Mezzo realidade, mezzo ficção | Adriana Baggio | Digestivo Cultural

busca | avançada
30196 visitas/dia
1,4 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
COLUNAS

Quinta-feira, 28/3/2002
Mezzo realidade, mezzo ficção
Adriana Baggio

+ de 3800 Acessos

Roberto Manoel dos Santos sabe o que é estar encurralado desde cedo. Ainda bebê, sua mãe deixava-o preso no cercadinho imundo, enquanto ia trabalhar. Roberto passava os dias mordendo as barrinhas do cercado, não para tentar escapar, mas porque as crianças gostam de ficar roendo alguma coisa quando os dentinhos estão nascendo. Na falta de uma chupeta, um chocalho ou um móbile para se distrair, Roberto observava as baratas passando por cima do seu “cheirinho”. O cobertorzinho de Roberto, na verdade, tinha um odorzinho muito ruim, mas que agradava enormemente os insetos do barraco. Roberto, como toda criança, fazia muito cocô e xixi, mas Pampers e Johnson´s não faziam parte do repertório lexical (e muito menos do orçamento) de sua mãe. Assim, o “cheirinho” acabava ficando imundinho com os restos que escapavam pelo trapo que servia de fralda ao menino.

Apesar de tudo, Roberto era muito querido pela mãe e pelo que restava de seu pai quando não estava encharcado de cana ou entupido de pó. Como todas as crianças queridas, tinha uma forma carinhosa de ser chamado. No caso dele, como no caso dos outros Robertos de situação mais privilegiada, era Betinho. Betinho cresceu, destruiu o que sobrava do cercadinho e passou a brincar no quintal. Quando não estava na rua puxando o rabo dos gatos sarnentos da vizinhança, ou reciclando os despojos que os ricos destinam aos lixões, Betinho sentava no sofá puído e de ripas soltas para assistir Profissão Perigo. MacGyver era seu herói. Apesar da distância entre a vida deles – a começar pela diferença entre ficção e realidade – Betinho conseguia perceber similaridades. Assim como MacGyver, Betinho fazia milagres com os objetos mais improváveis. Não existia porta de carro ou de casa, fechadura, ferrolho ou cofre que ele não abrisse. Enquanto procurava a melhor posição para que os pregos do sofá não arranhassem as feridas purulentas que as surras abriam nas suas costas, Betinho vibrava com a as engenhosidades e impossibilidades de MacGyver.

A primeira vez que foi preso, Betinho teve uma estranha sensação de déjà vu. Alguma parte de seu inconsciente lembrou os dias de encarceramento e imundície que teve na infância. A desvantagem é que, no cercadinho das diversas delegacias e prisões que já freqüentou, Betinho nunca estava sozinho. A merda e o mijo de vinte betinhos espalhavam-se pela cela. Sem chocalhos, móbiles ou chupetas, sem o “cheirinho” que dava alguma remota sensação de conforto, mesmo que imunda, Betinho passou a se revoltar com as grades. As barras não eram as do cercadinho, mas uma serra resolveu o problema e Betinho fugiu para a mata. Cansado, dopado, Betinho adormeceu como uma Branca de Neve. Quando acordou, em vez de anões, encontrou um bando de sagüis. Os bichinhos, coitados, obedecendo à inexorável lei da natureza, fizeram de um dos dedos de Betinho o jantar daquela noite. Roberto Manoel dos Santos, depois Betinho, virou Betinho 19, em homenagem à subtração ocorrida nas extremidades de seus membros superiores.

Betinho 19 virou o terror de quatro estados do Nordeste. É o bandido mais procurado em Pernambuco, Paraíba, Rio Grande do Norte e Ceará. Coleciona acusações de assalto à mão armada, furtos, homicídios, tráfico de drogas e crimes contra a natureza, como o brutal assassinato de uma família de sagüis. Mas o crime mais cruel de Betinho 19, e sua modalidade preferida, é fazer a polícia de trouxa. O período no cercadinho infantil e as tardes assistindo MacGyver deram a Betinho 19 um know how invejável sobre como não permanecer preso por muito tempo. Em agosto de 2001, Betinho 19 fugiu da Penitenciária de Segurança Máxima Barreto Campelo, na Ilha de Itamaracá, em Pernambuco, usando uma corda feita de lençóis. No mês anterior, o bandido já tinha escapado do Instituto de Reeducação Penal Sílvio Porto, no Complexo Penitenciário de Mangabeira, em João Pessoa, serrando as grades da cela, correndo pelo pátio e pulando o muro. Em fevereiro deste ano, Betinho 19 fugiu novamente da penitenciária de segurança máxima da capital paraibana. Desta vez, cavou um buraco embaixo de uma das camas de alvenaria da cela e alcançou o pátio externo. Para não tomar choque ao pular o muro, Betinho 19 e outros apenados provocaram um curto-circuito na rede elétrica e, mais uma vez, escaparam.

