Crônica à la Caio Fernando Abreu | Elisa Andrade Buzzo | Digestivo Cultural

busca | avançada
63818 visitas/dia
2,2 milhões/mês
Mais Recentes
>>> “Um pé de biblioteca” estimula imaginação e ajuda a criar novas bibliotecas pelo Brasil
>>> Diálogos na Web FAAP: Na pauta, festivais de cinema e crítica cinematográfica
>>> Pauta: E-books de Suspense Grátis na Pandemia!
>>> Hugo França integra a mostra norte-americana “At The Noyes House”
>>> Sesc 24 de Maio apresenta programação de mágica para toda família
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Meu malvado favorito
>>> A pintura do caos, de Kate Manhães
>>> Nem morta!
>>> O pai tá on: um ano de paternidade
>>> Prêmio Nobel de Literatura para um brasileiro - I
>>> Contentamento descontente: Niketche e poligamia
>>> Cinemateca, Cinemateca Brasileira nossa
>>> A desgraça de ser escritor
>>> Um nu “escandaloso” de Eduardo Sívori
>>> Um grande romance para leitores de... poesia
Colunistas
Últimos Posts
>>> A última performance gravada de Jimmi Hendrix
>>> Sebo de Livros do Seu Odilon
>>> Sucharita Kodali no Fórum 2020
>>> Leitura e livros em pauta
>>> Soul Bossa Nova
>>> Andreessen Horowitz e o futuro dos Marketplaces
>>> Clair de lune, de Debussy, por Lang Lang
>>> Reid Hoffman sobre Marketplaces
>>> Frederico Trajano sobre a retomada
>>> Stock Pickers ao vivo na Expert 2020
Últimos Posts
>>> Três tempos
>>> Matéria subtil
>>> Poder & Tensão
>>> Deu branco
>>> Entre o corpo e a alma
>>> Amuleto
>>> Caracóis me mordam
>>> Nome borrado
>>> De Corpo e alma
>>> Lamentável lamento
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Lucas vs. Spielberg
>>> Morando sozinha II
>>> É Julio mesmo, sem acento
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> A Piauí tergiversando sobre o fim dos jornais
>>> Mário Sérgio Cortella #EuMaior
>>> O Gabinete do Dr. Caligari
>>> Ser intelectual dói
>>> Batman: O Cavaleiro das Trevas Ressurge
Mais Recentes
>>> Levando a vida leve de Laura Medioli pela Justo Junior (2005)
>>> Les Filles du Feu / Les Chimères de Gérard de Nerval pela Garnier-Flammarion (1965)
>>> Revolucione sua qualidade de vida - Navegando nas ondas da emoção de Augusto Cury pela Sextante (2002)
>>> Mulheres certas que amam homens errados de Kristina Grish pela Gente (2007)
>>> Pequenos Poemas em Prosa de Charles Baudelaire pela Nova Fronteira (1981)
>>> E de Evidência de Sue Grafton pela Ediouro (1999)
>>> M - O Homem Sensual de Record pela Record (1997)
>>> Verdura? Não! de Claire Llewellyn; Mike Gordon pela Scipione (2011)
>>> @s [email protected] de [email protected] York - as Senhoritas de Nova York de Daniel Piza pela Ftd (1999)
>>> 1 Real de Federico Delicado pela Pulo do Gato (2014)
>>> 1 Real de Federico Delicado pela Pulo do Gato (2014)
>>> 10 Anos Brasil MTV de MTV pela Mtv
>>> 10 Contos de Natal de Gilberto de Nichile pela Scortecci (2015)
>>> 100 Jogos para Grupos de Ronaldo Yudi K. Yozo pela Agora (1996)
>>> 100 Magias para Aumentar Sua Autoconfiança - os Livros Secretos Witch de Disney pela Edelbra (2004)
>>> 100 Magias para Ter um Supergrupo - os Livros Secretos Witch de Disney pela Edelbra (2002)
>>> 100 Magias para Ter um Supergrupo - os Livros Secretos Witch de Disney pela Edelbra (2002)
>>> 100 Segredos das Pessoas de Sucesso de David Niven pela Sextante (2002)
>>> 1000 Formas de Interpretar o Seu Horoscopo de Girassol Edicoes pela Girassol (2006)
>>> 1000 Lugares para Conhecer Antes de Morrer de Patricia Schultz pela Sextante (2006)
>>> 1000 Lugares para Conhecer Antes de Morrer de Patricia Schultz pela Sextante (2006)
>>> 1000 Melhores Segredos Rapidos e Faceis para Voce de Jamie Novak pela Arx (2007)
>>> 1001 E-mails de Cynthia Dornelles pela Record (2003)
>>> 1001 Fantasmas de Heloisa Prieto pela Companhia das Letras (2002)
>>> 1001 Fantasmas de Heloisa Prieto pela Companhia das Letras (2002)
>>> 1001 Fantasmas de Heloisa Prieto pela Companhia das Letras (2002)
>>> 1001 Maneiras de Enriquecer (livro Muito Raro!) de Joseph Murphy pela Record (1966)
>>> 1001 Maneiras de Enriquecer (livro Muito Raro!) de Joseph Murphy pela Record (1966)
>>> 101 Brasileiros Que Fizeram História de Jorge Caldeira pela Estação Brasil (2016)
>>> 101 Experiências de Filosofia Cotidiana de Roger Pol Droit pela Sextante (2002)
>>> 101 Livros Que Mudaram a Humanidade - Coleção Super Essencial de Superinteressante pela Superinteressante (2005)
>>> 101 Lugares para Fazer Sexo Antes de Morrer de Marsha Normandy; Joseph St. James; Alexandre Rosas pela Best Seller (2010)
>>> 102 Minutos: a História Inédita da Luta de Outros; Jim Dwyer pela Jorge Zahar (2005)
>>> 111 Poemas para Crianças de Sérgio Capparelli pela L&pm (2009)
>>> 117 Maneiras de Enlouquecer um Homem na Cama de Margot Saint-loup pela Ediouro (2005)
>>> 12 Anos de Escravidão de Solomon Northup pela Lafonte (2019)
>>> 12 Fábulas de Esopo de Fernanda Lopes de Almeida; Hans Gartner; pela Atica (2000)
>>> 12 Horas de Terror de Marcos Rey pela Global (2012)
>>> 12 Lições para Ser o Pai Ideal de Kevin Leman pela Portico (2015)
>>> 120 Minutos para Blindar Seu Casamento de Renato Cardoso; Cristiane Cardoso pela Thomas Nelson Brasil (2013)
>>> 120 Músicas Favoritas para Piano 8 Edição, Livro Raro! de Mário Mascarenhas pela Irmãos Vitale (1961)
>>> 125 Brincadeiras para Estimular o Cérebro da Criança de 1 a 3 Anos de Jackie Silberg pela Ground (2008)
>>> 125 Brincadeiras para Estimular o Cérebro do Seu Bebê de Jackie Silberg pela Ground (2008)
>>> 13 Chaves para Compreender o Fim dos Tempos de Tim Lahaye; Ed Hindson pela Central Gospel
>>> 13 Mulheres e um Colar de Diamantes de Cheryl Jarvis pela Fontanar (2010)
>>> 1922 a Semana Que Não Terminou de Marcos Augusto Gonçalves pela Companhia das Letras (2012)
>>> 1934 de Alberto Moravia pela Nova Fronteira (1985)
>>> 1939: Contagem Regressiva para a Guerra de Richard Overy pela Record (2009)
>>> 1948 - o Início da Contagem Regressiva de Esqueias Gomes pela Semeando
>>> 1968 o Que Fizemos de Nós de Zuenir Ventura pela Planeta do Brasil (2008)
COLUNAS

