Comer é viver | Vera Moreira | Digestivo Cultural

busca | avançada
48334 visitas/dia
1,6 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Residência Artística FAAP São Paulo realiza Open Studio neste sábado
>>> CONHEÇA OS VENCEDORES DO PRÊMIO IMPACTOS POSITIVOS 2022
>>> Espetáculo 'Figural', direçãod e Antonio Nóbrega | Sesc Bom Retiro
>>> Escritas de SI(DA) - o HIV/Aids na literatura brasileira
>>> Com Rincon Sapiência, Samanta Luz prepara quiche vegana no Sabor & Luz
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Home sweet... O retorno, de Dulce Maria Cardoso
>>> Menos que um, novo romance de Patrícia Melo
>>> Gal Costa (1945-2022)
>>> O segredo para não brigar por política
>>> Endereços antigos, enganos atuais
>>> Rodolfo Felipe Neder (1935-2022)
>>> A pior crônica do mundo
>>> O que lembro, tenho (Grande sertão: veredas)
>>> Neste Momento, poesia de André Dick
>>> Jô Soares (1938-2022)
Colunistas
Últimos Posts
>>> Lula de óculos ou Lula sem óculos?
>>> Uma história do Elo7
>>> Um convite a Xavier Zubiri
>>> Agnaldo Farias sobre Millôr Fernandes
>>> Marcelo Tripoli no TalksbyLeo
>>> Ivan Sant'Anna, o irmão de Sérgio Sant'Anna
>>> A Pathétique de Beethoven por Daniel Barenboim
>>> A história de Roberto Lee e da Avenue
>>> Canções Cruas, por Jacque Falcheti
>>> Running Up That Hill de Kate Bush por SingitLive
Últimos Posts
>>> Nosotros
>>> Berço de lembranças
>>> Não sou eterno, meus atos são
>>> Meu orgulho, brava gente
>>> Sem chance
>>> Imcomparável
>>> Saudade indomável
>>> Às avessas
>>> Amigo do tempo
>>> Desapega, só um pouquinho.
Blogueiros
Mais Recentes
>>> As mulheres e o futebol
>>> São Luiz do Paraitinga
>>> Discurso de William Faulkner
>>> Road Warrior
>>> O crime da torta de morango
>>> PT saudações
>>> Oscar Wilde, dândi imortal
>>> 30 de Novembro #digestivo10anos
>>> Uma história do Jazz
>>> Quando morre uma paixão
Mais Recentes
>>> O Hobbit de J R R Tolkien pela Martins Fontes (2012)
>>> A herdeira livro 4 serie a seleção de Kiera Cass pela Seguinte (2015)
>>> Tratado Elementar de Magia Prática de Papus pela Pensamento
>>> Os sonhadores de Karen Thompson Walker pela Alfaguara (2020)
>>> Escola de contos eroticos para viuvas de Balli Kaur Jaswal pela Planeta (2019)
>>> o Budismo Esotérico de Sinnett pela Pensamento
>>> O sol mais brilhante de Adrienne Benson pela Tag (2020)
>>> Minha adorável esposa de Samantha Downing pela Tag (2020)
>>> Uma mulher no escuro de Raphael Montes pela Companhia Das Letras (2019)
>>> Volume 2: Proncípios de Auditoria 1ª edição. de R K Mautz pela Atlas (1976)
>>> O Dia do Chacal - capa. dura. de Frederick Forsyth pela Círculo do Livro (1987)
>>> A Bruxa de Portobello de Paulo Coelho pela Planeta (2007)
>>> História do Marxismo no Brasil Volume 3: Teorias. Interpretações de João Quartim de Moraes pela Unicamp (2007)
>>> A Bíblia dos cristais - O Guia definitivo dos cristais de Judy Hall pela Pensamento (2008)
>>> O Martelo das feiticeiras de Malleus Maleficarum pela BestBolso (2015)
>>> Tao Te King de Lao Tsé pela Attar (1995)
>>> As mulheres primeiro de Ian Kerner pela Sextante (2020)
>>> Calibã e a Bruxa de Silvia Federici pela Elefante (2017)
>>> Assim falou Zaratustra de Friedrich Nietzsche pela Companhia De Bolso (2020)
>>> 10% Mais Feliz de Dan Harris pela Sextante (2015)
>>> A Nova Sociedade Brasileira de Bernardo Sorj pela Jorge Zahar Editor (2006)
>>> Four weddings and a funeral C/CD áudio de Richard Curtis pela Penguin Readers (2008)
>>> O Livro da Tranquilidade de Olivia Benhamou pela Martins Fontes (2003)
>>> A Loucura dos Reis: História de Poder e Destruição , de Calígula a Saddam Hussein de Vivian Green pela Ediouro (2006)
>>> The turn of the screw Steage 4 de Henry james D15b4 pela Hub (2011)
COLUNAS

