Estamira: a salvação no lixo | Marília Almeida | Digestivo Cultural

busca | avançada
59182 visitas/dia
2,1 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Exuberância - Moisés Patrício
>>> Missão à China
>>> Universidade do Livro desvenda os caminhos da preparação e revisão de texto
>>> Mississippi Delta Blues Festival será On-line
>>> Tykhe realiza encontro com Mauro Mendes Dias sobre O Discurso da Estupidez
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Alameda de água e lava
>>> Entrevista: o músico-compositor Livio Tragtenberg
>>> Cabelo, cabeleira
>>> A redoma de vidro de Sylvia Plath
>>> Mas se não é um coração vivo essa linha
>>> Zuza Homem de Mello (1933-2020)
>>> Eddie Van Halen (1955-2020)
>>> Prêmio Nobel de Literatura para um brasileiro - II
>>> Vandalizar e destituir uma imagem de estátua
>>> Partilha do Enigma: poesia de Rodrigo Garcia Lopes
Colunistas
Últimos Posts
>>> Zuza Homem de Mello no Supertônica
>>> Para Ouvir Sylvia Telles
>>> Van Halen ao vivo em 1991
>>> Metallica tocando Van Halen
>>> Van Halen ao vivo em 2015
>>> Van Halen ao vivo em 1984
>>> Chico Buarque em bate-papo com o MPB4
>>> Como elas publicavam?
>>> Van Halen no Rock 'n' Roll Hall of Fame
>>> A última performance gravada de Jimmi Hendrix
Últimos Posts
>>> Normal!
>>> Os bons companheiros, 30 anos
>>> Briga de foice no escuro
>>> Alma nua
>>> Perplexo!
>>> Orgulho da minha terra
>>> Assim ainda caminha a humanidade
>>> Três tempos
>>> Matéria subtil
>>> Poder & Tensão
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Led Zeppelin Vídeos
>>> Literatura na estrada (BH)
>>> Ser intelectual dói
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Quem somos nós para julgar Michael Jackson?
>>> Culture to Digest
>>> Os novos filmes de Iñárritu
>>> Prêmio Nobel de Literatura para um brasileiro - II
>>> One-man show
>>> A difícil arte de fazer arte
Mais Recentes
>>> Feiticeiro do Norte - Rangers - Ordem dos Arqueiros 5 de John Flanagan pela Fundamento (2011)
>>> O Que é História 15ªed. -Coleção Primeiros Passos 17 de Vavy Pacheco Borges pela Brasiliense (1980)
>>> Estórias da Boca da Noite de Altimar Pimentel pela Thesaurus (1976)
>>> O Homem que calculava de Malba Tahan pela Record (2006)
>>> Só o Amor é Real - uma história de almas gêmeas que voltam a se unir de Brian L. Weiss pela Sextante (1996)
>>> Resgate de Erak - Rangers - Ordem dos Arqueiros 7 de John Flanagan pela Fundamento (2011)
>>> Cultura quilombola na Lagoa da Pedra, Arraias-TO de Wolfgang Teske pela Senado (2012)
>>> A Cartomante e outros Contos de Machado de Assis pela Moderna (2013)
>>> Constituições primeiras do arcebispado da Bahia de Arcebispo D. Sebastião Monteiro da Vide pela Senado (2007)
>>> Colônias imperiais na terra do café: camponeses trentinos (vênetos e lombardos) nas florestas brasileiras. Espírito Santo de Renzo Maria Grosselli pela Senado (2009)
>>> Reis de Clonmel - Rangers - Ordem dos Arqueiros 8 de John Flanagan pela Fundamento (2011)
>>> Caminhos do açúcar: engenhos e casas-grandes das Alagoas de Douglas Apratto Tenório e Cármen Lúcia Dantas pela Senado (2008)
>>> Cidades históricas - inventário e pesquisa: São Luís de Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional - IPHAN pela Senado (2007)
