Comentários de José Maria Silveira | Digestivo Cultural

busca | avançada
69983 visitas/dia
2,0 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Péricles Cavalcanti - lançamento de SALTANDO COMPASSOS
>>> Espetáculo “Canções Para Pequenos Ouvidos” chega ao Teatro Clara Nunes, em Diadema
>>> (Abre 11/10) Mostra BAÚ DA DGT_curadores Francisco Gaspar,Tuna Dwek, Donny Correia e Diego da Costa
>>> Escrever outros Corpos - Criar outras Margens || BELIZARIO Galeria
>>> SESC 24 DE MAIO RECEBE EVENTO DE LANÇAMENTO DA COLEÇÃO ARQUITETOS DA CIDADE
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rodolfo Felipe Neder (1935-2022)
>>> A pior crônica do mundo
>>> O que lembro, tenho (Grande sertão: veredas)
>>> Neste Momento, poesia de André Dick
>>> Jô Soares (1938-2022)
>>> Casos de vestidos
>>> Elvis, o genial filme de Baz Luhrmann
>>> As fezes da esperança
>>> Quem vem lá?
>>> 80 anos do Paul McCartney
Colunistas
Últimos Posts
>>> Agnaldo Farias sobre Millôr Fernandes
>>> Marcelo Tripoli no TalksbyLeo
>>> Ivan Sant'Anna, o irmão de Sérgio Sant'Anna
>>> A Pathétique de Beethoven por Daniel Barenboim
>>> A história de Roberto Lee e da Avenue
>>> Canções Cruas, por Jacque Falcheti
>>> Running Up That Hill de Kate Bush por SingitLive
>>> Oye Como Va com Carlos e Cindy Blackman Santana
>>> Villa candidato a deputado federal (2022)
>>> A história do Meli, por Stelleo Tolda (2022)
Últimos Posts
>>> Universos paralelos
>>> Deseduquei
>>> Cuidado com a mentira!
>>> E agora? Vai ter pesquisa novamente?
>>> Cabelos brancos
>>> Liberdade
>>> Idênticos
>>> Bizarro ou sem noção
>>> Sete Belo
>>> Baby, a chuva deve cair. Blade Runner, 40 anos
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Volto já!
>>> Errando por Nomadland
>>> perversão sexual
>>> Trailer do Fim do Mundo
>>> Uísque ruim, degustador incompetente
>>> O bom e velho jornalismo de sempre
>>> Apresentação
>>> Sabemos pensar o diferente?
>>> A fragilidade dos laços humanos
>>> Anomailas, por Gauguin
Mais Recentes
>>> Construtivismo: uma ajuda ao professor de Ângela Franco, Ângela Christina Souza Alves, Rosamaria Calaes de Andrade. pela (1997)
>>> Paraíso Azul - A Caverna de Cristal - O Espectador – Loteria de Readers Digest pela Readers Digest (2009)
>>> Lições Zen – A Arte da Liderança de Thomas Cleary pela Madras (2009)
>>> Invasão Secreta completa - 8 volumes de Panini Comics pela Panini (2009)
>>> João das Fábulas em 4 volumes completa de Bill Willinghan; Matthewc Sturges, Andrew Pepoy pela Panini (2011)
>>> O Reino da Caixa-tonta de Eraldo Miranda pela Napoleão (2013)
>>> Quem Tem Medo de Cachorro? de Ruth Rocha pela Global (2012)
>>> A Garota Alemã de Armando Lucas Correa pela Jangada (2017)
>>> A Aids e Alguns Fantasmas no Diario de Rodrigo de Jonas Ribeiro Andre Neves (Autor) pela Elementar (2001)
>>> As memórias de Cleópatra - A Filha de Isís e Sob o Signo de Afrodite - II volumes de Margaret George pela Geração Editorial (2000)
>>> O Cerco em 4 edições completas + O Cerco Prólogo + O Cerco Especial de Panini pela Panini (2011)
>>> Quem Tem Medo De Dizer Nao? de Ruth Rocha Mariana Massarani pela Global (2003)
>>> E a Terra Escreveu uma Carta... de Jonas Ribeiro (Autor), Cris Eich (Ilustrador) pela Melhoramentos (2020)
>>> O Pequeno Livro dos Santos de Priya Hemenway pela Pensamento (2006)
>>> Sweet Tooth - depois do apocalipse - saindo da mata de Jeff Lemire pela Panini (2010)
>>> Pic-Pic de Eloisa Ponzio e Outro pela Do Brasil (1991)
>>> Movimento para a Auto Cura de Meir Schneider pela Cultrix (2005)
>>> A Filha Esquecida de Armando Lucas Correa pela Jangada (2019)
>>> 365 Histórias para Ninar de Claire Bertholet / outros pela Girassol (2012)
>>> A Borboleta e a Minhoca de May Christina Cunha de Paiva; Gaiola pela Do Brasil (2011)
>>> Alquimia Interior de Zulma Reyo pela Ground Edit (1989)
>>> Alice No Pais Das Maravilhas Coleção Reecontro Infantil de Nilson José Machado pela Scipione (2002)
>>> Snoopy - A Peanuts Collection tiras dominicais 1973 Edição de colecionador de Schulz pela Planeta deAgostini (2020)
>>> O Jardim de Abayomi de Regiane Rossi Hilkner pela Adonis (2017)
>>> Orientação Infantil de Darla Ferris Miller pela Cengage (2012)
COMENTÁRIOS >>> Comentadores