Quinta-feira, 27/2/2020
Crônica à la Caio Fernando Abreu
Elisa Andrade Buzzo

+ de 1000 Acessos

Uma crônica à la Caio Fernando Abreu deve ter uma janela aberta para alguma rua em que um casal de namorados brigue ou que uma mulher lave uma vitrina de uma loja de bicicletas. Daqui deste vidro, não há ninguém, não há ódio; mas também não há amor — há um sentido frio de direção onde corta um trem, onde uma construção repousa, onde um corpo ressona, onde um navio geme por detrás de passadas neblinas.

Ainda, antes de um buraco na parede aberto ao branco rio, em cuja margem oposta no final da tarde domingueira resplandece uma forma de usina atômica e as luzes se acendem como um coro que vai assumindo o controle da voz, deve haver uma escrivaninha. Dali, tudo ganha corpo. Daquelas, bem anos 90, cheia de canetas de sardinhas coloridas, CDs, uma caixa de lenço de papéis, agenda, ingressos de cinema, folhas de sala, um coração vianense, uns recortes de postais, globos de neve.

Nesta escrivaninha, ele soluçaria só de ver fotos de "As pontes de Madison" na internet, dançaria como quem dança como o Coringa, misturando um samba, um bolero, um balé. Ao som de Jorge Ben, Djavan, Bee Gees, The Weather Girls, The Temptations, Etta James, Nina Simone, Sade, Ibrahim Ferrer ou Omara Portuondo ele simularia as leis de um universo alegre e harmônico. Teceria toda uma programação que não existe, serenava e desesperava em cinco minutos, pesquisaria fotos do gueule d'amour Jean Gabin e de Harold Lloyd em "Safety Last". Comeria um naco de queijo e beberia água de coco numa taça de vinho, imaginaria o que não é, o que será, o que não terá sido, o que poderia ter sido. E inventaria a conjugação verbal "quisiria", pois CFA sempre estava a desejar, e desejava, e queria no pretérito, no futuro e no inatingível mais que perfeito.