>>> Bandeiras nacional, históricas e estaduais de Derly Halfeld Alves pela Senado (2011)
>>> Halt em perigo - Rangers - Ordem dos Arqueiros 9 - de John Flanagan pela Fundamento (2011)
>>> Cidades históricas - inventário e pesquisa: Parati de Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional - IPHAN pela Senado (2007)
>>> Atualidade de Alberto Pasqualini de Pedro Simon pela Senado (2010)
>>> Grupo Galpão 15 Anos de Risco e Rito de Carlos Antonio Leite Brandão pela O Grupo (1999)
>>> As obras dos engenheiros militares Galluzzi e Sambuceti e do arquiteto Landi no Brasil colonial do século XVIII de Riccardo Fontana pela Senado (2005)
>>> Falando de Shakespeare de Barbara Eliodora pela Funarte Cultura Inglesa (1997)
>>> Um Minuto Para Morrer (Close-Up) de Arthur Hailey pela Nova Fronteira (1980)
>>> As constituições dos países da Comunidade de Língua Portuguesa comentadas de Fernando A. A. Mourão, Walter C. Porto e Thelmer M. Mantovanini pela Senado (2008)
>>> Candice Bergen de C. Bergen pela Francisco Alves (1987)
>>> Cidadania, sistema político e o Estado-juiz de Gabriel Portella Fagundes Neto e Glória Maria G. de Pádua Ribeiro Portella (organização) pela Senado (2017)
>>> Arte sacra de Alagoas: um tesouro da memória de Douglas Apratto Tenório, Leda Maria de Almeida, Cármen Lúcia Dantas pela Senado (2006)
>>> Os Fantoches de Deus de Morris West pela Record (1981)
>>> Apresentação de Afonso Arinos de Virgílio Costa pela Senado (2009)
>>> Grace Kelly - As Vidas Secretas da Princesa de James Spada pela Record (1987)
>>> Uma Longa Jornada de Nicholas Sparks pela Intrinseca (2013)
>>> A Paraíba e seus problemas de José Américo de Almeida pela Senado (2012)
>>> A noite das garrafadas de Chico Castro pela Senado (2012)
>>> Anotações de Vasconcelos de Drummond à sua biografia de Antonio de Meneses Vasconcelos de Drummond pela Senado (2012)
>>> À Primeira Vista de Nicholas Sparks pela Arqueiro (2012)
>>> Easy Guide to Multiplespeed Bicycling de Forest H. Beets pela Howard N. Sams (1974)
>>> A abolição de Osório Duque Estrada pela Senado (2005)
>>> De Eros a Gaia de Freeman Dyson pela Best Seller (1992)
>>> A presidência Campos Sales de Alcindo Guanabara pela Senado (2005)
>>> Querido John de Nicholas Sparks pela Novo Conceito (2010)
>>> A história dos símbolos nacionais de Milton Luz pela Senado (2005)
>>> O Capital e Manual de Economia Politica de Marta Harnecker e Lapidus e Ostrovitianov pela Global (1978)
>>> Formação histórica do Acre de Leandro Tocantins pela Senado (2001)
>>> A formação do capital e seu desenvolvimento de Leônidas de Resende pela Senado (2011)
>>> A Coluna Prestes no Piauí de Chico Castro pela Senado (2007)
>>> Amapá: a terra onde o Brasil começa de José Sarney e Pedro Costa pela Senado (2004)
>>> Diário de uma Paixão de Nicholas Sparks pela Novo Conceito (2010)
>>> O Guardião de Nicholas Sparks pela Arqueiro (2013)
>>> Um Homem de Sorte de Nicholas Sparks pela Novo Conceito (2011)
>>> Noites de Tormenta de Nicholas Sparks pela Arqueiro (2010)
>>> O Casamento de Nicholas Sparks pela Arqueiro (2012)
>>> O Casamento de Nicholas Sparks pela Arqueiro (2012)
COLUNAS