Segunda-feira, 17/3/2003
Comentários
José Maria Silveira


Ralo mas Profundo.
Cara Adriana, O filme é violento, mas o final tem um significado oposto ao que você interpretou: na violência democrática do dia a dia está o crescimento, com os bons eleitores legitimando e sofrendo com a democracia. O que o filme mostra é que muitas outras carnificinas ocorreram e continuarão a acontecer. Quem disse que Scorcese acha que NY é um cenário idílico. Quer a lista de filmes? É uma história em quadrinhos, piegas e genial como as do Will Eisner. No fundo está a democracia americana. Existe alguém que vai ao cinema do Scorcese para ver o Leonardo di Caprio?

[Sobre "Açougueiro mesmo é o diretor"]

por José Maria Silveira
17/3/2003 às
19h01 143.106.37.196
 
AH!!! os Eternos Adolescentes.
Mestre Soares, este site é lido por gente de direita sim. Em alguns casos, uma direita pavorosa. Penso que o idealizador do site seja um "between", admirador do Sergio Augusto, logo alguem que analisa primeiro, depois afirma. Paulo Francis também foi importante quando tinha 14 anos. Todavia, o episódio Suzane tem nos mostrado que superar a adolescência é fundamental. Este direitismo juvenil é inútil. Da mesma forma que execro as pessoas de esquerda que só leem Hobsbawn (que tem um livro fraqinho sobre jazz), não tenho particular admiração por pessoas que odeiam Saramargo porque ele fala besteiras inomináveis sobre Israel. Vivemos um momento crítico. O Brasil produz música instrumental de qualidade que não é difundida. Ser artista é um exercício de teimosia enorme. Foco e maturidade. Deixemos os fantasmas do passado descansando. Francis como farsa, o chichê do dia.

[Sobre "Filhos de Francis"]

por José M SIlveira
17/11/2002 às
12h33 143.106.37.196
 
Alexandre, o novo Marcelino
Caro Alexandrino, quantos minutos seriam necessários para detectar sua vulgaridade? Ou a minha? Pego o caso da Elis. Em um mundo em que Fafá de Belém, Joana, Ivete Sangalo são consideradas cantoras, por que a senhora do Uísque não deveria gostar de Elis, apesar do repertório em grande parte detestável? Ella também não gravou ruindades inomináveis? O problema da língua: normalmente apresentamos a esposa pelo nome, mas há situações em que "minha esposa" é mal menor, preferível a minha senhora, patroa e o pior: "minha mulher". Atores é jargão de sociologia, assim como agentes é jargão de economia. Em certas situações é preciso usar o termo. Global players tem um poder de síntese que jogador não tem. Curiso, faltou em sua lista: O sujeito é neoliberal, talvez a maior marca de vulgaridade dos últimos 10 anos.

