A noite em que Usain Bolt ignorou nosso Vinicius | Elisa Andrade Buzzo | Digestivo Cultural

busca | avançada
31119 visitas/dia
1,1 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Inauguração da Spazeo com show do Circuladô de Fulô - 28/07
>>> CONFRARIA COMEDY SE APRESENTA EM OSASCO, NESTE SÁBADO, TRAZENDO DIVERSOS CONVIDADOS
>>> Maite Proença em A MULHER DE BATH
>>> Chico Amaral celebra parcerias de sua carreira
>>> Viralizando reflete sobre as videoaulas como plataforma de ensino pela internet
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Entrevista com a tradutora Denise Bottmann
>>> O Brasil que eu quero
>>> O dia em que não conheci Chico Buarque
>>> Um Furto
>>> Mais outro cais
>>> A falta que Tom Wolfe fará
>>> O massacre da primavera
>>> Reflexões sobre a Liga Hanseática e a integração
>>> A Fera na Selva, filme de Paulo Betti
>>> Raio-X do imperialismo
Colunistas
Últimos Posts
>>> Eleições 2018 - Afif na JP
>>> Lançamentos em BH
>>> Lançamento paulistano do Álbum
>>> Pensar Edição, Fazer Livro 2
>>> Ana Elisa Ribeiro lança Álbum
>>> Arte da Palavra em Pernambuco
>>> Conceição Evaristo em BH
>>> Regina Dalcastagné em BH
>>> Leitores e cibercultura
>>> Sarau Libertário em BH
Últimos Posts
>>> Mão única
>>> A passos de peregrinos ll
>>> PRESSÁGIOS. E CHAVES IV
>>> Shomin-Geki, vidas comuns no cinema japonês
>>> Con(fusões)
>>> A passos de peregrinos l
>>> Ocaso
>>> PRESSÁGIOS. E CHAVES I
>>> Sob o mesmo teto
>>> O alívio das vias aéreas
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Animismo
>>> Detached
>>> Direita, volver!
>>> Simpatia pelo Demônio, de Bernardo Carvalho
>>> Alguns poemas traduzidos, de Manuel Bandeira
>>> Um Furto
>>> Entrevista com a tradutora Denise Bottmann
>>> Onde os fracos não têm vez, de Joel e Ethan Coen
>>> Mais outro cais
>>> O fim da revista Bravo!
Mais Recentes
>>> A Geometria Maçônica - Rito Escocês Antigo e Aceito
>>> Os Protocolos dos Sábios do Sião - Edições Eliseo
>>> Os Chakras e os Campos de Energia Humanos
>>> São Cipriano - O Legítimo Capa Preta
>>> Inglês para Concursos - uma abordagem prática (6ª ed.)
>>> Projeção do Corpo Astral
>>> Arquétipos da Alma - Um Guia para se Reconhecer a Matriz dos Padrões
>>> O Poder do Pentagrama
>>> O Ciclo de Lunação - Uma chave para a compreensão da personalidade
>>> Radiestesia e Saúde - Como melhorar a sua saúde através da radiestesia
>>> Religião e Ética - Cadernos Ceap
>>> Deutsch Perfekt- revista 5/2012
>>> Psicopedagogia Clínica- caminhos teóricos e práticos
>>> Do luxo ao fardo - Um estudo histórico sobre o tédio
>>> Leyendo a Euclides
>>> Buda - O templo de Jetavana Vol. XIII
>>> Buda- O retorno ao reino de Magadha Vol. XI
>>> Transmissões Cristalinas - Uma Síntese de Luz
>>> Buda- O início da jornada Vol. V
>>> Conceito Rosacruz do Cosmos
>>> Buda- Em Busca da iluminação Vol. IV
>>> Buda - O nascimento de Siddhartha Vol. II
>>> Serial Killers A anatomia do mal
>>> Bom dia Veronica
>>> Millennium 3 A Rainha do castelo de ar
>>> Millennium 2 A menina que brincava com fogo
>>> Deutsch Perfekt- 9/2012- revista
>>> A Época brasileira de Vilém Flusser
>>> Sobre o óbvio
>>> Deutsch Perfekt 4/2012- revista
>>> A Estrutura da Magia
>>> Cultura Escrita, Literatura e História
>>> Animal de estimação 1ª ed.
>>> Os Essênios e os manuscritos do mar morto
>>> Blecaute
>>> Alice - Coleção Clássicos Zahar (livro de Bolso Capa Dura)
>>> Preparados para o fim?
>>> Discipulado
>>> Vem senhor Jesus
>>> Breve História da Maçonaria
>>> Astrologia para Leigos
>>> Mar de Histórias: Antologia do Conto Mundial, 7: Fim de Século
>>> Mar de Histórias: Antologia do Conto Mundial, 6: Caminhos Cruzados
>>> Mar de Histórias: Antologia do Conto Mundial, 5: o Realismo
>>> Mar de Histórias: Antologia do Conto Mundial, 4: do Romantismo ao Realismo
>>> Mar de Histórias: Antologia do Conto Mundial, 3: O Romantismo
>>> A Bíblia Sagrada: Velho e Novo Testamento
>>> Como Conhecer a Deus: um Plano de 5 Dias
>>> De Belém ao Calvário
>>> O Reaparecimento do Cristo
COLUNAS

