Margeando a escuridão | Elisa Andrade Buzzo | Digestivo Cultural

busca | avançada
39901 visitas/dia
1,6 milhão/mês
Mais Recentes
>>> SÁBADO É DIA DE AULÃO GRATUITO DE GINÁSTICA DA SMART FIT NO GRAND PLAZA
>>> Curso de Formação de Agentes Culturais rola dias 8 e 9 de graça e online
>>> Ciclo de leitura online e gratuito debate renomados escritores
>>> Nano Art Market lança rede social de nicho, focada em arte e cultura
>>> Eric Martin, vocalista do Mr. Big, faz show em Porto Alegre dia 13 de abril
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Modernismo e além
>>> Pelé (1940-2022)
>>> Obra traz autores do século XIX como personagens
>>> As turbulentas memórias de Mark Lanegan
>>> Gatos mudos, dorminhocos ou bisbilhoteiros
>>> Guignard, retratos de Elias Layon
>>> Entre Dois Silêncios, de Adolfo Montejo Navas
>>> Home sweet... O retorno, de Dulce Maria Cardoso
>>> Menos que um, novo romance de Patrícia Melo
>>> Gal Costa (1945-2022)
Colunistas
Últimos Posts
>>> Lula de óculos ou Lula sem óculos?
>>> Uma história do Elo7
>>> Um convite a Xavier Zubiri
>>> Agnaldo Farias sobre Millôr Fernandes
>>> Marcelo Tripoli no TalksbyLeo
>>> Ivan Sant'Anna, o irmão de Sérgio Sant'Anna
>>> A Pathétique de Beethoven por Daniel Barenboim
>>> A história de Roberto Lee e da Avenue
>>> Canções Cruas, por Jacque Falcheti
>>> Running Up That Hill de Kate Bush por SingitLive
Últimos Posts
>>> Saudades, lembranças
>>> Promessa da terra
>>> Atos não necessários
>>> Alma nordestina, admirável gênio
>>> Estrada do tempo
>>> A culpa é dele
>>> Nosotros
>>> Berço de lembranças
>>> Não sou eterno, meus atos são
>>> Meu orgulho, brava gente
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Vamos comer Wando - Velório em tempos de internet
>>> Cinema em Atibaia (IV)
>>> Curriculum vitae
>>> Entrevista com Milton Hatoum
>>> Discutir, debater, dialogar
>>> Eu e o Digestivo
>>> A lei da palmada: entre tapas e beijos
>>> A engenharia de Murilo Rubião
>>> Qualidade de vida
>>> O pior cego é o que vê tevê
Mais Recentes
>>> Vidas dos Santos - 22 Volumes de Padre Rohrbacher pela Das Américas (1959)
>>> Benetton - A Família, a Empresa e a Marca de Jonathan Mantle pela Nobel (1999)
>>> Mais Semelhante a jesus de Alejandro Bullón pela Casa Publicadora Brasileira (1994)
>>> Vencendo com Jesus de Alice P. Cavalieri pela Casa Publicadora Brasileira (1997)
>>> Universo de Amor de Irene Pacheco Machado pela Rema (1998)
>>> Babado Forte Moda Música e Noite de Erika Palomino pela Mandarin (1999)
>>> Babado Forte Moda Música e Noite de Erika Palomino pela Mandarin (1999)
>>> Perguntas Sobre o Dízimo de Roberto R. Roncarolo pela Divisão Sul-Americana (1984)
>>> Uma Viagem Pessoal pelo Cinema Americano de Martin Scorsese e Michael Henry Wilson pela CosacNaify (2004)
>>> A Grande Guerra pela Civilização - a Conquista do Oriente Médio de Robert Fisk pela Planeta (2007)
>>> Asanas de Swami Kuvalayananda pela Cultrix/Pensamento
>>> O Amor que Restaura de Dick Winn pela Casa Publicadora Brasileira (1987)
>>> Colosso - Ascensão e Queda do Império Americano de Niall Ferguson pela Planeta (2011)
>>> Venturas e Aventuras de um Pioneiro de Gustavo S. Storch pela Casa Publicadora Brasileira (1982)
>>> Contradigo de Herminio Bello de Carvalho pela Folha Seca (1999)
>>> Público Cativo de Fabio Cortez pela Oficina (2007)
>>> Andando com Deus Todos os Dias de Moysés S. Nigri pela Casa Publicadora Brasileira (1993)
>>> A Porta do Inferno de Auguste Rodin pela Artmed (2001)
>>> Poemas De Natal de Luiz Coronel pela Sulina (1999)
>>> Buque Cenas de Rua de José de Carvalho pela Córrego (2013)
>>> Opções de Liv Ullmann pela Nórdica (1985)
>>> Perguntas que Eu Faria à Irmã White de Ellen G. White pela Casa Publicadora Brasileira (1977)
>>> 32 X 2 Instantaneos - Haikai de Margarida Oliva , Idéo Bava pela Musa (2003)
>>> The National gallery London de Nicholas Penny pela Scala (2011)
>>> Com a Cara na Mão de Ricardo Leite Muniz pela Espaço ditorial (1992)
COLUNAS