[Sobre "Sinais de Vulgaridade - Parte II"]

por José Maria da Silvei
3/11/2002 às
15h22 143.106.37.196
 
Para Adorno Jazz era diluição!
Caro Sergio Augusto, vamos pensar a televisão como útil para aquele horário em que estamos muito cansados (das 21 até às 23 horas). Neste caso há meio termo entre o lixo da TV aberta, o canal AXN e programas jornalísticos. West Wing, Sex and the City, CSI, The District, Becker, Frazier, Boston Public e 24 horas dão para encarar nesse horário. Tem até uns franceses ingênuos, como Julie Lescaut (treinar o francês é bom) e tinha Navarro. Dá para desviar para Globo News Painel (quase sempre bom), Millenium e documentários como os Amores de Picasso e o documentário do Ken Burns, sobre jazz. Tem a TV Senado e algumas coisas na TV5. Não é pouco para quem chega em casa em estado catatônico. Mesmo Telecione Action tem uma ou outra coisa razoável. Assim vai. O problema é que se a audiência desses canais for pequena, vão colocá-los no pacote para "esnobes e pentelhos", a 200 reais por mês. Há uma clara percepção da queda de qualidade da programação. Mas não seria somente em razão do fato de que agora as classes excluídas têm acesso à televisão?

[Sobre "A droga da felicidade"]

por José Maria
26/8/2002 às
19h09 143.106.37.196
 
A TV a cabo não está em crise!
Contando o número de intervenções sobre o "calcinha" concluo: o apoio do BNDES à TV a cabo é mesmo maracutaia. Tem assinante para dar com pau. Respondendo aos comentários da SUE: Eu comparei as ilustres senhoras do Saia Justa à Lucia Guimarães. Não devia. São públicos diferentes, interesses diferentes. Eu nunca encontraria as justas saias em um seminário sobre o Brasil, como encontrei a Lucia Guimarães. Elas não me indicariam a exposição G. Ritcher, como fez a Lúcia. Eu, por exemplo, não tenho nenhum imteresse em Beatles, nunca tive, em qualquer versão. Também não vejo aquele programa horrível da Marisa Orth (se ela é inteligente, o que faz lá, dinheiro?). Assisto aos "Normais", acho divertido exatamente em função da idiotia urbana dos personagens em um rítmo excelente, feito para TV. Isto não quer dizer que eu tenha interesse no que pensa a Fernanda. O marido era engraçado quando escrevia contos pornográficos no Planeta Diário (Com calor na bacurinha). A Mônica é boa... bem... prefiro o William Waack no Globo News Painel. Não gosto da Maria Bethânia, acho Gal irritante, assim como 99% da nossa música popular que "aparece", mas acho a Mônica Salmaso excelente, assim como a Beth Bruno e a Bel Padovani. Logo o problema da "editoria" do programa não me preocupa. Quando é chato, ruim, não assisto. Tendo público, parabéns. Vida longa. Um abraço cara Sue.

