A biografia possível | Marta Barcellos | Digestivo Cultural

busca | avançada
32696 visitas/dia
1,3 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Plágio
>>> O filho eterno e seus prêmios literários
>>> Entrevista com Antonio Henrique Amaral
>>> Entrevista com Antonio Henrique Amaral
>>> Entrevista com Antonio Henrique Amaral
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> Espírito de porco
>>> Não Aguento Mais a Empiricus
>>> Nine Eleven
>>> E a bomba caiu!
Mais Recentes
>>> Viagem ao Centro do Computador de Edith Modesto pela Ática (2000)
>>> A Rosa de Sarajevo de Margaret Mazzantini pela Companhia das Letras (2011)
>>> Um Pedaço de TI de Patricia Bittencourt pela Ledriprint (2017)
>>> Bala XXI - Casos, Crônicas, Piadas e Contos de Augusto José Vieira Neto pela Mandamentos (2000)
>>> Filhos Especiais Para Pessoas Especiais - O Milagre do Dia-a-dia de Neusa Maria pela Paulinas (2010)
>>> Pensées Étranglées de E. M. Cioran pela Gallimard (2014)
>>> Le Voyageur et son Ombre de F. NNietzsche pela Denoel (1979)
>>> Colder than Ice de David Patneaude pela Albert Whitman & Company (2003)
>>> Misericordiae Vultus / O Rosto da Misericórdia de Papa Francisco pela Paulinas (2015)
>>> Manual do Agricultor Brasileiro de Carlos Augusto Taunay pela Companhia das Letras (2001)
>>> O Ingenuo de Voltaire pela Dcl (2013)
>>> O Evangelho Segundo O Espiritismo de Allan Kardec pela Feb (1999)
>>> A Princesa de Babilonia de Voltaire pela Dcl (2013)
>>> A Campanha Abolicionista de Jose do Patrocinio pela Dcl (2013)
>>> Zollinger - Atlas de Cirurgia de E. Christopher Ellison, Robert M. Zollinger pela Guanabara Koogan; (2017)
>>> O Hobbit: A batalha dos cinco exercítos : guia ilustrado de Jude Fisher pela WMF Martins Fontes (2014)
>>> Radiografia da Alma de Pe. Hewaldo Trevisan pela Planeta (2010)
>>> Convênios e outros instrumentos de "Administração Consensual"na Gestão Pública do século XXI - Restrições em Ano Eleitoral de Jessé Torres Pereira Junior e Marinês Restelatto Dotti pela Fórum (2010)
>>> Estalos e Rabiscos - Mãos à Obra Literária de Walter Galvani pela Novaprova (2011)
>>> Distrito Federal Paisagem, População e Poder de Marília Peluso e Washington Candido pela Harbra (2006)
>>> Parto de Mim de Vera Pinheiro pela Pallotti (2005)
>>> Deuses americanos de Neil Gaiman pela Intrínseca (2016)
>>> A Ilha dos Prazeres de André Rangel Rios pela Uapê (1996)
>>> A pequena pianista de Jane Hawking pela Única (2017)
>>> Tradição e Novidade na Ciência da Linguagem de Eugenio Coseriu pela Presença- Usp (1980)
>>> Jovens Sem-Terra - Identidade em movimento de Maria Teresa Castelo Branco pela Ufpr (2003)
>>> Os Segredos das Mulheres Inteligentes de Julia Sokol e Steven Carter pela Sextante (2010)
>>> Lettres et Maximes de Épicure pela Librio (2015)
>>> Um Mundo a Construir de Marta Harnecker pela Expressão Popular (2018)
>>> Da RegenciaÀ Queda de Rozas (Rosas)/ Encadernado de Pandiá Calógeras pela Cia. Ed. Nacional (1940)
>>> Psicoterapia y Relaciones Humanas de Carl Rogers e G. Marian Kinget pela Alfaguarra (1971)
>>> O Vinho no Gerúndio de Júlio Anselmo de Sousa Neto pela Gutenberg (2004)
>>> Michel Foucault, Filosofia e Biopolítica de Guilherme Castelo Branco pela Autêntica (2015)
>>> Vidas Provisórias de Edney Silvestre pela Intrínseca (2013)
>>> Introdução À Arqueologia Brasileira: Etnografia e História de Angyone Costa pela Cia. Ed. Nacional (1938)
>>> A Glória de Euclides da Cunha ; Edição Ilustrada/ Brasiliana de Francisco Venancio Filho pela Cia. Ed. Nacional (1940)
>>> A Glória de Euclides da Cunha ; Edição Ilustrada/ Brasiliana de Francisco Venancio Filho pela Cia. Ed. Nacional (1940)
>>> Viñas, Bodegas & Vinos de Argentina de Austral Spectator pela Austral Spectator (2007)
>>> Alexandre, o Conquistador de Airton de Farias pela Prazer de Ler (2013)
>>> A Fiandeira de Ouro de Sonia Junqueira pela Positivo (2008)
>>> Feudalismo de Airton de Farias pela Prazer de Ler (2013)
>>> Alfabeto de Histórias de Gilles Eduar pela Ática (2008)
>>> As Obsessões de um Executivo Extraordinário: as Quatro Disciplinas... de Patrick Lencioni pela Record/ RJ. (2002)
>>> As Obsessões de um Executivo Extraordinário: as Quatro Disciplinas... de Patrick Lencioni pela Record/ RJ. (2002)
>>> As Obsessões de um Executivo Extraordinário: as Quatro Disciplinas... de Patrick Lencioni pela Record/ RJ. (2002)
>>> Marketing Nas Empresas Brasileiras: Organização de Vendas de Joaquim Carlos da Silva pela Record/ RJ.
>>> Dicionário da Língua Portuguesa de Malthus Oliveira de Queiroz pela Sucesso (2014)
>>> Salgueiro 50 Anos de Glória de Haroldo Costa pela Record (2003)
>>> Mitologia Grega de Pierre Grimal pela L&PM (2009)
>>> Além do Bem e do Mal de F. Nietzsche pela Escala (2005)
COLUNAS

