/2006


Quem leu este, também leu esse(s):
01. O Natal de Charles Dickens de Celso A. Uequed Pitol
02. Eleições nos Estados Unidos de Marilia Mota Silva
03. Minha Terra Tem Palmeiras de Marilia Mota Silva
04. Machado de Assis, Huysmans e os rabos de gato de Eugenia Zerbini
05. Sobre Jobs e Da Vinci de Noah Mera


Mais Marília Almeida
Mais Acessadas de Marília Almeida em 2006
01. O diário de Genet - 31/10/2006
02. Estamira: a salvação no lixo - 19/9/2006
03. A massa e os especialistas juntos no mesmo patamar - 4/7/2006
04. Rumos do cinema político brasileiro - 18/7/2006
05. Mavericks: o cinema americano independente - 5/12/2006


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
4/7/2006
03h34min
Lembrando que o ornitorrinco é um animal criado por um comitê, vamos por partes. Talvez o que esteja meio estranho é o título do livro. Porque existe a multidão e existe outra coisa que é simplesmente um grande número de pessoas. O índice de inteligência de uma multidão é semelhante ao do indivíduo menos capacitado entre aqueles que a formam. Já um grande número de pessoas produz, entre outras coisas, um bom senso estável e confiável. São entidades sociais diferentes: uma maioria e uma multidão. Uma tem ou pode ter mesmo alguma espécie de sabedoria, a outra, não.
[Leia outros Comentários de Guga Schultze]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Teorias e Políticas de Gênero na Contemporaneidade
Marlene Tamanini
Ufpr
(2017)



Start a craft - Decoupage
Lesley Player
Apple
(1996)



A ladeira da saudade
Ganymédes José
Moderna
(1983)



Os cadernos de don Rigoberto
Mario Vargas Llosa
Companhia das Letras
(1997)



A Qualificação da Escola
F. Javier Murillo
Artmed
(2007)



The Puppy Place - Maggie and Max
Ellen Miles
Scholastic
(2007)



Clássicos da Democracia 12 - a Democracia Em Ação
Francis Hankin
Ibrasa
(1963)



Fora de Série
Morris West
Círculo do Livro



O Que é Capital Internacional - Coleção Primeiros Passos
Rabah Benakouche
Brasiliense
(1982)



7 Orações Que Vão Mudar Sua Vida
Stormie Omartian
Thomas Nelson Brasil
(2007)





busca | avançada
49702 visitas/dia
2,0 milhão/mês