Romário | Rafael Lima | Digestivo Cultural

busca | avançada
42220 visitas/dia
1,3 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
COLUNAS >>> Especial Copa 2002

Terça-feira, 11/6/2002
Romário
Rafael Lima

+ de 4200 Acessos
+ 3 Comentário(s)

Na falta de algum grande artilheiro, craque cem por cento em forma ou da confirmação de alguma promessa para o futebol, o grande fato da seleção brasileira continua sendo a não convocação do Romário. Em entrevista recente para um canal de Tv a cabo, o jogador afirmou que vai poder contar para seu filho que conseguiu com que seu nome fosse pedido pela vox populi. Da geração recente, Romário é o único nome que ultrapassou a mera condição de craque - transcendeu-a, virando verbete de enciclopédia, estatística, referência de banco de dados. Não bastassem os números que acompanham sua carreira, Romário também é o tipo de atleta que chama atenção pelo que diz e pelo que faz. A mesma matreirice dos dribles se manifesta em petardos verbais sob medida para a mitologia futebolística. A minha tirada favorita foi a justificativa que ele deu quando vieram lhe cobrar satisfações pelo despejo de alguns inquilinos de apartamentos seus, na verdade parentes distantes que não estavam pagando o aluguel: "quem tem filho grande é elefante".
Romário não foi convocado, entre vários motivos, por falta de timming. Em tempos de exaltação governamental à responsabilidade com as obrigações, aos compromissos firmados, à - segurem firme, lá vai clichê - seriedade na atitude, ele teimava em emular além da conta características do futebol romântico nas quais ninguém mais via graça, e às quais, de certa forma, atribuíam-se os fracassos em copas: a preguiça para treinar (naquela mesma entrevista, Romário contou que, juvenil, levado a fazer o aquecimento correndo ao redor da lagoa Rodrigo de Freitas, esperava passar um ônibus circular, dava calote e saltava um pouco na frente, evitando assim o exercício físico. Pouco depois, Romário chega a confessar que, em alguns jogos, corre menos até que o juiz), a falta de aplicação tática dentro de campo, a indisciplina nas concentrações. Foi o suficiente para ser vetado por Luiz Felipe Scolari. Resta saber até que ponto esse tipo de disciplina, organização, método, seja lá o que for, será eficiente para ganhar títulos com o futebol da seleção brasileira, que conquistou três deles sem se preocupar muito com isso. Em 94 o Brasil foi campeão com a pior equipe, tecnicamente falando, em 30 anos, ainda que tivesse compensado isso sendo a mais disciplinada taticamente, com mais seriedade e jogo de conjunto - além de um certo ás na manga: Romário, no auge.

* * *

Assisti ao primeiro jogo, contra a Turquia, na casa de um amigo recém chegado de uma pós graduação nos E.U.A. Reforçando a torcida brasileira estava um colega dele coreano que não só vestiu a camisa nova da seleção - aquela coisa horrível que a Nike fez - como ainda vibrou junto. Lá pelas tantas, em algum momento de marasmo no segundo tempo, fez uma observação hilariante, que eu até já tinha visto na internet: o Roberto Carlos é a cara do Mini-Me, vilão do filme Austin Powers. Antes que se acuse o coreano de traíra, posto que ele poderia torcer para sua própria seleção na Copa, notem que ele recordou que a Coréia já tinha disputado umas 14 ou 15 partidas em copas do mundo, das quais empatou 3 ou 4 e perdeu todas as outras. O jogo do dia seguinte, contra a Polônia, seria a primeira tentativa de vitória. Me senti um esbanjador com 4 títulos mundiais e 2 vices... Mas fiz questão de lembrar-lhe um momento marcante, talvez o mais próximo da vitória coreana que eu soubesse: em 1966, na Copa da Inglaterra, o primeiro tempo de Portugal e Coréia terminou 3 a 0 para o bravo time oriental. Só que o placar final foi 5 a 3 para Portugal. Foi exatamente esse jogo que motivou o espanto de muitos torcedores para com João Saldanha, já naquela época respeitado comentarista. Questionado protocolarmente no intervalo, João Sem Medo teria dito sem se coçar:
- Tá mole para Portugal. Vira fácil.
!!!

* * *

Uma amiga minha que mora em outro estado escolheu exatamente o dia e o horário do jogo do Brasil contra a China para viajar de avião. Ligado nessa sobreposição inesperada, avisei-a que dificilmente minhas chances de vê-la seriam grandes (ainda que fosse grande a vontade de encontrá-la). Ela respondeu dizendo que daria tempo, era só eu assistir ao jogo, depois pegar um avião e ir vê-la em São Paulo, sua escala. Matematicamente perfeito, ou seja, quase nada, em se tratando do jogo cuja alcunha é "uma caixinha de surpresas". Porque jogo, jogo que não seja de decisão, demora tanto quanto qualquer outro: dois tempos de 45 mais os descontos de sua senhoria. Só que o ritual do jogo é bem mais longo: tem início por volta de uma semana antes, com os telefonemas nos quais se combina o local onde o jogo será visto (que pode ser desde a casa daquele cara que tem uma 29 polegadas até, ora pois!, o próprio estádio, se o seu time estiver precisando de uma força do 12º jogador), o grupo que se reunirá (por favor, Copa do Mundo é coisa séria: só gente que entenda e goste de futebol; é a hora certa de vetar os chatos, os parvos, os inconvenientes, e sobretudo aqueles que costuma dizer quando perguntados sobre seu time, "eu não assisto futebol, só gosto de copa do mundo"), os comes e bebes que irão embalar o ritual (onde já se viu ritual sem seu alimento sagrado? Tem espaço para gelar a cerveja?) e o que mais necessário for para a boa apreciação da partida; e só termina sabe-se lá quanto tempo depois, quando os gritos de fim de jogo já soaram, quando a adrenalina já abaixou (em caso de final de campeonato - e praticamente qualquer jogo de Copa), quando esgotaram-se as incansáveis repetições de jingles e refrões insultando o time, o técnico, o dirigente e a torcida adversárias, quando todo o estoque de bebidas se esgotou, quando a rouquidão é fato.
E ela queria que eu, acabado o jogo, fleumaticamente me despedisse, rumasse para uma emocionante fila de check in no aeroporto para vê-la. Eu me pergunto quando vai chegar o dia em que as mulheres terão sensibilidade suficiente para curtir o futebol, veja bem, curtir!, não assistir aos jogos à cata das pernas mais bonitas em campo.