Quinta-feira, 25/8/2016
A noite em que Usain Bolt ignorou nosso Vinicius
Elisa Andrade Buzzo

+ de 2800 Acessos


ilustra: Renato Lima

Até poucos dias antes do início dos Jogos do Rio, eu ainda não estava no clima olímpico e mantinha certa distância da tão esperada chegada da estrela Usain Bolt, velocista jamaicano. Mas meu maior pecado era ignorar completamente até o final da primeira semana olímpica a mascote dos Jogos; e ainda não saber que tínhamos não apenas uma mascote, mas duas, e incrivelmente bonitas e carismáticas.

No dia 14 de agosto, final dos 100 m rasos masculino, a mais esperada prova das Olimpíadas, as atenções eram todas voltadas a Bolt e à expectativa de um tricampeonato olímpico nessa prova. Antes de ligar a TV eu já estava sentada com um bonequinho do Vinicius, que tinha ganhado naquele mesmo dia. A mascote dos Jogos Olímpicos Rio 2016 era muito cativante e já fui com a cara dela dentro da embalagem de plástico. Demorou bastante para cair a ficha de que seu nome era uma homenagem ao poeta Vinicius de Moraes e que o bicho em equilibradas cores amarelo, verde, azul e laranja era um ser híbrido que “nasceu da explosão de alegria” da notícia dos jogos por aqui.

Mistura de macaco, felino e ave, Vinicius conseguiu um feito digno de medalhista: uma mascote que representa o Brasil, sem ser caricatural e que inspira bom humor e alto-astral. Adjetivos talvez batidos, mas que resumem meu sorriso ao ver a pelúcia pela primeira vez. Assim como a mascote Tom, dos Jogos Paralímpicos, Vinicius tem olhos e boquinhas felizes, e também bochechas coradas, corpo ágil e flexível - um resultado que conectou em minha mente algo tão ou mais significativo do que uma antiga fissura de 1992: a mascote Cobi.

Com o urso Misha, Cobi foi uma das mais populares e bem-sucedidas comercialmente mascotes da história. Cachorro desenhado em estilo cubista, ficou muito tempo no meu imaginário de criança, coisa que talvez tenha sido potencializada com o desenho animado “Cobi, um mascote genial”, que foi ao ar no programa Glub Glub, da TV Cultura. Mais ainda, talvez, com a imagem de uma criança numa arquibancada dos jogos de Barcelona com uma pelúcia da mascote...

O fato é que Bolt venceu a prova dos 100 m há uma semana, na noite do 14 de agosto no Engenhão, estádio tão inacessível para mim quanto a Catalunha. Assim que Bolt inicia sua comemoração, aparece uma mascote Vinicius carregando uma enorme pelúcia de si próprio nas mãos. Seguramente, um presente para ele, pois haveria melhor propaganda para uma mascote do que estar nas mãos do atleta que por certo seria o mais fotografado dos Jogos (e no momento final do evento mais prestigiado)? Em 2012, Londres conseguiu, na mesma final, que a sisuda mascote em forma de gota de aço Wenlock fosse fotografada com Bolt, até mesmo em sua célebre pose de “raio”.