Passaria horas à música e à escrita, e também à leitura. Exageraria nesses quesitos supremos, ainda que haveria a possibilidade de visualizar a vida de barriga pra cima, em meditação mediúnica. E daria-se conta de que, em viciosos círculos de desejos dilacerados, a literatura continua mesmo sendo uma espécie de fim último e salvação. Escrever uma crônica tal qual o faria CFA é como se enfim déssemos conta de que a engrenagem é sempre a mesma, ainda que tentemos uma fuga classuda e acreditemos que há peças diferentes e originais, que não se encaixam na normalidade mesquinha do dia a dia sonolento. É como se a ficha, ou as fichas, finalmente caíssem, e nos resignássemos ao som do piano comovente de Yann Tiersen ou Tori Amos. Porém, na conturbação física do coração, sobrecoloca-se além das colunas no cais uma tranquila mirada de água trêmula.

Uma crônica à la Caio Fernando Abreu soa como uma tardia forma de adolescência. Lembramos, em uma toada fadística, de Marisa Monte, Elis Regina, João Gilberto, Renato Russo, Cazuza, Clarice, Graciliano, vestibular, bossa nova, geração de 30; situacionamos versos de poemas ou canções. Então, como ele, depois de olhar para dentro olho de novo pela janela, e passa um trem de dois andares com quadrados de luz na noite e silhuetas pretas de gente longe. Ressoa uma mota numa entrega estúpida. Montijo e Barreiro são nada mais que purpurina dourada de Carnaval latejando no rio negro. O navio é um fantasma disfarçado de um escuro menos escuro que o Tejo. A construção em guindastes congelados e nichos iluminados assemelha-se a uma civilização terráquea em destroços, já esquecida de si. Um ônibus amarelecido sobe com um peso e um cansaço imensos o viaduto. Há lençóis e fronhas a lavar. Uma chave no firmamento gira o mecanismo das estações e do inverno soltam-se flores e secura de primavera. Depois, um ruído surdo e incessante toma conta da noite. De onde vem tal brisa soturna? É isto uma junção macabra das vidas que não podemos ver, nem tocar, tremulando?

Naquela cidade cidade boa, quente e cinza, não nos conhecemos. Não nos cruzamos na avenida Paulista, no Cinearte, na rua Augusta, nem no Alvorada; tanto melhor, o desencontro definitivo não traz a solidão sobre a qual ele tanto escrevia. Nada precisamos imaginar acerca de nós, nada precisamos lembrar. Nem mesmo há o que necessite ser esquecido para continuar. Graças a Deus. Nossas folhas são brancas e puras, longilíneas e navegantes, como o rio prestes a caminhar à alvorada. Eis uma crônica, ao modo de Caio Fernando Abreu, como se ele a direcionasse e víssemos que tudo continua igual: chorar, chorar, e abraçar um tórrido carrilhão como quem enfim dominasse um fugitivo tempo.


Elisa Andrade Buzzo
São Paulo, 27/2/2020


Quem leu este, também leu esse(s):
01. O palhaço no poder de Luís Fernando Amâncio
02. Como medir a pretensão de um livro de Ana Elisa Ribeiro
03. As sobras completas, poesias de Jovino Machado de Jardel Dias Cavalcanti
04. Silêncio de Ricardo de Mattos
05. Viagem a 1968: Tropeços e Desventuras (3) de Marilia Mota Silva


Mais Elisa Andrade Buzzo
Mais Acessadas de Elisa Andrade Buzzo em 2020
01. Alma indígena minha - 14/5/2020
02. Cinemateca, Cinemateca Brasileira nossa - 20/8/2020
03. Paisagem interna agreste - 23/1/2020
04. Crônica à la Caio Fernando Abreu - 27/2/2020
05. O bosque inveterado dos oitis - 23/4/2020


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




SALOMÉ
MENOTTI DEL PICHIA
EDIOURO
R$ 8,90



O FEITIÇO DO CONGO
ROSELIE VON SASS
ORDEM DO GRAAL DA TERRA
(1979)
R$ 11,90



REVISTA BRASILEIRA DA FILOSOFIA
ND
INSTITUTO BRASILEIRO DE FILOSO
(2000)
R$ 5,00



TEMPO ESCOLAR HORA DE REFLETIR, PLANEJAR E CONSTRUIR A ESCOLA SAGARANA
VARIOS
LOÇÕES DE MINAS
(1999)
R$ 6,90



REVISTA MANCHETE 15 DE AGOSTO DE 1981
ADOLPHO BLOCH DIRETOR PRESIDENTE
BLOCH
(1981)
R$ 15,00



O LADRÃO DE ARTE
NOAH CHARNEY
INTRÍNSECA
(2008)
R$ 5,50



OS GRANDES LÍDERES - WASHINGTON
ROGER BRUNS
NOVA CULTURAL
(1987)
R$ 6,90



BABBITT
SINCLAIR LEWIS
A SIGNET BOOK
R$ 7,90



CÓDIGO COMERCIAL
ANTONIO LUIS DE TOLEDO PINTO
SARAIVA
(2004)
R$ 20,00



O DIÁRIO DE DEMI LOVATO ? STAYING STRONG
DEMI LOVATO, PATRÍCIA AZEREDO (TRADUTOR)
BESTSELLER
(2014)
R$ 6,89





busca | avançada
63818 visitas/dia
2,2 milhões/mês