Rafael Lima
Rio de Janeiro, 11/6/2002


Quem leu este, também leu esse(s):
01. O palhaço no poder de Luís Fernando Amâncio
02. De volta à antiga roda rosa de Elisa Andrade Buzzo
03. 10 coisas que a Mamãe me ensinou de Julio Daio Borges
04. Viagem aos baixos do Viaduto do Chá de Elisa Andrade Buzzo
05. A Palavra Mágica de Marilia Mota Silva


Mais Rafael Lima
Mais Acessadas de Rafael Lima em 2002
01. Coisas nossas - 23/4/2002
02. Pi, o [fi]lme, e o infinito no alfa - 25/6/2002
03. Ar do palco, ou o xadrez nos tempos da Guerra Fria - 16/4/2002
04. Quando éramos reis, bispos, cavalos... - 9/4/2002
05. Quebrar pratos com Afrodite - 14/5/2002


Mais Especial Copa 2002
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
14/6/2002
12h12min
Olha Rafael que generalizações são sempre perigosas... Eu moro aqui na Bélgica e tenho assistido a todos os jogos que posso (também tenho que trabalhar...) e pode crer que curto o futebol. As belas pernas, é claro, estão incluídas mas não são o fundamental. Aqui em casa é o quartel general e aqui torcemos pro Brasil, Bélgica e Portugal. Nosso grupo é composto de três mulheres (eu, uma Húngara que mora no Brasil há uns 15 anos e já se sente brasileira e uma portuguesa) e só um homem (meu marido que é belga). Brasil jogará com a Bélgica na segunda e terei um breve divórcio, pois na segunda só vai dar Brasil! Acabamos de ver Portugal perder prá Coréia, ah foi triste, muito triste.. Tô aqui rouca de tanto torcer de manhã prá a Bélgica e à tarde prá Portugal, agora é recuperar a voz prá gritar bem alto BRASIL e agarrar a bandeira! Um abraço.
[Leia outros Comentários de Tânia Nara]
15/6/2002
18h33min
Quanta asneira. Quando vc se propuser a escrever sobre futebol, escreva sobre futebol. A proposito, que que tem a ver o seu amigo que fez pós graduação nos EUA, com o resto da baboseira que vc escreveu?
[Leia outros Comentários de Antonio Castellane]
16/6/2002
06h19min
estou plenamente de acordo com a Tânia Nara, pois sendo flamenguista doente, assim como todos da família, entendo e discuto tanto quanto os homens, sendo que meu irmão está exatamente em Bruxelas, tendo até alugado uma tv para assistir aos jogo, devidamente paramentado com camisa e bandeira. Quanto ao Romário, muitas vezes irritáva-me assisti no Maracanã, suas inúmeras banheiras, e para que sua atuação fosse pífia, bastava apenas que o marcassem fortemente.Quanto ao Antonio o que baboseira para uns não é para outros, e ele ganharia mais em ter ficado na dele.
[Leia outros Comentários de maria lucia puty]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




O DEGRAU
EVELYN MELLO
TODAS AS MUSAS
(2019)
R$ 35,00
+ frete grátis



DEUS - ELE EXIS TE? ONDE SE ENCONTRA? QUAIS SÃO E ONDE ESTÃO SUAS LEIS?
ORSON PETER CARRARA
MYTHOS
(2013)
R$ 12,90



DESCOBRINDO O BRASIL
JUCA BRASILEIRO
MELHORAMENTOS
(2008)
R$ 12,90



MODERNA PLUS FÍSICA 2 - 10ª ED ALUNO COMPLETO
RAMALHO
MODERNA
(2014)
R$ 19,90



A DERRAMA CONTEMPORÂNEA - E A QUESTÃO DO IMPOSTO ÚNICO
FLÁVIO ROCHA
TOPBOOKS
(1992)
R$ 36,65
+ frete grátis



VIVIR, AMAR Y APRENDER
LEO BUSCAGLIA
EMECÉ
(1984)
R$ 5,00



O MAIOR VENDEDOR DO MUNDO
OG MANDINO
RECORD
(1968)
R$ 22,50



CLEFS POUR LE STRUCTURALISME
JEAN MARIE AUZIAS
SEGHERS
(1971)
R$ 9,82



CAMINHOS DO BOI
CANDIDA GANCHO/VERA TOLEDO
MODERNA
R$ 10,00



NOVO TESTAMENTO
METODISTA
VIDA NOVA
(2006)
R$ 25,00
+ frete grátis





busca | avançada
42220 visitas/dia
1,3 milhão/mês