Terça-feira, 26/3/2002
Comer é viver
Vera Moreira

+ de 9900 Acessos

Hoje todo mundo já sabe que comida tem relação com cultura, educação e civilidade. O alimento passou a freqüentar rodas intelectuais, virou objeto de pesquisa, matéria-prima para exercício da criatividade, estrela de mesas abastadas. Evoluiu o comportamento, mas a essência ainda é a mesma: o homem se alimenta por amor a vida e toda a sua relação com a comida advém desta verdade, quando perde o interesse é porque a vida vai muito mal.

Já me aconteceu de perder dois quilos em três dias, por pura tristeza: apaixonada, levei um chega pra lá do meu namorado hoje... não desisto fácil, deu pra perceber? Quando morava em São Paulo, uma vez perdi quatro quilos, por preocupação, dívidas, pressão de trabalho, essas coisas comuns dos tempos modernos. Na época não elaborei, mas no final do ano passado tive a perfeita noção de que se alimentar é um ato de vida. Quando você se sente profundamente triste ou demasiadamente preocupado, o alimento não desce. O contrário também é sintomático e, inclusive, afeta a maioria das pessoas: você se atraca a devorar compulsivamente o que encontrar pela frente, uma fantasia de compensação que na verdade significa se suicidar um pouco a cada momento. É tudo a mesma coisa, sua vida anda mal.

Ninguém, em plena consciência das suas faculdades mentais/existenciais deixa de comer porque quer ou se entope de salgadinhos, refrigerantes, bombons, doces, etc, também porque quer. Comer é comungar corpo e alma, é ter prazer na vida, respeito pela natureza, é ter sensibilidade. O "progresso" não contribuiu muito com a humanidade neste sentido. Com as grandes cidades e a moeda, as relações entre as pessoas foram se tornando cada vez mais competitivas, o afeto foi cedendo espaço ao poder e o mundo se tornou o grande palco de um teatro de falsas intenções. É cada vez mais difícil encontrar alguém que se arrisque a mostrar seus sentimentos. É cada vez mais difícil encontrar alguém que consiga realizar o seu trabalho independente da vaidade. Isso acabou gerando um sem fim de neuroses e a população foi perdendo o interesse pelo alimentar o corpo e a mente.

Adoro ficar pensando nas feiras da Idade Média, com as pessoas trocando alimentos e mercadorias, conversando sobre suas aldeias, o clima, as marés, a lua, as lavouras, os rebanhos, as pestes, a ameaça do inverno, a fartura do verão, o calor dos seus lares e a benção dos filhos. Mas então temo que estejamos chegando de fato ao fim dos tempos, as conversas rareiam, as pessoas se limitam a dar relatórios para os colegas no cafezinho com suspiros e pra família no jantar pizza com coca-cola. E vão ficando cada vez mais tristes e preocupadas.

Os franceses, que eram o povo símbolo da celebração da vida com a sua maravilhosa culinária, a última fronteira da resistência gastronômica, estão ficando obesos. A população que mantinha a forma pela riqueza da sua alimentação, está engordando com produtos industrializados e sedentarismo. A síndrome americana da batata chips x TV bateu às portas da França e 17% da população engordou muito nos últimos três anos. Nos EUA, 80% da população com idade acima de 25 anos está obesa. O fato se agrava nas classes menos favorecidas, atingindo as crianças, sendo comum pesarem mais de 100 quilos. Da facilidade burra dos sacos de alimentos e o vício do lixo televisivo ao medo da violência das ruas e à falta de perspectiva quanto ao futuro, o homem sucumbe ao seu próprio arbítrio. Nos países pobres, as guerras, a opressão e a ganância matam de fome as populações e escancaram ao homem a sua doença mental.

No entanto, se conseguirmos resgatar nossas raízes, fazer agora o caminho inverso, as coisas podem melhorar. Como a vida é cíclica, nada é impossível. Se a industrialização foi um passo importante, difundindo tecnologia de produção, permitindo a conservação de perecíveis em larga escala, multiplicando o alimento e ultrapassando fronteiras de miséria, o caminho de volta pode não ser uma utopia.