Terça-feira, 19/9/2006
Estamira: a salvação no lixo
Marília Almeida

+ de 10300 Acessos
+ 2 Comentário(s)

A protagonista do documentário mais visto deste ano choca, surpreende e encanta. Sua história e personalidade são únicas e, ao mesmo tempo, contém reflexos e traços de milhões. Filósofa, mulher, guerreira, louca, lúcida e feiticeira, Estamira é várias mulheres em uma. O segredo da admiração que a história de uma catadora de lixo de 65 anos com supletivo incompleto pode provocar está em um documentário bem produzido, fruto de esforço contínuo, excelente fotografia e o discurso lúcido, místico, quase psicanalítico, de sua personagem principal.

Citando suas próprias palavras, Estamira não é comum. Sua missão é falar a verdade, apesar de hoje em dia só errar quem quer. Seu prazer é ajudar e querer bem seus filhos, amigos e netos. Não suporta erros, judiação, perversidade e humilhação. Nunca teve muita sorte: a única foi ter encontrado o trabalho no lixo. Apesar destas características poderem bem delinear uma pessoa sã, ela foi diagnosticada com quadro psicótico e portadora de alucinações.

Mas Estamira não é uma personagem rasa nem pode ser simplesmente tachada pela psicanálise. Seu discurso, por vezes, ultrapassa a simples loucura e transborda filosofia e lucidez em insights geniais como "lixo é resto e descuido", "tudo é abstrato, até Estamira", "existe o além e o além do além que o homem não conhece", "na escola não se aprende e, sim, se copia" e "tudo que é imaginado existe, é e tem". Ela também cria e cita abundantemente entidades misteriosas como o "esperto ao contrário", o "trocadilo" ou "a que revela o homem como único condicional". Elas são complementadas por um discurso anti-Deus e lembra os malogrados e vingativos-astutos que Nietzsche afirmava regerem a humanidade.

O segredo deste comportamento brilhante pontuado por acessos de raiva, revolta e extrema fluência parece residir em traumas da sua vida, que vão sendo pouco a pouco delineados pelo filme. O diretor optou por não colocar depoimento de cientistas e psiquiatras. O discurso de Estamira, pontuado por seus três filhos e amigos do lixão, segue uma ordem cronológica, com seqüências interligadas que apresenta progressivamente a realidade nua e crua de sua protagonista, sem meias palavras.

Em um debate com o diretor Marcos Prado, promovido pela Casa do Saber Jardins, descobri que a idéia do documentário foi permeada de acasos. Seu objetivo inicial era mostrar a transformação do lixão de Jardim Gramacho, localizado no município de Duque de Caxias - RJ, em um aterro sanitário. Com uma área de mais de 1.200m2, ele concentra 85% do lixo produzido na cidade do Rio de Janeiro.

Este processo duraria dez anos e começou em 1993. Foi apenas no sétimo ano que Marcos encontrou Estamira, ao perceber que não havia se aproximado daqueles trabalhadores que somavam dois mil. Inicialmente, pediu àquela senhora de estatura baixa, pele morena e rosto marcado pela idade e trabalho, se poderia fazer seu retrato. Em meio a tantas recusas de outros trabalhadores, Marcos encontrou receptividade e uma vontade de se expressar incomum. Daí para a idéia do filme foi um passo. Foram quatro anos de filmagens e a história do aterro, que acabou servindo apenas como seu pano de fundo, virou livro.

Marcos possui uma produtora e já tinha feito um documentário sobre o trabalho dos carvoeiros e co-produzido o já clássico Ônibus 174 com José Padilha. Acompanhado por uma equipe pequena composta apenas por um câmera, assistente de produção e som, em turnos de 12 horas enfrentou o mau-cheiro do lixão e aprendeu a lidar com traficantes e a prostituição da favela que rodeia o local. Com um gosto especial para temas áridos, seu próximo trabalho irá retratar o cotidiano da tropa de elite carioca.

Não é difícil saber que o diretor, além de documentarista, é também fotógrafo profissional. A fotografia do filme é seu ponto forte, juntamente com o toque especial de sua trilha sonora, que lhe proporciona momentos de poesia em meio à paisagem aterradora do lixão como a briga de dois cachorros por uma boneca ou a dança cronometrada dos urubus, devidamente valorizadas pela opção do filme manual preto-e-branco em contraposição ao colorido digital do resto do documentário.

O que poderia ser simplificadamente tachado como estética da pobreza é apenas instrumento para um fundo místico que combina com o discurso da protagonista. Uma cena belíssima mostra Estamira entrando no mar no começo de uma tempestade. Pequena em frente a grandes ondas formadas, ela chama por suas filhas marítimas e parece guiar misteriosamente os poderes da natureza.

O lixão onde Estamira trabalha, já transformado em aterro, está para ser transferido, pois já atingiu sua capacidade máxima. De acordo com Marcos, há a possibilidade dos novos não permitirem catadores, o que acarretará na perda de 15 mil empregos indiretos e 2 mil diretos. Autônomos, os catadores de lixo chegam a faturar R$1.100 por mês. São condições desumanas e insalubres de trabalho, onde se inala constantemente gás metano, que faz com que não haja vida rastejante no ambiente. No lixão, uma doença também pode se alastrar rapidamente e provocar a morte de até cem pessoas. Apesar disso, quase ninguém quer sair de lá, pois têm uma vida mais digna do que fora dele.