Sexta-feira, 1/11/2013
A biografia possível
Marta Barcellos

+ de 2700 Acessos

Há cinco anos mantenho uma coluna de perfis na revista Capital Aberto. Isso significa ter escrito e publicado mais de 60 pequenas biografias "não autorizadas". O texto nunca é submetido aos entrevistados para aprovação. Do contrário, a seção jamais teria a qualidade que tem. Uma qualidade reconhecida por leitores e, ao final, também pelos biografados, que certamente teriam dado "retoques" ao texto se lhes fosse oferecida oportunidade para isso.

Para quem não é do ofício, pode parecer quase um detalhe "deixar o entrevistado ler". Não o é. O risco real de uma incorreção - que poderia ser apontada pelo biografado nessa "leitura inocente" - não vale o inevitável comprometimento de todo o trabalho realizado. Foi o que apontou o historiador e epistemólogo francês François Dosse, em entrevista ao jornalista Bolívar Torres: "Para um historiador e um biógrafo, fica impossível trabalhar com textos autorizados ou supervisionados, ou que dependam dos sentimentos dos biografados. É colocar uma mordaça no pesquisador", disse o autor de O desafio biográfico, obra considerada a biografia da biografia.

A liberdade do biógrafo é apenas um dos lados da questão - e o que considero mais importante, já que, além de o cerceamento inviabilizar o trabalho, existirá sempre o fantasma de que esta forma de censura prévia seja estendida a outras esferas. No entanto, há também o aspecto dos limites da invasão da privacidade, ao qual agora têm se agarrado aqueles que inicialmente defendiam a censura às biografias.

A forma mais fácil de sensibilizar uma pessoa que ainda não analisou o assunto das biografias em sua complexidade é fazê-la se colocar na pele de quem sofreu danos com esse tipo de invasão. Não por acaso, foi essa a estratégia que a empresária Paula Lavigne, líder do grupo Procure Saber, levou a um programa Saia Justa que se propôs a debater o tema. Sem qualquer justificativa ou contexto, Paula subitamente invadiu a intimidade da jornalista Barbara Gancia, perguntando se ela era mesmo gay assumida e qual o nome de sua namorada. Era a carta na manga da empresária: não havia como Bárbara se sair bem da situação. Se se recusasse a responder, pareceria uma contradição com relação ao seu posicionamento a favor das biografias livres. Mesmo respondendo, o constrangimento ficou no ar, e Paula triunfou: "Viu como não é bom?".

É aqui que gostaria de dizer, antes de defender com toda a minha convicção a liberdade total na publicação de biografias em livros, revistas ou quaisquer outras plataformas, que sou sensível ao tema da invasão da privacidade. Não endosso o argumento, também simplista em relação à figura pública, de que "quem está na chuva é para se molhar". Não existe essa regra de sair molhado.

Quando um jornalista, historiador ou pesquisador faz uma entrevista ou apuração sobre acontecimentos passados, ele sempre sente o peso de sua responsabilidade. Exceto se já tiver uma intenção maliciosa - como Paula tinha ao levar a pergunta pronta para o programa -, ele percebe o desafio de construir uma história na qual fatos e personagens sejam reconhecidos com verossimilhança por diferentes leitores - tanto aqueles próximos dos acontecimentos quanto os que terão acesso à história pela primeira vez. Quando escreve sobre algo que aconteceu, o jornalista 'sente' a presença ostensiva daqueles que podem contestá-lo ou serem prejudicados, como se estivessem em seu cangote. Repito, ele sente a responsabilidade. Isso faz parte de seu ofício.