[Sobre "Com a calcinha aparecendo"]

por Jose Maria
6/6/2002 às
10h16 143.106.37.196
 
O todo não é a soma das partes
Rendeu o tal programa "calcinha aparecendo".O fato é que nem sempre 4 mulheres inteligentes e bem sucedidas são capazes de sustentar uma conversa interessante. O currículo pessoal é irrelevante. Todas têm currículo melhor que o do Caio Blinder, por exemplo. Rita Lee nos alegrou nos anos 80, Marisa Orth é engraçada e intelegintes, Fernanda Young escreve o excelente "Os Normais" e Mônica, como disse a Yara, é ótima repórter. Nenhuma tem um vigésimo da simpatia culta e articulada da Lúcia Guimarães (berço?) que é, das 5, a menos conhecida. Um abraço

[Sobre "Com a calcinha aparecendo"]

por jose maria Silveira
5/6/2002 às
13h14 143.106.37.196
 
Fim da Solidão
Pensei que tinha mudado de planeta. Francis expressou exatamente o que queria ter dito quando afirmei que o Olavo de Carvalho se perdeu.Acho que ele tem valor, mas sua visão de mundo é particular, depende de crenças que em grande parte não compartilho. Admito todavia, que Olavo de Carvalho faz pensar e isto não é pouco.

[Sobre "Educação versus Marxismo"]

por Jose Maria Silveira
2/4/2002 às
15h35 143.106.37.196
 
Quanto mais quente melhor!!!
Peço desculpas por ter trocado a palavra "desconhecer" por "desconsiderar". Compartilho com o Sr. Olavo de Carvalho (que não tenho lido, confesso) e com Pedro Paulo Rocha o horror à forma insidiosa com que certos grupos ideológicos interferem no ensino, principalmente nas universidades. Ninguém mais aguenta "neo-liberalismos"e globalização. Discordo da generalização excessiva, que beira a intolerância. Combater a pobreza com palavras e conceitos é muito pouco. Lerei o artigo do Estadão com atenção e horror.

[Sobre "Educação versus Marxismo"]

por Jose Maria Silveira
31/3/2002 às
18h14 143.106.37.196
 
Raivosos, uni-vos
O Sr. Olavo de Carvalho não está em discussão. Discuto o artigo que foi publicado e que motivou os debates. Não discordo da maioria dos pontos do artigo, mas acho que ele praticamente exclui a possibilidade de que autores de linha marxista sejam ensinados, ponto de minha discordância. Quanto à contribuição de O.de C. para o combate à pobreza, sinceramente, nunca vi (e acho que ele nunca se propôs a isso). Ele, certamente contribui ao combate da pobreza cultural. Nisso estamos de acordo.

[Sobre "Educação versus Marxismo"]

por Jose Maria da SIlvei
31/3/2002 às
18h10 143.106.37.196
 
Vamos falar de arte e cultura
Agradeço o light left. Acho sinceramente que o Olavo de Carvalho se perdeu. Até um certo ponto foi um bom crítico (um pouco ressentido) das academias e do marxismo de segunda de alguns de seus representantes (ex. Fiori, Plinio Sampaio, Plinio Sampaio Filho, este inominável Arrighi, etc). Mas daí desconhecer gente como Habermas ou Bourdieu há um caminho cujo nome é intolerância. Sou light que pede ações concretas e eficientes contra a pobreza. Isto me afasta dos reacionários e da esquerda doidivanas. Um abraço. Vamos falar de arte e cultura.

[Sobre "Educação versus Marxismo"]

por Jose Maria Silveira
31/3/2002 às
11h43 143.106.37.196
 
Com calma. Há muitos marxismos
Ser virulento no ataque às idéias genéricas é muito pouco satisfatório. É verdade que os marxistas vulgares exageram na vinculação entre ensino e o desenvolvimento de uma concepcão da sociedade. Em geral, marxistas não gostam de cientistas, por os acharem primitivos.Com isso tendem a privilegiar o ensino da visão da sociedade em detrimento da capacitação técnica dos alunos. Mas olhando um pouco para nossa universidade de primeira linha: não seria bom dar uma visão de sociedade a médicos e engenheiros? Logo, o problema é como fazer. PS: peço perdão pelos erros na mensagem anterior: "atingem o alvo" (sic) e "a ação violenta"...seja intrínsica..." Coisas de quem escreve e não lê o que escreveu neste espaço limitado.