Essa última fuga foi amplamente noticiada - e temida. Os jornais exibiram manchetes alarmantes. A polícia alertou os moradores dos bairros nobres da cidade para que tomassem cuidado com o bandido. “Bessa, Manaíra, Tambaú e Cabo Branco em alerta! Betinho 19 escapou outra vez! Bandido tem preferência pelos bairros nobres da cidade! Escondam-se em suas casas, Betinho 19 está solto!”. João Pessoa ganhou ares de cidadezinha de faroeste norte-americano, onde numa terra-de-ninguém qualquer, quando o bandido chega, todos os cidadãos de bem escondem-se em suas casas. Os xerifes de João Pessoa não deram conta de Betinho 19, e o bandido aterrorizou a cidade, roubando carros e assustando os burgueses dos bairros da orla.

Falando em terra-de-ninguém, a última de Betinho 19 foi em Santa Cruz do Inharé, no Rio Grande do Norte. Mais uma vez, viu-se arranhado por ripas e pregos soltos de sofás vagabundos. Escapando dos hômi, escondeu-se embaixo do móvel da casa da namorada A.M.S.B., de 16 anos. A polícia achou e prendeu o bandido. Orgulhosos de sua captura, os hômi prenderam Betinho 19 na cadeia da cidade, uma pitoresca construção de 1923, que faz a gente lembrar de jagunços sanguinários e coronéis corruptos, e foram ao puteiro mais próximo comemorar a façanha.

Betinho 19 foi algemado nas grades da cela. A reputação do bandido é tão boa que nem o carcereiro quis dormir por ali e foi descansar em outro lugar. Devido à sua familiaridade precoce com grades e com as proezas de MacGyver, Betinho 19 não teve dificuldade em abrir as algemas com uma perna de óculos, encontrada na cela pela polícia. Os outros presos ajudaram a serrar as barras. Betinho 19 seguiu pelo corredor da cadeia, abriu um buraco no teto (que, devido ao estilo arquitetônico da década de 20, não tem laje), e saiu calmamente pela madrugada de Santa Cruz de Inharé, sob os acenos saudosos dos presos que, obedientemente, permaneceram na cela de grades destruídas. Cuidado, cidadãos de bem. Mais uma vez, Betinho 19 está solto.


Adriana Baggio
Curitiba, 28/3/2002


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Realeza de Daniel Bushatsky
02. Sincretismo imprevisível de Elisa Andrade Buzzo
03. Auto-ajuda empresarial: reunite crônica de Ana Elisa Ribeiro
04. Por que Coetzee de Daniel Lopes
05. Uma gentileza, por favor de Adriana Carvalho


Mais Adriana Baggio
Mais Acessadas de Adriana Baggio em 2002
01. Todos querem ser cool - 27/6/2002
02. Menos Guerra, Mais Sexo - 31/1/2002
03. Uma pirueta, duas piruetas, bravo, bravo! - 20/6/2002
04. Homens, cães e livros - 15/8/2002
05. No banheiro com Danuza - 28/11/2002


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




MURILO MENDES: O POETA DAS METAMORFOSES
DANIELA NEVES
PUC MINAS
(2001)
R$ 18,00



O ELEFANTE ASSASSINO
PEDRO BANDEIRA
ATUAL
(1987)
R$ 10,00



SELEÇÕES DO READERS DIGEST DE FEVEREIRO DE 1965
TITO LEITE (REDATOR CHEFE)
YPIRANGA
(1965)
R$ 7,00



AURORA: THE NORTHERN LIGHTS IN MYTHOLOGY, HISTORY AND SCIENCE
HARALD FALCK-YTTER; TORBJORN LOVGREN (FOTOS)
FLORIS BOOKS
(1985)
R$ 52,28



MUNDO ESTRANHO 208 ERAM OS DEUSES ALIENÍGENAS? MAIO 2018
VÁRIOS
ABRIL
(2018)
R$ 15,00



PENSAMENTO COMUNICACIONAL BRASILEIRO
MARIA I. VASSALLO / JOSÉ M. DE MELO E OUTROS
INTERCON
(2005)
R$ 20,00



O QUE ATRAIU WARREN BUFFETT
BARNETT C. HELZBERG JR.
FUNDAMENTO
(2009)
R$ 15,00



ENERGIA DA PIRÂMIDE BENEFICIA O HOMEM
ABEILARD GONÇALVES DIAS
LCTE
R$ 10,00



COLEÇÃO PIADINHAS 7
ÂNGELA FINZETTO
BRASILEITURA
R$ 6,00



INSPIRAÇÕES DO AMOR ÚNICO DE DEUS VOL 2
ANTONIO DE AQUINO PAMPHIRO
EDIÇÕES LÉON DENIS
(2005)
R$ 10,00





busca | avançada
30196 visitas/dia
1,4 milhão/mês