Quinta-feira, 18/2/2016
Margeando a escuridão
Elisa Andrade Buzzo
+ de 3200 Acessos

Entro na sala escura, manejando com dificuldade a bengala. À medida que a escuridão toma conta, quando nem mesmo vultos consigo sobrepor ao pensamento, quase caio num choro convulsivo. Mas continuo, com uma das mãos margeando a parede, adentrando numa aventura dos sentidos. Sinto medo. Sonny segura minha mão. Sua voz transmite simpatia e segurança. Há outros como eu, somos mais e diversos, cada um explorando por si próprio aquele ambiente. Impressionantemente o guia dá conta de todos, conversando e nos encaminhando pela instalação.

É como uma dor inexistente os primeiros minutos do não enxergar. O que acontece? Nada; mas por que então essa sensação de que há algo muito errado e que uma luz deve imediatamente acender e então retornar a ordem normal dos sentidos? Como se direcionar num espaço completamente desconhecido sem fazer uso da visão? Ninguém se vê por aqui, e ainda assim estamos de fato presentes e interagindo como iguais. Sonny está totalmente desenvolto naquele espaço de escuridão. Nós dependemos dele. Aos poucos, de fato conseguimos seguir sua voz.

Ela é como um fio invisível, como tudo por aqui, mas que nos direciona com uma precisão que impressiona em poucos minutos. Como um ímã, o corpo se encaminha à voz. Tratamos de sentir tudo com uma volúpia de raro despertar, de sobrevivência. Primeiro, estamos numa floresta, de onde captamos um cheiro adocicado. Notamos com a bengala o terreno mole e escutamos sons de animais e o mover de uma fonte de água. Discernimos o ambiente com uma alegria quase infantil de descoberta, quando passamos por uma ponte. Depois, captamos um chão de pedregulhos.

Chegamos numa cidade negra, e aqui estão todos os ruídos de automóveis, as feiras livres, as lojas. Tateamos, ouvimos, cheiramos, sentimos e conversamos. Passamos por degraus, sentamos todos num banco. A bengala já se coloca mais firme na mão, como um anexo em semicírculo sensitivo. Em cerca de meia hora já começamos a aprender esse jeito diferente e belo de lidar com o universo. Os sentidos estão aguçados ao máximo. Aqui somos pela nossa essência. Sonny pega em nossas mãos sem titubear; e acerta em nossos corações.

Apesar de tudo, sinto que anseio pela luz; e enquanto passamos por corredores sombrios até o final da instalação Diálogo no Escuro, na Unibes, tenho sentimentos confusos. Uma euforia e também um ressentimento pela luz, as cores, os contornos, enfim, as formas óbvias e aparentemente precisas. A luminosidade ainda é fraca, uma meia-luz nos aguarda em uma saleta com bancos. E então tudo se redesenha como fresco e reluzente aos meus olhos; um novo desabrochar se delineia, em que se quer uma convivência múltipla, harmônica, em que se sonha mais forte que o mundo é de todos.


Elisa Andrade Buzzo
São Paulo, 18/2/2016

Mais Elisa Andrade Buzzo
Mais Acessadas de Elisa Andrade Buzzo em 2016
01. Um safra de documentários de poesia e poetas - 2/6/2016
02. A noite em que Usain Bolt ignorou nosso Vinicius - 25/8/2016
03. Meu querido mendigo - 18/8/2016
04. Antonia, de Morena Nascimento - 14/4/2016
05. O bosque das almas infratoras - 23/6/2016


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Os Pensadores - Maquiavel
Nova Cultural - Capa Dura
Nova Cultural
(1996)



Marco Polo
Paulo Silveira
Ediouro
(1998)



O Sertanejo (1996)
José de Alencar
Atica
(2004)



O Túnel de Letras e o Reino de Pedra
Ernani Ssó
Scipione
(1995)



Simbad
Mauricio de Sousa
Girassol
(2015)



Mar Morto 1980
Jorge Amado
Record
(1980)



Planejamento Estratégico Em Comunicação Empresarial
Sirlei Pitteri
Sts
(2008)



O Cabeleira
Franklin Tavora
Atica
(1981)



Aventuras do Menino Kawã
Elias Yaguakãg
Ftd
(2010)



Reinventando a Liberdade: a Abolição da Escravatura no Brasil
Antonio Torres Montenegro
Moderna
(1989)





busca | avançada
39901 visitas/dia
1,6 milhão/mês