Não adianta, neste momento, argumentar: ora, você é uma boa profissional; há também os negligentes e os maliciosos. Não podemos paralisar todas as atividades do mundo - incluindo a divulgação da informação - em nome da prevenção aos maus profissionais.

É impossível também que a legislação preveja e estabeleça de forma antecipada - outro tipo de censura prévia - a partir de quais "limites" da privacidade alheia podem agir os biógrafos maliciosos ou incompetentes. Até mesmo a vida sexual ou a ficha médica serão pertinentes se estivermos falando da biografia de Bill Clinton ou de Tancredo Neves. Por outro lado, como biógrafa responsável e sem interesse em sensacionalismo, já omiti declarações fortes dos próprios entrevistados por avaliar que elas teriam, escritas e destacadas de seu contexto, um impacto que não condizia com o perfil que estava sendo construído naquele texto.

Pois é, toda biografia é uma construção. Adoro o nome da minha coluna, Retrato, porque acredito que ele encerra o máximo de ambição possível diante de uma vida. Podemos, no máximo, pintar um retrato - utilizando nossas próprias cores e percepções. Podemos, no máximo, tirar um retrato - escolhendo ângulo, enquadramento, luz e sombras. Roland Barthes chamava de biografema esta opção pela narrativa-fragmento, que não tem a pretensão de dar conta de uma totalidade do biografado, ou de uma verdade objetiva.

É natural que o jornalista - assim como fazem hoje os biógrafos brasileiros castigados pela legislação que nos últimos anos tolheu o seu trabalho - se defenda com a afirmação de que persegue a Verdade. É como uma carta de boas intenções, uma forma de explicar o seu desafio diante do senso comum. No entanto, hoje, depois de um bom tempo de profissão e de algumas reflexões a partir de leituras teóricas, percebo claramente a ingenuidade desses termos. A Verdade não está na cabeça do biografado (basta ler autobiografias), tampouco na apuração o mais completa possível do biógrafo.

Trata-se, então, de escolher que tipo de sociedade queremos ser: aquela onde há um dono da Verdade ou aquela em que há pluralidade de verdades.



Marta Barcellos
Rio de Janeiro, 1/11/2013


Quem leu este, também leu esse(s):
01. O tremor na poesia, Fábio Weintraub de Jardel Dias Cavalcanti
02. Um Oscar para Stallone de Luís Fernando Amâncio
03. Notas confessionais de um angustiado (I) de Cassionei Niches Petry
04. A Marcha da Família: hoje e em 1964 de Humberto Pereira da Silva
05. Quase cinquenta de Marta Barcellos


Mais Marta Barcellos
Mais Acessadas de Marta Barcellos em 2013
01. Para viver de literatura - 7/2/2013
02. Mamãe cata-piolho - 31/5/2013
03. Suicídio - 15/2/2013
04. Suicídio, parte 2 - 15/3/2013
05. Até eu caí nessa - 8/11/2013


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




ARQUIVOS DO NORTE
MARGUERITE YOURCENAR
NOVA FRONTEIRA
(1986)
R$ 20,00
+ frete grátis



CORPO NOVO, VIDA NOVA
FERNANDA THEDIM
CASA DA PALAVRA
(2013)
R$ 10,00



MUITAS VOZES - POEMAS
FERREIRA GULLAR
JOSÉ OLYMPIO
(1999)
R$ 12,00



SPACE AND ETERNAL LIFE: A DIALOGE BETWEEN CHANDRA WICKRAMASINGHE
DAISAKU IKEDA, CHANDRA WICKRAMASINGHE
JOURNEYMAN PRESS (LONDRES)
(1998)
R$ 51,82



OBESIDADE E SOFRIMENTO PSÍQUICO
PATRICIA VIEIRA SPADA
UNIFESP
(2009)
R$ 35,00



QUANDO TUDO VOLTA
JOHN COREY WHALLEY
NOVO CONCEITO
(2014)
R$ 17,00



AS ALIANÇAS
LÊDO IVO
GRUPO ACHÉ
(1947)
R$ 8,00



SHORTER OXFORD TEXTOOK OF PSYCHIATRY - FIFTH EDITION
PHILIP COWEN.. PAUL HARRISON.. TOM BURNS
OXFORD UNIVERSITY PRESS
(2006)
R$ 360,00



NUEVO CHICOS CHICAS NIVEL 3 LIBRO DEL PROFESOR + CD.
MARÍA ÁNGELES PALOMINO
EDELSA
(2008)
R$ 90,00



MEDIAÇÃO JUDICIAL: DISCURSOS E PRÁTICAS
KLEVER PAULO LEAL FILPO (EDIÇÃO 2016)
MAUAD
(2016)
R$ 49,82





busca | avançada
32696 visitas/dia
1,3 milhão/mês