[Sobre "Educação versus Marxismo"]

por Jose Maria Silveira
28/3/2002 às
18h11 143.106.37.196
 
Ac ho melhor falar de música!!
Na mesma edição, uma diatribe contra o MST e outra contra os intelectuais de esquerda é muito. Vamos com calma, gente. Denúncias genéricas tem um defeito grave: não atingem ao alvo. Da mesma forma que encontramos pessoas com coragem para denunciar o "neo-liberalismo" (sic) do governo, raramente encontramos quem aponte ações, perpetradas até por gente dita de esquerda, que favorecem a mercantilização do ensino. Já vi Botos da vida gritando contra o Banco Mundial em assembléias e não abrir a boca contra desvarios mercantilistas na universidade em que trabalha. Há várias contribuições positivas do pensamento à esquerda. Não acho que a ação violenta e covarde do terrorismo seja intrinsíco a quem questiona o poder político e a máquina do mundo.

[Sobre "Educação versus Marxismo"]

por Jose Maria da SIlvei
28/3/2002 às
16h53 143.106.37.196
 
Vamos com calma
A posição de advogado do diabo cai-me bem. Sou insuspeito de ter simpatias pelo MST, principalmente pelo medieval Stédile, figura assustadora por seu ar de certeza de tudo que compartilha com alguns intelectuais partidários.Acho ridículo queimar Macdonald's por ser o símbolo do imperialismo, é apenas o que chamamos de franchising, uma idéia brilhante e que funciona. Sou a favor da soja transgênica e acho que as ações de Stédile contra os campos experimentais um sinal de demência. Com todas essas evidências, qual a surpresa? Muitos intelectuais e padres argumentam que o MST é a fonte de pressão que justifica a ação intensa de reforma agrária do governo FHC. Fez isto invadindo a casa de todo mundo e mesmo pressionando comunidades pobres conformistas. O MST é mais um sinal de que para muitos a sociedade brasileira está à deriva e que a crise é profunda. Ações concretas de combate a pobreza valem mais que mil palavras de indignação. Agora, se o MST é político.. que politiquinhos ruins....

[Sobre "Anything goes"]

por Jose Maria Silveira
28/3/2002 às
15h06 143.106.37.196
 
Viva a boa cerveja!!!!
Parabéns a todos nós que gostamos de cerveja, não de "mijo de gato" engarrafado!!! Obrigado.

[Sobre "It’s my shout"]

por Jose Maria Silveira
23/3/2002 às
15h24 143.106.37.196
 
Você tem razão
Edney, você tem razão. É que eu li muito o Pasquim quando era adolescente. José Maria

[Sobre "Digestivo nº 69"]

por Jose Maria Silveira
21/2/2002 às
09h06 143.106.37.196
 
Julio Daio Borges
Editor
mais comentários

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Geografia Poética do Distrito Federal
Ronaldo Alves Mousinho
Thesaurus
(2007)



Jean Christophe
Romain Rolland
Globo
(2006)



Banya - o Mensageiro - Vol. 5
Kim Young-oh
Conrad



Livro - Amigos Ouvintes
Arnaldo Jabor
Globo
(2009)



Livro - Manuscrito Encontrado Em Accra
Paulo Coelho
Sextante
(2012)



Decodificando da Vinci
Amy Welborn
cultrix
(2004)



Livro - Cartas Entre Amigos Sobre Medos Contemporâneos
Fábio de Melo e Gabriel Chalita
Ediouro
(2009)



Momentos de Ouro
Francisco Cândido Xavier
geem
(1977)



Talmudic Ethics: Finding Your Way to Good Decisions (inglês)-2008
Jewish Learning Institute
Jli
(2008)



Inferno
Dan Brown
Arqueiro
(2013)





busca | avançada
69983 visitas/dia
2,0 milhão/mês