O documentário já ganhou 25 prêmios nacionais e internacionais, entre eles Melhor Documentário pelo Júri Oficial do Festival do Rio de 2004 e da Mostra Internacional de Cinema de São Paulo do mesmo ano, além de festivais de Londres, Miami e Viena, entre outros. O diretor é sincero ao demonstrar como este gênero ainda não é deglutido pelo público do cinema, apesar da marca de 22 mil pessoas nos cinemas de São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília, além de grandes patrocínios como Vivo e o apoio de leis de incentivo, já poderem ser considerados uma vitória.

Após recusar a internação, Estamira vive hoje à base de medicamentos tarja preta e um tratamento acompanhado mês a mês. Seu discurso pode ter se apagado pelas altas dosagens químicas, mas faço minhas suas palavras e concluo: ninguém irá mudar seu ser. Estamira é a beira do mundo, a visão de cada um e ninguém pode viver sem ela.


Marília Almeida
São Paulo, 19/9/2006


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Marcador de página inteligente de Wellington Machado
02. Anos 90, lado B de Noah Mera
03. Da vitrola ao microchip de Rodolfo Felipe Neder
04. Moça Com Brinco de Pérola, de Tracy Chevalier de Ricardo de Mattos


Mais Marília Almeida
Mais Acessadas de Marília Almeida em 2006
01. Estamira: a salvação no lixo - 19/9/2006
02. O diário de Genet - 31/10/2006
03. Rumos do cinema político brasileiro - 18/7/2006
04. A massa e os especialistas juntos no mesmo patamar - 4/7/2006
05. Mavericks: o cinema americano independente - 5/12/2006


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
21/9/2006
00h48min
Marília, você foi precisa, poeta, fluente como poucos, generosa como ninguém. Como se um sopro de vento passasse por mim, num respiro profundo, sem fim. Estamira é uma tribo infinita. Obrigado por ter chegado tão perto. Um beijo, Marcos
[Leia outros Comentários de marcos prado]
13/10/2006
16h25min
Marilia, adorei a sensibilidade de seu texto, e a forma como trata Estamira, como se a conhecesse pessoalmente, hah sim um toque poetico, como disse acima Marcos Prado, e mais que isso, uma visao espiritual da vida de Estamira na passagem do mar. Seu texto nos faz querer que você fale mais sobre suas impressoes e, por isso mesmo, o longo se faz pequeno, adorei, beijos, Thi
[Leia outros Comentários de Thiago Souza (Devin)]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




ESPIANDO O MUNDO PELA FECHADURA
LAÉ DE SOUZA
ECO ARTE
(2008)
R$ 7,00



BLOGS DO ALÉM
VITOR KNIJNIK
REALEJO
(2011)
R$ 35,19



REVISTA CAROS AMIGOS Nº 25
SÉRGIO DE SOUZA (ED.)
CASA AMARELA
(1999)
R$ 20,00



REVOLTA DE COLONOS IMIGRANTES
ELIANE ROBERT MORAES
ÁTICA
(2000)
R$ 12,00



IT GIRL 2: UMA GAROTA ENTRE NÓS
CECILY VON ZIEGESAR
GALERA RECORD
(2006)
R$ 5,00



TÉCNICAS DE AUMENTO DA PRODUTIVIDADE
KEN SWANN
INTERCIÊNCIA (RJ)
(1977)
R$ 24,28



O PENSAMENTO VIVO DE HEITOR VILLA-LOBOS
JOÃO CARLOS RIBEIRO (ORG.)
MARTIN CLARET
R$ 20,00



SENHOR PRENDADO: UM HOMEM QUE SE DIVERTE NA COZINHA
JOÃO BAPTISTA DA COSTA AGUIAR
LEYA
(2011)
R$ 175,00



A CONQUISTA DE NÁPOLES
ALEXANDRE DUMAS
SARAIVA
(1967)
R$ 5,00



COLEÇÃO CONTA PRA MIM: BRANCA DE NEVE
IRMÃOS GRIMM
RIDEEL
(2000)
R$ 5,00





busca | avançada
59182 visitas/dia
2,1 milhões/mês