Aquele magnífico Vinicius de pelúcia era uma dez vezes maior do que o meu mirrado exemplar. E a mascote em escala humana aguarda Bolt passar por ela, em sua comemoração pela vitória. Mas Bolt deixa Vinicius no vácuo... Por acaso teria ele tempo ou pensasse em mascotes felizes e infantis diante de tal feito olímpico de homem? Meu peito ficou congestionado. Provavelmente, apenas o meu no mundo todo. A TV mostra lentamente Vinicius ir atrás do “raio”; ele não desistiu de entregar seu presente e ganhar uma foto. Me tranquilizo quando Bolt finalmente dá a atenção a Vinicius, pega a pelúcia e os fotógrafos eternizam o momento. E o que será que ele fará com aquela comprida e incômoda pelúcida nas mãos, não mais gigante do que ele próprio? Olho para meu pequeno Vinicius sentado no sofá, e um novo objeto de desejo se desenha diante de minha atenção. A pelúcia é deixada com uma jamaicana na arquibancada, para meu desespero imenso.

Aproveitemos as horas finais das Olimpíadas como esses seres felizes e empolgantes que boa sorte trazem, e que não se abatem por nada nesse mundo, mesmo quando são ignoradas, em um singelo e marqueteiro oferecimento, pelo homem mais rápido do planeta. E que tenhamos uma dose de otimismo necessária para sermos fortes e virar o jogo em qualquer nível, federal ou pessoal. De todos os modos, agora tenho minha própria mascote olímpica, e isso não é pouco para uma ex-criança aficionada por esportes que já tinha se esquecido do encanto dessas criaturas.


Elisa Andrade Buzzo
São Paulo, 25/8/2016


Mais Elisa Andrade Buzzo
Mais Acessadas de Elisa Andrade Buzzo em 2016
01. Um safra de documentários de poesia e poetas - 2/6/2016
02. A noite em que Usain Bolt ignorou nosso Vinicius - 25/8/2016
03. Antonia, de Morena Nascimento - 14/4/2016
04. Meu querido mendigo - 18/8/2016
05. O bosque das almas infratoras - 23/6/2016


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




EL FANTASMA PROVECHOSO Y OTROS CUENTOS (EM ESPANHOL) LITERATURA INGLESA)
DANIEL DEFOE
COLIHUE
(2004)
R$ 5,00



CADERNOS DO CHDD - ANO 6 - Nº 10 - PRIMEIRO SEMESTRE DE 2007
FUNDAÇÃO ALEXANDRE DE GUSMÃO
CHDD
(2007)
R$ 8,00



LA GUERRA CIVIL ESPAÑOLA 2
HUGH THOMAS
GRIJALBO
(1978)
R$ 31,16



TEX Nº 255 - ARMADILHA MORTÍFERA
SERGIO BONELLI
GLOBO
(1991)
R$ 5,67



ALEGRIA E TRIUNFO
LOURENÇO PRADO
O PENSAMENTO
R$ 7,00



PORCA MEMÓRIA - RECORDAÇÕES GASTRONÔMICAS DE UM PAR DE SUÍNOS
HASIER ETXBERRIA & DAVID DE JORGE
SENAC
(2008)
R$ 10,00



TRAPEZUNGA - UMA FÁBULA DA ABOLIÇÃO
CHICO ALENCAR
MODERNA
(1995)
R$ 12,00



HISTÓRIA DA IGREJA
D. GRANDI / A. GALLI
PAULISTAS
(1964)
R$ 34,00



PROCESSO PENAL - PARTE GERAL
ALEXANDRE CEBRIAN A. REIS / VICTOR E. RIOS GONÇALVES
SARAIVA
(1999)
R$ 9,00



OS FILHOTES
MARIO VARGAS LLOSA
COMPANHIA DAS LETRAS
(1999)
R$ 15,00





busca | avançada
31119 visitas/dia
1,1 milhão/mês