Há duas semanas estive em San Francisco, assisti a uma palestra sobre tendências do varejo alimentar nos EUA e adorei saber que o consumidor americano já fala bastante em comer melhor e mais racionalmente, que começou a se preocupar com a saúde. O palestrante disse que esta tendência ainda está mais na esfera das palavras, o americano fala muito sobre isto, mas sucumbe às porções gigantescas de comida que são a marca registrada do país - em 10 anos o tamanho de uma porção de fritas, por exemplo, quase triplicou nos EUA. Mas se espera para o futuro uma verdadeira mudança de hábitos. O consumo de carne vermelha já está diminuindo e aumenta o de carne branca (frango e peixe). A influência de grupos étnicos também está ajudando, com a diversidade da alimentação. E, por incrível que pareça, os atentados terroristas dão sua contribuição. A casa começou a ganhar novo glamour para a família insegura de viajar e preparar uma refeição é agora opção de lazer, ainda que hoje ainda apenas se monte a refeição com os alimentos pré-prontos comprados no supermercado. Mas a expectativa é de que o americano aprenda novamente a cozinhar e prepare a sua refeição em bases saudáveis. Se as pessoas já estão falando neste assunto, vão buscar conhecê-lo mais e, com certeza, acabarão por aplicar a informação adquirida. Este é o movimento natural, felizmente.

Aqui na minha pequena e bela Gramado isto acontece. A nossa população rural está crescendo: até 1990 diminuía a cada ano, mas o último censo do IBGE mostrou que a situação se inverteu e população urbana agora cresce menos aceleradamente. O que me encanta é justamente constatar que os colonos foram atrás de informação, entenderam as novas conquistas com o alimento. Temos uma Feira de Produtos Orgânicos aos sábados pela manhã, onde os colonos levam suas frutas e verduras cultivadas sob consciência ecológica, além de produtos sofisticados fabricados nas suas casas, como queijo bursin, iogurte natural, manteiga e sal com ervas aromáticas, pães e biscoitos integrais e também já começam a cultivar cogumelos shiitake e flores para buquês. Anualmente, temos a Festa do Colono - começa no próximo dia 5 de abril e vai até o dia 14 (se você puder, venha correndo, é uma festa lindíssima) - quando o centro da cidade se enfeita de palha de milho, abóboras e carros de boi, fornos de barro de onde saem cucas, pães e bolachas, um amplo salão ao ar livre com mesas coletivas onde se saboreiam refeições saudáveis e substanciosas. É um importante momento da cidade e o fluxo de turistas é grande, o que gera uma receita significativa do orçamento anual dos colonos.

Você conversa com esses colonos e sente que eles trabalham o alimento com prazer, respeitam e admiram a natureza, o produto que dela tiram. São pessoas guiadas pelo amor ao que fazem, que buscam a melhor forma de prover o corpo e a mente e proporcionam isso também aos outros. São pessoas que combinam a cultura com a essência do alimento e nos dão o exemplo de amor à vida. Assim, acho que ainda podemos ter esperança na humanidade.


Vera Moreira
Gramado, 26/3/2002


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Billy Wilder: o mestre do cinema, parte I de Gian Danton
02. Batman: O Cavaleiro das Trevas Ressurge de Duanne Ribeiro
03. Noite branca no cinema de Verônica Mambrini
04. Pergunte às tartarugas de Tais Laporta
05. Literatura pop: um gênero que não existe de Luiz Rebinski Junior


Mais Vera Moreira
Mais Acessadas de Vera Moreira
01. Comer é viver - 26/3/2002
02. Para pecar, vá de manga - 16/10/2001
03. Carta ao Leitor - 28/1/1964
04. A resistência é vermelha - 19/3/2001
05. Pense no que vai engolir - 24/7/2001


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Arcanjo Jofiel e os Anjos da Iluminação
Elizabeth Clare Prophet
nova era
(2009)



O Guarani - 8ª Ed.
Jose de Alencar
De Ouro
(1970)



O Guia dos Curiosos
Marcelo Duarte
Cia Das Letras
(1999)



Até Quando - Ensaios sobre Dilemas da Atualidade
Dioclécio Campos Junior
manole
(2008)



A Cura do Colesterol em 8 Semanas
Robertbt E Kowalski
Cultura
(1987)



A Terceira Guerra Mundial Agosto 1985
Arnold B Barach
Melhoramentos
(1980)



Eu & os Outros
Liliana Iacocca e Milhele Iacocca
Ática
(2003)



Conheça Seu Alimento Tenha Saude 5ªed(1987)
Erni Kohler
Instituto Adventista de Ensino
(1987)



Muito Além do nosso Eu
Miguel Nocolelis
Companhia das Letras
(2011)



A Importancia de Ser Esposa
Anne Kingston
Record
(2005)





busca | avançada
48334 visitas/dia
1,6 milhão/mês